Créditos do cartão-transporte serão vendidos nos terminais de ônibus

Os usuários do sistema de transporte de Curitiba poderão comprar créditos do cartão-transporte também nos terminais de ônibus. A opção deve entrar em vigor em até 30 dias. O sistema de recarga de créditos deve ser instalado nos 22 terminais de ônibus da cidade.

A recarga não terá custo e será validada imediatamente. Por mês, circulam cerca de 15 milhões de passageiros na rede de transporte de Curitiba.

“A medida vai facilitar a vida do usuário. Ele recarrega no terminal e já pode usar o crédito imediatamente”, explica o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

Outras opções

A Urbs vem expandindo os meios de venda dos créditos com objetivo de modernizar o sistema de transporte da capital. Em julho, a Prefeitura credenciou empresas de aplicativos para a venda de créditos. Em pouco mais de um mês, foram vendidos R$ 300 mil de créditos pelas duas empresas credenciadas até agora – RecargaPay e Qiwi.

Além dos terminais e aplicativos, os usuários podem carregar seus créditos de transporte em mais de 30 bancas credenciadas e no aplicativo Curitiba App. Com expansão das vendas de créditos para os terminais, a atividade será desativada na sede da Urbs, na Rodoferroviária, a partir da próxima segunda-feira (16/9).

O posto de venda mais próximo da Rodoferroviária é a Banca Baden Powell, que fica a 400 metros, na esquina da Rua Mariano Torres com Avenida Affonso Carmargo, na praça Baden Powell.

Via: Prefeitura Municipal de Curitiba

E aí, gostou? Deixe seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com aumento dos casos, Curitiba volta a bandeira laranja; decreto foi publicado nesta sexta-feira (27)

Em decorrência do novo cenário da pandemia em Curitiba, a Prefeitura reforçou as medidas de controle da covid-19 por meio de um novo decreto.

A medidas estabelecidas pelo Decreto 1600/202 valem a partir de sua publicação, nesta sexta-feira (27/11), e têm duração de sete dias, podendo ser modificadas antes deste período em caso de necessidade.

A bandeira indicativa do nível de alerta contra covid-19 passa de amarela para laranja (risco médio).

O que muda

O novo decreto suspende algumas atividades, impõe restrições de horários ou limita a capacidade para outras (veja abaixo). Além disso, o documento recomenda que os estabelecimentos devem adequar o expediente dos seus trabalhadores aos horários de funcionamento definidos pela administração municipal e priorizar a substituição do regime de trabalho presencial para o teletrabalho, trabalho remoto ou outro tipo de trabalho à distância, quando possível.

Também está recomendada a suspensão da circulação de pessoas e de reuniões no período das 23 horas às 5 horas para reduzir a contaminação e a propagação do novo coronavírus, resultante das aglomerações que vem ocorrendo neste período, principalmente por jovens.

A recomendação é um reforço para que as pessoas se conscientizem da importância da colaboração nas medidas de combate à covid e não se aplica a deslocamentos em razão do trabalho ou casos de urgência.

O funcionamento dos parques e praças fica condicionado ao cumprimento de protocolo específico, determinado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Nos parques, fica permitida exclusivamente a prática de atividades físicas individuais com uso de máscaras.

O descumprimento das medidas restritivas será punido nos termos do Código de Saúde de Curitiba. O infrator também estará sujeito às penalidades previstas no Código de Posturas, incluindo a cassação do alvará de funcionamento pelo período que durar a pandemia.

Ações

Desde que a pandemia do novo coronavírus voltou a ganhar força estão sendo tomadas medidas para conter o avanço e oferecer atendimento à população. De sexta-feira (20/11) até essa quinta (26/11) foram abertos na cidade 126 leitos SUS exclusivos para covid, sendo 51 de UTI e 75 de enfermaria.

Na sexta (20/11), também, a Prefeitura reuniu representantes de 20 setores econômicos e da sociedade civil e pediu a participação de todos para que os locais de circulação de pessoas respeitem as medidas dos protocolos sanitários contra a covid-19. “Não adianta o poder público fazer a sua parte se não houver mais colaboração de todos”, destacou no encontro o secretário de Governo Municipal, Luiz Fernando Jamur.

Pressão

As medidas tomadas nesta sexta têm o objetivo de barrar a evolução da covid-19 na cidade, haja vista o crescimento exponencial de casos da doença nas últimas semanas – com a consequente pressão sobre o sistema de saúde, que precisa ter assegurada sua capacidade de atendimento.

A taxa de ocupação das UTIs SUS para covid-19 está em 94% nesta quinta-feira. Já a taxa de transmissão está em 1,28 – o que significa que cada grupo de 100 pessoas infectadas transmite a doença para outras 128. Para evitar a evolução da doença esse índice precisa ficar abaixo de 1.

