Com foco em inovações para o turismo, Hackatour Cataratas é aberto oficialmente

Equipes terão até domingo, às 23h, para entregarem propostas de soluções e inovações para o turismo.

Com número recorde de participantes, a 5ª edição do Hackatour Cataratas foi aberta oficialmente nesta sexta-feira (7) durante live transmitida nas mídias sociais do evento, que é organizado pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e pela De Angeli Eventos e Empreendimentos.

Em menos de três dias, a missão das equipes (formadas por designers, programadores, analistas de sistemas, engenheiros, empreendedores, acadêmicos e demais interessados na temática) será a de desenvolver soluções e inovações para o turismo, com o apoio de palestras, webinars e um time de mentores especializados em diversas temáticas.

Durante a abertura, o diretor administrativo-financeiro do PTI-BR, Flaviano da Costa Masnik, destacou a equipe vencedoras do Hackatour de 2018, a TARS “hoje em dia está conosco em nossa Incubadora Santos Dumont, o que demonstra todo esse engajamento e toda essa sinergia que temos com o evento”.  O diretor também ressaltou a importância do evento para o desenvolvimento econômico da região. “O Hackatour é muito importante para Foz porque o setor do turismo foi impactado mundialmente e Foz do Iguaçu como um destino turístico mundial também foi muito impactada, pois as atividades do segmento representam 40% da economia local”.

E por fim, Flaviano lembrou que “os três primeiros colocados terão acesso ao nosso processo de pré-incubação, que é referência como ecossistema de empreendedorismo. Eu acho que isso aumenta as chances dessas ideias virarem negócio e também promovem a valorização da nossa cidade”, complementou.

O idealizador do Festival das Cataratas e diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento do Turismo, Cultura, Esporte e Meio Ambiente (IDESTUR), Paulo Angeli, comentou sobre a evolução do evento, que foi se moldando aos interesses do público e nesse ano teve que se adaptar também ao momento vivenciado. “Em uma versão totalmente on-line, a maratona se reinventou mais uma vez para atingir o seu maior objetivo: servir como pontapé inicial para soluções e inovações para o turismo, um setor importante o desenvolvimento econômico de Foz do Iguaçu e do Brasil”.

As três melhores equipes também terão direito a 10 horas de consultoria e imersão juntamente ao Sebrae Paraná, e as duas melhores receberão uma premiação em dinheiro (R$ 3 mil para os vencedores e R$ 2 mil para os vice-campeões).

Representando o Sebrae Paraná, o consultor da Regional Oeste, Osvaldo César Brotto, destacou que o setor do turismo proporciona enormes oportunidades. “Estamos aqui para apoiá-los e dar suporte aos participantes para que possam desenvolver suas ideias daqui pra frente”. O superintendente de Inovação do Ministério do Turismo, Marcelo Garcia, parabenizou os organizadores da iniciativa e deixou um recado aos participantes: “Aproveitem as oportunidades de aprendizado e network que eventos como o Hackatour podem promover”.

Pandemia e antecipação do futuro

Durante a abertura do Hackatour Cataratas algumas autoridades comentaram sobre as oportunidades e desafios decorrentes desse “novo normal” que está surgindo no período pós-pandemia. Para Henrique Domakoski, superintendente de Inovação do Governo do Paraná, com a crise sanitária “todas aquelas mudanças que deveriam acontecer em décadas passaram a acontecer em meses, semanas. Por isso, a importância de se reinventar e os enormes desafios para o turismo”.

Domakoski também lembrou o turismo ainda apresenta uma lacuna importante em relação a startups, ao contrário de outros setores como agronegócio e varejo. Ryon Braga, diretor-presidente da Uniamérica, uma das parceiras do evento, pontuou que “são em momentos difíceis que nós nos superamos e também quando surgem as melhores ideias. Saíremos dessa crise fortalecidos”, disse.

O prazo para a entrega das soluções do Hackatour Cataratas encerra no domingo (9), às 23h. Os 10 projetos finalistas serão anunciados no dia 13 de agosto, e um dia depois ocorre a premiação do evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná supera 400 mil casos confirmados de Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (28) 2.825 novos casos confirmados e 50 mortes em decorrência da infecção causada pelo novo coronavírus.
Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 401.631 casos confirmados e 7.671 mortos em decorrência da doença.
Os casos divulgados nesta segund-feira são: maio (1), junho (1), julho (1), agosto (3), setembro (1), outubro (3), novembro (102) e dezembro (2.713).

INTERNADOS – 1.534 pacientes com diagnóstico confirmado de Covid-19 estão internados. São 1.188 pacientes em leitos SUS (610 em UTI e 578 em leitos clínicos/enfermaria) e 346 em leitos da rede particular (137 em UTI e 209 em leitos clínicos/enfermaria).
Há outros 1.150 pacientes internados, 456 em leitos UTI e 694 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A secretaria estadual informou a morte de mais 50 pacientes. São 20 mulheres e 30 homens, com idades que variam de 41 a 102 anos. Os óbitos ocorreram entre 20 de novembro a 28 de dezembro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em: Colombo (5), Maringá (4), Cascavel (3), Lapa (3), São José dos Pinhais (3), Toledo (3), Arapongas (2), Cambé (2), Foz do Iguaçu (2), Guarapuava (2), Sabáudia (2), Santo Antônio da Platina (2).
A Sesa registra ainda a morte de uma pessoa que residia em cada um dos seguintes municípios: Borrazópolis, Curitiba, Enéas Marques, Flor da Serra do Sul, Formosa do Oeste, Guaratuba, Itaipulândia, Jandaia do Sul, Marechal Cândido Rondon, Paiçandu, Palotina, Piraquara, Pontal do Paraná, Quedas do Iguaçu, Rolândia, Santa Izabel do Oeste, Santa Terezinha de Itaipu.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento da Sesa registra 3.064 casos de residentes de fora, 62 pessoas foram a óbito.

