Secretaria de Saúde do Paraná ativa 62 leitos clínicos exclusivos para Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde anunciou nesta sexta-feira (19) a ativação de 62 leitos de enfermaria exclusivos para Covid-19. Destes, 52 foram disponibilizados nesta sexta-feira (19) na Macrorregião Leste e outros 10, na Macrorregião Oeste, poderão receber pacientes a partir de amanhã.

Dos leitos abertos nesta sexta 15 estão no Hospital Regional do Litoral, em Paranaguá; 15 no Instituto Nossa Vida, no município de Coronel Vivida; 12 no Hospital e Maternidade Jesuítas, no município de Jesuítas, e 10 leitos na Associação de Saúde, na cidade de Mangueirinha.

Na Macrorregião Oeste, com ativação neste sábado (20), são 10 leitos no Hospital Bom Samaritano, em Céu Azul.

A Secretaria de Estado da Saúde desenha e organiza a ampliação da rede de leitos para atender pacientes em todas as regiões. Para a próxima semana existe a previsão de ativação de leitos de UTI: 5 em Sarandi e 6 em Francisco Beltrão. Na sequência, a pasta prevê a ativação de 10 leitos UTI em Maringá. 21

“O esforço do Governo do Estado é permanente para que não faltem leitos tanto de enfermaria como de UTI. Conseguimos nos primeiros nove meses de pandemia habilitar 1.135 leitos UTI exclusivos para tratamento da Covid-19. Anteriormente, em 30 anos, o Paraná tinha 1.315 para todo SUS”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

Hoje, quase um ano depois da organização da rede exclusiva Covid-19, e mesmo tendo passado por desativações em função da própria dinâmica da pandemia, o Paraná tem 1.216 leitos de UTI adulto, 22 UTI pediátrica; 1.779 leitos clínicos para adultos e 34 clínicos para crianças.

Desde o início da pandemia a Secretaria da Saúde movimentou cerca de R$ 484 milhões em recursos de custeio e investimentos relacionados exclusivamente à Covid-19. Aproximadamente R$ 320 milhões foram destinados à área de Gestão em Saúde, responsável pela habilitação e contratação de leitos.

“Lembrando que a habilitação implica em todo esquema de funcionamento de um leito, como equipamentos, estrutura, profissionais e medicamentos”, ressaltou o secretário.

OCUPAÇÃO – O boletim da Secretaria de Estado da Saúde desta sexta-feira (19) registra 1.530 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 1.284 estão em leitos SUS (653 UTI e 631 leitos clínicos/enfermaria) e 246 da rede particular (109 UTI e137 em leitos clínicos/enfermaria), o que representa 89% de ocupação geral no Estado.

“É a maior ocupação de leitos desde o início da Covid-19. Estamos no segundo dia seguido com números chegando ao limite ”, afirma o diretor de Gestão em Saúde da secretaria estadual, Vinícius Filipak. “Há meses estamos alertando gestores, profissionais da saúde, e principalmente a população, que não basta a habilitação de mais leitos”.

Ele ressalta que a Covid-19 tem alta transmissibilidade e também alta taxa de letalidade. “Cerca de 20% dos internados vão a óbito. Por isso, nosso alerta é para que todas as medidas preventivas sejam mantidas, como o uso da máscara de proteção, a higienização constante das mãos e o distanciamento social”, afirmou Filipak.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná é o segundo estado que mais aplicou a segunda dose da vacina contra a Covid-19

O Paraná é o segundo estado que, proporcionalmente, mais aplicou a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Levantamento do Consórcio de Veículos de Imprensa, divulgado pelo portal G1, mostra que 9,4% dos paranaenses já completaram o esquema vacinal. Com essa porcentagem, o Estado fica atrás apenas de São Paulo, onde 10,71% da população recebeu as duas doses dos imunizantes.

De acordo com o consórcio, até a quarta-feira (12), o Paraná tinha aplicado um total de 3.132.592 de doses, das quais 1.083.000 eram da segunda aplicação. Além disso, até então, 2.049.592 paranaenses haviam recebido a primeira dose do imunizante, o que representa 17,8% da população do Estado.

