Secretário confirma tendência de alta nos casos de Covid e garante que eleições não definem medidas restritivas

Segundo os boletins do órgão, de segunda a quarta-feira (11) o estado confirmou 4.344 casos e 113 mortes pela doença

Diante de uma alta expressiva nos casos de coronavírus, números que se consolidaram nos últimos três dias, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) voltou a reforçar o alerta para que todos os paranaenses mantenham as medidas sanitárias que evitam a propagação da doença. Segundo os boletins do órgão, de segunda a quarta-feira (11) o estado confirmou 4.344 casos e 113 mortes pela doença. Em entrevista à Banda B, o secretário Beto Preto lembrou que o momento não é de relaxar.

“Vínhamos com números decrescentes, estávamos descendo na curva, mas nas últimas três semanas os números começaram a apontar para cima, o que se revelou verdadeiro nas últimas 72 horas, com a ampliação de novos casos de óbitos. Independente de estarmos entrando nas temperaturas mais altas do verão, o vírus continua em transmissão comunitária e, se não tomarmos cuidado, vamos acabar sendo atingidos”, explicou o secretário.

O Governo do Estado estima que 1,2 milhão de pessoas já tiveram algum tipo de contato, mas Beto Preto destaca que 10 milhões ainda não, o que mostra a necessidade de cuidados por todos.

Para a Sesa, alguns fatores explicam o crescimento de casos no momento: o feriado de 12 de outubro, o feriado de Finados e a campanha eleitoral, que provoca reuniões e aglomerações, mesmo que menores em tempos sem pandemia.

Eleições

Apesar de citar a campanha eleitoral como uma das causas de aumento de casos, Beto Preto elogiou o preparo do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para o próximo domingo (15). “É um planejamento rígido, sério e tudo foi muito bem articulado. As pessoas devem votar, já que a eleição do prefeito, vice-prefeito e vereador decide o futuro da cidade. Talvez seja o exercício mais próximo da população. Então quero pedir que as pessoas votem, mas com segurança. Com máscara, evitando tocar superfície, levando a própria caneta e mantendo o distanciamento social”, disse.

Entre as principais medidas recomendadas para as eleições, está o distanciamento de 1,5 metro nas filas dos colégios eleitorais.

Ainda relacionando pandemia e eleições, a reportagem da Banda B questionou o secretário sobre posts publicados em redes sociais sobre novas medidas restritivas. Beto Preto não negou que algo pode ocorrer, mas garantiu que qualquer decisão tem como base critérios técnicos. “Hoje é muito mais difícil tomar medidas restritivas, já que estamos há oito meses em pandemia, mas não há relação com eleição. Se for necessário, vamos tomar, vamos orientar”, garantiu.

Aulas

Com o crescente no número de casos, outro ponto que acaba sendo comprometido é o retorno presencial das aulas. No final de outubro, o governador Ratinho Junior chegou a especular uma volta no segundo semestre de novembro.

Sobre o assunto, Beto Preto disse que não podemos perder o trabalho que foi feito até agora. “Tivemos 5,5 mil pessoas que perderam a vida, mas se não tivéssemos tomado algumas medidas, fatalmente teríamos muito mais. Estamos estudando algumas possibilidades, vamos retomar o assunto nos próximos dias, mas não podemos colocar pessoas em risco desnecessariamente”, enfatizou.

Cuidados

Para encerrar, o secretário estadual ainda reforçou que a Covid-19 ainda não tem tratamento. “Enquanto a gente não tiver um medicamento, como é o caso do Tamiflu para a gripe, enquanto não tivermos uma vacina, não vai haver a retomada da vida normal. Infelizmente não temos um tratamento pacificado, para ir até a farmácia e tratar a virose da Covid-19. Então, nós precisamos continuar nos acalmando, tomando as medidas necessárias e, quem puder, permaneça em casa”, concluiu.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde registra três novas mortes de macacos pela febre amarela

O boletim da febre amarela divulgado nesta quarta-feira (27) pela Secretaria de Estado da Saúde registra mais três mortes de macacos infectados (epizootias) que aconteceram no município de Palmas, na área da 7ª Regional de Saúde de Pato Branco.

