Talões de papel do EstaR deixam de ser aceitos a partir de hoje (11)

Os bloquinhos de papel do estacionamento regulamentado (EstaR) na capital deixam de ser aceitos a partir desta segunda-feira (11/5), quando passa a valer apenas o modelo digital.

O EstaR Eletrônico, que automatiza a utilização de vagas regulamentadas na cidade, entrou em vigor em 16 de março, mas conviveu, até agora, com o modelo de papel. 

“Agora, só será aceito o EstaR eletrônico, que traz agilidade, segurança e moderniza o sistema. As operações, que passam a ser realizadas por aplicativos, serão mais práticas para o usuário, que poderá fazer todo processo com poucos toques no celular e também renovar o período de permanência pelo próprio aplicativo”, diz o presidente da Urbanização de Curitiba S.A (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto.

Para quem ainda tem bloquinhos, é possível trocá-los por créditos até 10 de junho na sede da Urbanização de Curitiba (Urbs) na Rodoviária ou nas unidades da Urbs nas ruas da Cidadania do Carmo, Pinheirinho, Cajuru, Boa Vista, Fazendinha, Santa Felicidade,Tatuquara, Bairro Novo e Matriz.

Para evitar a aglomeração de pessoas e a contaminação pelo coronavírus, é preciso agendar o atendimento pelo site da Urbs. O atendimento presencial é feito na sequência, das 11h às 17h. A troca é gratuita.

Troca

Quando os talões ou folhas são entregues, o atendente insere os créditos no aplicativo que usuário já deverá ter baixado para recebê-los em até 48 horas. Os créditos ficam disponíveis no aplicativo.

O EstaR eletrônico conta com nove aplicativos homologados, dos quais sete estão ativos: Meu EstaR, Faz Digital Curitiba, El Parking, Zul EstaR Digital, EstaR Digital Zazul, Transitabile e Estacionamento Digital. Eles podem ser baixados nas plataformas Android e iOS.

Além das pesquisas nas plataformas Apple e Android, é possível consultar as placas de sinalização do EstaR eletrônico nas ruas. Nelas há um QR Code que pode ser lido pelo celular e que mostra quais são os aplicativos credenciados.

O usuário pode escolher e fazer o download de um ou mais aplicativos, de acordo com sua preferência. Além disso, são 160 pontos comerciais e de serviços que estão habilitados também a vender créditos para quem não tem o celular disponível. São restaurantes, papelarias, farmácias, padarias e cafeterias, dentre outros. A lista pode ser conferida no site www.urbs.curitiba.pr.gov.br. Este número deve crescer quando o comércio voltar a funcionar normalmente, após o fim do isolamento social.

Nas ruas onde não há pontos comerciais, está prevista a instalação de totens para a venda de créditos. Curitiba conta com 12.088 vagas tarifadas de estacionamento.

Funcionamento

Para usar o EstaR Eletrônico, o motorista terá que comprar o crédito – por aplicativo de celular ou em pontos de venda físicos. O usuário se inscreve no aplicativo escolhido, coloca o número da placa, sua localização e o tempo de permanência e faz o pagamento.

O limite de permanência varia de uma a duas horas, como já funciona. Em todo o perímetro da área calma, a permanência máxima será de 1 hora.

Os créditos serão fracionados de 15 em 15 minutos, o que é uma diferença grande do sistema em papel.

A fração de 15 minutos de estacionamento custará R$ 0,75 e a hora cheia R$ 3. Caso tenha que mudar o carro de área, uma nova compra terá que ser feita. O aplicativo emitirá um aviso ao usuário quando o prazo estiver próximo de vencer.

“Ultrapassando o limite de tempo ou em caso de prática do estacionamento sem a devida regularização, a pessoa será multada seguindo as previsões legais do Código de Trânsito Brasileiro (CTB)”, diz Maia Neto. Os veículos são fiscalizados pelas agentes da Superintendência de Trânsito  (Setran) pelo número da placa.

Conforme o artigo 181 do CTB, a multa por estacionamento irregular é considerada de natureza grave e custa R$ 195,23 e mais cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do infrator.

Estacionamento irregular

Outra mudança merece atenção. Até agora, quando o motorista estacionava sem cartão em áreas onde é exigido o EstaR, ele era apenas avisado de que estava cometendo uma infração e tinha até cinco dias úteis para regularizar a situação, comprando um bloco de cartões.

Com o EstaR digital, a regularização da infração por estacionamento irregular terá os mesmos cinco dias úteis para ser feita, mas mediante o pagamento de R$ 30, por meio de emissão de boleto no site da Urbs, e não se transformará em crédito. O prazo de regularização de cinco dias, no entanto, vai valer só até o fim do ano.

Moradores tomam susto com caminhão que deixou rastro de destruição na BR-376

O acidente ocorreu no Centro de São José dos Pinhais. Até o momento, não se sabe as causas que levaram a ocorrência

Moradores da cidade de São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), passaram por um grande susto no inicio da manhã desta segunda-feira (21). Um motorista de um caminhão dirigia pela BR-376, no Centro da cidade, quando deixou um rastro de destruição em plena rodovia. Até o momento, não se sabe as causas que levaram ao acidente, que não deixou ninguém ferido no local.

O proprietário da empresa Aços CWB, Jean Carlos Alves de Moraes, disse que os funcionários estavam chegando Ao trabalho e tudo aconteceu rapidamente, pegando todos de surpresa. À Banda B, ele informou que três postes de luz e um ponto de ônibus foram derrubados pelo veículo, sendo que um dos postes derrubados era interno.

Como ficou o local onde o caminhão passou. Foto: Colaboração

“De repente, a gente escutou um ‘barulhão’ e a carreta passou arrebentando tudo. Tinha um rapaz no ponto de ônibus e ele conseguiu sair correndo para não ser atingido. Por sorte, não tinha mais ninguém porque se não ia ser feio o estrago. Foram apenas danos materiais”, comentou à Banda B.

Como ficou o local onde o caminhão passou. Foto: Colaboração

O Motorista foi atendido pelo Siate do Corpo de Bombeiros e encaminhado com ferimentos moderados ao Hospital Cajuru.

Especialista em secas, pesquisador da UFPR alerta para mais três meses com poucas chuvas

No último dia 10 a National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) confirmou que estamos passando por um período de La Niña, que diminui a quantidade de chuva

Especialista em secas, o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Pedro Fontão, afirmou à Banda B nesta segunda-feira (21) que a primavera, que começa nesta terça (22), deverá ter chuvas abaixo da média, o que preocupa devido à estiagem que Curitiba e região metropolitana estão passando. Segundo Fontão, no último dia 10 a National Oceanic and Atmospheric Administration (NOAA) confirmou que estamos passando por um período de La Niña, que diminui a quantidade de chuva.

“O grande problema deste ano é realmente a ocorrência do La Ninã e pelos modelos não há previsão de chuvas volumosas para pelo menos os próximos três meses”, explicou o especialista, destacando que passamos por um período de seca localizada. “É uma questão regional de uma seca localizada no Paraná. Rio Grande do Sul estava mal também, mas deu uma boa recuperada em agosto, diferente de Curitiba”, salientou.

De acordo com Fontão, chuvas em grande quantidade apenas para o mês de janeiro. “Em termos de climatologia fica difícil de falar, mas tudo indica que em janeiro e fevereiro possam acontecer anomalias mais positivas, ajudando a recuperar os mananciais”, destacou.

Para o mês de setembro, onde pouco choveu, uma chuva mais forte deve acontecer apenas no próximo fim de semana, de acordo com os institutos meteorológicos.

Informações Banda B.