Secretário pede para população pensar em Natal de 2021 e diz que Paraná está preparado para vacinação

A Secretaria da Saúde do Paraná participou nesta quinta-feira (10) de reunião por videoconferência com a Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde

O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, afirmou em comunicado enviado à imprensa nesta quinta-feira (10) que o estado passa por um “momento muito crítico” da pandemia e que a população deve começar a pensar no Natal de 2021, já que o atual período não é recomendado para reuniões. Ele também disse que o Paraná tem estrutura e equipes preparadas para dar início à vacinação contra o coronavírus.

“Estamos em um momento muito crítico da pandemia. Houve um aumento muito grande no número de casos e isso repercute também nas vagas dos hospitais em todo o Paraná, principalmente em Curitiba e Região Metropolitana. Hoje temos enfermarias e leitos de UTI no limite crítico, batendo na casa dos 95% de ocupação, e ainda muitas pessoas aguardando leitos”, alertou o secretário.

Beto Preto segue insistindo para que a população redobre os cuidados, evite aglomerações e confraternizações de fim de ano. “E já começar a pensar no Natal de 2021, esse momento não é de reuniões familiares”, continua ele.

Sobre a vacinação da população paranaense contra a Covid-19, ele revela que muito trabalho já tem sido feito. “Em relação às vacinas, temos trabalhado muito e preparado toda a nossa equipe e dos municípios. No momento em que tivermos os insumos, estaremos preparados para atender todo o Paraná, como sempre estivemos”, defende o secretário.

No que diz respeito à imunização, o estado sempre foi muito forte, de acordo com Beto Preto. “A imunização no Paraná sempre foi muito forte. Temos quase duas mil salas de vacinas nas Unidades Básicas de Saúde dos municípios. Um grande trabalho, de muita gente e que já vem há muito tempo. No momento em que tivermos os insumos, as nossas salas de vacinas serão verdadeiras portas abertas”.

Plano preliminar de vacinação

A Secretaria da Saúde do Paraná participou nesta quinta-feira de reunião por videoconferência com a Coordenação-Geral do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde para discussão do Plano Preliminar Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19.

O plano vem sendo elaborado desde o mês de setembro, com a participação de técnicos de todos os estados e de representantes de instituições da área da saúde, como Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), Conselho Nacional de secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Fiocruz, Instituto Butantan e conselhos nacionais de profissionais, entre outros.

“Ainda não temos a vacina definida pelo Ministério da Saúde, porém o Governo do Estado reforça a posição de que seguirá as recomendações do Programa Nacional de Imunizações, que tem expertise desde a década de 80, com a realização de grandes e importantes campanhas de vacinação em todo território”, afirmou Beto Preto.

“Neste momento o Paraná também está aberto a negociações com fabricantes das várias vacinas em testes, mas só consolidaremos qualquer tipo de aquisição com o aval da Anvisa”, informou o secretário.

CENÁRIO – O plano preliminar apresentado nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde destaca as características da vacina a ser definida. Elas “deve conferir proteção contra a doença grave e moderada, ter elevada eficácia, possibilidade de uso em todas as faixas etárias e grupos populacionais e apresentar tecnologia com baixo custo de produção”.

Segundo o Ministério da Saúde, várias vacinas se enquadram neste portfólio. Hoje existem 48 vacinas em estudo clínico, 11 estão em fase mais avançada de aprovação.

CAMPANHA  – Os objetivos da campanha de vacinação são contribuir para a redução de morbidade e mortalidade pela Covid-19, para a redução da transmissão da doença, vacinar grupos prioritários com maior risco de desenvolver complicações e óbitos pela doença e vacinar populações com maior risco de exposição e transmissão do vírus.

Os critérios para elencar os primeiros grupos a receberem a vacina ainda estão sendo estabelecidos, mas no momento já foi definido que terão prioridade os trabalhadores da saúde, pessoas de 80 anos ou mais, pessoas de 75 e 79 anos e indígenas. Os demais grupos e faixas etárias serão incorporados no decorrer da campanha.

O MS prevê o início da distribuição nacional dos primeiros lotes, com 30 milhões de doses de vacinas, entre janeiro e março de 2021.

RECUPERAÇÃO – Simultaneamente à elaboração do plano preliminar de vacinação da Covid-19 a Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde recomenda a todos os estados a implantação da estratégia de recuperação do esquema de vacinação atrasado de crianças menores de 5 anos de idade.

Seguindo a orientação, a Secretaria Estadual da Saúde realizou na tarde desta quinta-feira, (10) reunião via online com as equipes das 22 Regionais de Saúde, coordenadores de imunização dos municípios e responsáveis pelas salas de vacinas. Mais de 600 profissionais participaram da capacitação.

Estes profissionais devem estar atentos na recuperação das vacinas em atraso junto aos usuários do sistema de saúde informando, orientando e ofertando as doses disponíveis.

“Temos a oferta de vacinas que protegem contra a difteria, coqueluche, poliomielite, sarampo, caxumba rubéola, meningite meningocócica, hepatite, entre outras, que conferem proteção à criança e que estão distribuídas em toda a rede de saúde”, explicou a chefe do programa estadual de imunização, Vera Rita da Maia.

