Busão Curitiba EuroTrip

VIAGEM QUE FIZEMOS EM 2015 – POSTANDO SÓ AGORA!

E aí galera, beleza? Resolvi fazer um post de resumo da viagem que fizemos na Europa. Para o pessoal que perguntou sobre as postagens aqui vai o porquê estivemos ausentes nesse tempo. E antes de mais nada, quero deixar claro que não somos playboys que querem se mostrar por isso não, trabalhamos pra conseguir ir pra lá e também teve uma promoçãozinha que ajudou bastante! 😉

Saímos de Curitiba dia 27 de fevereiro e fomos pra Brasília e nos hospedamos na casa do João Victor (amigo do Ricardo), falando nisso MUITO OBRIGADO João, sua irmã e o Diego que nos deu carona por lá, e visitamos alguns pontos turísticos de lá como a Esplanada dos Ministérios e o Palácio da Alvorada. Ficamos na Asa Sul e automaticamente lembrei do filme “Somos Tão Jovens” , que conta a história de Renato Russo, por causa dos prédios que existem lá. Gostei muito da divisão e a peculiaridade de não possuir esquinas, somente as “tesourinhas” para virar de um lado para o outro de carro.

10940517_920193494688092_1730757697455653585_n

No dia 28 viajamos de Brasília para São Paulo rumo Amsterdã. Foram um pouco mais de 11 horas de viagem até chegarmos no Aeroporto de Schipol. Demoramos um pouco para localizarmos um meio de transporte que nos levasse ao hostel, que ficava perto do Van Gogh Museum, depois que achamos caminhamos até o ponto e o preço da passagem é 5 EUROS (cerca de 15 reais e pouco). Uma coisa curiosa é que compramos o bilhete e não entreguei para ninguém e ninguém veio fiscalizar, pagamos e entramos sem dar nenhuma satisfação. Achei interessante isso e me perguntei “por que eu paguei então?”, mas veio uma coisa na minha cabeça que lá isso funciona e o pessoal realmente paga pelo transporte pois tem qualidade no mesmo. Este mesmo ônibus (número 5) tinha Wi-Fi e câmeras dentro.

5381381906_7a65f757b8

Já instalados no Hostel, visitamos primeiramente aquele letreiro escrito “I AMSTERDAM” que está atrás do Rijksmuseum e pertíssimo de onde estávamos. Passeamos pela cidade, mas não entramos em muitos lugares justamente para não gastar muito e pelo tempo ser curto.

Agora uma coisa que todos vão querer saber: “E a maconha?”. Sim, lá é legalizada a maconha e se pode comprar nos Coffee Shops espalhados pela cidade, custa de 9 euros pra mais, como eu sei? Me contaram… E algumas pessoas vendem outras drogas nas ruas como cocaína e etc. Não sei se é bom eu falar essas coisas, mas estou falando o que rola por lá. Sem se esquecer da Red Light District ou como eu e o Ricardo chamamos: RUA DAS PUTA! hahahahaha Lá é muito interessante pelo fato, quem não sabe, as prostitutas ficam em vitrines (como se fossem uns quartinhos) e chamam a galera que está passando na rua para minutos de sexo.  Falando um pouco do transporte, além de ônibus também tem os TRAM (bondes) e o metrô. O TRAM custa mais ou menos 3 EUROS e o metrô eu não sei porque eu não peguei metrô! :~

Gostei muito de Amsterdã pelo hostel ser bom muito bom e barato e também por ser muito fácil caminhar por lá e não se perder. 🙂

10967767_924995780874530_1924683929_n

Seguimos viagem para Frankfurt na Alemanha e ficamos na casa da tia do Ricardo e nos hospedamos na casa dela que fica ao lado de Frankfurt em uma cidade chamada Bad Homburg. Uma cidadezinha com poucos habitantes, mas realmente muito linda, típica alemã mesmo com aquelas casinhas típicas, sabe como é? Nevou bastante lá e foi a terceira vez que vi neve na vida, em Curitiba (risos), em Amsterdã (esqueci de falar lá em cima) e em Bad Homburg. Coisa linda de ver todas as árvores cobertas de neve. O problema só é escorregar na calçada e frio do cacete que tava fazendo, mas tava muito foda!

Na Alemanha fomos de trem para chegar lá, pagamos cerca de 30 EUROS cada um para viajar da Holanda para a Alemanha e pagamos cerca de 3, 5 EUROS para pegar o metrô que levava até Bad Homburg. Qualidade do transporte excepcional mesmo.

