10 filmes românticos para comemorar o Dia dos Namorados

Existem as histórias de amor clássicas e os grandes filmes românticos que atravessam gerações, falando ao coração do público de diferentes épocas. Casablanca, E o Vento Levou, Tarde Demais para Esquecer, Uma Linda Mulher, Ghost – Do Outro Lado da Vida, Titanic… Vamos fugir um pouco ao lugar-comum. Outros romances podem enternecer seu Dia dos Namorados, neste sábado, 12. Assista-os!

Uma Boa Ação

Tyler Perry vem sendo um fenômeno da indústria há mais de uma década. Em 2011, a Forbes listou-o como o homem, não só o afro-americano, mais bem pago do entretenimento. Ator, autor, roteirista, diretor, produtor, empreendedor, ele é tudo. Neste ano recebeu o Oscar humanitário e foi reverenciado por seu trabalho social durante a pandemia. Uma Boa Ação é um clássico da Sessão da Tarde. Tyler faz empresário que herdou o negócio bem sucedido do pai, mas vive controlado pela mãe. O encontro com a funcionária da limpeza do escritório fará uma revolução em sua vida. Uma Cinderela às avessas? Thandie Newton, a atriz de Assédio, de Bernardo Bertolucci, é quem faz o papel. Tem química com Tyler.

Coincidências do Amor

Desde a cultuada série Friends, Jennifer Aniston virou favorita do público, mas não consegue ser unanimidade. Tem gente que a considera a pior atriz do mundo. Não é verdade. A comédia de Josh Gordon e Will Speck é outra que volta e meia cativa os espectadores da Sessão da Tarde. Jennifer está sem relacionamento, mas quer ser mãe. Recorre à inseminação artificial, pensando que o pai de seu filho será um, mas é outro Seu melhor amigo, completamente bêbado, substitui o esperma no material de coleta. Sete anos depois, reencontram-se – e o filho é a cara dele. Jason Bateman faz o gênero homem-menino com competência. Conseguirá recuperar a amada – Jen – que está de casamento marcado?

A Razão do Meu Afeto

Jennifer Aniston de novo. Ela vai morar com o amigo gay, Paul Rudd. Quando engravida do namorado, resolve continuar morando com ele. E mais – que ele seja o pai de seu filho. Nicholas Hytner dirige e o filme possui um encanto especial. De forma humorada e afetiva, propõe novas formas de organização familiar. E você vai torcer pelo gay!

Casa Comigo?

Uma love story que se passa, em boa medida, na estrada. Amy Adams cansou de esperar que o namorado oficialize o compromisso. Como existe uma tradição irlandesa, segundo a qual o homem não pode recusar o pedido de casamento feito no dia 29 de fevereiro, ela vai atrás dele – na Irlanda! O problema é Matthew Goode, o motorista com quem Amy cai na estrada. O cinema celebrou muitas mulheres doces, mas um homem? Dirigidos por Anand Tucker, Amy e Goode formam uma das duplas mais perfeitas da história da comédia romântica.

Feitiço da Lua

Cher e Olympia Dukakis ganharam os Oscars de melhor atriz e melhor coadjuvante do ano, 1987. Cher faz viúva que cede à pressão da família e está para se casar com Danny Aiello quando descobre o irmão dele – e apaixona-se! Nicolas Cage é complexado porque tem uma mão artificial. Norman Jewison dirige o roteiro – também vencedor do Oscar – de John Patrick Shanley. Na cena decisiva, Cher e Cage vão à ópera e a ária é Che Gelida Manina, de La Bohème. Tudo a ver.

Moulin Rouge

O fecho da trilogia da cortina vermelha de Baz Luhrmann, que começou com Vem Dançar Comigo e prosseguiu com Romeu + Julieta. Desde a abertura, ao som de Nature Boy – There was a boy, a very stranged enchanted boy -, o filme mostra a chegada de Ewan McGregor ao cabaré e o seu envolvimento com a estrela da casa, Satine/Nicole Kidman. Mas ela tem um amante que exige exclusividade. Desista do realismo. Luhrmann teceu uma obra-prima de artifício, usando uma tragédia de amor para refletir sobre o mundo do espetáculo.

Um Lugar Chamado Notting Hill

A estrela do cinema e o tímido dono de uma livraria em Londres. Julia Roberts entra por acaso na loja de Hugh Grant e a vida dele muda para sempre. A química do casal, os amigos ao redor, a trilha com She. Roger Michell fez um daqueles filmes em que tudo parece perfeito. Não por acaso, tem gente que considera o resultado ‘a’ maior comédia romântica do cinema. Mesmo que não seja, tem encanto de sobra, e a cena da coletiva, quase no final, é um regalo.

