Secretária diz que Curitiba precisa estar pelo menos 60% imunizada para pensar em abrir mão da máscara

Publicidade
Publicidade

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, demonstrou otimismo com a chegada da vacina a Curitiba, mas também fez um alerta com relação às demais medidas de contenção da Covid-19. Segundo ela, é necessário que a cidade tenha pelo menos de 60% a 70% de imunização para começar a pensar em abrir mão da máscara, por exemplo.

“A vacina não elimina o novo coronavírus. Nós vamos continuar tendo casos de Covid, vamos continuar a depender do uso da máscara, distanciamento social, evitar aglomerações, arejar os ambientes, álcool em gel, tudo vai permanecer por um bom tempo. Nós temos uma maratona, não é uma corrida de 100 metros. Não é que a pessoa vacine e pode abandonar a máscara. Nós precisamos ter pelo menos de 60% a 70% de cobertura da população para aí sim poder liberar algumas medidas, como o uso da máscara”, afirmou Huçulak.

Com a aprovação da Anvisa, o uso emergencial da Coronavac pode começar ainda nesta segunda-feira (18) no Paraná. A expectativa é que a primeira aplicação ocorra no Hospital do Trabalhador.

A imunização sistemática da população, porém, terá início na próxima quarta-feira (20), na estrutura que está sendo montada no pavilhão do Parque Barigui. O primeiro lote destinado ao Paraná tem cerca de 242 mil doses da vacina, sendo que caberá a Curitiba aproximadamente 48 mil doses. Como a vacina é aplicada em duas doses, esse volume será suficiente para atender 24 mil pessoas.

Segundo a secretária, o dia é muito especial para a cidade. “A pauta é esperança, finalmente aprovada, uma vacina eficaz e temos a possibilidade de aplicar em nossa população”, concluiu.

Nesta segunda-feira (18), os profissionais de saúde já passam por um trabalho de capacitação na Secretaria.

O primeiro grupo a ser vacinado a partir de quarta-feira será o de servidores de saúde, os idosos abrigados em Instituições de Longa Permanência (ILPs) e indígenas (150 indígenas que moram na aldeia Kakané-Porã, no Tatuquara).

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de 3 mil estabelecimentos comerciais foram fiscalizados desde sábado no Paraná

Publicidade
Publicidade

As forças policiais do Paraná e as prefeituras fiscalizaram 3.160 estabelecimentos comerciais desde o início da vigência do Decreto 6.983/2021, publicado na sexta-feira (26) pelo Governo do Estado. Em cinco dias de operação especial, 105 estabelecimentos foram interditados e 62 foram multados por irregularidades relacionadas à pandemia.

As forças policiais do Paraná e as prefeituras municipais fiscalizaram 3.160 estabelecimentos comerciais desde o começo da vigência do Decreto 6.983/2021, publicado na sexta-feira (26) pelo Governo do Estado. Em cinco dias de operação especial, 105 estabelecimentos foram interditados e 62 foram multados por irregularidades relacionadas à pandemia. – Curitiba, 04/03/2021 – Foto: Divulgação SESP-PR

Segundo balanço divulgado nesta quinta-feira (04), foram 1.597 denúncias recebidas e 313 ocorrências constatadas pelos agentes de segurança. Houve 964 ações de dispersão de aglomerações, 264 prisões de adultos e 65 apreensões de adolescentes. O relatório aponta ainda 13 armas de fogo e 25 equipamentos apreendidos, além de 106 veículos apreendidos/recuperados.

Apenas nesta quarta-feira (03) foram 699 estabelecimentos fiscalizados e 55 interditados, mesmo com quase uma semana de vigência nas novas medidas restritivas, além de 55 denúncias confirmadas. Um dos casos averiguados foi a festa clandestina com 70 pessoas e venda de bebidas alcoólicas em Curitiba.

As forças policiais do Paraná e as prefeituras municipais fiscalizaram 3.160 estabelecimentos comerciais desde o começo da vigência do Decreto 6.983/2021, publicado na sexta-feira (26) pelo Governo do Estado. Em cinco dias de operação especial, 105 estabelecimentos foram interditados e 62 foram multados por irregularidades relacionadas à pandemia. – Curitiba, 04/03/2021 – Foto: Divulgação SESP-PR

“Nosso papel é intensificar a fiscalização. Agimos com operações próprias e a partir de denúncias, com apoio das guardas municipais”, disse o diretor-geral da Secretaria da Segurança Pública, João Alfredo Zampieri. “Nossa abordagem é de orientação, uma conversa, baseada no bom senso, e, numa ação integrada, se for contatada irregularidade, as prefeituras aplicam multas ou interdições. As ações são pontuais e excepcionais e precisamos da colaboração de todos nesse momento”.

São mais de 3 mil agentes nas ruas e mais de mil viaturas circulando pelo Paraná nessa força-tarefa estratégica, além de helicópteros e uma Delegacia Móvel. Trabalham na força-tarefa profissionais da Secretaria da Segurança Pública, das polícias Militar, Civil e Científica, do Corpo de Bombeiros e dos departamentos Penitenciário (Depen/PR) e de Inteligência (Diep).

As forças policiais do Paraná e as prefeituras municipais fiscalizaram 3.160 estabelecimentos comerciais desde o começo da vigência do Decreto 6.983/2021, publicado na sexta-feira (26) pelo Governo do Estado. Em cinco dias de operação especial, 105 estabelecimentos foram interditados e 62 foram multados por irregularidades relacionadas à pandemia. – Curitiba, 04/03/2021 – Foto: Divulgação SESP-PR

O decreto estadual prevê, entre outras medidas, a suspensão do funcionamento dos serviços e atividades considerados não essenciais em todo o Estado e a ampliação na restrição de circulação das pessoas entre 20 horas e 5 horas. Também estão proibidas a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em espaços de uso público ou coletivo nesse mesmo período.

Informações AEN PR.

Imunizante da Johnson & Johnson aprovado nos EUA pode mudar o cenário global de vacinação

Publicidade
Publicidade

Os reguladores dos Estados Unidos aprovaram formalmente neste domingo (28/2) a vacina de injeção única da Johnson & Johnson contra o coronavírus, a terceira a ser autorizada no país.

Essa vacina terá potencialmente um alcance ainda maior na luta global contra o coronavírus pois por funcionar com dose única. Mais de 800 milhões de doses foram encomendadas pelo mundo.

A vacina foi criada para ser uma alternativa econômica às vacinas Pfizer e Moderna e pode ser armazenada em uma geladeira em vez de um freezer.

Os testes descobriram que ele evitou doenças graves, mas foi 66% eficaz no geral quando casos moderados foram incluídos.

Leia mais na BBC