Acontece HOJE a Caravana da Coca-Cola, veja o roteiro

Jingle Bell! Jingle Bell! É o comboio do sonho de Natal que está passando pela cidade!  Papai Noel dá uma folga para suas renas e sobe nos iluminados caminhões vermelhos da Caravana de Natal da Coca-Cola para curtir o Natal de Curitiba! Emoção de parar o trânsito em um desfile que passará por vários bairros da cidade.

Crédito: Divulgação

A Caravana terá início a partir de 17h30 com previsão de término até as 23h.

Data: 23 de dezembro.

Local de início e chegada: Coca-Cola Femsa Curitiba – Rodovia R-277, km 81,5, 3524, Uberaba.

Confira o roteiro da Caravana de Natal da Coca-Cola 2019!

Curitiba

Rua Capitão Leônidas Marques
Avenida Senador Salgado Filho
Rua Dr. Bley Zornig
Avenida das Torres
Rua Engenheiros Rebouças
Avenida Dr. Dário Lopes dos Santos
Rua Engenheiro Ostoja Roguski
Rua João Dranka
Rua Urbâno Lopes
Avenida Nossa Senhora da Penha
Avenida Marechal Humberto de Alencar Castelo Branco
Avenida Nossa Senhora da Luz
Rua Itupava
Rua Pedro Rolim de Moura
Rua Augusto Severo
Rua Marechal Hermes
Praça Rio Iguaçú
Rua Ernâni Santiago de Olireira
Rua Ivo Leão
Travessa José do Patrocínio
Rua Mauá
Rua Amâncio Moro
Rua Ubaldino do Amaral
Avenida Prefeito Omar Sabbag
Avenida Prefeito Lothário Meissner

São José dos Pinhais

Avenida das Américas
Rua Zacarias Alves Pereira
Rua Voluntários da Pátria
Avenida Rui Barbosa
Rua Izabel a Redentora
Rua Mendes Leitão
Rua Joaquim Nabuco
Avenida das Américas
Avenida das Torres
Rua Quinze de Novembro
Rua Voluntários da Pátra
Avenida das Torres
Rua Veríssimo Marques
Avenida Rui Barbosa
Rua Alfredo Pinto
Rua Almirante Alexandrino
Rua Herry Feeken
Avenida Rui Barbosa
Avenida das Torres

Programação

  • 23/12/2019 – 17h30 às 23h

Mais informações:

Para celebrar a magia natalina e relembrar o espírito de união em família, a Coca-Cola FEMSA Brasil, maior engarrafadora de produtos Coca-Cola no mundo em volume de vendas, levará para as ruas de Curitiba a famosa Caravana Iluminada de Natal, que passará pela cidade no dia 23 de dezembro, a partir das 18h.

Um dos diferenciais deste ano são os caminhões totalmente cenografados e com a presença de atores celebrando a união em família ou entre amigos, reforçando a campanha ”Juntos a Magia Acontece” e sua mensagem de que o Natal deve ser celebrado com as pessoas que se ama. Outro destaque é a presença do Papai e Mamãe Noel juntos, reforçando o compromisso da marca com a união, mote da campanha deste ano.

“Relacionamos Coca-Cola às refeições o ano inteiro e não podemos deixar de celebrar o encontro mais esperado do ano, que é a ceia de Natal, momento em que “’Juntos a Magia Acontece’”, revela Luciano Sá, gerente de Publicidade, Promoções e Eventos da Coca-Cola FEMSA Brasil.

Este ano, as caravanas também percorrerão as ruas com elementos inéditos: o caminhão com o tradicional cenário do Papai e da Mamãe Noel será decorado com cerca de 3.750 garrafas PET recicladas de tamanhos variados, compondo elementos cenográficos como trenó, árvores e renas. Para garantir a iluminação de toda a frota, serão usados dois mil metros de mangueira LED.

O município vizinho de São José dos Pinhais também integra o roteiro da noite e receberá a passagem do comboio iluminado.

Parceria com a Scania

Os caminhões da caravana serão da marca Scania pelo segundo ano. Os modelos, equipados com as mais avançadas tecnologias de segurança e diminuição de emissões, são da Nova Geração Scania, que chegou ao mercado neste ano. “Esta parceria é muito especial para nós, pois assim como a Coca-Cola FEMSA Brasil temos certeza que o Natal representa a união da família e a celebração da vida. Vale a pena ressaltar que temos participação direta na realização da festa, em razão da maioria dos produtos da ceia e os presentes chegam por meio dos caminhões até a sociedade. Ou seja, ajudamos a magia do Natal acontecer”, afirma Márcio Furlan, gerente de Marketing e Comunicação da Scania no Brasil. “A Scania vem liderando a mudança para um sistema de transporte mais sustentável e apoia ações para tornar o planeta um ambiente melhor. A caravana é um ótimo exemplo de que juntos podemos transformar o mundo”.   