Diário de Uma Paixão

O velho que cuida da paciente com Alzheimer numa clínica. Ele conta uma história. A menina rica que se apaixona por garoto pobre, os pais dela que se opõem e fazem de tudo para afastar o indesejável. Ele vai para a guerra, o tempo passa e terminam por se reencontrar. O que as duas histórias têm em comum? Nick Cassavetes dirige sua mãe, a grande Gena Rowlands. James Garner faz o idoso cheio de amor, mas são os jovens que cativam, Rachel McAdams e Ryan Gosling. Tente não chorar, se for capaz.

A Dama e o Vagabundo

Pensaram que o clássico da Disney ficaria de fora? A cachorrinha criada com toda mordomia na casa dos ricaços e o vira-latas da rua. A vida dela muda quando o casal de donos tem um bebê e a velha tia vem ajudar a cuidar da casa, com aqueles gatos diabólicos, Si e Ão. A cena da cantina, quando Lady e Tramp compartilham a pasta e o fio puxado de lado a lado termina num beijo, mostra que o amor pode não ser exclusividade de humanos. Os diretores Clyde Geronimi, Hamilton Luske e Wilfred Jackson conseguiram dosar aventura, romance, comédia e até suspense. O rato que se aproxima do berço conseguirá fazer mal ao pimpolho?

Hiroshima, Meu Amor

Uma love story cabeça para diversificar a lista. Emmanuelle Riva faz uma atriz francesa que participa de um filme contra a bomba atômica que está sendo rodado em… Hiroshima. Ela se envolve com um japonês e um gesto de Eiji Okada, na cama, lhe traz de volta um amor da juventude, na França ocupada pelos nazistas. Dois tempos, duas histórias, duas cidades – Hiroshima e Nevers. O roteiro de Marguerite Duras, a direção de Alain Resnais, a química de Emmanuelle e Okada. Um dos maiores filmes do cinema pode ser visto, também, como romance.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oscar 2021: Confira a lista completa dos vencedores

A maior festa do cinema mundial chegou a sua 93ª edição. A cerimônia de entrega do Oscar 2021 aconteceu na noite deste domingo (25) e precisou ter seu formato modificado por causa da pandemia.

Veja a lista dos vencedores do Oscar 2021:

MELHOR FILME

Nomadland

MELHOR ATRIZ

Frances McDormand – Nomadland

MELHOR ATOR

Anthony Hopkins – Meu Pai

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Yuh-Jung Youn – Minari – Em Busca da Felicidade

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Daniel Kaluuya – Judas e o Messias Negro

MELHOR DIREÇÃO

Chloé Zhao – Nomadland

MELHOR FILME INTERNACIONAL

Druk – Mais uma Rodada (Dinamarca)

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Meu Pai

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Bela Vingança

MELHOR FIGURINO

A Vos Suprema do Blues – Ann Roth

MELHOR TRILHA ORIGINAL

Soul – Trent Reznor, Atticus Ross e Jon Batiste

MELHOR ANIMAÇÃO

Soul

MELHOR CURTA

Two Distant Strangers

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

Se Algo Acontecer… Te Amo

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Professor Polvo

MELHOR DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM

Colette (Time Travel Unlimited)

MELHOR FOTOGRAFIA

Mank

MELHOR MONTAGEM

O Som do Silêncio

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM

A Voz Suprema do Blues

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

Fight for You – Judas e o Messias Negro

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

Mank

MELHORES EFEITOS ESPECIAIS

Tenet

MELHOR SOM

O Som do Silêncio

Confira os destaques do 9º Olhar de Cinema – Festival de Curitiba

O 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba acontece em um formato diferente este ano, de 7 a 15 de outubro. Ser online é uma novidade, mas a inspiração e o cuidado da seleção de filmes continuam os mesmos, com o diferencial de que nesta edição todo o país tem a oportunidade de conhecê-la. 

A Mostra Outros Olhares mescla em sua seleção longas e curtas-metragens ainda inéditos e filmes que já possuem uma trajetória em festivais e mostras internacionais recentes. São várias propostas, estilos, linguagens e abordagens feitos em torno de uma série de extremidades que reflete o mundo atual.

Fazem parte da seleção de longas-metragens os brasileiros inéditos O Índio Cor de Rosa, de Tiago Almeida, e A Flecha e a Farda, de Miguel Antunes Ramos, além de O Reflexo do Lago, que esteve na seleção Festival de Berlim. Da Berlinale também chegam o indiano Crônica do Espaço, de Akshay Indikar, a co-produção França, Bélgica e Burkina Faso, Traverser (Após a Travessia), dirigido por Joël Akafou, e o longa argentino Responsabilidade Empresarial, de Jonathan Perel. 

