Secretário de Saúde do Paraná não acredita em retorno do público aos estádios em 2020

Beto Preto destacou que a presença da torcida nas arquibancadas poderia aumentar a demanda de testes para a Covid-19

A Secretaria de Saúde do Estado do Paraná (Sesa) reforçou o posicionamento de que é contrária a volta da torcida aos estádios na Série A do Campeonato Brasileiro. Em entrevista à Banda B, o secretário de Saúde, Beto Preto, disse que não acredita em retorno do público neste ano e a presença dos torcedores nas arquibancadas possivelmente aumentaria a demanda de testes da Covid-19.

“Do ponto de vista epidemiológico, eu quero me antecipar que se depender da Secretaria de Estado da Saúde neste momento, que tem prioridades importantes que são as aulas da crianças, não há possibilidade neste ano e não deslumbro a possibilidade de 30% de torcida nos estádios de futebol. Não há essa capacidade e isso geraria a necessidade de testes, eventualmente. Nós trabalhamos para suprir toda a necessidade de testes no Paraná”, declarou o secretário.

Beto Preto reconheceu a importância do futebol neste momento, mas destacou que a saúde da população vem em primeiro lugar. “O futebol é fundamental, um belo esporte, a preferência do brasileiro, mas antes disso, vem o quesito de saúde. Cada dia tem a sua agonia, montando a estratégia e não abandonamos a planilha. Na saúde, a nossa equipe trabalha todo dia e o planejamento é o forte neste momento”, afirmou.

Posicionamentos de Coritiba e Athletico

Através de nota oficial, o Coritiba defendeu a isonomia entre todos os clubes. “O Coritiba defende a igualdade na tomada de decisão e acredita que a medida definida deve valer para todos, respeitando a isonomia competitiva. O clube defendeu o retorno aos treinos de maneira segura e inclusive contratou um médico infectologista que contribuiu com o desenvolvimento de um protocolo de saúde, entendendo a responsabilidade das instituições sobre o atual cenário de pandemia e, ainda que esteja atento à situação e seus desdobramentos, reforça que a saúde e segurança devem ser consideradas como prioridade em relação ao retorno do público aos estádios”.

Já o Athletico, através do presidente do Conselho Administrativo, Mário Celso Petraglia, declarou que não tem nenhuma conclusão até que o assunto seja mais esclarecido. “Sem nenhuma conclusão ou decisão até que tudo fique claro e estabelecido de como será essa liberação”, falou.

Ministério da Saúde já autorizou

O Ministério da Saúde aprovou o plano da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para a volta do público aos estádios, com limite de 30% da capacidade. A própria CBF vai se reunir com os clubes para debater o assunto, mas adiantou que a decisão deve passar pelas liberações de estados e munícipios.

O governo de São Paulo já anunciou que não vai permitir a presença do público nas partidas do Campeonato Brasileiro da Série A ou das Eliminatórias para a Copa do Mundo. Em contrapartida, a prefeitura do Rio de Janeiro autorizou a presença de 30% da capacidade do Maracanã. O plano é que o primeiro jogo seja Flamengo x Athletico, no dia 04 de outubro.

A última vez que os jogos no Brasil aconteceram com a presença de público foi em março, antes mesmo da paralisação do futebol pela pandemia da Covid-19. Os jogos retornaram no Paraná no final de julho, mas sem a torcida.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dois casos da variante Ômicron são identificados no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na tarde desta terça-feira (30) que serão enviadas para análise laboratorial as amostras de dois brasileiros que, em análise preliminar, apresentaram resultado positivo para a variante Ômicron do novo coronavírus. A testagem foi realizada pelo laboratório Albert Einstein.

O caso positivo investigado é de um passageiro vindo da África do Sul e que desembarcou no aeroporto internacional em Guarulhos, São Paulo, no dia 23. O passageiro portava  resultado de RT-PCR negativo e ia voltar para o país africano no dia 25 e ia fazer novo teste, acompanhado de sua mulher, para poder embarcar. Nesse novo teste os dois testaram positivo para a covid-19 e foi feita a comunicação ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS) de São Paulo.

O laboratório Albert Einstein fez o sequenciamento genético das amostras e notificou a Anvisa sobre os resultados positivos e informou hoje que tratava-se da nova variante. 

“Diante da identificação e testagem com resultado positivo para Covid-19, a Rede CIEVS, ligada ao Ministério da Saúde, deve monitorar casos de acordo com o sistema de vigilância vigente no Brasil, para avaliação das condições de saúde e direcionamento dos indivíduos aos serviços de atenção à saúde, bem como para adoção das medidas de prevenção e controle da covid-19”, destacou a Anvisa em nota. 

A entrada do passageiro no país foi anterior à edição da portaria Interministerial que proibiu, em caráter temporário, voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela África do Sul.

Vacinação

Ontem, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que a principal resposta contra a variante Ômicron é a vacinação. “Esse contrato assinado com a farmacêutica Pfizer é a prova cabal da programação do Ministério da Saúde para enfrentar não só essa variante Ômicron como as outras que já criaram tanto problema para nós”, completou.

Ele afirmou que o cuidado da vigilância em saúde no país permanece o mesmo adotado desde o começo da pandemia. “É uma variante de preocupação, mas não é uma variante de desespero porque temos um sistema de saúde capaz de nos dar as respostas no caso de uma variante dessa ter uma letalidade um pouco maior. Ninguém sabe ainda”.

Com Ômicron, Paraná vai aguardar e manter obrigatoriedade do uso da máscara

Com o monitoramento de seis passageiros, que estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, o governador Ratinho Junior anunciou nesta terça-feira (30) que o Paraná vai manter a obrigatoriedade do uso das máscaras. A informação foi confirmada em entrevista concedida ao Meio Dia Paraná, da RPC TV.

Segundo o governador, o estado precisa monitorar a variante e agir com cautela neste fim de ano. “Esse é o presente de Natal que gostaríamos de dar para toda a população do Paraná, ter a diminuição de restrições. Mas, em especial na saúde,  temos que tomar decisões com muita cautela e agora precisamos ver como será a resposta com a variante”, disse.

Na segunda-feira (29), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que monitora seis passageiros que desembarcaram no Paraná e estavam no mesmo voo do brasileiro que veio da África do Sul e testou positivo para Covid-19, podendo estar com a variante Ômicron.

De acordo com Ratinho Junior, o Paraná vai aguardar para tomar a melhor decisão possível. “A população, de forma voluntária, já tem tido uma atitude responsável de, mesmo ao ar livre, usar máscara. E queremos ter uma análise bem criteriosa para, quando tirar, tirar a máscara com muita confiança”, explicou.

Coronavírus

Até o momento, os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 1.572.312 casos confirmados e 40.563 mortos pela doença.

Informações Banda B