Cada caminhão Scania que circulará nas localidades terá 13 metros. O parceiro logístico é a Cavalinho, especializada em transporte e também na distribuição de bebidas, tendo como um dos seus principais clientes a Coca-Cola. A empresa conta com o Selo Green Baixo Carbono por realizar a compensação de 100% do carbono emitido de sua frota, incluindo os caminhões que compõem as caravanas. “É uma ação perfeita para a época do ano. A caravana mexe muito com a emoção das pessoas por onde passa. Estamos muito felizes de participar”, afirma Paulo Ossani, diretor presidente da Cavalinho. 

Ao todo, a atração percorrerá as principais ruas de 46 cidades nos estados em que a companhia está presente: Santa Catarina, São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul.

Mais informações no site https://loja.cocacolabrasil.com.br/melhorjuntos

Serviço

Caravana Iluminada de Natal

Onde: Curitiba

Quando: dia 23/12 – segunda-feira – a partir das 17h30

Roteiro no site: https://loja.cocacolabrasil.com.br/melhorjuntos/caravanas

Sobre a Coca-Cola FEMSA

Coca-Cola FEMSA, SAB de C.V é a maior engarrafadora do mundo em volume de vendas. A empresa produz e distribui bebidas das marcas registradas da The Coca-Cola Company, oferecendo um amplo portfólio de 154 marcas para mais de 290 milhões de consumidores a cada dia. Com mais de 80 mil funcionários, a empresa comercializa e vende cerca de 3,4 bilhões de caixas unitárias por meio de 2 milhões de pontos de venda por ano. Operando 48 fábricas e 292 centros de distribuição, a Coca-Cola FEMSA está comprometida com a criação de valor econômico, social e ambiental para todos os seus grupos de interesse em toda a cadeia de valor.

A companhia é membro do Índice de Sustentabilidade de Mercados Emergentes da Dow Jones, Índice de Sustentabilidade MILA Pacific Alliance da Dow Jones, FTSE4Good Emerging Index, dos índices IPC e de Responsabilidade Social e Sustentabilidade da Bolsa Mexicana de Valores, entre outros índices. Tem operações em determinados territórios no México, Brasil, Guatemala, Colômbia e Argentina e a nível nacional na Nicarágua, Costa Rica, Panamá, Uruguai e Venezuela. Para mais informações, visite www.coca-colafemsa.com

No Brasil, a empresa está presente como Coca-Cola FEMSA Brasil em 48% do território nacional, empregando cerca de 20 mil funcionários e atendendo mais de 88 milhões de consumidores, distribuídos nos estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e em parte do estado de Goiás. No Brasil, são 10 fábricas, 44 centros de distribuição, 24 Cross Dockings e 21 Cross Trucks, sendo a unidade de Jundiaí (SP) a maior no mundo em volume de vendas em produtos Coca-Cola.

Mesmo com perda de 100 milhões de passageiros, prefeitura garante que tarifa em Curitiba não sobe

Em 2020, o transporte coletivo de Curitiba perdeu quase 100 milhões passageiros em relação a 2019 por conta da pandemia de covid-19. A suspensão das aulas nas escolas, a necessidade de distanciamento social, a implantação do regime home office e de escalas em muitas empresas provocaram uma queda expressiva no movimento.

Ainda assim, nesse período de regime emergencial, a Prefeitura informou que decidiu suspender a negociação a respeito do reajuste da tarifa técnica do transporte coletivo – prevista todo ano para fim de fevereiro. Hoje a tarifa é de R$ 4,50 e de R$ 3,50 em algumas linhas, fora do horário de pico.

“Em função da pandemia, do momento difícil que as pessoas estão vivendo, o prefeito Rafael Greca decidiu que não haverá reajuste da tarifa”, afirma o presidente da Urbs.

Maia Neto diz que o município trabalha para promover a equalização do sistema e para isso vem discutindo tanto internamente com a secretaria de Finanças quanto com o Governo do Estado o subsídio ao transporte coletivo. “Temos uma tarifa social e que permite que a conexão com a Região Metropolitana de Curitiba. A integração metropolitana tem hoje um peso de 40% a 50% dos nossos custos”, diz

Ao todo, segundo a Urbs,  foram 107,4 milhões passageiros no transporte coletivo em 2020, 47% menos do que em 2019, com 203,9 milhões. O volume inclui passageiros pagantes e isentos, como idosos, pessoas com deficiência e estudantes.

