Vacina Sputnik V tem 92% de eficácia, afirma Rússia ainda sem divulgar análise

A Rússia foi o primeiro país a registrar uma vacina contra o novo coronavírus, no mês agosto

Resultados preliminares de testes clínicos apontam que a vacina Sputnik V é 92% eficaz em proteger pessoas do novo coronavírus, de acordo com o fundo soberano russo em anúncio feito nesta quarta-feira, 11. Moscou se apressa para alcançar as farmacêuticas do Ocidente na corrida pela vacina.

Segundo os desenvolvedores da vacina, os dados da análise preliminar ainda serão publicados em uma revista científica internacional e não passaram por avaliação de outros cientistas.

A diretora do Centro Nacional de Pesquisas para Medicina Terapêutica e Preventiva da Rússia, Oksana Drapkina, também disse que o imunizador desenvolvido no país tem mais de 90% de eficiência.

Os resultados iniciais da Sputnik V são apenas os segundos a serem divulgados com base nos estágios finais de testes em humanos, em um esforço global para produzir vacinas que podem frear a pandemia que já matou mais de 1,2 milhão de pessoas e devastou economias em todo o mundo.

A Rússia foi o primeiro país a registrar uma vacina contra o novo coronavírus, no mês agosto. A aprovação foi concedida antes do início dos testes em larga escala, que começaram em setembro. “Estamos mostrando, baseados em dados, que temos uma vacina muito eficaz”, disse o chefe do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Kirill Dmitriev, acrescentando que esse seria o tipo de notícia que os desenvolvedores da vacina falariam para seus netos um dia.

Os resultados preliminares são baseados em informações dos testes de 16 mil participantes que receberam as duas doses da vacina, disse o RDIF, que financia a produção do imunizante.

A análise foi conduzida após 20 participantes do teste serem diagnosticados com a covid-19 e posterior verificação de quantos receberam placebo. Esse é um número significativamente menor que os 94 testes positivos da vacina desenvolvida pela Pfizer e BioNTech. Para confirmar a taxa de eficácia, a Pfizer disse que continuaria os testes até atingir 164 casos de covid-19 entre os participantes. Os testes russos vão continuar por mais seis meses.

Testes

A fase 3 dos testes da vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya está sendo realizada em 29 clínicas de Moscou e vai envolver 40 mil voluntários no total, com 10 mil deles recebendo placebo. As chances de contrair a covid-19 são 92% menores entre pessoas vacinadas com a Sputnik V do que as que receberam placebo, segundo informou o RDIF. Esse resultado é bem maior que os 50% mínimos de eficácia estabelecidos pela agência regulatória de medicamentos e alimentos americana (FDA) para aprovação de uma vacina contra a covid-19. A Sputnik V foi elaborada para produzir resposta imune a partir de duas doses administradas em um intervalo de 21 dias. (Com agências internacionais).

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Vulcão capaz de gerar tsunami no Brasil entra em alerta amarelo de erupção

Autoridades espanholas elevaram para o nível amarelo o alerta de erupção do vulcão Cumbre Vieja, localizado na ilha de La Palma, na costa do continente africano. Segundo pesquisadores, o vulcão poderia provocar um tsunami que atingiria todas as Américas, com maior impacto sobre os litorais das regiões Norte e Nordeste do Brasil. As informações são do UOL.

O vulcão está adormecido há décadas e começou a dar sinais de atividade moderada nos últimos dias.

“Ele não estava dando sinais de erupção, mas agora ele chegou a um segundo nível. São quatro níveis de alerta. Ele pode vir a ter uma erupção, mas não significa que essa erupção vai gerar um tsunami, mas é uma possibilidade, mesmo que mínima”, explica o pesquisador do Instituto de Ciências do Mar da UFC (Universidade Federal do Ceará), Carlos Teixeira.

Para ler a matéria completa no Portal UOL clique aqui.

Guinness divulga cão com orelhas mais longas do mundo e outros recordes

O Guinness World Record divulgou na madrugada desta quinta-feira (16) alguns dos recordistas que aparecerão na edição 2022 de sua publicação. A organização registra desde 1955 realizações de humanos notáveis, animais de estimação, veículos e também eventos extremos da natureza.

Um dos recordistas estreantes é Lou, um cãozinho americano de 3 anos. Ele recebeu o título de cachorro com as orelhas mais longas do mundo. São 34 centímetros, de acordo com a publicação.

Segundo Paige Olsen, a dona de Lou, as orelhas de Lou não requerem manutenção especial por causa do comprimento. Porém, no inverno ela diz que costuma usar um aquecedor de orelhas para que elas não fiquem se arrastando na neve.

Outros recordistas são o cachorro Lollipop e o gato Sashimi, do Canadá. Eles se tornaram a dupla animal que conseguiu fazer o percurso de 5 metros de forma mais rápida usando um patinete. Foram apenas 4,37 segundos.


Melissa Millett, a dona, disse que os dois criaram o truque sozinhos. Ambos gostavam de fazer isso separadamente, mas um dia resolveram subir juntos na motinha.


Também ganharam destaque o mexicano Jorge Arias, que tem a maior coleção de memorabilia do filme “Carros”, da Pixar. São 1.200 itens, que ele vem juntando desde o lançamento do primeiro filme (que já teve duas sequências), em 2006.

Jorge Arias e a coleção

Já o americano Zion Clark, 23, que nasceu sem as pernas por causa de uma síndrome rara, aparece como o recordista em caminhada mais rápida de 20 metros com as mãos. Ele fez o percurso em 4,78 segundos.


Também entraram no livro o indiano Pratik Mohite, 25, que é o fisiculturista competitivo mais baixo do mundo (com 102 centímetros); o canadense Olivier Rioux, que é o adolescente mais alto vivo (com 226,9 centímetros); e o também canadense Morgan Parsley, que tem os maiores pés em um adolescente (30,9 centímetros).