UFPR coordena estudo sobre Covid-19 em pets; equipe recruta animais com tutores que testaram positivo

Este será o primeiro estudo do gênero em um país tropical, já que algo semelhante só foi desenvolvido na Itália

Um projeto de pesquisa coordenado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) vai avaliar cerca de mil animais com tutores que testaram positivo para covid-19. A ideia é avaliar os riscos de transmissão homem-animal no Brasil.

Este será o primeiro estudo do gênero em um país tropical, já que algo semelhante só foi desenvolvido na Itália. A equipe procura voluntários – animais cujos tutores testaram positivo para o coronavírus. Informações e contato podem ser feitos pelo e-mail COVID19@ufpr.br.

Cinco capitais

A pesquisa, financiada pelo CNPq e Ministério da Saúde, será realizada em Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Recife (PE) e São Paulo (SP). Serão dois momentos de avaliação, com amostras biológicas coletadas com intervalo médio de sete dias, entre animais cujo tutor esteja em isolamento domiciliar, com diagnóstico laboratorial confirmado por RT-qPCR ou resposta imunológica apenas por IgM.

De acordo com o coordenador da pesquisa, professor Alexander Biondo, do Departamento de Medicina Veterinária da UFPR, em Curitiba uma equipe de pesquisadores fará a coleta à domicílio. Caso necessário, o trabalho também poderá ser feito no Hospital Veterinário. “Se possível, também coletaremos sangue para realizar a sorologia”, explica, reforçando que “o estudo pode dar resposta definitiva sobre a susceptibilidade e o papel de cães e gatos como reservatórios do vírus”.

Os resultados dos testes serão o mais brevemente possível informados aos tutores ou familiares através de contato telefônico e pela emissão de laudo eletrônico, que será enviado por e-mail ou aplicativo de comunicação. Em caso positivo, de acordo com ele, os demais animais da residência também serão testados em pool por espécie. Além disso, os familiares serão orientados a estabelecer o acompanhamento veterinário por 14 dias, intensificando medidas de higiene e proteção individual e coletiva.

Prevenção

A pesquisa pretende contribuir para a tomada de decisão pelo poder público quanto a medidas de prevenção e controle de COVID-19 em animais de estimação. “Espera-se estabelecer propostas de ações intersetoriais entre as instituições de pesquisa e as secretarias municipais de saúde, para que essas, por meio de ações integradas entre a Vigilância Ambiental e a Atenção Primária à Saúde, possam estabelecer fluxogramas internos de atenção à saúde animal e proteção à saúde humana”.

Segundo Biondo, a pesquisa realizada na Itália trabalhou com uma amostra de 817 animais. Nenhum foi positivo no PCR, mas 3.4% dos cães e 3.9% dos gatos apresentaram anticorpos contra o SARS-CoV-2. “Até o final de 2020, esperamos ter em torno de mil amostras nas cinco capitais estaduais”. A definição do número amostral levará em conta o total de indivíduos positivos no trimestre anterior à coleta, considerando aproximadamente 10% do total de casos em humanos.

O professor comenta que não há, até o momento, uma rede de colaboração de enfrentamento à SARS-CoV-2 cujo enfoque seja em Saúde Única e na promoção de ações voltadas aos animais de companhia. Para participar da pesquisa, os tutores ou familiares voluntários receberão o termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE) e um questionário de tele-vigilância. O objetivo é determinar as características ambientais e outros fatores associados à infecção nos animais.

Conforme Biondo, o projeto ainda proporcionará a expansão de colaborações interinstitucionais, envolvendo diferentes universidades brasileiras e instituições internacionais que já vinham sendo fortalecidas na Rede One Health Brasil (OHB). Entre os participantes, estão o Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães – FIOCRUZ Recife, a Universidade de São Paulo e o setor de diagnóstico molecular do Laboratório TECSA/MG, com estrutura certificada necessária para o diagnóstico RT-qPCR. No âmbito internacional, a colaboração envolve a London School of Hygiene and Tropical Medicine-LSHTM, a University of London e a Purdue University, USA. Além disso, há o compromisso de parceria com as Secretarias Municipais de Saúde.