O movimento diário de passageiros pagantes no transporte coletivo de Curitiba está, em média, 53% menor do que antes da pandemia. Na última semana, foram 350.038 passageiros nos dias úteis. Na primeira semana de março de 2020, a média era de 744.344 passageiros.

“Dez meses de pandemia tiveram um forte impacto no movimento do transporte coletivo. Essa queda chegou a ser de 80%, mas ainda estamos muito abaixo do período normal”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), que administra o sistema.

Além da redução da receita de passageiros, o sistema precisa operar com uma frota superior à demanda para obedecer os protocolos sanitários de enfrentamento da covid-19 e evitar aglomerações. A ocupação máxima prevista nos ônibus é de 70%. A frota está em 80% (mil ônibus) e 100% nas linhas de maior demanda, que atendem mais de 60% do movimento.

“O sistema perdeu passageiros, mas teve que manter uma frota elevada, para fazer frente aos desafios da pandemia”, explica Maia Neto.

Regime emergencial

Por conta desse cenário, a Prefeitura de Curitiba aprovou, no ano passado, com o apoio da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), o regime emergencial do transporte coletivo, que foi prorrogado até 30 junho de 2021, e que visa manter a operação e a sustentabilidade do sistema mesmo com queda expressiva no número de passageiros.

Trata-se de um mecanismo em que a Prefeitura reduz o repasse de recursos para as empresas e ao mesmo tempo assegura a manutenção de empregos de cobradores e motoristas. Com ele, os custos do sistema passaram de R$ 78 milhões para entre R$ 38 milhões e R$ 40 milhões por mês. Metade desse valor é bancado pela Prefeitura e a outra metade pela receita de passageiros.

Histórico

O projeto da lei municipal 15.627/2020, que implementou o custeio diferenciado às concessionárias do sistema, foi aprovado pela CMC em maio de 2020, e era retroativo a 16 de março do ano passado, data em que entrou em vigor o decreto de situação de emergência de Curitiba (421/2020).

Inicialmente previsto para vigorar por 90 dias, ele foi estendido até 31 de dezembro de 2020, e em dezembro último, renovado até 30 de junho.

O regime de emergência prevê exclusivamente o pagamento às empresas de custos variáveis e administrativos (como combustíveis e lubrificantes, conforme a quilometragem rodada), tributos (ISS, taxa de gerenciamento e outros) e com a folha de pagamento dos trabalhadores do sistema, incluídos plano de saúde, seguro de vida e cesta básica.

São suprimidas dessa conta a amortização e a rentabilidade das empresas.

“Mantendo-se a operação normal e reduzindo-se significativamente a quantidade de passageiros, como ocorreu, o sistema fatalmente atingiria uma situação de colapso e isso implicaria um pedido de reequilíbrio econômico-financeiro à Prefeitura em torno de R$ 40,9 milhões mensais, em média”, afirma o presidente da Urbs.

Se nada fosse feito, as empresas do transporte coletivo poderiam requerer a revisão da tarifa técnica, pois o contrato firmado em 2009 e que está em vigor dá essa oportunidade quando há flutuação de 5% na expectativa de passageiros – e durante a pandemia a circulação caiu praticamente pela metade.

“Essa revisão seria mais cara ao município do que a implantação do regime emergencial. “Sem contar que em uma disputa judicial poderíamos ter greves, paralisação do serviço, que já seria um incômodo para a população em tempos normais, que dirá durante uma pandemia”, completa Maia Neto.

Informações Banda B.

Curitiba registra 11 óbitos e 455 casos de covid-19

Curitiba registrou, nesta terça-feira (26/1), 455 novos casos de covid-19 e 11 óbitos de moradores da cidade infectados pelo novo coronavírus, conforme boletim da Secretaria Municipal da Saúde.

Sete desses óbitos ocorreram nas últimas 48 horas. As vítimas são cinco homens e seis mulheres, com idades entre 50 e 93 anos, e uma pessoa não tinha fator de risco para covid-19.

Até agora são 2.574 mortes na cidade provocadas pela doença neste período de pandemia.

Novos casos

Com os novos casos confirmados, 126.090 moradores de Curitiba testaram positivo para a covid-19 desde o início da pandemia, dos quais 116.662 estão liberados do isolamento e sem sintomas da doença.

São 6.854 casos ativos na cidade, correspondentes ao número de pessoas com potencial de transmissão do vírus.

UTIs do SUS

Nesta terça-feira (26/1), a taxa de ocupação dos 371 leitos de UTI SUS exclusivos para covid-19 está em 84%. No momento restam 60 leitos livres.

Números da covid-19 em 26 de janeiro

455 novos casos confirmados
11 novos óbitos (7 nas últimas 48h)

Números totais
Confirmados – 126.090
Casos Ativos –  6.854
Recuperados – 116.662
Óbitos – 2.574