Universidade Federal do Paraná divulga nova data do vestibular

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) informou que a nova data do processo seletivo 2020/2021 será 18 de julho. A instituição ainda vai definir em reunião do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe), marcada para o dia 30 de abril, o formato da prova. O vestibular pode ser realizado em duas fases – conforme previsto inicialmente – ou com uma prova única.

Divulgação

O anúncio foi feito pelo reitor Ricardo Marcelo Fonseca durante a reunião do Conselho Universitário (Coun) desta quinta-feira, dia 15 de abril. O reitor ressaltou que a realização da prova em 18 de julho está condicionada às condições epidemiológicas da Covid-19.

O processo de seleção para o Curso de Formação de Oficiais (CFO) é vinculado ao Processo Seletivo Vestibular e segue as mesmas definições.

Informações UFPR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reitor da UFPR pede apoio no financiamento de vacina paranaense contra a Covid-19

Reitor da UFPR, Prof. Dr. Ricardo Marcelo Fonseca, usou o grande expediente da sessão plenária para falar da vacina contra a covid-19 desenvolvida pela instituição.

Durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa do Paraná, na tarde desta terça-feira (4), o reitor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), professor Ricardo Marcelo Fonseca, falou aos deputados sobre a vacina contra a Covid-19 desenvolvida por pesquisadores da instituição, terceira pesquisa mais avançada da área no Brasil.

De forma remota, por proposição do deputado Tadeu Veneri (PT), Ricardo Fonseca afirmou que o imunizante, 100% paranaense, estará apto à avaliação da Anvisa em seis meses para os testes da fase clínica de pesquisa. Após este período, em oito meses a vacina poderá ser aplicada na população.

“Esta vacina, pronta em 2022 ou 2023, é relevante? Com base no que dizem os cientistas, precisamos de vacinas para os próximos anos, até 2024. Esta pandemia chegou para ficar por um bom tempo. Não temos ainda os resultados sobre a duração das vacinas aplicadas no Brasil e suas imunizações”, explicou o reitor.

“É plausível pensar que uma vacina precise ser aplicada anualmente, como a da gripe. Ter vacinas brasileiras é estratégico para não dependermos mais de laboratórios estrangeiros e para que tenhamos tecnologia que não dependa de outros países”, disse.

O reitor pediu o apoio da Assembleia Legislativa para a universidade angariar recursos na continuidade da pesquisa. “Precisamos de ajuda e temos conseguido apoio do Ministério de Tecnologia, através do CNPQ, no valor de R$ 230 mil e do Governo do Estado, com a Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e com a Fundação Araucária e o TECPAR, no valor de R$ 1 milhão”, listou.

“São mais alguns meses de apoio para os testes, quando precisaremos efetivamente da associação ao Poder Público ou de uma grande farmacêutica como a universidade Oxford, que se aliou à AstraZeneca”, disse. “Só a ciência pode fazer contra a pandemia, nós precisamos de apoio para que tenhamos uma vacina genuinamente paranaense. Precisamos desta vacina, para esta pandemia e para outras doenças ainda não erradicadas em nosso estado”, afirmou o reitor.

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano (PSDB) reforçou o pedido do reitor da UFPR pela continuidade do projeto. “Que posamos ter sucesso. Esta contribuição servirá ao Paraná, ao Brasil e quem sabe a todo o mundo. Esta Casa sempre estará à disposição e aberta para discutir temas tão importantes como este”, afirmou.

Para o deputado Tadeu Veneri, “a pandemia não terá solução em prazos de meses. Teremos que ter a vacina por muito tempo e esta pesquisa talvez seja única no país. É importante que os paranaenses saibam o que as instituições estão fazendo”, disse.

Tecnologia – O reitor Ricardo Marcelo Fonseca explicou que a pesquisa paranaense é semelhante ao processo de combate a pragas utilizado no agronegócio. “Existem muitas formas de vacina e a tecnologia da UFPR é diferente, com o uso de uma proteína especifica por fixação de bactéria presencial que tem efeitos fundamentais no cultivo de milho e trigo para diminuir uso de agrotóxicos hidrogenados”.

“Deste uso no agronegócio tomamos por base o isolamento de um biopolímero não tóxico capaz de encapsular o vírus em torno de uma proteína para que o corpo humano ative os anticorpos da pessoa imunizada. É uma plataforma tecnológica muito viável e eficaz. Apresentará imunização igual ou superior a Oxford”, comparou.

“Esta é uma vacina de insumos nacionais, sem adjuvantes, que faz com que seja menos tóxica e com custos muito mais baixos. Ativam o sistema imune contra a doença. Por sua tecnologia é facilmente recombinável para novas variantes e inclusive para doenças que ainda não conseguimos curar como a dengue, chikungunya, zika e leishemaniose”, destacou.

Universidades Estaduais definem calendários acadêmicos para 2021

Os Conselhos de Ensino, Pesquisa e Extensão das universidades estaduais do Paraná estão definindo os calendários das atividades dos cursos de graduação referentes ao ano letivo de 2021. Em decorrência da gravidade da pandemia de Covid-19, as instituições suspenderam as aulas presenciais e precisaram readequar os seus calendários letivos.

UEPG e UEM – Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o ano letivo terá início no dia 31 de maio para os veteranos. Já para os calouros, a previsão de ingresso é em 14 de junho. O calendário acadêmico prevê, ainda, o recesso das atividades entre 3 e 30 de maio, com exceção do curso de Medicina, que iniciará o ano letivo em 17 de maio.

