Veja como doar ao Banco de Ração da Prefeitura de Curitiba e ajudar animais resgatados

Veja como doar ao Banco de Ração da Prefeitura de Curitiba e ajudar animais resgatados

O Banco de Ração da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba aceita doação de alimentos para poder fazer o atendimento aos pets em situação de risco na cidade. Esse tipo de ação é ainda mais importante após a operação da última semana, que culminou no resgate de quase 300 animais em uma residência no bairro São Lourenço.

O cidadão que quiser contribuir pode entregar rações comerciais secas ou úmidas para cães e gatos, em embalagens fechadas. As entregas podem ser feitas no Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar), na CIC, ou no Passeio Público de Curitiba, onde fica a sede do Departamento de Pesquisa e Conservação da Fauna, da Secretaria de Meio Ambiente, e a Rede de Proteção (veja os locais para entrega abaixo).

Os insumos serão essenciais para a alimentação dos animais do São Lourenço, que estão sob os cuidados do Instituto Fica Comigo, organização parceira da Rede de Proteção Animal, que assume a rotina de cuidados diários dos animais até a recuperação, com o apoio da Rede de Proteção para a garantia de alimentação e continuidade das castrações, até disponibilizá-los para adoção responsável.

A ONG também precisa de voluntários e doações. As informações estão no perfil do Instagram da entidade.

Histórico

A Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba possui um programa de monitoramento de pessoas que cuidem de um número excessivo de animais. O caso dos quase 300 animais que repercutiu na semana passada estava entre eles. Foram diversas visitas ao local, mais frequentes desde 2014, para que fossem verificadas as condições em que os animais eram mantidos.

Em atendimento às solicitações da proprietária do imóvel, os veterinários da rede promoveram atendimentos clínicos básicos, vacinação, microchipagem e castração (para que a população ficasse controlada), além do fornecimento de ração. O ponto crítico do caso foi que ela nunca aceitou doar os animais, o que foi agravando a situação.

O Banco

Desde que foi criado, em 2019, o Banco de Ração da Prefeitura de Curitiba já fez o repasse de 144 toneladas de ração comercial aos animais resgatados de situações de risco por ONGs e protetores independentes e mantidos por pessoas em vulnerabilidade social. O programa foi instituído por lei de iniciativa do Executivo, com posterior regulamentação via Decreto (Lei Municipal n° 15.449/2019 e Decreto Municipal n° 1.226/2019).

Tudo o que é arrecadado é encaminhado a protetores e ONGs que estejam com o cadastro renovado e validado junto à Rede de Proteção Animal. Pessoas reconhecidas pela manutenção de número excessivo de animais e famílias em condição de vulnerabilidade social e que têm animais também poderão receber rações conforme avaliação técnica.

Os animais que ficam sob os cuidados do município não recebem os insumos vindos do programa. A gestão, armazenamento, divisão e distribuição das doações recebidas fica por conta da Rede de Proteção Animal.

Serviço

Locais de entrega para o Banco de Ração da Rede de Proteção Animal da Prefeitura de Curitiba

Centro de Referência para Animais em Situação de Risco (Crar)

Rua Lodovico Kaminski, 1.381 – CIC

Horário: todos os dias, das 9h às 12h e das 13h30 às 15h30

Passeio Público – Rede de Proteção Animal

Rua Presidente Carlos Cavalcanti, s/n – Centro

Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 12h e das 13h30 às 15h30

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Empresa curitibana cria pizzas saudáveis para consumo prático

A importância de uma alimentação equilibrada para a saúde, tanto física quanto emocional, é um tópico bastante fomentado por médicos e especialistas de diversas áreas. E se não há dificuldades em compreender que esses hábitos saudáveis são a chave para a longevidade e qualidade de vida, o desafio fica na necessidade de abrir mão de alimentos mais pesados e gordurosos, mas que fazem parte da preferência de grande parte dos brasileiros, entre eles a tão amada pizza.

Mas, e se não for preciso sacrificar as comidas preferidas para ter uma dieta equilibrada? Foi assim que nasceu o conceito da Cheiro de Vida, empresa que criou aquilo parecia impossível: uma pizza saudável e saborosa. Instalada na cidade de Curitiba (PR), a Cheiro de Vida possui um cardápio de pizzas e quiches sem glúten e low carb produzidas com ingredientes selecionados de primeira qualidade. São sete sabores de pizza (marguerita, zucchini, mussarela, palmito, quatro queijos, frango com ervas e calabresa) e quatro de quiches (frango, calabresa, marguerita e palmito), além de pizzas veganas de marguerita, 3 queijos e gryuere com brócolis.