Outros dois municípios apresentaram novas notificações para epizootias; Cantagalo, que faz parte da 5ª Regional de Saúde de Guarapuava, e Dois Vizinhos, na 8ª Regional de Saúde de Francisco Beltrão.

O período de monitoramento epidemiológico da febre amarela no Paraná teve início em julho de 2020 e segue até junho deste ano. O Estado registra até o momento 104 notificações de epizootias em 23 municípios. Até o momento, 14 mortes de macacos foram confirmadas pela contaminação do vírus da febre amarela; 7 estão em investigação, 41 foram descartadas e 42 ocorreram por causas indeterminadas.

Em relação à febre amarela em humanos, o período não apresenta casos confirmados. Foram 15 notificações; 11 já descartadas e 4 seguem em investigação.

“O Paraná é considerado área de circulação viral e por isso monitoramos diariamente a presença deste vírus, lembrando sempre que o macaco não é transmissor da febre amarela. Da mesma forma que os humanos, estes animais também adoecem e morrem ao serem picados pelo mosquito (Sabethes e Haemagogus) contaminado com o vírus”, afirmou o secretário da Saúde, Beto Preto.

CAPACITAÇÃO – Para que este trabalho de monitoramento seja eficaz, a Sesa promove periodicamente a capacitação e atualização dos profissionais que atuam na Vigilância Ambiental.

No final de dezembro, mês que inicia o período sazonal, época de maior proliferação do mosquito, a Sesa promoveu capacitações para técnicos das regionais de Pato Branco, Francisco Beltrão, Cascavel, Campo Mourão, Cianorte e Paranavaí. Estas áreas são consideradas prioritárias em relação a circulação viral de acordo com os corredores ecológicos traçados por pesquisas desenvolvidas pela Secretaria com apoio do Ministério da Saúde.

Os profissionais foram orientados quanto à realização de coletas e envio de amostras de epizootias para laboratório e notificações em sistemas de informações, como Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan)  e  Sistema de Informação em Saúde Silvestre (SissGeo).

“O monitoramento da morte de macacos é extremamente importante para que a Sesa possa mapear os caminhos por onde o vírus está circulando no Estado e adotar medidas de prevenção”, explica a chefe da Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores,  Emanuelle  Pouzato.

Informações AEN.

Imunização contra a Covid-19 alcança 99,9 mil pessoas no Paraná

As 399 prefeituras do Paraná vacinaram 99.973 pessoas contra a Covid-19 até as 11 horas desta quarta-feira (27), o que representa 45,5% das 219.271 doses distribuídas pelo Governo do Estado até o momento. Os imunizantes foram aplicados em profissionais de saúde, pessoas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), pessoas com deficiência severa e indígenas.

A conta leva em consideração as 132.771 doses da CoronaVac/Instituto Butantan – aproximadamente a metade do primeiro lote 265.600 – e as 86.500 doses desenvolvidas pela Oxford/AstraZeneca/Fiocruz. A terceira remessa, com 39.600 doses da CoronaVac, ainda está passando por ajustes técnicos no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar) e começará a chegar nas 22 Regionais de Saúde nesta quarta-feira (27).

O balanço foi divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde a partir de um levantamento interno realizado com as regionais e os respectivos municípios. Nos próximos dias ele será disponibilizado no sistema integrado do Ministério da Saúde, que ainda está indisponível, o Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI). O DataSUS, sistema macro no qual está o SI-PNI, desenvolveu um módulo especial para receber os dados de todos os estados e que contempla informações como registro de vacinados, público-alvo, origem e lote de vacinas.

De acordo com o levantamento, as 99.973 aplicações foram divididas entre 75.085 profissionais de saúde, 4.028 vacinadores, 6.118 indígenas e 14.742 idosos asilados, profissionais cuidadores e pessoas com deficiências severas. São 23.456 vacinas a mais do que o último boletim, divulgado no final da tarde desta terça-feira (26), com destaque para as regiões de Curitiba, Londrina, Pato Branco, Francisco Beltrão e Campo Mourão.

