Bolsonaro cita o Paraná para garantir que motos serão isentas de pedágio em rodovias federais

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta terça-feira (25) que motocicletas estarão isentas do pagamento de pedágio nos novos contratos de concessão de rodovias federais.

“[O ministro da Infraestrutura] Tarcísio [de Freitas] decidiu que não vai ter mais, nos futuros contratos, pedágios para motociclistas”, declarou Bolsonaro, em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

“Este ano tem contrato novo com a [Nova]Dutra, então não vai ter mais, e tem contrato novo também [em] quase todo o Paraná. Vai ser o primeiro estado totalmente sem pedágio [para moto]. Agora têm rodovias estaduais que os governadores vão continuar cobrando, tá pessoal? Não cobrem de mim”, disse o presidente.

A medida é mais um aceno do presidente, que vem baixado benefícios para setores que o apoiam, mirando sua reeleição. Bolsonaro já agradou militares, policiais e caminhoneiros que, recentemente, ganharam um pacote de benesses.

Estudos preliminares do ministério da Infraestrutura indicam que a perda de receita gerada com o afago dado pelo presidente aos motociclistas será inferior a 1% ao ano, valor que deverá ser repassado para motoristas de veículos e caminhões.

Além do mais, a pasta teme que o benefício leve a que outras categorias recorram à Justiça para conseguir o mesmo tratamento.

A área técnica do ministério comandado por Tarcísio inclusive se posicionou contra, mesmo com o baixo impacto financeiro previsto.

A Nova Dutra liga São Paulo ao Rio de Janeiro. A isenção para motociclistas também deve entrar na concessão da BR-381/262, entre Minas Gerais e Espírito Santo.

Os editais foram enviados ao TCU (Tribunal de Contas da União) e exigirão mudanças devido à determinação de Bolsonaro. Mesmo assim, os técnicos avaliam que não haverá atrasos na realização do leilão.

As concessões da BR-116/493, que liga Rio de Janeiro a Minas Gerais, e o pacote de rodovias do Paraná também serão obrigadas a incluir a isenção no modelo de cálculo da receita a ser gerada com pedágio.

No caso da Dutra, a gratuidade aos motociclistas levará a um aumento de 0,5% nas tarifas dos demais usuários. Nas vias do Paraná, o pedágio ficará até 0,6% mais caro para carros e caminhões.

Informações Banda B

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Luiz de Orleans e Bragança morre em São Paulo aos 84 anos

Luiz de Orleans e Bragança morreu hoje (15), em São Paulo, aos 84 anos. Ele é descendente da família real que governou o Brasil sob o sistema monárquico até 1889, quando foi proclamada a República. Bragança era filho de Pedro Henrique de Orleans e Bragança e Maria da Baviera e nasceu em 6 de junho de 1938, em Mandelieu-la-Napoule, na França.

Desde a morte de seu pai, em 1981, passou a chefiar a Casa Imperial do Brasil, organização não governamental que defende o retorno à monarquia. Para o grupo, ele é o “legítimo sucessor dinástico de seus maiores, os imperadores Dom Pedro I e Dom Pedro II e a Princesa Dona Isabel”, conforme nota que comunica sua morte.

A Casa Imperial do Brasil será chefiada agora pelo irmão de Luiz, Bertrand de Orleans e Bragança. A entidade defende a “restauração da Monarquia nas linhas gerais da Constituição de 25 de março de 1824, feitas naturalmente as necessárias adaptações à atual realidade brasileira”.

O velório de Luiz de Orleans e Bragança será na sede do Instituto Plínio Corrêa de Oliveira, na Rua Maranhão, no bairro Higienópolis, nos dias 16 e 17 de julho. O sepultamento será no dia 18 no Cemitério da Consolação, às 13h.

Veja a matéria no site da Agência Brasil

Eleitor já pode pedir autorização para votar em trânsito

Começa hoje (18) o prazo para quem estará em trânsito, no dia da votação, informar à Justiça Eleitoral local, fora do seu domicílio eleitoral, onde votará.

O voto em trânsito é permitido somente para eleitores que estão com o título regularizado e estejam, no dia do pleito, em municípios com eleitorado acima de 100 mil pessoas. O prazo final é até 18 de agosto.

Quem estiver fora de seu estado poderá votar somente para presidente da República. Já o eleitor fora de sua cidade, mas em outro município no mesmo estado, poderá votar para todos os cargos em disputa.

Essa modalidade de voto não vale para urnas eletrônicas instaladas no exterior, porém, o eleitor brasileiro que mora fora do país, mas estará no Brasil no período de eleições poderá solicitar o voto em trânsito.

O primeiro turno será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Um eventual segundo turno para a disputa presidencial e aos governos estaduais será em 30 de outubro.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com