Curitiba: setor de locações registrou crescimento robusto no primeiro semestre de 2022

O pós-pandemia tem se mostrado um momento bastante favorável para o setor de locações em Curitiba, tanto para imóveis com fins residenciais quanto para unidades comerciais, indicam dados levantados pelo Instituto Paranaense de Pesquisa e Desenvolvimento do Mercado Imobiliário e Condominial (Inpespar), integrante do Sistema Secovi-PR.

No primeiro semestre de 2022, o índice de Locação Sobre Oferta (LSO) de imóveis residenciais na cidade foi de 26,7%, 9,1 pontos percentuais (p.p.) acima do registrado no mesmo período do ano passado (17,6%) e 12,4 p.p. a mais do que o resultado dos primeiros seis meses de 2020 (14,3%). Em relação às locações comerciais, se o LSO do primeiro semestre de 2021 foi de 5,1% e no ano anterior ficou em 4%, em 2022 o índice foi de 6,8%.

“Há anos não víamos o mercado tão aquecido assim. Em 2021, mesmo com a crise sanitária ainda presente em parte do ano, já tínhamos conquistado bons resultados, mas 2022 vem superando todas as expectativas. Os números apurados neste ano superaram até mesmo o patamar pré-pandemia, ficando 9,1 pontos percentuais acima de 2019, quando o LSO residencial foi de 17,6%. Em comparação com 2018, quando o LSO alcançou 13,7%, foram 13 pontos percentuais a mais”, explica o presidente do Inpespar, Luciano Tomazini.

Segundo os representantes do Secovi-PR, com as locações em alta também deve crescer em Curitiba a aquisição de imóveis para serem colocados para alugar, a fim de aumentar sua renda por meio da locação de imóveis.

“Mais do que uma boa localização, o que os futuros inquilinos têm buscado são imóveis bonitos e funcionais. Por isso, é essencial que os proprietários mantenham os espaços reformados, que estejam prontos para a mudança e demandem pouca ou nenhuma modificação pelos locatários. Casas e apartamentos com essas características ficam pouco tempo disponíveis no mercado”, comenta Marilia Gonzaga, vice-presidente de Locação do Secovi-PR.

Vendas atingem estabilização – O primeiro semestre de 2022 também foi de bons resultados nas vendas de imóveis residenciais na capital paranaense, assim como ocorreu no mesmo período de 2021, quando o índice de Vendas de Usado Sobre Oferta (VUSO) foi de 5,4%. Neste ano, o VUSO Residencial ficou em 5%, 2,2 p.p. a mais do que 2020 (2,8%). Os imóveis, segundo o presidente do Inpespar, são adquiridos tanto por consumidores finais, aqueles que compram para morar, e por investidores, que desejam aumentar sua renda por meio da locação de imóveis.

“Nas vendas de imóveis residenciais usados, o que temos verificado desde o início de 2022 é que a cidade está entrando em um ciclo de estabilização, com média acima, inclusive, do período pré-pandemia, já que o VUSO de 2019 foi de 2,7% e o de 2018 ficou em 2,4”, pontua Luciano Tomazini.

“O mercado tem se mostrado muito maduro, pois mesmo com questões que costumam influenciar os negócios, como o aumento da taxa Selic, a guerra entre Rússia e Ucrânia e o ano eleitoral, não balançaram o setor imobiliário em Curitiba”, acrescenta o vice-presidente de comercialização imobiliária do Secovi-PR, Josué Pedro de Souza.

Nem mesmo o número de negociações que utilizaram financiamento para a aquisição da casa própria foi impactado negativamente pela taxa básica de juros mais alta. Em 2021, a cada 100 imóveis residenciais vendidos, 75 usaram financiamento. Em 2022, o patamar está em 71 imóveis.

Resultados de junho – Nas locações, os resultados registrados em junho repetiram o bom patamar dos meses anteriores. O LSO residencial foi de 29,6%, enquanto em maio o índice foi de 25,6%. Quanto ao LSO comercial, o índice levantado no sexto mês do ano foi de 7,4% contra 7,9% de maio.

Para os aluguéis residenciais, Centro (17,1% das negociações), Água Verde (6,6%) e Portão (4,7%) foram os bairros mais procurados. A região central também é a preferida dos locatários comerciais, uma vez que 27,3% das negociações se referiram ao Centro, seguido por Cristo Rei (5,5%) e Água Verde (4,7%).

Já nas vendas de imóveis residenciais usados, o VUSO de junho foi de 4,7%, similar ao resultado de maio (4,8%). Os bairros mais procurados foram Centro (8,6%), Boqueirão (5,7%) e Campo Comprido (5,2%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Guarda Municipal de Curitiba inspira outros municípios do Paraná

O secretário de Defesa Social e Trânsito, Pericles de Matos e o comandante da Guarda Municipal, Carlos Celso dos Santos Júnior, recebem o prefeito de Pitangueiras, Samuel Teixeira e comitiva. Curitiba, 16/08/2022. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Com 36 anos de história, a Guarda Municipal de Curitiba vem inspirando outros municípios do Paraná na formação de suas instituições próprias. Esse é o caso do município de Pitangueiras, no Norte do Paraná. Nesta terça-feira (16/8), uma comitiva formada pelo prefeito Samuel Teixeira e demais servidores visitou a sede da GM e conversou com o comando da corporação.

“Estamos em fase inicial da Guarda Municipal em nosso município, ainda com a votação do projeto de lei em andamento. Por isso, viemos aprender com Curitiba, que é uma referência para adaptar essa estrutura a nossa realidade”, afirmou o prefeito de Pitangueiras.

