Técnica em enfermagem da RMC é afastada após aplicar seringa vazia de vacina contra a Covid-19

Publicidade
Publicidade

Uma técnica em enfermagem de Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, foi afastada após aplicar uma seringa de vacina vazia em uma dentista da cidade. O caso foi divulgado pela própria paciente, que gravou a aplicação nesta quinta-feira (18) e divulgou as imagens nas redes sociais.

Na publicação, a dentista lamentou o ocorrido. “Chegando lá, minha amiga filmou a vacinação. Nisso, vendo o vídeo, meu próprio chefe percebeu a falta de aplicação e fez o questionamento do que teria acontecido. Estou aqui para pedir cuidado, principalmente com os idosos, já que podemos não estar protegidos”, disse.

No vídeo, a dentista disse que avalia que medidas irá tomar pela falta de aplicação.

Diante do caso, a Banda B procurou a Secretaria Municipal da Saúde de Fazenda Rio Grande, que confirmou a aplicação incorreta de vacina contra a Covid-19. “Mediante tomada de ciência do caso na mesma data do fato ocorrido, a secretaria, incontinenti, abriu um processo administrativo para investigação do caso e procedeu o afastamento imediato da servidora”, informou.

Até o dia 18, Fazenda Rio Grande havia aplicado 1086 vacinas contra a Covid-19.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Polícia Civil flagra cassino clandestino com aglomeração na RMC; maioria das pessoas eram idosas

Publicidade
Publicidade

A Polícia Civil flagrou nesta segunda-feira (01) um cassino clandestino em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Dezessete pessoas, a maioria idosa, estavam aglomeradas, praticando o jogo ilegal, além de descumprir as medidas preventivas estabelecidas pelo Decreto nº 6.983/21, publicado na sexta-feira (26) para conter o avanço da Covid-19.

Na tarde desta segunda-feira (01/03), a Polícia Civil do Paraná flagrou um cassino clandestino em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). No local, dezessete pessoas, a maioria idosas, que estavam aglomeradas, praticando o jogo ilegal, além de descumprir às medidas preventivas do Decreto Estadual nº 6.983/21 para conter o avanço da Covid-19. – Foto: Divulgação PCPR

De acordo com o delegado do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) da Polícia Civil, Rodrigo Brown de Oliveira, a equipe recebeu denúncias de que o local atendia aproximadamente 50 pessoas por dia. “Na hora do almoço, os policiais civis ficaram um tempo em observação e constataram um fluxo de pessoas entrando e saindo, o qual chamava a atenção por possuir muitas câmeras de segurança, mas nenhuma indicação de atividade comercial”, disse.

Na tarde desta segunda-feira (01/03), a Polícia Civil do Paraná flagrou um cassino clandestino em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). No local, dezessete pessoas, a maioria idosas, que estavam aglomeradas, praticando o jogo ilegal, além de descumprir às medidas preventivas do Decreto Estadual nº 6.983/21 para conter o avanço da Covid-19. – Foto: Divulgação PCPR

Ao chegar ao local a equipe constatou que, além da prática ilegal do jogo, os frequentadores também estavam em desacordo com as novas medidas estabelecidas pelo Governo do Estado. Muitos não usavam sem máscara e não havia álcool em gel disponível.

As pessoas praticavam vários tipos de jogos ilícitos, entre fichas, dados, máquinas e carteado. Além disso, o local é fechado, sem ventilação, propício para a propagação do novo coronavírus, de acordo com o delegado.

“Aqui o movimento é maior à noite, mas quando tivemos conhecimento, preferimos cessar a atividade, justamente para evitar o risco de mais pessoas ficarem aglomeradas e precisarem ser conduzidas à delegacia, aumentando o risco de todos os policiais e dos presentes em relação à contaminação pela Covid-19”, explicou o delegado.

Na tarde desta segunda-feira (01/03), a Polícia Civil do Paraná flagrou um cassino clandestino em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). No local, dezessete pessoas, a maioria idosas, que estavam aglomeradas, praticando o jogo ilegal, além de descumprir às medidas preventivas do Decreto Estadual nº 6.983/21 para conter o avanço da Covid-19. – Foto: Divulgação PCPR

As 17 pessoas que estavam no local foram encaminhadas à delegacia. Quinze delas assinaram termos circunstanciados e duas foram responsabilizadas por descumprimento de medidas sanitárias e pela prática de jogos ilegais. As máquinas, fichas, dados, baralho e outros materiais utilizados nos jogos foram apreendidos.

Informações AEN PR.