Paris, uma cidade muito bonita como vemos nos filmes e com o transporte mais barato. Lá o metrô custa 1,80 EUROS e não sei se foi pelo horário em que utilizamos, mas sempre tinha lugar. Quanto aos pontos turísticos, uma coisa pra falar: SENSACIONAIS. Passamos por alguns como o Arco do Triunfo, Torre Eiffel (pagamos 5 euros para subir de escada até o primeiro andar, mas pode subir mais), Museu do Louvre (era segunda-feira e estava fechado) e a Catedral de Notre-Dame, que é de graça para entrar.

O Hotel que ficamos era muito bom, apesar do elevador super estreito e as escadas em luzes hahahahhaa. Mas estávamos poupando dinheiro e não foi tão ruim assim, fomos tratados muito bem.

Sem Título-2

Depois uma tour em Paris retornamos de ônibus até Amsterdã com destino ao Brasil, foram 6 horas de ônibus passando pela Bélgica. O motorista do ônibus era angolano e acabamos conversando bastante com ele, apesar de vários italianos, com o jeito italiano de ser, falando alto, não conseguimos dormir quase nada. Mas tudo bem, chegamos em Amsterdã, andamos por lá e já era bem tarde e nosso vôo era de manhã, apressamos o passo com a malas deslizando no chão congelado até que chegamos em uma praça e vimos que estávamos perdidos! hahahaha Abrimos um mapa que o Ricardo tinha no bolso e imediatamente um cara aleatório veio nos oferecer ajuda, muito educado nos perguntou se queríamos ajuda e ele nos guiou até o hotel que passaríamos a noite. Incrível de se pensar, né? Porque já era quase 1 da madrugada.

Passamos o último dia em um hotel super bom e retornamos ao Brasil! 😉

O que podemos tirar dessa viagem, que fizemos em 2015, foi esse grande choque cultural que tivemos lá e como é lindo viajar, ainda mais por seus próprios esforços. Nunca imaginei um dia em viajar para a Europa, parecia tão distante para mim e acabei realizando um sonho. Espero que inspire a muitos que estão lendo esta postagem a acreditarem que é possível e com muito trabalho e dedicação as coisas começam a surgir.

Conheça a história da tradicional Pipoteca de Curitiba

O que te faz lembrar da infância? A Pipoteca faz parte das suas lembranças? Para a maioria dos curitibanos a resposta é sim! Em casa ou no recreio da escola, a Pipoteca marcou gerações e ainda pode ser encontrada nas banquinhas de revista ou nos supermercados.

Mas o que poucas pessoas sabem é que a única fábrica do Brasil que produz a Pipoteca fica em Curitiba, no bairro Vila Fanny. A empresa responsável pela guloseima, já considerada tipicamente curitibana, foi criada pelo catarinense Sebastião, em 1978. O nome Pipoteca veio da junção de pipoca e discoteca, uma referência às danceterias da década de 70 e à novela Dancin’Days.

Na foto o Sr. Sebastião fundador da Pipoteca | Foto: Marcelo Andrade/ Gazeta do Povo – 2017

Há mais de 40 anos a fábrica está localizada no mesmo endereço, onde tudo começou, mas os produtos já atravessaram fronteiras. Atualmente, a empresa fornece para outros estados como, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo. 

A famosa Pipoteca | Foto: Divulgação

Além da fábrica, a empresa tem uma loja física, onde é possível encontrar todos os produtos Pipoteca – salgadinhos, pipoca doce e muito mais. A loja fica localizada na Rua Leonel França, 192, na Vila Fanny, ao lado da fábrica. Mais informações acesse o site

Loja da fábrica na Vila Fanny | Foto: Divulgação

Países da Europa começam a aplicar vacina da Pfizer contra covid-19

[ad_1]

Alemanha, Áustria, França, Itália, Grécia, Portugal, Espanha e República Tcheca estão entre os primeiros países a participarem do programa de vacinação em massa iniciado ontem (27) na Europa. A campanha faz parte dos esforços de combate à pandemia de covid-19, doença que afetou economias e matou mais de 1,7 milhão de pessoas em todo o mundo.

Os primeiros a receberem a primeira dose da vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech são idosos e os profissionais da área da saúde, que já estão fazendo fila para ser imunizados.

Diante da grande escala de esforços para a vacinação, alguns países europeus tiveram de convocar médicos aposentados para ajudar nessa campanha. Há inclusive países que tiveram de mudar suas regras sobre quem tem autorização para aplicar injeções.

