VERGONHA – A polêmica Primeira Liga, ou Liga Sul-Minas-Rio

VERGONHA - A polêmica Primeira Liga, ou Liga Sul-Minas-Rio

E aí pessoal! Dia 27 de janeiro começa a Liga Sul-Minas-Rio, ou Primeira Liga, e hoje vamos contar o que é essa liga e porque anda dando tanta polêmica!

O ano de 2015 foi cheio de escândalos envolvendo os dirigentes da CBF e muitos árbitros durante os jogos. Diante deste cenário, de clara insatisfação por parte dos clubes, começou a criação da Liga Sul-Minas, um torneio regional realizado entre os clubes de  Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná,  que acabou sendo considerado como uma de reedição da antiga Copa Sul-Minas, que rolou entre os anos de 2000 e 2002 e acabou sendo suspensa.

No começo, a CBF tratou amigavelmente o torneio, considerando a inserção da Liga no calendário oficial já em 2016. Em Fevereiro do ano passado, com a atual polêmica dos preços referentes ao Campeonato Carioca, a dupla Fla-Flu resolveu se juntar a Liga, assim formando  Liga Sul-Minas-Rio, fundada oficialmente em 10 de Setembro de 2015 contando com as participações de Flamengo, Fluminense, Internacional, Grêmio, Atlético-MG, Cruzeiro, Coritiba, Atlético-PR, Joinville, Chapecoense, Criciúma, Avaí e Figueirense.

Os novos clubes chegaram e a Liga começou a ganhar maior visibilidade, assim preocupando a CBF.  A FERJ – Fundação do Rio de Janeiro, acabou entrando e mudando o rumo das negociações, entre a Liga e a CBF, se mostrando contra a participação dos clubes cariocas no torneio. Mandaram um ofício para a CBF argumentando a ilegalidade da liga e a CBF aceitou. O torneio passou a ser organizado por conta própria.  Com a Liga se organizando independentemente, a CBF declarou “Não estimulamos, nem criticamos. Só observamos”.

O principal intuito da Liga é o de, futuramente, organizar o Campeonato Brasileiro e deixar com a CBF só a seleção. A antiga Copa Sul Minas, em 2002, foi suspensa pois era um campeonato administrado pelos próprios clubes e não por uma federação. Era mais atrativo e muito mais rentável aos clubes, por isso a Liga Sul-Minas-Rio é considerada uma reedição, assim como já acontece em muitos clubes estrangeiros, os quais organizam seus campeonatos e deixam as seleções para as federações. Isso justifica muito a falta de apoio da CBF, a qual não quer perder seus podere$.

A FERJ anunciou que os clubes cariocas que participarem da liga serão punidos, não terão cota de televisão integral e a divisão de base não disputará competição nenhuma por um ano. Em apoio, os demais clubes da Liga se juntaram e ameaçam boicotar o Campeonato Brasileiro.

Vendo isso, a CBF anunciou a proibição do torneio em 2016, convocando uma reunião com os clubes para que o torneio passe a ser oficializado e realizado em 2017. E, em contrapartida e indiferente a “proibição”, a Liga anunciou a escalação dos árbitros para a primeira rodada.

Com tudo isso que aconteceu, tá acontecendo, e COM CERTEZA ainda vai acontecer muito, eu só consigo lembrar de uma coisa:

CBF vergonha
                                                                     hahahahahahaha

Brincadeiras e ~verdades~a parte, até o momento #VAITERPRIMEIRALIGA e começa, ou é pra começar, quarta dia 27/01/2016 com os seguintes jogos:

1ª RODADA

27/01

Criciúma X Cruzeiro

Fluminense X Atlético-PR

Atlético-MG X Flamengo

Internacional X Coritiba

28/01

América X Figueirense

Avaí X Gremio

Parece que a proibição da CBF gerou uma revolta nas redes sociais, já subindo a tag #JuntosPelaPrimeiraLiga nos trends do Twitter.

Vamos acompanhar e ver até onde tudo isso vai chegar!

 

Tabela Primeira Liga
Via: Paraná Online.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Empréstimo por telefone é proibido para aposentados do Paraná

É comum ouvirmos relatos de pessoas que se aposentaram ou que sequer foram informados pelo INSS de que a aposentadoria foi confirmada e já recebem ligações insistentes, a qualquer hora do dia ou da noite, de bancos e financeiras oferecendo empréstimos consignados, aqueles que são descontados direto do pagamento.

Mas uma lei criada na Assembleia Legislativa do Paraná acaba com uma das práticas comerciais que mais geram reclamações nos órgãos de defesa do consumidor: a insistência da oferta de crédito por parte de bancos e financeiras via telefone, o chamado marketing ativo. Desde 2020 as instituições financeiras estão proibidas de ofertar e celebrar contrato de empréstimo consignado para aposentados e pensionistas através de ligação telefônica.

A lei 20.276/2020 tem o objetivo de proteger os aposentados e pensionistas de ações que, em muitos casos, levam a um prejuízo ainda maior para eles. Uma oferta de empréstimo que parece vantajosa, mas que pode gerar muita complicação no rendimento mensal. Sem contar os casos em que, após uma ligação, o empréstimo é realizado sem que haja o aval do consumidor.

Pela legislação, aposentados e pensionistas só poderão contratar o crédito via telefone caso eles liguem para a empresa. Mas o contrato deverá ser enviado por e-mail, carta ou qualquer outro meio físico para que seja assinado pelo contratante e para dar a possibilidade de o aposentado ter ciência de todas as cláusulas da negociação.

