6 memes da Copa da Rússia explicando como é viver em Curitiba

Como muitos sabem, Curitiba é a capital ecológica do Brasil. Aqui jogar lixo no chão é um pecado e reciclagem está em nosso sobrenome.

Aqui é muito comum ver pessoas praticando Yoga nos Parques.

Somos pessoas muito legais, mas dizem que somos fechados…

Na verdade somos misteriosos.

E adoramos comer coxinha da Dois Corações e a do Carmo.

Você não sabe o quanto amamos essa cidade. É um amor inexplicável!

 

Continua…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ventos chegaram a 62 km/h em Curitiba; veja quais os bairros mais afetados

A Defesa Civil de Curitiba registrou 55 ocorrências de distribuição de lona para atender destelhamentos provocados pela chuva com vento que atinge a capital desde a noite deste domingo (27). As rajadas de vento chegaram a 62 km/h, segundo o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar), atingindo principalmente a região norte da cidade.

No acumulado das últimas 12 horas, foram 20mm de chuva, de acordo com informações do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden).

Os ventos contribuíram para a queda de árvores e galhos grandes. Até às 9h da manhã desta segunda-feira (28) foram 104 os registros para retirada de árvores pela Central 156 de Atendimento ao Cidadão. Até o momento, não há desabrigados, desalojados ou feridos.

Ainda segundo a Defesa Civil, são 27 os bairros mais afetados: Santa Cândida, Boa Vista, Abranches, Barreirinha, Bairro Alto, Cajuru, Matriz, Portão, Boqueirão, Pinheirinho, CIC, Bacacheri, Atuba, Uberaba, Pilarzinho, Guabirotuba, Batel, Ahu, São Lourenço, Juvevê, Cabral, Jardim Social, Cachoeira, Capão Raso, Capão da Imbuia, Santo Inácio e Tingui.

Equipes da Prefeitura estão mobilizadas para restabelecer a normalidade o mais rápido possível, com envolvimento das Subsecretarias Municipais de Proteção e Defesa Civil, Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Fundação de Ação Social (FAS).

Energia

A forte chuva que cai em Curitiba desde a tarde de domingo deixou 39,8 mil casas sem energia elétrica em Curitiba e região metropolitana, de acordo com a Copel. Em algumas residências a luz voltou, mas outras seguem no escuro. A previsão, de acordo com o Sistema Meteorológico Simepar, é de mais chuvas fortes no decorrer desta segunda-feira.

Foto: Colaboração

Segundo a Defesa Civil de Curitiba, houve registro de granizo e queda de energia em alguns bairros. Os mais afetados foram: Santa Cândida, Boa vista, Abranches, Barreirinha e Bairro Alto. Até 21 horas, foram registradas 20 solicitações de lona no sistema da Guarda Municipal de Curitiba. Não houve registro de feridos, desalojados ou desabrigados.

Veja as cidades do Paraná com mais unidades consumidoras desligadas:

– Curitiba: 24,7 mil
– Ponta Grossa: 14,8 mil
– Colombo: 7,8 mil
– Maringá: 7,6 mil
– Almirante Tamandaré: 7,3 mil

Evite sair de casa

Enquanto estiver chovendo, a orientação da Defesa Civil é que se evite sair de casa. Se a pessoa já estiver na rua, deve evitar se abrigar embaixo de árvores e de estruturas metálicas, estando a pé ou de carro. Debaixo de chuva, o motorista deve redobrar a atenção e reduzir a velocidade.

A Defesa Civil registra as ocorrências que chegam ao município pelo telefone de emergência 199 e, também, pelo 156 (Central de Atendimento ao Cidadão) e pelo 153 (Centro de Operações da Guarda Municipal).

Outras situações decorrentes de chuvas ou temporais podem ser atendidas pelo Corpo de Bombeiros (193) e pela Copel.

Informações Banda B.

Depois de 20 dias, Curitiba volta para a bandeira amarela

Ontem (27/9), Curitiba voltou para a bandeira amarela. A decisão foi tomada na sexta-feira (25/9) pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Prefeitura Municipal de Curitiba.

Márcia Huçulak, secretária municipal da Saúde, explica que a avaliação semanal dos nove indicadores que medem a capacidade de resposta do sistema de saúde para o enfrentamento do novo coronavírus apontou para a situação de alerta depois de a cidade permanecer na bandeira laranja (risco médio) por 20 dias.

As novas medidas, expressas no Decreto 1270/2020, têm validade de 14 dias. Todas as atividades que estavam suspensas pela bandeira laranja retornaram no domingo (27/9), como supermercados, restaurantes e shoppings.

Veja abaixo as novas regras que entraram em vigor. O não cumprimento pode acarretar sanções administrativas e multas que variam de R$ 232,92 a R$ 8.336,08.

Atividades suspensas

– Atividades de entretenimento com ou sem música, eventuais ou periódicas, como casas de festas, de eventos ou recepções, circos, teatros, cinemas e atividades correlatas;
–  Estabelecimentos destinados a eventos sociais e atividades correlatas, com ou sem música, de forma eventual ou periódica, tais como casas de festas e recepções;
– Estabelecimentos destinados a feiras técnicas ou de varejo, mostras comerciais, congressos, convenções, entre outros eventos de interesse profissional, técnico e/ou científico.

Funcionamento com restrições

– Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias e centros comerciais podem abrir todos os dias, das 10h às 20 horas. 
– Shopping centers podem abrir todos os dias, das 12h às 22 horas. 
– Restaurantes, lanchonetes e bares podem abrir todos os dias, das 6h às 23 horas. Sem música ao vivo.

Devem operar com no máximo de 50% de sua capacidade

– Hotéis, resorts, pousadas e hostels;
– Call center e telemarketing: a partir das 9h (exceto os vinculados a serviços de saúde ou home-office, que podem funcionar com capacidade normal).