Sete de Setembro sem desfile em Curitiba

O Hino Nacional é entoado e as tropas cívico-militares desfilam. Alunos de diversas escolas são convidadas a tocar, cantar e marchar. Milhares de pessoas, dos bebês aos vovôs, acompanham a passeata em comemoração ao Dia da Independência do Brasil, que hoje completa 198 anos. As cores verde e amarelo estão presentes nos cabelos, rostos e nas roupas. 

O desfile de Sete de Setembro ocorre pelas manhãs deste dia, na Avenida Cândido de Abreu, há décadas. No entanto, na manhã desta segunda-feira (07/09), a rua esteve vazia. Por conta da pandemia da covid-19, para não haver aglomeração de pessoas, o desfile não ocorreu.

“Pela primeira vez, não ocorreu o desfile cívico-militar, mesmo assim, queremos que os brasileiros e, principalmente, os parananeses reflitam o brado de ‘independência ou morte’, feito pelos nossos antepassados, que lutaram tanto por uma pátria livre e valorizada”, afirmou o secretário da Segurança Pública, coronel Romulo Marinho Soares.

Mesmo sem poder contar com a presença do público, o Governo do Estado não deixou passar em branco a comemoração dos 198 anos da Proclamação da Independência do Brasil. Neste ano, por causa da pandemia, não ocorreu o tradicional desfile de Sete de Setembro. No entanto houve uma cerimônia virtual para substituir o desfile. A cerimonia foi transmitida pela TV Paraná Turismo e pelas redes sociais do Governo do Estado.

A transmissão aconteceu nesta segunda-feira (7), das 11h às 12h30, e contou com uma apresentação da Banda da Polícia Militar tocando hinos cívicos e as dobradas militares que normalmente acompanham o desfile cívico-militar. O evento foi organizado pelo Cerimonial do Governo do Estado.

CONTEXTO – O contexto da Independência era de amplo desenvolvimento do Brasil, promovido desde a vinda da Família Real. Esse progresso não teria agradado Portugal e acarretou uma crise entre a nação colonizadora e a colônia. Além disso, a corte portuguesa clamava pela volta do herdeiro do trono. Juntamente a isso, a pressão em cima do então príncipe regente de Portugal, dom Pedro I, resultou no famoso grito da independência às margens do Rio Ipiranga, na atual São Paulo, em 1822. 

Em comemoração à Independência, anualmente, há desfile de tropas militares, de forças de segurança e, também, de alunos de escolas em todo o país. “Estes eventos cívico-militares também têm o objetivo de servir de reflexão e rememorar a Proclamação da Independência. Com eles, é transmitico, principalmente aos mais jovens, o sentimento de patriotismo e dos valores que enriquecem a sociedade brasileira”, destacou o secretário coronel Marinho.

HINO NACIONAL – Após a Proclamação da Independência, símbolos foram criados para representar o Império e, por fim, a República do Brasil, como o Hino Nacional, a bandeira, o brasão e demais emblemas. Assim que assumiu a presidência do Brasil, Marechal Deodoro da Fonseca lançou um concurso para escolher a letra para o Hino Nacional. Até então, apenas se ouvia a melodia. O resultado não agradou a população e a letra não foi escolhida, o que fez com que permanecessem as discussões sobre o assunto. 

Até que em 6 de setembro de 1922, às vésperas da comemoração do centenário da Independência do Brasil, o Hino Nacional Brasileiro cantado tornava-se a letra oficial do país. Escrita 14 anos antes pelo poeta e jornalista Joaquim Osório Duque Estrada, a poesia custou, ao Governo Brasileiro, 10 contos de réis.

Porém, antes mesmo da letra ser aprovada pelo Congresso como o Hino Nacional e do presidente Epitácio Pessoa assinar a documentação, de acordo com a Agência Senado, em 1910, o deputado Coelho Neto apresentou uma emenda para que os versos de Duque Estrada fossem oficializados, “uma vez que já vinham sendo cantados pelo Brasil afora”. 

De acordo com o documento do Senado, houve discussão na Câmara, e rejeição. Naquele momento, os deputados rejeitaram a oficialização da letra, mas aprovaram um prêmio de 5 contos de réis ao poeta.

Apesar de ter havido a troca da letra, a fim que ela representasse a República, a melodia do império foi mantida. Composta por Francisco Manoel da Silva por volta de 1830, a marcha, era usada em eventos oficiais com a presença do Imperador dom Pedro II. 

BANDEIRA  – A atual bandeira nacional é a segunda republicana e o terceiro estandarte oficial do Brasil desde sua Independência. Desenhada por Décio Vilares, a Bandeira do Brasil é considerada uma das bandeiras mais bonitas do mundo. Suas cores representam as belezas e riquezas do país. Popularmente, o verde representa as florestas; o amarelo, o ouro (principalmente de Minas Gerais à época da colonização) e o azul, o céu, o rio e os mares.