Atividades suspensas (independentemente do local de realização, inclusive os residenciais)

  • Estabelecimentos destinados ao entretenimento, a eventos sociais e atividades correlatas em espaços fechados, tais como casas de festas, de eventos ou recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, bem como parques infantis e temáticos.
  • Estabelecimentos destinados a eventos técnicos, mostras comerciais, congressos, convenções, entre outros eventos de interesse profissional, técnico e/ou científico.
  • Bares, casas noturnas e atividades correlatas.
  • Estão vedadas as concessões de licenças ou alvarás para a realização de eventos de massa, assim definidos na Resolução n.º 595, de 10 de novembro de 2017, da Secretaria da Saúde do Paraná.
  • Está vedada a realização de encontros e confraternizações de grupos corporativos. As confraternizações devem se restringir a pessoas do mesmo grupo familiar, que residam no mesmo domicílio.

Atividades com restrição de horário e/ou modalidade de atendimento

  • Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais: das 9 às 20 horas, em todos os dias da semana.
  • Shopping centers: das 8 às 22 horas, em todos os dias da semana.
  • Restaurantes e lanchonetes: das 6 às 22 horas, em todos os dias da semana, inclusive na modalidade de atendimento de buffets no sistema de autosserviço (selfservice).
  • Circos, teatros, cinemas e museus: das 6 às 22 horas, em todos os dias da semana, ficando proibido o consumo de produtos alimentícios e de bebidas pela plateia. A capacidade máxima de ocupação não deve ultrapassar 50% da capacidade de público.
  • Feiras de varejo e feiras livres: das 6 às 22 horas, em todos os dias da semana.
  • É permitida música ao vivo, mas fica proibido o funcionamento de pista de dança. Também deve ser observada a capacidade máxima de ocupação que garanta o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas.

Atividades que devem funcionar com 50% da capacidade

  • Hotéis, resorts, pousadas e hostels.

Atividades que devem funcionar com 50% da capacidade e restrição de horário

  • Serviços de call center e telemarketing: a partir das 9 horas, exceto aqueles vinculados aos serviços de saúde ou executados em home office.

Teste rápido de farmácia pode gerar resultado falso negativo, alerta prefeitura

O teste indicado para detectar a doença na fase ativa é o RT-PCR, por amostra respiratória

Os teste rápidos de “farmácia”, por amostra de sangue, não são recomendados para identificar positividade na fase ativa da covid-19, justamente o período em que as pessoas contaminadas devem ficar em isolamento para não propagarem a doença. O teste indicado para detectar a doença na fase ativa é o RT-PCR, por amostra respiratória.

Os testes sorológicos, como os de farmácia, são apropriados para saber se uma pessoa já teve contato com o vírus e não se ela está infectada no momento do teste.

“O ideal é que esses testes com amostras de sangue sejam feitos 14 dias após o início dos sintomas. Antes disso, pode gerar um falso negativo mesmo se a pessoa estiver contaminada e o risco dela sair transmitindo o vírus é muito grande”, alerta o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, Alcides de Oliveira.

Veja a diferença entre teste sorológico e molecular

Atualmente existem dois tipos de testes para detectar se uma pessoa foi infectada pelo novo coronavírus: o molecular e o sorológico.

O teste molecular (RT-PCR), feito em uma amostra respiratória do nariz ou garganta do paciente e analisada em laboratório de biologia molecular, pode indicar ou descartar a presença do vírus no momento do teste. O PCR precisa ser coletado no tempo certo, entre o 3º e o 6º dia de sintomas da covid-19.

“O PCR é o mais indicado para pacientes que apresentam sinais clínicos da covid, como febre, dor de garganta, tosse seca, alteração de olfato e paladar nos sete primeiros dias de sintomas”, diz Alcides Oliveira.

Sorologia: IgM e IgG

O outro teste é o sorológico (que pode ser rápido), feito em amostras de sangue coletadas em clínicas, laboratórios e em farmácias. Esses testes detectam a presença de anticorpos para combater a covid-19.

Os testes sorológicos geralmente medem dois anticorpos, que são as defesas produzidas pelo organismo contra o vírus: o IgM e o IgG.

O IgM é o primeiro anticorpo que o organismo produz para combater o novo coronavírus. Como a chance de falso positivo para esse reagente é alta, o resultado só será computado nos dados estatísticos quando vierem acompanhado de quadro clínico associado (sintomas da doença), ou no caso de ter havido contato com pessoas com covid-19 confirmada.

O IgG é produzido a partir do 10º dia da doença, permanecendo no organismo por um longo período de tempo. O resultado reagente do IgG significa que a infecção provavelmente aconteceu há mais de duas semanas, portanto, será computado simultaneamente entre os casos confirmados e recuperados.

Informações Banda B.