BALANÇO – As Regionais de Saúde que mais imunizaram em números absolutos foram Curitiba e Região Metropolitana (2ª RS), com 17.197 pessoas; Londrina (17ª RS), com 9.891; Maringá (15ª RS), com 8.249; Cascavel (10ª RS), com 6.213; Guarapuava (5ª RS), com 5.197; Toledo (20ª RS), com 4.694; Campo Mourão (11ª RS), com 4.613; Pato Branco (7ª RS), com 4.438; e Ponta Grossa (3ª RS), com 4.175. Proporcionalmente à quantidade de doses recebidas, os destaques foram Ivaiporã (22ª RS), com 81,6%, Campo Mourão (11ª RS), com 79,3%, e Telêmaco Borba (21ª RS), com 79,1%.

NÚMEROS ABSOLUTOS – A Regional que mais aplicou foi a de Curitiba e Região Metropolitana. Foram 17.197, sendo 10.228 em profissionais de saúde, 1.082 em vacinadores, 98 em indígenas e 5.789 em idosos e trabalhadores de instituições asilares. A segunda que mais aplicou foi a de Londrina, com 9.891, sendo 7.494 em médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas, além de 1.324 em idosos e deficientes.

A Regional de Maringá aplicou em 8.249 pessoas, sendo a maioria profissionais de saúde: 6.870. Na regional de Cascavel foram 6.213 aplicações: 5.303 profissionais de saúde, 277 vacinadores, 134 indígenas e 499 idosos em ILPIs. Guarapuava aplicou 5.197 doses, sendo 3.939 em profissionais de saúde, 791 em indígenas, 150 vacinadores e 317 em idosos e deficientes severos.

CATEGORIAS – A 2ª RS (Metropolitana) é a que mais vacinou profissionais de saúde (10.228 aplicações) e idosos/trabalhadores de ILPIs (5.789). Ivaiporã e Pato Branco lideram as vacinações em indígenas, com 1.165 e 1.052, respectivamente.

Confira o balanço de aplicação por Regional de Saúde
1ª RS – Paranaguá – 1.482 (37,3% das 3.970 doses recebidas)

2ª RS – Metropolitana – 17.197 (25,3% das 67.901 doses)

3ª RS – Ponta Grossa – 4.175 (41,3% das 10.090 doses)

4ª RS – Irati – 1.828 (74,9% das 2.440 doses)

5ª RS – Guarapuava – 5.197 (60,9% das 8.530 doses)

6ª RS – União da Vitória – 1.815 (71,7% das 2.530 doses)

7ª RS – Pato Branco – 4.438 (67,9% das 6.530 doses)

8ª RS – Francisco Beltrão – 3.525 (67,1% das 5.250 doses)

9ª RS – Foz do Iguaçu – 3.557 (41,5% das 8.570 doses)

10ª RS – Cascavel – 6.213 (43,6% das 14.240 doses)

11ª RS – Campo Mourão – 4.613 (79,3% das 5.810 doses)

12ª RS – Umuarama – 1.920 (37,2% das 5.160 doses)

13ª RS – Cianorte – 1.226 (53,5% das 2.290 doses)

14ª RS – Paranavaí – 3.297 (63,7% das 5.170 doses)

15ª RS – Maringá – 8.249 (51,4% das 16.030 doses)

16ª RS – Apucarana – 4.006 (59,7% das 6.700 doses)

17ª RS – Londrina – 9.891 (43,2% das 22.880 doses)

18ª RS – Cornélio Procópio – 3.551 (68,4% das 5.190 doses)

19ª RS – Jacarezinho – 3.910 (70,4% das 5.550 doses)

20ª RS – Toledo – 4.694 (58,6% das 8.000 doses)

21ª RS – Telêmaco Borba – 2.184 (79,1% das 2.760 doses)
22ª RS – Ivaiporã – 3.005 (81,6% das 3.680 doses)

TOTAL – 99.973 vacinados (45,5% das 219.271 doses).

Informações AEN.