As estrelas representam cada um dos estados, além do Distrito Federal. Acima da faixa, com as letras “Ordem e Progresso”, está apenas a estrela do Pará, conhecida como Spica – Alfa da Virgem. Também estão representadas as constelações do Cruzeiro do Sul, representado estados como São Paulo e Rio de Janeiro, o Escorpião, com Paraíba, Sergipe e outros. O Paraná está no Triângulo Austral, juntamente com Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

FOGO SIMBÓLICO – Idealizado em 1938, o fogo simbólico representa o sentimento cívico do povo brasileiro. Já naquela época, a ideia foi acolhida pela Liga da Defesa Nacional e, desde então, a cerimônia do Fogo Simbólico abre as comemorações da Independência na Semana da Pátria. A pira é acendida, como forma de reafirmar a importância de manter viva a chama do amor à pátria.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dóffee Donuts inaugura a 22ª Unidade

A Dóffee Donuts & Coffee inaugurou sua nova unidade na última sexta-feira (27). A loja está localizada na cidade de Itajaí e é a 22ª unidade da franquia, que recebeu diversos clientes já em seu primeiro dia no Shopping Itajaí.

A franquia de lojas da Dóffee Donuts & Coffee já é conhecida em Santa Catarina por suas receitas exclusivas, com opções de donuts doces e salgados, bebidas quentes e geladas para acompanhar, além de acessórios disponíveis para comprar e levar para casa.

Além de Itajaí, as cidades de Balneário Camboriú e Itapema também possuem lojas da Dóffee. Os planos para as próximas Dóffee Donuts & Coffee também já estão a todo vapor, destinadas a novas cidades e
estado: os Shopping Palladium, em Ponta Grossa e as cidades de Ourinhos e Campinas, em São Paulo.

HISTÓRIA

O projeto teve início em 2017, com os sócios Alysson, Pablo e Letícia, que viram nos donuts a oportunidade de começar uma loja inovadora em Curitiba. A decisão em abrir uma loja com produto único passou por meses de planejamento. Em 2019, a primeira loja física foi inaugurada no Centro de Curitiba. O rápido sucesso da loja pediu por mais uma unidade, e assim, em poucos
meses, foi inaugurada a Dóffee Portão.
Em seu primeiro ano como franquia resultou em mais 7 lojas, totalizando 10 unidades, a partir daí não parou mais. Hoje a Dóffee possui unidades nos principais shoppings de Curitiba, São José dos Pinhais,
Pinhais, Campo Largo, Londrina, Maringá, Cascavel e Foz do Iguaçu.

SERVIÇO:
As unidades contam com horários de funcionamentos próprios e você pode consultar localização e horários através do site:
https://www.doffee.com.br/nossas-lojas
Facebook | Instagram: @doffee.donuts
Fotos: Divulgação.

Congelados de alta gastronomia dão sabor ao verão paranaense

A praticidade na cozinha é sempre bem valorizada, ainda mais para quem está de férias e não quer perder muito tempo em frente ao fogão – mas também não abre mão de uma refeição saborosa. Os congelados, que já foram vistos com maus olhos por perder qualidade e sabor dos alimentos, hoje contam com opções de alta gastronomia que ganham muito em qualidade e são fáceis de preparar. Das linhas fit até pedidas dignas de restaurante, há muitas opções.

A Ragú Rotisseria& Co. é uma empresa curitibana que entrou com tudo no mercado de ultracongelados. O cardápio variado da empresa, elaborado pela chef e restaurateur Fernanda Zacarias de Alencar, destaca insumos de alta qualidade e um preparo atencioso em entradas e pratos principais. Muitos dos pratos mais pedidos são apresentados no formato ultracongelado, cujo processo mantém intactas as propriedades do alimento sem alterar sabor nem apresentação.

Essa praticidade, já apresentada em Curitiba, também ganhou o litoral. Durante o verão, a empresa montou uma pop-up store em Caiobá. “Apresentamos nessa loja um grande linha de aperitivos, antepastos, massas, molhos, massas de forno, pratos prontos para a família e nossos PFs do dia a dia”, explica Bruna Loddo, sócia de Fernanda na Ragú. No site da Rotisseria, há dicas para preparo, além das sócias deixarem aberto um canal para tirar dúvidas sobre montagem de pratos, garantindo que a refeição congelada terá um tratamento de alta gastronomia.

As massas pré-prontas estão entre as mais pedidas, apresentadas em diferentes formatos. As recheadas vem em porções de 400 gramas que atendem duas pessoas, em sabores como Queijo Canastra, Brie & Damasco e Zucca (abóbora). Já massas lisas e gnocchi (como o Tagliatelle verde e o Gnocchi clássico de batata com rústico de tomate) são apresentados por quilo. O cliente adiciona o molho que preferir à massa, do Bechamel e do Funghi até o Creme de limão siciliano, vendidos também por quilo.

A linha PF Dia a Dia traz porções individuais de 350 gramas ultracongeladas. São escolhas que vão do PF de carne moída com arroz integral, legumes e feijão, ou ainda o Frango ao curry, arroz com castanha de caju e cenouras assadas até Bobó de camarão rosa com arroz branco e farofa de dendê. O menu tem diversas pedidas vegetarianas, como Canelone de ricota e espinafre ao molho sugo e bechamel e a Panqueca integral de legumes ao molho sugo.

Os ultracongelados da Ragú Rotisseria & Co. podem ser encontrados na loja de Curitiba (R. Francisco Rocha, 533 – Batel) e na praia de Caiobá, em Matinhos (R. Ipiranga, 192 – Praia Mansa). Mais informações no site ragurotisseria.com.br e ou no perfil oficial da marca no Instagram (@ragu.rotisseria).

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com