Secretaria da Saúde registra mais 5 mortes por dengue no Paraná

Informe semanal da dengue divulgado nesta terça-feira (30) pela Secretaria da Saúde totaliza 5.540 casos confirmados da doença desde o início do período, em agosto de 2020. São 1.023 casos a mais que a semana anterior, que somava 4.517 confirmações.

O Informe registra cinco novos óbitos provocados pela dengue. Os casos ocorreram entre 25 de janeiro a 9 de março de 2021.

Duas mortes foram em Londrina: um homem de 69 anos, que apresentava comorbidade, hipertensão arterial e insuficiência renal crônica; e uma jovem de 19 anos, sem doenças pré-existentes.

Os outros óbitos foram registrados em Maringá (mulher de 89 anos, com quadro associado de hipertensão), Paranavaí (homem, de 46 anos, com hipertensão e obesidade) e em Paraíso do Norte (mulher de 20 anos, que estava no puerpério).

De acordo com o balanço, 14 pessoas morreram por dengue no período epidemiológico.

“O Governo do Estado segue em alerta para a dengue; o vírus está circulando, temos casos confirmados em 231 municípios paranaenses e pedimos que a população nos apoie neste enfrentamento, pois os focos e criadouros do mosquito estão concentrados nos domicílios”, disse o secretário estadual da Saúde, Beto Preto.

“É preciso verificar e eliminar pontos que acumulem água. Insistimos na recomendação: vamos remover os criadouros, cobrindo caixas d´água, baldes e reservatórios que ficam destampados nos quintais, além de outros cuidados como evitar os pratinhos com água nos vasos de plantas. A dengue é grave e causa mortes como confirmamos em nossos registros e monitoramento semanal”, afirmou.

INFORME 

Vinte e dois municípios apresentam casos de dengue com sinais de alarme e dois municípios passaram a constar da relação neste informe, Colombo e Sengés. Onze municípios apresentam casos de dengue grave: Londrina entrou para a lista nesta semana. O Informe registra 45.798 notificações para a dengue distribuídas em 350 municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pfizer entregará 17,6 milhões de doses até 22 de agosto

O consórcio formado pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech informou nesta segunda-feira (2) que entregará 17,6 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até o dia 22 de agosto. Neste mês foram disponibilizadas 2,1 milhões de doses.

As doses serão trazidas em voos de Miami, nos Estados Unidos, para o aeroporto de Viracopos, em Campinas, em São Paulo.  

A previsão do Ministério da Saúde é que o consórcio repasse, no total, 33,3 milhões de doses de imunizantes contra a covid-19 em agosto. Após o dia 22 a Pfizer e a BioNTech devem encaminhar ao Ministério da Saúde os 13,6 milhões de doses restantes dos lotes do mês.  

Para setembro, o acordado com a pasta é que sejam enviadas mais 37,4 milhões de doses. Para o último trimestre do ano a perspectiva é que o consórcio repasse mais 100 milhões de doses.

Universidade do Paraná oferece apoio psicológico gratuito durante a pandemia

Intitulado ‘Aldeia Solidária’, o projeto da PUC do Paraná oferece atendimento psicológico gratuito durante a pandemia de covid-19. A ação é iniciativa dos pesquisadores ligados ao Núcleo de Direitos Humanos da universidade, ao Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos e Políticas Públicas.

O público alvo são pessoas em situação de vulnerabilidade social e psíquica. A iniciativa, que atualmente conta com 23 psicólogos voluntários, começou em maio de 2020 e, de lá para cá, já foram realizadas cerca de 420 sessões, com 140 pessoas atendidas.

Os encontros são agendados de acordo com a disponibilidade da pessoa inscrita e do profissional voluntário e realizados de segunda a sexta-feira, por videochamada, normalmente. Em alguns casos, a conversa ocorre por telefone. As sessões duram de 30 a 60 minutos e a média tem sido de cinco sessões para cada inscrito.

“O momento pelo qual passamos, marcado pela pandemia de covid-19, pode gerar uma grande carga de sofrimento psíquico na sociedade. O cenário no qual estamos inseridos hoje agrava inseguranças, medos e ansiedades. Criamos esse projeto considerando a urgência do momento atual em relação à saúde mental da população”, explica o coordenador do projeto, Rodrigo Alvarenga, professor da PUC-PR.

O serviço é gratuito. Podem participar qualquer pessoa com 18 anos ou mais que necessite de apoio psicológico. Os interessados devem se inscrever pelo site oficial do projeto e aguardar o contato da equipe.