Caso as empresas insistam em ofertar esse tipo de empréstimo por telefone, o consumidor poderá abrir uma reclamação nos órgãos de defesa. Para isso, é recomendado que a pessoa anote o horário e data da ligação, o nome da empresa que ligou, e se possível o nome do atendente.

As empresas que descumprirem a legislação podem pagar uma multa com valor inicial de R$ 23.700,00 e que pode chegar a R$ 237 mil em caso de reincidência.

“Com essa lei, a gente não está afetando a livre iniciativa. O que nós queremos é proibir uma prática abusiva e nociva”, disse o deputado Evandro Araújo (PSC), autor da proposta aprovada na Assembleia Legislativa. “A nossa lei está respaldada porque protege o consumidor de uma prática que se tornou lesiva no Paraná e no Brasil”, completou.

Quer saber mais sobre essa lei e outras que garantem o direito do consumidor? Baixe o aplicativo Agora é Lei no Paraná no seu celular e tenha os seus direitos na palma da mão. Mais informações sobre o aplicativo você confere no site da Assembleia Legislativa do Paraná.

Museu Paranaense tem programação focada nas relações entre humanos e plantas

Entre os meses de janeiro a maio deste ano, o Museu Paranaense (MUPA) promove um extenso projeto experimental em formato de Programa Público. Com o título “Se enfiasse os pés na terra: relações entre humanos e plantas”, o projeto será composto por uma série de ações artísticas, educativas e culturais, visando convidar o público a pensar e se aproximar dos múltiplos vínculos possíveis entre seres humanos e seres vegetais.

Farão parte do Programa Público coletivos indígenas, artistas, pesquisadores das áreas da Botânica, Antropologia, Arqueologia, História, mestres e detentores de saberes e fazeres de populações tradicionais (quilombolas, faxinalenses e caiçaras), escritores, arquitetos, cozinheiros e produtores locais ligados à agroecologia.

Dentre as plantas que se destacam na programação figuram a mandioca, a caxeta, o tabaco, o pau-brasil, além das sementes crioulas quilombolas, ervas medicinais ligadas à cura ou também aos rituais de religiões de matriz africana.     

“Através da realização desta série de acontecimentos que compõem uma estrutura maior, o MUPA busca reafirmar a importância da cultura imaterial, dos saberes ancestrais de pessoas enraizadas em seus territórios, bem como da potência do museu enquanto espaço de relações”, afirma a diretora do Museu, Gabriela Bettega.

Por meio de mesas-redondas, conversas, atividades práticas e ações artísticas, o projeto tem como objetivo promover o encontro entre os sujeitos que carregam consigo uma relação estreita com as plantas – das mais diferentes formas – e o público do Museu Paranaense. As ações serão realizadas na Sala Lange de Morretes e no jardim do MUPA. Todas as atividades propostas serão ofertadas gratuitamente ao público.

SOBRE O FORMATO – Um Programa Público é uma forma de convidar o visitante a pensar sobre um assunto e se envolver com ele. Para isso, mais do que uma exposição ou um evento, a instituição planeja uma série de ações durante um período maior de tempo, para manter aquele tema em evidência.

A ideia é que o visitante possa experimentar, aprender, conhecer, ouvir e sentir de uma forma mais profunda aquilo que está sendo apresentado, debatido ou criado. E isso pode provocar um impacto intelectual, emocional e cultural transformador, não apenas em escala pessoal, mas na vibração cultural mais ampla.

Assim, o MUPA assume o compromisso de levar seu público por essa jornada de saberes ancestrais, científicos e artísticos que marcam o tecido dos vínculos entre seres humanos e seres vegetais.

INSCRIÇÕES – Para as mesas-redondas, palestras ou conversas, a distribuição dos ingressos será realizada 30 minutos antes da atividade, por ordem de chegada, até completar a capacidade do local. Programe-se e chegue com antecedência para garantir sua entrada.

Para atividades como oficinas e outras atividades práticas, os interessados deverão inscrever-se previamente através do site www.sympla.com.br/museuparanaense. Fique atento às redes sociais ou site do MUPA para ficar sabendo quando poderá inscrever-se.

AÇÃO EDUCATIVA – As ações educativas vinculadas ao Programa Público têm como intuito somar à experiência, às práticas e às vivências dos participantes nos encontros promovidos no espaço do Museu, explorando relações particulares de cada pessoa com as plantas. As oficinas destinadas aos visitantes espontâneos e agendados serão organizadas em diversas abordagens, pensadas para diferentes públicos e faixas etárias.

Algumas das atividades previstas incluem a observação de abelhas nativas do Paraná no jardim, a produção de exsicatas botânicas, ilustrações e bordados, explorando afinidades entre seres humanos e vegetais através de memórias sensoriais, sociais e afetivas trazidas pelos participantes.

Serviço

Programa Público “Se eu enfiasse os pés na terra: relação entre humanos e plantas”

Evento promovido pelo Museu Paranaense de janeiro até maio de 2022

A programação completa será divulgada sempre através das redes sociais e site www.museuparanaense.pr.gov.br 

Instagram: @museuparanaense ou Facebook: /Museu Paranaense

Todas as atividades serão gratuitas.

O Museu Paranaense fica na Rua Kellers, 289, São Francisco – Curitiba.