A distribuição da injeção Pfizer-BioNTech, que foi lançada pela primeira vez na Grã-Bretanha no início deste mês, apresenta grandes desafios. A vacina usa uma nova tecnologia genética de mRNA, o que significa que deve ser armazenada em temperaturas ultrabaixas de cerca de 80 graus Celsius negativos.

França, Alemanha, Itália e Espanha

Com pesquisas apontando altos níveis de hesitação em relação à vacina em países como França e Polônia, os líderes dos 27 países da União Europeia estão promovendo-a como “a melhor chance de voltar a algo como a vida normal no próximo ano”.

“Temos uma nova arma contra o vírus: a vacina. Precisamos nos manter firmes, mais uma vez”, tuitou o presidente francês Emmanuel Macron, que testou positivo para o coronavírus neste mês e deixou a quarentena na véspera de Natal.

Germany begins vaccinations against coronavirus disease (COVID-19)

Em Berlim, Gertrud Haase, 101 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada.  Reuters/Kay Nietfeld/Direitos Reservados

Na capital da Alemanha, Berlim, Gertrud Haase, de 101 anos, foi a primeira pessoa a ser vacinada. Nascida em fevereiro de 1919, Haase mora em uma casa de repouso desde 2011. Ela foi ao local de vacinação acompanhada de outros colegas residentes.

Na Itália – primeiro país da Europa a registrar um número significativo de infecções, onde a pandemia já resultou na morte de mais de 70 mil pessoas –, a enfermeira Claudia Alivernini, de 29 anos, esteve entre as primeiras equipes médicas a receberem as primeiras injeções da vacina.

Também foram vacinados neste domingo os profissionais de saúde do hospital Lazzaro Spallanzani, de Roma. O plano nacional de vacinação está sendo implementado pelo ministério da saúde italiano. “É o começo do fim”, disse o líder da região do Lazio e líder do co-governante Partido Democrata da Itália, Nicola Zingaretti.

Los Olmos nursing home resident Araceli receives the first injection nationwide, with a dose of Pfizer-BioNTech COVID-19 vaccine in Guadalajara

“Vamos ver se conseguimos fazer esse vírus ir embora”, disse Araceli Hidalgo, de 96 anos, ao receber a vacina na casa de repouso em Guadalajara. – Reuters/Pepe Zamora/Direitos reservados

A primeira pessoa a receber uma dose da vacina na Espanha foi Araceli Hidalgo, de 96 anos. “Vamos ver se conseguimos fazer esse vírus ir embora”, disse ela aos funcionários de sua casa de repouso em Guadalajara, perto de Madrid, após ser vacinada.

O ministério da saúde da Espanha descreveu a campanha de vacinação contra o novo coronavírus na Europa como “sem precedentes na história da humanidade”.

Áustria, República Tcheca e Grécia

A Áustria também iniciou o programa de vacinação hoje, com grupos populacionais vulneráveis ​​sendo os primeiros a receber a imunização. Trabalhadores da linha de frente de combate à doença também são prioridade.

Na República Tcheca, a primeira pessoa a receber a vacina contra o novo coronavírus, nesse domingo, foi o primeiro-ministro Andrej Babis, no Hospital Militar Central de Praga – pouco antes de outros hospitais na capital começarem a distribuir as 9.750 doses que o país recebeu até agora.

Uma enfermeira e uma idosa aposentada foram as duas primeiras pessoas na Grécia a receber a vacina. A capital do país, Atenas, recebeu um primeiro lote de quase 10 mil doses no sábado (26), a bordo de um caminhão com temperatura controlada.

O ministro da saúde da Grécia, Vasilis Kikilias, disse que as duas vacinas marcaram o início da “contagem regressiva para tirar nossas vidas de volta”. As autoridades disseram que até o final de dezembro, a Grécia deve receber cerca de 83.850 vacinas, e até o final de março 1.265.550 vacinas.

vacina contra a covid-19

Vacina contra a covid-19 – REUTERS/Dado Ruvic/Direitos Reservados

União Europeia

A União Europeia deve receber 12,5 milhões de doses da vacina até o final do ano, o suficiente para vacinar 6,25 milhões de pessoas com base no esquema de duas doses. As empresas estão lutando para atender à demanda global e pretendem fazer 1,3 bilhão de doses no próximo ano.

A Europa firmou contratos com uma série de fabricantes de medicamentos além da Pfizer, incluindo Moderna e AstraZeneca, para um total de mais de dois bilhões de doses de vacinas e definiu uma meta para que todos os adultos sejam imunizados durante 2021.

*Com informações da Reuters