Devido ao momento de excepcionalidade da pandemia a oferta das disciplinas será flexibilizada. O estudante poderá cursar as disciplinas, independente da série na qual está lotado conforme previsto no Projeto Pedagógico do Curso.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) também aprovou o calendário acadêmico de 2021. O início do ano letivo ficou definido para agosto deste ano, com término em maio de 2022. Desta forma, as aulas do primeiro semestre iniciam no dia 9 de agosto com término em 15 dezembro e as do segundo semestre começam em 10 de janeiro de 2022, com final em 14 de maio de 2022.

UEL e UNICENTRO – A Universidade Estadual de Londrina (UEL) definiu, no final de abril, o calendário acadêmico para os 53 cursos de graduação referentes ao ano letivo de 2021. As aulas terão início em 2 de agosto e prosseguem até 23 de junho de 2022. As atividades em curso atualmente representam o ano letivo de 2020 e terminam no próximo dia 25 de junho.

Os estudantes dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia iniciam o ano letivo no dia 16 de agosto. Isto porque esses cursos terão atividades práticas, terminando as aulas mais tardiamente.

Segundo a Pró-reitora de Graduação da UEL, Marta Fávaro, a proposta foi elaborada e aprovada considerando excepcionalidades e um calendário acadêmico estendido, levando em conta as condições sanitárias que o país e o Paraná deverão enfrentar no decorrer deste ano.

“Concluímos que seria melhor termos um ano letivo um pouco estendido, pois isso daria uma flexibilização maior para que os Colegiados de Cursos pudessem organizar as ofertas das atividades, de modo a atender de forma mais efetiva os acadêmicos”, ressalta a Pró-reitora.

O calendário acadêmico de 2020 foi estendido na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). As aulas de 2020 irão até o próximo dia 12 de maio. O ano letivo de 2021 tem seu início previsto para os meses de junho ou julho. O Conselho Universitário da Unicentro irá se reunir nas próximas semanas para analisar e aprovar o novo calendário.

UNIOESTE, UENP E UNESPAR – Uma decisão parecida foi adotada pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). O Conselho Universitário da instituição aprovou no final do ano passado a readequação do calendário acadêmico dos cursos de graduação, referente ao ano letivo de 2020. O calendário aprovado foi para ensino 100% remoto e abrangeu todas as disciplinas, séries e alunos, para a conclusão do ano letivo de 2020.

As matrículas para disciplinas com oferta de forma remota foram realizadas nos dias 9 e 10 de dezembro de 2020, e as atividades letivas iniciaram no dia 18 de janeiro deste ano.

Na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), o calendário está seguindo etapas distintas para cada área dos cursos. Alunos de Ciências Sociais Aplicadas iniciaram o ano letivo de 2021 no dia 5 de abril e os estudantes dos cursos de Licenciaturas e demais Bacharelados irão iniciar as aulas no próximo dia 15 de maio. Novos alunos aprovados no vestibular, bem como acadêmicos de cursos da área da saúde ainda não possuem uma previsão para iniciar as aulas.

Sistema parecido ao da UENP também está sendo adotado pela Universidade Estadual do Paraná (Unespar). O calendário acadêmico para o ano 2021 está sendo executado conforme a necessidade e perfil de cada curso. A maioria dos estudantes matriculada nos cursos de graduação nos 2º, 3º e 4º anos iniciou as aulas no dia 26 de abril. Entretanto, para os primeiros anos, o início do ano letivo acontecerá após o resultado da prova de redação do vestibular da universidade. A previsão é que, para este público, as atividades iniciem em junho.

VESTIBULAR – As datas dos processos seletivos para ingresso em 2021 nas universidades também sofreram alterações.

A UEPG foi a primeira universidade, desde o início da pandemia, a aplicar as provas de maneira presencial. O processo seletivo ocorreu domingo e segunda-feira (2 e 3 de maio). Na UEL o vestibular será realizado no dia 30 de maio, em fase única. Outras informações das etapas de seleção estão disponíveis na página da universidade.

Na UEM as provas serão aplicadas nos dias 23 e 24 de maio, com a divulgação do resultado do processo seletivo previsto para o dia 15 de junho. As inscrições podem ser feitas até 07 de maio pelo site.  A UENP está com inscrições abertas até 6 de junho para o vestibular 2021. As provas serão realizadas no dia 20 de junho.

Também é possível fazer a inscrição para o vestibular da Unioeste. Os estudantes devem se candidatar pela internet até o dia 4 de junho, e as provas estão agendadas para 4 de julho. O ensalamento para os alunos que irão realizar o vestibular da Unicentro já está disponível. As provas acontecem no próximo fim de semana, dias 9 e 10 de maio.

A Universidade Estadual do Paraná (Unespar) dividiu o vestibular em duas modalidades: Processo Seletivo de Ingresso I (PS1): utilização do Enem 2018 ou 2019 ou aproveitamento da média final do Vestibular Unespar 2018 ou 2019. Processo Seletivo de Ingresso II (PS2): aproveitamento das notas do último ano do ensino médio e aplicação da prova de redação. A prova de redação na modalidade PS2 será aplicada entre os dias 9 a 12 de maio. O ensalamento já está definido.