Conheça mais sobre o 08 de julho, Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico

Se antes a pesquisa científica só era tratada em salas fechadas nas bolhas dos pesquisadores e entusiastas, hoje, com o devido reconhecimento por conta da pandemia, ficou clara a importância do investimento no setor para o desenvolvimento e manutenção da sociedade. No dia 08 de julho comemoramos o Dia Nacional da Ciência e o Dia Nacional do Pesquisador Científico no Brasil. A data homenageia a criação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), criada em 1948. O objetivo é chamar a atenção para a importância da produção científica e despertar os mais jovens para o gosto pela ciência.

“A necessidade de uma resposta rápida no combate à pandemia expôs a importância de investimentos no setor clinico-cientifico. Os tratamentos e curas para doenças, o desenvolvimento e os avanços tecnológicos, por exemplo, são frutos de estudos e pesquisas, possíveis apenas com investimentos no setor”, declara Fernando de Rezende Francisco, gerente executivo da ABRACRO (Associação Brasileira de Organizações Representativas de Pesquisa Clínica).

Embora o Brasil ocupe o nono lugar no ranking mundial de publicações cientificas e o primeiro na América Latina, muitos ainda desconhecem não somente a profissão de pesquisador, mas também sua importância para o desenvolvimento de um país.

Mas, afinal, o que significa ser pesquisador? O pesquisador é um profissional que se dedica a estudos a partir de uma metodologia, testa e comprova hipóteses para chegar a conclusões nas diversas áreas do conhecimento. É responsável por investigar fenômenos e, a partir de suas observações, produzir conhecimento para a sociedade, impulsionando o desenvolvimento de diversas áreas e instituições. “No Brasil, para ser um pesquisador, é necessário estar ligado a uma instituição científica e desenvolver uma pesquisa”, explica Rezende.

O executivo da ABRACRO explica ainda que um pesquisador não precisa, necessariamente, ser graduado em uma área de conhecimento específica, podendo, assim, iniciar sua carreira já na faculdade. O contato com o âmbito acadêmico permite que o estudante interessado em se tornar pesquisador tenha acesso à criação de ensaios através dos programas de incentivo à pesquisa ofertados pelas instituições de ensino ou pelo governo, que podem ser:

  • PIBIC (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Cientifica) – bolsas de estudo para qualquer área do conhecimento, como incentivo para a produção de pesquisas de jovens talentos que estão para se formar;
  • PIBID (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) – Incentivo para estudantes que pretendem se desenvolver na área de docência, antecipando seu vínculo com a sala de aula;
  • PIBITI (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação) – incentivo para o desenvolvimento de pesquisas no âmbito tecnológico.

Um pesquisador pode trabalhar no setor privado, em indústrias e laboratórios, por exemplo, mas, no país, é mais comum que esse profissional se torne também um docente, desenvolvendo pesquisas nas instituições de ensino, enquanto atua também como professor para cursos de graduação.

O 08 de julho é dia de comemorar a ciência e os pesquisadores científicos no Brasil, no entanto, sua função é também alertar sobre a importância do investimento no capital humano, para que a área seja sempre apoiada e palco de maiores investimentos e reconhecimentos. “O futuro depende da ciência feita no presente. A pesquisa clínica pode nos tirar de tristes cenários, descobrir curas e tratamentos, humanizar processos, precisamos acreditar cada vez mais nela”, finaliza Rezende.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

IBEF-PR reúne executivos de finanças de grandes empresas no interior do estado

Com o intuito traçar estratégias para o setor de finanças no interior do Paraná, o Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF-PR) reuniu 25 profissionais de grandes empresas para discutir as novas competências da liderança C-level e as dificuldades na contratação de cargos chave dentro das organizações.

Durante o encontro, o vice-presidente do IBEF-PR para o interior do estado, Jeferson Vinhas, relembrou o objetivo e benefícios em fazer parte do instituto e apresentou a agenda com as datas dos próximos eventos que serão realizados ainda neste ano na região. “Neste encontro, o professor Guaracy Silva foi convidado para falar sobre as novas competências da liderança C-level, como são chamadas as posições de lideranças executivas nas empresas. O professor trouxe importantes conceitos dos principais autores atuais que caracterizam as competências de um C-level”, destaca Vinhas.

A reflexão foi mediada pela vice-presidente de Projetos Estratégicos do IBEF-PR, Ruth Bandeira, que pode apontar sua vivência prática na contratação para posições chaves e as dificuldades encontradas nesse processo.

O encontro faz parte da estratégia de expansão do IBEF-PR para o interior do estado. Esta foi a segunda reunião do grupo neste ano, que aconteceu na noite de 21 de junho e contou com executivos de Maringá e cidades próximas, como Campo Mourão, Umuarama e Londrina. Segundo o VP do interior, Jeferson Vinhas, um dos objetivos do IBEF-PR é proporcionar eventos para que CFOs das empresas possam debater e se capacitar às novidades do mercado. Isso de maneira indireta traz desenvolvimento. “A iniciativa do IBEF vem para fomentar os executivos financeiros do interior do estado com vistas ao desenvolvimento regional das empresas”, ressalta.

Case Coamo

Outro ponto importante do evento foi a apresentação do case Coamo, a empresa com maior faturamento do Paraná e maior cooperativa da América-Latina, feita por Joel Makohin, gerente financeiro da Coamo. Makohin explicou os desafios que a empresa enfrentou para conseguir alcançar o status atual e como funciona a relação do cooperativismo com o executivo financeiro. “Aproveitamos as reuniões para apresentar cases de sucesso da área financeira de empresas da nossa região. É uma ótima forma de inspirar outros executivos e transmitir conhecimento para que as ações também sejam realizadas em mais empresa”, finaliza Vinhas.

Universidade Positivo recebe inscrições para mestrado em Direito

As inscrições para o programa de Mestrado Profissional em Direito da Universidade Positivo (UP) estão abertas. A área de concentração é Direito, Tecnologia e Desenvolvimento, com possibilidade de duas linhas de atuação: Sistemas de Justiça e Políticas Públicas e Organizações Econômicas e Sociais. O programa tem o objetivo de qualificar profissionais graduados em Direito ou áreas afins, que atuam nas organizações do sistema de justiça, ou em órgãos responsáveis pela formulação de políticas públicas e em organizações econômicas e sociais. As inscrições podem ser realizadas no e-mail ppg@up.edu.br.

O processo seletivo é realizado em duas etapas. Na primeira, a banca avaliadora analisa a redação e o anteprojeto solicitados no edital. Na segunda fase, o candidato apresenta, durante uma entrevista, o currículo Lattes, o anteprojeto de pesquisa, as razões, motivações, disponibilidade e as condições para o mestrado. Com ingresso previsto para agosto deste ano, são ofertadas 26 vagas para o programa, com inscrições abertas até 15 de julho. Mais informações no site.

Serviço

Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Positivo (PPGD/UP)

Inscrições: até 15 de julho, via e-mail: ppg@up.edu.br

Mais informações: www.up.edu.br/mestrado-e-doutorado/mestrado-em-direito/