Do FIDMarseille chega a co-produção Eslovênia e República Tcheca, Oroslan, de Matjaz Ivanisin, do NY Film Festival vem Trouble, uma co-produção entre Estados Unidos e Reino Unido dirigida por Mariah Garnett e, por fim, o longa chileno Visão Noturna, dirigido por Carolina Moscoso Briceño.

Curtas de todos os lugares

A seleção de curtas-metragens também traz um recorte na nova produção brasileiro, com os títulos Manual do Zueiro Sem Noção, de Joacelio Batista; Memby, de Rafael Castanheira Parrode e Rafameia, de Mariah Teixeira e Nanda Felix. Representantes de vários outros países também estão na seleção, como Irã, Argentina, Camboja, Cuba e Rússia.

Sobre o Olhar de Cinema

O Olhar de Cinema é um festival que busca destacar e celebrar o cinema independente produzido no mundo. São propostas estéticas inventivas, envolventes e com comprometimento temático, que abrange desde a abordagem de inquietações contemporâneas acerca do micro universo cotidiano de relacionamentos, até interpretações e posicionamentos sobre política e economia mundial.

A seleção apresenta ao público filmes que se arriscam em novas formas de linguagem cinematográfica, que estão abertos ao experimentalismo e que, ainda assim, possuem um grande potencial de comunicação com o público.

Nesta edição, serão seis mostras: Mostra Competitiva, Novos Olhares, Outros Olhares, Olhares Brasil, Exibições Especiais e Mirada Paranaense.

O 9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Cinema conta com apoio da Copel, Governo do Estado do Paraná, Ademilar, Lojacorr, incentivo da Lei de incentivo à cultura, Fundação Cultural de Curitiba, Prefeitura de Curitiba e PROFICE.

Confira a lista completa de selecionados para a mostra:

OUTROS OLHARES

Longas-metragens

Oroslan (Oroslan, Eslovênia, República Tcheca, 71 min.), de Matjaz Ivanisin

Responsabilidade Empresarial (Responsabilidad Empresarial. Argentina, 68 min.), de Jonathan Perel

Quem Tem Medo de Ideologia? (Who Is Afraid of Ideology?, Líbano, Siria, Curdistão iraquiano, 57 min.), de Marwa Arsanios;

Traverser (Após a Travessia) (Traverser [After the Crossing], França, Bélgica, Burkina Faso, França, Bélgica, Burkina Faso, 77 min.), de Joël Akafou;

Crônica do Espaço (Sthalpuran [Chronicle of Space], Índia, 86 min.) de Akshay Indikar;

Trouble (Estados Unidos, Reino Unido, 82 min.), de Mariah Garnett;

O Reflexo do Lago (Brasil, 80 min.), de Fernando Segtowick.

O índio Cor de Rosa (Brasil, 71 min.), de Tiago de Almeida.

A Flecha e a Farda ( Brasil, 90 min.), de Miguel Antunes Ramos.

Visão Noturna (Visión nocturna, Chile, 80 min.), de Carolina Moscoso Briceño

Curtas-metragens

Manual do Zueiro Sem Noção (Brasil, 16 min.) de Joacelio Batista;

Memby (Brasil, 15 min.) de Rafael Castanheira Parrode;

Rafameia (Brasil, 24 min.) de Mariah Teixeira, Nanda Felix;

Inner Self (Nahan, Irã, 15 min.) deMohammad Hormozi;

Playback. Ensaio de uma Despedida (Playback. Ensayo de una despedida, Argentina, 14 min.) de Agustina Comedi;

Alienígena (REONGHEE, África do Sul, 15 min.) de Jegwang Yeon;

Sonho Californiano (Soben California, Cambodja, 16 min.) de Sreylin Meas;

Garotas Crescem Desenhando Cavalo (Girls grow up drawing horses, EUA, 7 min.) de Joanie Wind;

Mary, Mary, So Contrary (Singapura, 15 min.) de Nelson Yeo;

As Chamas do Sol (Las llamas del sol, Espanha, 12 min.) de Pepe Sapena;

Botões Dourados (Zolotye Pugovitzi (The Golden Buttons), Russia, 19 min.), de Alex Evstigneev;

Os Meninos Lobos (Los niños lobos, Cuba, 18 min.) de Otávio Almeida;

Rio Solitários (Lonely Rivers, Espanha, França, 28 min.) de Mauro Herce.

SERVIÇO


9º Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba

De 7 a 15 de outubro

No site do Olhar de Cinema


R$ 5 por filme

Dinâmica das sessões

Os filmes serão exibidos no próprio site do Olhar de Cinema. Cada título estará disponível até às 23h59 da data divulgada na programação. A venda de ingressos para todas as sessões começa no dia 23 de setembro e o número de ingressos para cada filme é limitado.