Os produtos são congelados e saem da capital paranaense para todas as cidades brasileiras chegando a mesa do consumidor sem perder o sabor, crocância e qualidade. Mas não foi fácil chegar a receita ideal para substituir a pizza tradicional. As primeiras tentativas começaram há 7 anos, na cozinha da Alexandra Pereira e do Gustavo Vidigal lá no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro (RJ). “O Gustavo foi diagnosticado com hipotireoidismo e o médico na época nos orientou a tirar o glúten para evitar o desenvolvimento da doença celíaca.”, conta Alexandra. Além disso, os dois são adeptos de esportes e musculação e sempre gostaram de manter uma dieta cuidadosa. Gustavo chegou a ser campeão carioca de natação, tendo a alimentação saúdável como um hábito desde a adolescência.

Foi assim que os sócios, apaixonados por pizza, começaram a testar ingredientes e modos de preparo que atendendessem suas necessidades. Não demorou muito para que as produções se tornassem um negócio. “No começo, as pizzas eram para consumo próprio, pois as opções que haviam no mercado não nos agradavam em termos de sabor. Aos poucos fomos aperfeiçoando a receita e percebemos que nós poderíamos fornecer essa opção para o mercado”, diz a empresária.

A iniciativa de criar a marca coincidiu com a vontade de viver em um novo lugar, assim a Cheiro de Vida nasceu no Rio, mas se estruturou no Paraná. “Antes de nos mudarmos, trazíamos as pizzas na bagagem do avião para atender os primeiros pedidos em Curitiba, a praticidade era importante pra gente, por isso optamos pelo formato congelado”, explica Alexandra.

Atualmente, os produtos da Cheiro de Vida podem ser adquiridos diretamente no site da marca ou encontrados em lojas especializadas. É possível comprar tanto as pizzas recheadas quanto a somente a massa crua. Todas as massas são veganas e a marca só usa queijos sem lactose, além de focar em receitas que priorizam as proteínas. “Não criamos um produto focados em ganhar dinheiro, criamos pois acreditamos em todos os benefícios de uma boa alimentação”, diz a empresária. Os sabores são pensados para oferecer alternativas saudáveis e que incluam os celíacos e vegetarianos. “Nosso objetivo é realmente estimular a dieta equilibrada como antídoto contra dores e doenças”, completa.

Mais informações sobre produtos e onde comprar no site www.cheirodevidasemgluten.com.br

Mercado Municipal de Curitiba tem ofertas nos preços de peixes e frutos do mar

De hoje (7/2) até domingo (12/2), o Mercado Municipal de Curitiba promove o Festival do Pescado. Foto: Hully Paiva/SMCS

Que tal preparar uma receita com peixes e outros frutos do mar? De hoje (7/2) até domingo (12/2) o Mercado Municipal de Curitiba promove o Festival do Pescado, com grande variedade de produtos frescos e ofertas nas três peixarias do local.

Estão disponíveis pescados como sardinha inteira, truta, filé de cação, camarão, bacalhau, tainha e posta de robalo.

De acordo com Cleverson Augusto Schilipack, presidente da Associação dos Comerciantes Estabelecidos no Mercado Municipal de Curitiba, nos dias mais quentes a procura por frutos do mar dispara. “A excelente qualidade e a diversidade de frutos do mar fazem do Mercado Municipal um dos mais tradicionais comércios de pescados de todo o Brasil”, salienta Schilipack.

O consumo de frutos do mar está associado à alimentação saudável. Espécies como o salmão, o atum, a sardinha, a truta e a cavala possuem alto teor de ômega 3. Este nutriente tem ação anti-inflamatória, o que contribui para reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

Além dos frutos do mar, quem for ao mercado municipal pode comprar temperos, frutas e verduras usados nas receitas.

Destaques da Peixaria Keli Mozer

Sardinha inteira por R$ 17,90 (kg)

Abrótea Filé por R$ 38,90 (kg)

Namorado Filé R$ 48,90 (kg)

Truta Limpa por R$ 43,90 (kg)

Sardinha limpa por R$ 24,90 (kg)

Cação Filé por R$ 38,90 (kg)

Camarão Imaruí com cabeça por R$ 59,90 (kg)

Pescadinha por R$ 38,00 (kg)

Destaques da Peixaria Santa Clara

Bolinho de Bacalhau por R$ 30 (bandeja)

Lombo de Bacalhau por R$ 175 (kg)

Tambaqui Inteiro por R$ 35 (kg)

Meia Banda de Tambaqui por R$ 45 (kg)

Destaques da Peixaria São José

Anchova Inteira de R$ 22 (kg)

Lombo Bacalhau Dessalgado por R$ 149 (kg)

Vieira Canadense R$ 380 (kg)

Tainha por R$ 22 (kg)

Posta Robalo por R$ 85 (kg)

Serviço: Feira do Pescado

Local: Mercado Municipal de Curitiba (Av. Sete de Setembro, 1.865 – Centro)

Horário: 8h às 18h de segunda a sábado e das 8h às 13h no domingo

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com