O secretário municipal de Defesa Social e Trânsito, Péricles de Matos, disse que a capital está à disposição para ajudar nessa criação. “Temos auxiliado municípios de todo o Paraná nessa estruturação, com condições de auxiliar na capacitação desses profissionais por meio do nosso Centro de Formação e orientar quanto à legislação vigente”, destacou Matos.

Segundo o comandante da Guarda Municipal de Curitiba, o inspetor Carlos Celso dos Santos Junior, todas as guardas existentes no Estado passaram por Curitiba.

“Hoje são 34 guardas municipais no Paraná e como somos a primeira temos esse cuidado e carinho em auxiliar nossos irmãos de farda”, disse o inspetor Celso.

Participaram da reunião a diretora do Centro de Formação da Guarda Municipal, inspetora Cleusa Pereira, o coordenador do Centro de Operações da GM, inspetor Gilberto Ramos de Oliveira, e demais representantes da Guarda Municipal e do município de Pitangueiras.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

MP faz orientação jurídica à população nos bairros; veja as datas

MP faz orientação jurídica à população nos bairros; veja as datas

Uma equipe do Ministério Público do Paraná (MP-PR) realizou na tarde desta terça-feira (16/8), na Rua da Cidadania do Cajuru, atendimentos descentralizados à população de forma gratuita.

A ação é do Núcleo de Atendimento ao Cidadão e às Comunidades (NACC) e tem o objetivo de facilitar o acesso da população à Justiça. Além do Cajuru, até o mês de novembro serão realizados atendimentos descentralizados nos bairros Cachoeira, Caximba, Tatuquara e Bairro Novo.

O NACC atua especialmente para a população em situação de vulnerabilidade. Outros casos são direcionados para as Promotorias de Justiça especializadas na área.

Nos casos em que a demanda do cidadão não for de atribuição do Ministério Público, as pessoas são orientadas sobre quais órgãos devem buscar assistência

De acordo com Júlia Emanuele Ferreira, estagiária de pós-graduação do MP, nos atendimentos são prestadas orientações jurídicas e recebidas demandas relacionadas às áreas de atribuição do Ministério Público. Estão nesse rol, dificuldade em obter vagas em escolas, acesso a serviços públicos de saúde, problemas urbanísticos (como iluminação pública, coleta de lixo, saneamento básico).

Reconhecimento de paternidade

Além disso, o MP também atua no reconhecimento de paternidade e questões relacionadas ao direito de família.

“Quando a mãe procura para fazer o reconhecimento de paternidade da criança, nós colhemos as informações e vamos contatar o pai para buscar regularizar o registro. Tentamos resolver o caso sem processo quando possível”, explicou Roberta Ferst Sampaio, assessora da promotoria.

Em muitos casos, o pai aceita e faz o reconhecimento. Este ano o MP já fez 90 reconhecimentos de paternidade amigavelmente. No entanto, alguns pais questionam e pedem provas do processo.

“Quando é feito pedido de DNA, são as partes que pagam o exame do laboratório. O resultado vai direto para MP e nós damos ciência às partes e fazemos o encaminhamento dos papéis para o cartório. Se mesmo assim o pai questionar, aí o MP entra com um processo de reconhecimento de paternidade”, relatou Roberta.

Outros casos relacionados com o direito da família, como divórcio, guarda de crianças e pensão alimentícia, são encaminhados para o projeto Justiça no Bairro do Tribunal de Justiça do Paraná, que atua em parceria com o Ministério Público.

Regularização de imóvel

Uma situação bastante comum também é de busca de regularização de imóvel. “Nós analisamos os casos e procuramos orientar a pessoa sobre o que deve fazer para regularizar a área”, explicou Júlia.

Foi o que levou Edson Luiz de Paula procurar a ajuda do MP. “Soubemos que o Ministério Público estava aqui na Rua da Cidadania através do Cras e viemos buscar uma solução para nosso caso”, disse.

A casa de Edson foi erguida em uma área irregular e agora a família busca legalizar o terreno. Ele foi encaminhado para verificar a situação do terreno no núcleo da Secretaria Municipal do Urbanismo.

Próximos atendimentos do Ministério Público nos bairros

Bairro Cajuru

Dia 6/9 – 14h às 16h30

Dia 20/9 – 14h às 16h30

Dia 4/10 – 14h às 16h30

Dia 18/10 – 14h às 16h30

Dia 1/11 – 14h às 16h30

Local: Rua da Cidadania do Cajuru – Avenida Prefeito Maurício Fruet, 2.150

Bairro Cachoeira

Dia 12/9/ – 14h às 16h30

Dia 10/10 – 14h às 16h30

Dia 7/11 – 14h às 16h30

Local: Capela Bom Jesus – Rua David Bodziak, 872

Bairro Caximba

Dia 16/9 – 14h às 16h30

Dia 14/10 – 13h30 às 16h30

Dia 11/11 – 13h30 às 16h30

Local: Cras Caximba – Estrada Delegado Bruno de Almeida, 8.280

Bairro Tatuquara

Dia 22/8 – 14h às 16h30

Local: Associação Vovô Vitorino – Rua Tenente-Coronel Manoel Eufrásio de Assumpção, 375

Bairro Novo

Dia 31/8 – 14h às 16h30

Dia 26/9 – 18h às 20h

Local: Rua da Cidadania do Bairro Novo – Rua Tijucas do Sul, 1.700

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba