Voluntários de Curitiba tiveram apenas reações leves após receberem doses da Coronavac

O último voluntário a receber a Coronavac em Curitiba foi no dia 31 de setembro

Os voluntários do Hospital de Clínicas (HC), um dos centros de pesquisa que fazem parte do estudo coordenado pelo Instituto Butantan da vacina Coronavac, tiveram apenas reações leves, o que garante a segurança do imunizante. Foram cerca de 1,4 mil curitibanos que participaram dos testes, que terminaram no dia 31 de setembro, e são monitorados desde então.

A chefe do serviço de infectologia do HC e coordenadora do estudo da CoronaVac em Curitiba, a médica Sônia Raboni, afirmou que apenas reações leves foram verificadas. “Nós observamos apenas reações leves e moderadas, como dor de cabeça, dor no local da picada e uma febre leve, mas a maioria não sentiu nada. O evento mais moderado foi a dor de cabeça persistente”, descreveu à Banda B.

Os participantes da pesquisa receberam duas doses do imunizante, com um intervalo mínimo de 14 dias e máximo de 28, uma aplicação em cada braço. Metade foi vacinada com a Coronavac e a outra recebeu um placebo. “Até o momento a vacinação se mostra muito segura. O acompanhamento dos voluntários acontece por um ano, porque existem eventos tardios que podem acontecer, mas isso é muito raro”, explicou.

Quanto à eficácia da vacina, isso não fica a cargo do HC. “Estudos de eficácia são feitos por um comitê externo de segurança e eficácia. Dados são disponibilizados pro Butantan, que passa a análise ao comitê. Casos de covid positivo entre os voluntários vão para este centro, que faz a análise para saber se receberam a vacina ou não”, salientou.

O último voluntário a receber a Coronavac em Curitiba foi no dia 31 de setembro.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba vacinou 695.294 pessoas contra a covid-19

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba imunizou, até domingo (20), 695.294 pessoas com a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Até esta data foram vacinados: 302.048 idosos, 93.514 profissionais dos serviços de saúde da cidade (incluindo as equipes de vacinação), 6.859 moradores, funcionários e cuidadores de instituições de longa permanência, 14.704 trabalhadores das forças de segurança, 80 indígenas, 8.908 gestantes e puérperas, 7.623 pessoas com deficiência, 111.855 pessoas com comorbidades, 35.320 educadores (entre professores e trabalhadores da Educação Básica) e 114.483 pessoas do grupo sem comorbidades (convocadas por idade).

Segunda dose

Em Curitiba, 234.901 pessoas receberam a segunda dose da vacina até domingo (20). A vacinação com a segunda dose está sendo feita nas instituições de longa permanência, em profissionais de saúde e idosos.

Cronograma

Nesta segunda-feira (21), Curitiba vacina a população com 50 anos ou mais. A orientação é que os nascidos no primeiro semestre (1º de janeiro a 30 de junho) busquem um dos pontos de vacinação das 8h às 12h. Já os nascidos no segundo semestre (1º de julho a 31 de dezembro) devem buscar a imunização entre 13h e 17h

Também estão sendo atendidas com a primeira dose pessoas com comorbidades entre 18 e 59 anos, pessoas com deficiência permanente acima de 18 anos, gestantes e puérperas, trabalhadores de drogarias e farmácias de manipulação, funcionários da Fundação de Ação Social (FAS), idosos com 60 anos ou mais que ainda não tenham recebido a vacina e profissionais de Saúde com registro em conselho de classe de 14 áreas.

Doses recebidas

Até o momento, Curitiba recebeu do Ministério da Saúde, repassadas pelo Governo do Paraná, 1.038.672 doses de vacinas, sendo 740.972 para primeira dose e 297.700 para segunda dose. Nesse montante já estão contabilizados os 5% de reserva técnica.

A reserva técnica é uma medida de segurança, faz parte dos protocolos da logística e é necessária para evitar problemas no fluxo de imunização que possam ser causados por imprevistos eventuais, como por exemplo, quebra acidental de frascos.

Além da reserva técnica, a SMS precisa manter um estoque de vacinas para garantir a imunização de remanescentes dos grupos já contemplados – pessoas que por algum motivo não fizeram a imunização nas datas estipuladas. Por exemplo, quem estava em processo de confirmação de comorbidade ou não comparecido no dia programado para sua imunização. Essas pessoas têm o direito e serão vacinadas quando comparecerem aos postos de vacinação.

CIEE tem 2,5 mil vagas de estágio no Paraná; saiba como se inscrever

O programa de estágio do Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná (CIEE-PR) possui mais de 2,5 mil vagas abertas, em diversas cidades do estado. Deste total, 1,3 mil vagas são para Curitiba e região. Podem participar estudantes a partir de 16 anos, matriculados em ensino médio, técnico ou superior.

As áreas com mais oportunidades são para estágio em administração, com 497 vagas, e tecnologia em processos gerenciais, com 427 vagas disponíveis no estado.

Os interessados podem se inscrever no programa e verificar as vagas disponíveis pelo site do CIEE ou tirar dúvidas pelo telefone 0800 300 430.