Informação Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Massacration se apresenta em outubro na Ópera de Arame em Curitiba

A maior banda do universo, o Massacration, retorna à Curitiba para única apresentação, agora em novo local, devido a grande procura por ingressos e visando oferecer mais conforto aos fãs destes verdadeiros deuses do Metal: a Ópera de Arame. O show acontece no dia 07 de outubro (sexta-feira), e contará com os grandes sucessos de uma carreira com mais de duas décadas.

Os ingressos já adquiridos seguem válidos, não sendo necessário qualquer tipo de troca. As vendas continuam normalmente, com convites a partir de R$ 90 (pista/meia), tanto na plataforma Bilheto quanto nos pontos físicos de venda.

No repertório, a bem-humorada banda criada pelo grupo Hermes e Renato apresentará músicas dos álbuns “”Gates of Metal Fried Chicken of Death” (2005) e “Good Blood Headbangers” (2009), além dos mais recentes singles que obtiveram grande sucesso junto ao público, como os impagáveis “Metal Milf”, “Motormetal” e “Metal Galera”.

O Massacration surgiu de um quadro do programa humorístico Hermes e Renato, na MTV, no começo dos anos 2000. Com o sucesso, a anedota virou banda – bem na linha do grupo fictício Spinal Tap – lançou discos e se tornou a mais respeitada horda metálica de todos os tempos.

SERVIÇO

Local: Ópera de Arame
Endereço: R. João Gava, 920 – Abranches

Quando: 07 de outubro de 2022 (sexta-feira)

Classificação etária: 16 anos – acompanhado do responsável legal

Horários:

20h — abertura da casa

21h30 — Massacration

Ingressos

PLATÉIA

4º lote

Solidário R$ 105*

Meia R$ 100**

Inteira R$ 200

CAMAROTE

1º lote

Solidário R$ 125*

Meia R$ 120**

Inteira R$ 240

2º lote

Solidário R$ 135*

Meia R$ 130**

Inteira R$ 260

* Solidário — limitados e válidos somente com a entrega de 1kg de alimento não perecível na entrada do show.

** Meia-entrada — para estudantes são válidas somente as seguintes carteiras de identificação estudantil: ANPG, UNE, UBE’s, DCE’s e demais especificadas na LEI FEDERAL Nº 12.933. Não será aceita NENHUMA outra forma de identificação que não as oficializadas na lei.

Pontos de venda

Online (com taxa de conveniência)

https://www.bilheto.com.br/evento/727/Massacration (em até 12x no cartão)

PONTOS DE VENDA SEM TAXA:

LETS ROCK

(Dinheiro, Débito e Crédito à vista)

(Galeria Pinheiro) Praça Tiradentes, 106 Ljs 03 e 04 – Centro – Curitiba/ PR

Seg. a Sex. 09h00 às 19h00 / Sáb. 09h00 às 15h00

PONTOS DE VENDA COM TAXA:

ESPAÇO CARMELA

(Dinheiro, Débito e Crédito à vista)

Rua Dr. Claudino dos Santos, 72 – São Francisco – Curitiba/ PR

Dom. a Qui. 07h00 às 23h00 / Sex. e Sab. 17h00 às 02h00

* A organização do evento não se responsabiliza por ingressos comprados fora dos anunciados

** Será proibida a entrada de câmeras fotográficas/filmadoras profissionais e semiprofissionais.

Histórico

O Massacration é uma banda brasileira de heavy metal criada por integrantes do grupo de humor Hermes e Renato. O quadro no qual apareciam tomou enormes proporções e criou uma legião de admiradores, o que levou o conjunto aos palcos de verdade. Lançaram em 2005 o primeiro CD, produzido pelo ex-VJ João Gordo (Ratos de Porão), chamado Gates of Metal Fried Chicken of Death, pela Deckdisc, que vendeu mais de 50 mil cópias e recebeu disco de ouro, o consagrando como um dos títulos de heavy metal mais vendidos no Brasil em todos os tempos.