Foz do Iguaçu é um dos destinos turísticos mais seguros do Brasil

Um dos destinos turísticos pioneiros no Brasil em adotar rigorosos protocolos de segurança sanitária, para evitar a contaminação pelo novo coronavírus, Foz do Iguaçu é recompensada com o aumento do número de visitantes e é referência para outras cidades brasileiras que também têm no turismo uma das bases de sua economia.

Créditos fotografia: Nilton Rolin

Todos os protocolos de segurança sanitária estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Prefeitura de Foz do Iguaçu são adotados à risca nos atrativos, nos hotéis e nos restaurantes da cidade. Além de totens com álcool em gel 70% espalhados para facilitar a higienização das mãos, delimitações para distanciamento de dois metros, medição de temperatura e uso constante de máscaras, tanto de colaboradores como de visitantes, os atrativos também operam com o número de turistas que possibilita garantir toda a segurança.

Créditos fotografia: Bruno Bimbato

Também já não se formam filas para a compra de ingressos, como antigamente. Agora, a venda é apenas pela internet. Cada atrativo também montou uma barreira sanitária, com tapete sanitizante, limpeza extra em itens de toque e aplicação de questionário sobre sintomas respiratórios. Os colaboradores estão preparados para reconhecer sintomas compatíveis com a covid-19.

Créditos fotografia: Nilton Rolin

O presidente do Visit Iguassu, Felipe Gonzalez, lembra que as medidas abrangem também o transporte individual e coletivo de turistas, o atendimento em agências de viagens e demais atividades ligadas ao turismo. “As medidas foram tomadas para estimular a retomada do crescimento da cidade e minimizar os impactos econômicos provocados pela pandemia. E deram tão certo que acabaram servindo de modelo para outras cidades e destinos turísticos do Brasil”, conta Gonzalez.

Créditos fotografia: Nilton Rolin

Certificação sanitária

Atrativo mais visitado do destino, o

, onde estão as Cataratas, conta com o Certificado de Responsabilidade Sanitária e o Selo de Ambiente Protegido, que funciona como um aval do comitê multidisciplinar criado para conter o novo coronavírus. Para obter a certificação, os estabelecimentos passaram por rigoroso processo de visitações e auditorias, coordenadas pelas entidades envolvidas no projeto.

Créditos fotografia: Nilton Rolin

Segundo Adelio Demeterko, diretor do grupo Cataratas do Iguaçu S.A., “os turistas podem visitar uma das sete maravilhas naturais do mundo com a tranquilidade de que no Parque Nacional estão sendo cumpridas todas as exigências para a garantir maior proteção contra a covid-19”.

Créditos fotografia: Kiko Sierich

Os atrativos do Complexo Turístico Itaipu, na margem brasileira, também contam com a certificação. “O novo turista, mais consciente, dará preferência a um destino com atrativos naturais e seguro na área de saúde. Todos os nossos colaboradores foram capacitados para atender os turistas com segurança e estão engajados para frear a contaminação do vírus e dar continuidade às atividades turísticas, tão fundamentais para a saúde econômica da cidade”, analisa o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna.

Créditos fotografia: Kiko Sierich

Economia

O que anima os agentes de turismo é que a retomada deu um novo fôlego aos empresários e está garantindo empregos. A rede hoteleira, por exemplo, tem cerca de 180 estabelecimentos, que oferecem 30 mil leitos e, de acordo com o Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares (Sindhotéis), o setor está revisando diariamente os protocolos. Sobretudo em relação à higienização, que “está ligada diretamente à saúde e ao bem-estar do público que recebemos em Foz do Iguaçu”, como afirma o presidente do Sindhotéis, Neuso Rafagnin.

Créditos fotografia: Visit Iguassu

“O momento exige cautela e responsabilidade com as vidas que recebemos em nossos espaços. Estamos respeitando os direcionamentos da OMS e da prefeitura a fim de trazer bem-estar e segurança aos visitantes”, diz Rafagnin. Ele acrescenta que hoje Foz vive uma retomada sustentável e segura do turismo, atividade que responde por grande parte dos empregos e da renda do município.

Créditos fotografia: Visit Iguassu

Ingressos online

Tanto no Complexo Turístico Itaipu como no Parque Nacional do Iguaçu e outros atrativos de Foz, a venda de ingressos é on-line, para evitar aglomeração. Com isso, o turista garante o dia e o horário da visita, já que os atrativos estabelecem uma limitação no número de visitantes.

Créditos fotografia: Nilton Rolin

Desde que reabriu, em 4 de agosto, o Parque Nacional do Iguaçu vem fazendo ajustes na operação, para atender os visitantes com o máximo de segurança. Até outubro, o parque recebia apenas 350 visitantes por hora. O número foi ampliado para 525 por hora, depois de seguidas análises concluírem que não haveria qualquer risco adicional.

Créditos fotografia: Nilton Rolin

Inicialmente, também, o parque funcionou apenas seis dias por semana, fechando ao público nas segundas-feiras. A partir do dia 26, voltará a abrir às segundas, para atender à crescente procura, já que começa a alta temporada de visitação. Segundo a assessoria da Cataratas do Iguaçu S.A., a ampliação do número de visitantes foi analisada com “bom senso”, já que representa um ponto de equilíbrio entre a questão da saúde e a econômica.

Com informações da Cataratas S/A