Governo ativa mais 148 leitos Covid e estuda ampliar mais 97

Publicidade
Publicidade

O Governo do Estado ativou mais 55 leitos de UTI e 93 de enfermaria desde sexta-feira (26). Destes, 31 UTIs e 36 enfermarias foram disponibilizadas no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul, que entraram em operação nesta segunda-feira (01). O Paraná prevê ainda a ampliação de mais 54 UTIs e 43 enfermarias nos próximos dias.

Na última semana, o Estado ativou 336 leitos, sendo 134 UTIs e 202 enfermarias para atendimento à Covid-19. Essas ativações fazem parte da ampliação emergencial de leitos em todo o Paraná devido ao aumento da demanda por atendimento hospitalar de casos confirmados e/ou suspeitos do vírus SARS-CoV-2.

“O Paraná não tem medido esforços para ampliar o atendimento e regionalizar a saúde trazendo o serviço médico para mais próximo das pessoas. Neste momento estamos utilizando toda a capacidade hospitalar do Estado para evitar filas e risco à vida de pacientes”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior.
Segundo o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, estas ampliações não podem ser usadas como desculpa para relaxamento de medidas de prevenção. “Ressaltamos que as ampliações de atendimento são finitas e não devem, de forma alguma, servir como argumento para deixar de se cuidar. As medidas de prevenção devem continuar sendo seguidas, Estamos chegando cada vez mais no limite”, afirmou.

DADOS – Dados da Regulação de Leitos Estadual mostram que na manhã desta segunda-feira (1º) o Paraná somou 3.650 pessoas internadas em leitos Covid e 616 aguardando transferência, sendo 387 pela Regulação do Estado e 229 pela Central Metropolitana de Leitos de Curitiba. Os números são os maiores desde o início da pandemia.

A taxa de ocupação de leitos no Paraná é de 92% das UTIs e 72% de enfermarias. A situação mais crítica é na macrorregião Oeste, com 97% de ocupação de leitos de UTI, seguida pela macro Norte, com 94%, macro Leste, com 92%, e Noroeste com 82%.

“Dia após dia temos registrado números cada vez maiores tanto de internamentos quanto de pessoas em fila de espera por leitos. Infelizmente sabemos que 25% destas pessoas, mesmo com atendimento hospitalar, não irão resistir às complicações causadas pela doença. Por isso reforçamos que é a melhor escolha é se prevenir. Quem puder, que fique em casa”, acrescentou Beto Preto.
LEITOS – Novas ampliações:
Fundação Hospitalar da Fronteira – Pranchita – 8 leitos de enfermaria.
Hospital Pró-Vida – Dois Vizinhos – 15 leitos de enfermaria.

Casa de Saúde Santa Isabel do Oeste – Santa Isabel do Oeste – 10 leitos de enfermaria.

Santa Casa – Curitiba – 15 leitos de UTI.

Hospital Doutor Aurélio – Nova Aurora – 4 leitos de UTI e 6 leitos de enfermaria.

Hospital Maternidade São Judas Tadeus – Dois Vizinhos – 5 leitos de enfermaria.

Hospital Angelina Caron – 31 leitos de UTI e 36 leitos de enfermaria.

Hospital Madalena Sofia – Curitiba – 13 leitos de enfermaria.
Hospital Santa Clara – Colorado – 5 leitos de UTI.

TOTAL: 55 leitos de UTI e 93 leitos de enfermaria.

Ampliações já anunciadas (22/02 – 01/03):

Hospital Metropolitano – Sarandi – 20 leitos de UTI e 5 leitos de enfermaria.

Hospital Municipal do Idoso Zilda Arns – Curitiba – 10 leitos de UTI.

Hospital Santa Rita – Maringá – 1 leito de UTI.

Hospital Municipal Padre Germano Lauck – Foz do Iguaçu – 10 leitos de UTI e 15 leitos de enfermaria.

Hospital Santa Pelizzari – Palmas – 3 leitos de UTI.

Hospital Regional do Sudoeste – Francisco Beltrão – 6 leitos de UTI.

Hospital Santa Rita – Maringá – 4 leitos de UTI.

Hospital Municipal – Cascavel – 6 leitos de UTI.

Hospital Bom Jesus – Ivaiporã – 4 leitos de UTI e 4 leitos de enfermaria.

Hospital Cruz Vermelha – Castro – 10 leitos de UTI e 25 de enfermaria.

Hospital Zona Norte – Londrina – 20 leitos de enfermaria.

Hospital Zona Sul – Londrina – 30 leitos de enfermaria.

Hospital Regional – Ivaiporã – 10 leitos de enfermaria.

Hospital Municipal – Maringá – 5 leitos de UTI.

Total: 79 leitos de UTI e 109 leitos de enfermaria.

Informações AEN PR.