O segundo álbum veio em 2009: Good Blood Headbangers, produzido por Roy Z (Bruce Dickinson, Judas Priest, Helloween, Sepultura), cujos destaques são os singles e videoclipes “The Bull” (com participação dos atores pornôs Kid Bengala e Fabiane Thompson) e “The Mummy” (ao lado do cantor cearense Falcão). Em 2016 se reunem para uma ação publicitária com o McDonalds, ganhando prêmio de melhor campanha de lançamento de produto ou serviço em parceria com a agência DM9DDB, pelo lançamento do Grand Pedido do McDonald’s Brasil.

Com o retorno aos palcos devidamente anunciado, registram o DVD ao vivo Live Metal Espancation, gravado em um Tropical Butantã lotado, em São Paulo. O Massacration é formado pelos personagens Detonator (vocal), Metal Avenger (guitarra), Headmaster (guitarra), Redhead Hammet (baixo e guitarra) e Jimmy The Hammer (bateria).

Resumo

O que: Massacration

Quando: Sexta, 07 de outubro – 21h30min

Onde: Ópera de Arame – Rua João Gava, 920

Quanto: de R$90 à R$260

Informações: www.abstratti.com e (41) 99833-2328

Culinária paranaense é apresentada durante evento no Paraguai

Como forma de celebrar o bicentenário da independência brasileira, foi realizado o Tour Gastronômico do Brasil em Assunção, capital do Paraguai. A gastronomia e a cultura paranaenses foram representadas no evento. Com atividades realizadas entre os dias 20 e 26 de setembro, a Semana do Paraná foi liderada pelo chefe de cozinha Rui Morschel e contou com a preparação de pratos típicos de diferentes regiões do estado.

Durante o evento idealizado pela embaixada brasileira no Paraguai, além do barreado do litoral, foram elaborados e servidos em restaurantes da cidade a carne de onça, de Curitiba; o virado de feijão, de Cândido de Abreu; o pão no bafo, de Palmeira; a quirerada, de Pitanga; e o alcatra no espeto, de Ponta Grossa.

Tradicional de Palmeira, o pão no bafo foi servido durante ação no Paraguai. Foto: divulgação.  

Para a coordenadora estadual de agronegócios do Sebrae/PR, Maria Isabel Rosa Guimarães, a ação amplia a visibilidade dos produtos e da gastronomia paranaenses.  

“Conseguimos apresentar um pouco do nosso Paraná para o país vizinho. Os restaurantes da região serviram as nossas iguarias e isso pode ser uma porta de entrada para que os paraguaios nos visitem e tenham acesso à nossa rica história”, diz Maria Isabel Rosa Guimarães.

O chefe de cozinha Rui Morschel foi o responsável pelas preparações e por ministrar uma aula-show, que ensinou a receita do barreado para 30 alunos do Instituto Gastronômico das Américas (IGA), da capital paraguaia. O prato foi elaborado com ingredientes da região de origem, como a farinha de mandioca do litoral do Paraná, e servido com as balas de banana de Antonina, produto reconhecido como Indicação Geográfica, na categoria de Indicação de Procedência. 

“São oportunidades como esta que nos permitem valorizar o que é nosso e buscar o reconhecimento. Espero que essa seja a primeira de muitas ações que carregarão a bandeira do Paraná, ainda mais se tratando do nosso Brasil, que tem uma vasta divisa e com potencial de atrair um número significativo de turistas para continuar a nos conhecer e valorizar ainda mais”, diz o cozinheiro. 

Durante a aula-show, Rui Morschel traçou um contexto histórico para explicar o surgimento da culinária paranaense, com a apresentação de referências sobre o tropeirismo e a imigração europeia. 

Tradicional de Pitanga, a quirerada foi servida durante ação no Paraguai. Foto: divulgação.

Segundo o assessor de marketing da Paraná Turismo, André Poletti, o estado foi convidado para participar por ter uma gastronomia diversificada e por ser um atrativo turístico em potencial. Além do Paraná, também participaram os estados de Bahia e Pernambuco.

“Além da proximidade geográfica com o Paraguai, nós também temos influências em comum, principalmente na cultura e na gastronomia. A farinha de mandioca, assim como alguns temperos, é bastante utilizada no Paraná e em nosso vizinho. Com esta celebração, queremos fortalecer a gastronomia como uma atração turística do Paraná e fazer com que as pessoas viagem para conhecer os nossos pratos”, diz Poletti.