Na reunião, os profissionais foram atualizados sobre as instruções normativas do Calendário Nacional de Vacinação, farmacologia das vacinas, técnicas para redução de dor na aplicação das doses e questões operacionais do registro de doses aplicadas.

O Paraná tem 1.850 sala de vacina distribuídas nos 399 municípios.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PM lança edital de ingresso no curso de formação de oficiais para policial e bombeiro militar

A Polícia Militar abriu as inscrições para o concurso público de ingresso ao Curso de Formação de Oficiais (CFO) turma 2022. São 60 vagas para cadete policial militar (seis para candidatos afrodescendentes) e 10 vagas para cadete bombeiro militar (uma para candidatos afrodescendentes). Os interessados podem fazer a inscrição até as 12h do dia 10 de novembro. Confira o link do Edital.

Os candidatos devem ler atentamente o que prevê o edital e verificar os pré-requisitos básicos para concorrer às vagas. As inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná, mediante o preenchimento do formulário de inscrição, e serão consolidadas com o pagamento da taxa, ou após a homologação da isenção dessa taxa (ver critérios no edital).

A SELEÇÃO – O processo seletivo será feito em duas etapas, sendo a primeira com a UFPR e a segunda com a Academia Policial Militar do Guatupê (APMG). A primeira etapa, de caráter eliminatório e classificatório, consiste provas de Conhecimentos Gerais e de Compreensão e Produção de Textos, em fase única, para avaliar o domínio dos conteúdos das disciplinas do Ensino Médio, as capacidades de articular ideias com clareza, de relacionar e interpretar fatos e dados e de raciocinar de maneira lógica.

Na segunda etapa, os candidatos serão submetidos às Provas de Habilidades Específicas (PHE) no âmbito da PMPR, reguladas por edital. As PHE, de caráter eliminatório, serão compostas pelas seguintes fases: Investigação Social (IS), Avaliação Psicológica (AP), Exame da Capacidade Física (ECAFI) e Exame de Sanidade Física (ESAFI).

CFO – O curso, oferecido pela Escola de Formação de Oficiais (EsFO), é disponibilizado todos os anos pela UFPR. As disciplinas fundamentais estão ligadas diretamente à vida militar, buscando adaptar os cadetes para o melhor cumprimento da sua atividade como policial militar e bombeiro militar. São diversos segmentos do direito, uso correto de armas de fogo, psicologia, estatística, educação física, direitos humanos e policiamento comunitário, além de técnicas de salvamento e prevenção de incêndios, entre outras.

DURAÇÃO – O curso tem duração de três anos e, no 1º ano, o cadete recebe um subsídio de R$ 3.277,88. No 2º ano o valor é de R$ 3.671,24 e, no 3º ano, de R$ 4.221,93. Ao concluir o 3º ano o cadete é declarado Aspirante à Oficial com subsídio no valor de R$ 7.211,35. Após o período de estágio probatório, estará apto a ser promovido ao posto de 2º tenente, com subsídio de R$ 9.735,33.

Corpo de Bombeiros abre 167 vagas em curso de guarda-vidas civil voluntário para temporada

O Corpo de Bombeiros do Paraná vai disponibilizar 167 vagas para o curso destinado a pessoas que queiram trabalhar como guarda-vidas civil no Litoral e nas regiões Noroeste e Oeste do Estado na temporada de verão 2021/2022. A inscrição para a capacitação é gratuita e deve ser feita no site da corporação até às 12h do dia 15 de outubro de 2021.

Os guarda-vidas civis atuarão como reforço ao trabalho dos bombeiros militares na prevenção de ocorrências e no atendimento a afogamentos no mar, rios e lagos.

Das 167 vagas, 90 são para os municípios litorâneos de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná (30 vagas para cada município), 30 vagas para a região de Paranavaí (Noroeste), 25 para Foz do Iguaçu (Oeste), 12 para Umuarama (Noroeste) e 10 para Morretes (Litoral).

Na inscrição o candidato deve apontar onde quer fazer o curso. Para efetivar a inscrição é necessário ter entre 18 e 50 anos, ser brasileiro nato, ter concluído o Ensino Médio até a data de término das inscrições (15 de outubro) e não possuir antecedentes criminais.

ETAPAS  A seleção será dividida entre as etapas de inscrição, exame de capacidade física e entrega de exames, documento e matrícula. Concluídas essas fases, a previsão de início da etapa de instrução é no dia 16 de novembro. O estágio operacional ocorrerá a partir do dia 10 de dezembro.

As datas do cronograma podem ser alteradas pelo Corpo de Bombeiros em edital à parte e cabe aos candidatos acompanhar o andamento do concurso no site oficial da instituição.

No período de estágio, o guarda-civil voluntário receberá o uniforme e uma ajuda de custo para cobrir despesas de alimentação e hospedagem no valor de R$ 100,00 por dia trabalhado.