No recorte de números absolutos de doses aplicadas, o Paraná ocupa a quinta posição entre as 27 unidades da Federação. No Brasil, 17,57% da população recebeu pelo menos uma dose do imunizante, sendo que 8,81% dos brasileiros completaram o ciclo vacinal.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior ressaltou que o Paraná lançou diferentes estratégias para atingir o maior número de pessoas imunizadas, incluindo a vacinação de domingo a domingo e horários estendido em salas espalhadas pelo Estado.

“A notícia de que o Paraná é o segundo estado em que a população já está de fato imunizada contra a Covid-19 nos dá bastante alegria, mostra que estamos comprometidos com a vacinação”, afirmou o governador, durante agenda nesta quinta-feira (13) em Arapongas, no Norte do Paraná.

Ratinho Junior também elogiou o trabalho feito pelos trabalhadores que estão na linha de frente da saúde, seja atendendo os pacientes ou responsáveis pela vacinação nos municípios. “Todo o mérito de combate à pandemia é dos profissionais da saúde, que estão trabalhando 24 horas por dia, há mais de um ano, para fazer esse enfrentamento”, disse. “Essa campanha de vacinação é muito importante e estamos na luta para que todos os paranaenses sejam vacinados”.

O governador explicou que as vacinas que Ministério da Saúde encaminha ao Estado são proporcionais à população que será atendida na respectiva fase da vacinação. Esse é o motivo pelo qual o Paraná recebeu menos doses que o Rio Grande do Sul, estado que tem uma população equivalente à paranaense, mas com um público idoso maior.

“O Paraná tem mais habitantes que o Rio Grande do Sul, que é um estado muito parecido conosco em termos de população. Mas eles têm 300 mil idosos a mais, de acordo com o IBGE, e acabaram recebendo, proporcionalmente, mais doses em um primeiro momento”, ressaltou. “Conforme vai baixando a idade do público vacinado, o Paraná acabará aumentando a população vacinada”.

VACINÔMETRO –O Vacinômetro da Secretaria de Estado da Saúde mostra que o Estado já ampliou o número de pessoas imunizadas. Até as 17h30 desta quinta-feira, 2.080.122 pessoas tinham recebido a primeira dose e 1.088.804 completaram o esquema vacinal. Isso representa 18,8% e 9,8% da população, respectivamente.

Covid: perfil de internados em Curitiba muda de idosos para mais jovens

A pandemia da covid-19 em Curitiba voltou a ganhar força nas últimas semanas, e desta vez chega com mudança no perfil dos casos graves. Dados do monitoramento do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde mostram aumento nos internamentos de doentes mais jovens e queda no número de pacientes com idades mais avançadas em relação ao total de internados.

O período comparado é o do início da fevereiro, começo da vacinação dos idosos, à semana de 25 de abril a 1 de maio, a mais recente divulgada.

Os doentes com 80 anos ou mais representavam, na última semana de abril, apenas 2,6% do total de internamentos em leitos de UTI e de enfermaria exclusivos para covid-19 na rede hospitalar da cidade (pública e privada).

Entre os idosos acima de 80 anos, a proporção de internamentos caiu 81% do início de fevereiro para o fim de abril.

Entre os idosos de 70 a 79 anos, a queda nos internamentos foi 49% no comparativo do período. Em relação ao total de pessoas internadas por covid-19, essa faixa etária baixou de 17% para 8,7%.

Mais adultos jovens doentes

A proporção de pacientes mais jovens sendo internados para tratamento de casos graves e moderados de covid-19 em Curitiba aumentou.

Na última semana de abril, pessoas entre 50 e 59 anos responderam por 31% do total de internamentos, maior índice para esta faixa etária desde o início da pandemia, em março de 2020.

Comparativamente, na primeira semana de fevereiro, a proporção de internamento entre pessoas de 50 e 59 anos foi de 24,6%, mas já esteve em 19% no início deste ano.

Em números absolutos, o aumento de internados por covid nesta faixa de idade (50-59 anos) é ainda maior, de 94 pessoas na primeira semana de fevereiro para 154 na última de abril.

“Temos uma somatória de situações influenciando nessa mudança, vacinas já surtindo efeito em grupos já imunizados há algum tempo, mas por outro lado percebemos algumas faixas etárias se descuidando das medidas protetivas”, diz Alcides Oliveira, diretor do Centro de Epidemiologia da Secretária Municipal de Saúde de Curitiba.

Outra faixa etária com aumentos nos internamentos é a de adultos de 40 a 49 anos, com um salto de 13% do início de fevereiro para a semana de 25 de abril a 1º de maio.