Saúde orienta para cuidados preventivos contra o câncer

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) alerta sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer e de se adotar um estilo de vida saudável como forma de prevenção. A doença é hoje a segunda maior causa de morte em todo o mundo. Nesta quinta-feira (4) é marcado como Dia Mundial do Câncer.

Em média, 80 a 90% dos casos de câncer estão relacionados a fatores ambientais, como o cigarro, bebidas alcoólicas, exposição excessiva ao sol, alimentação não saudável, sedentarismo e agentes infecciosos, como HPV e vírus da hepatite B, por exemplo.

“Algumas alterações no estilo de vida podem contribuir significativamente para a redução dos casos de câncer, como, por exemplo, não fumar, evitar bebidas alcoólicas, evitar exposição ao sol entre 10h e 16h, adotar alimentação saudável e praticar atividades físicas”, diz o secretário Beto Preto.

Em conjunto com ações de autocuidado e mudança de comportamento, a realização de exames como o preventivo do colo do útero e a mamografia favorecem o rastreamento e a detecção precoce da doença, contribuindo para a redução da morbimortalidade. Além dessas estratégias, a vacinação contra a hepatite B e HPV também auxiliam na prevenção.

DADOS – De janeiro a dezembro de 2020 foram diagnosticados 18.631 casos pelo SUS no Paraná, sendo o câncer de mama o mais incidente. Em 2019 foram diagnosticados 43.796 casos. Os dados são do Painel Oncológico do Instituto Nacional do Câncer.

Em 2021 a estimativa é que o Estado do Paraná tenha 18.710 novos casos de câncer em pessoas do sexo masculino e 16.340 novos casos no sexo feminino.

Em 2020 houve uma queda de 43% (dados preliminares) no número de diagnósticos de câncer comparado ao mesmo período de 2019 no Paraná. O motivo seria a pandemia da Covid-19.

“Ressaltamos que toda a Rede de Atenção à Saúde continua disponível para o rastreamento ao diagnóstico e tratamento do câncer, seguindo todas as medidas de prevenção do coronavírus. É muito importante que a população esteja atenta aos sinais de alerta, bem como aos exames de rastreamento e procure atendimento para o correto encaminhamento e tratamento da doença”, afirma a chefe da Divisão de Prevenção e Controle de Doenças Crônicas e Tabagismo da Sesa, Rejane Cristina Teixeira Tabuti.

Com o objetivo de reorganização da Rede de Atenção à Saúde e ampliação da população-alvo, visando mitigar o impacto da pandemia, o Paraná recebeu mais de R$ 11 milhões para fortalecimento do acesso, detecção precoce e controle dos cânceres de mama e colo do útero que abrangerá ações em todos os municípios do estado.

Houve aumento nos valores de alguns procedimentos de oncologia, como citopatológicos, anátomos e imunohistoquímica, por meio da Portaria GM/MS nº 3426, de 14 de dezembro de 2020.

REDE – A Rede de Saúde do Estado conta com 28 estabelecimentos habilitados, como Unidades de Assistência de Alta Complexidade (Unacons) e Centros de Assistência de Alta Complexidade (Cacons) que oferecem atendimento especializado e integral ao paciente com câncer.

O atendimento inicial deve ser feito nas Unidades Básicas de Saúde do Estado, onde são feitas consultas, orientações, solicitação de exames para investigação diagnóstica do câncer e encaminhamentos necessários para a rede. “Enfatizamos que os exames de rastreamento do câncer do colo do útero e da mama estão disponíveis em todos os meses do ano e que podem ser aprazados na Carteira de Saúde da Mulher”, diz Rejane.

O Governo do Estado preconiza que o cuidado à saúde aconteça de forma regionalizada e em estabelecimentos habilitados e qualificados; no caso do câncer, os serviços abrangem diagnóstico, estadiamento e tratamento.

Em caso de sinais e sintomas suspeitos, como protuberância ou nódulo anormal, dor contínua, cansaço inexplicável, perda de apetite ou de peso não intencional, sangramento anormal, feridas que não cicatrizam ou febre ou sintomas inespecíficos que não melhoram, dirija-se a uma unidade de saúde.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Reunião alinha operação do ferry boat de Guaratuba durante o verão

Representantes do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) participaram nesta terça-feira (21) da primeira reunião para discutir medidas a serem tomadas na travessia da Baía de Guaratuba durante a operação verão deste ano.

O principal objetivo é reforçar a segurança dos usuários durante esse período de maior movimento na travessia, em que, devido ao grande número de turistas e viajantes no Litoral, o tempo de espera para cruzar a baía não pode ultrapassar os 22 minutos.

Pelo mesmo motivo, ficam proibidos veículos com mais de três eixos e/ou superiores a 14 metros de comprimento nas embarcações. Essa integração geral vai ajudar a embasar as operações de fiscalização e controle a partir de dezembro.

Participaram da reunião a equipe de fiscalização do DER/PR, representantes da Prefeitura de Guaratuba, do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) da Polícia Militar do Paraná e da concessionária que opera a travessia.

Outras reuniões serão agendadas futuramente, para continuar a discussão sobre melhorias no serviço ao longo desses meses de maior procura.

Ação da Comec empresta bicicletas para passageiros do transporte coletivo

Para celebrar o Dia Mundial Sem Carro, comemorado todo início da primavera, em 22 de setembro, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) iniciou, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, uma ação para incentivar o uso de meios alternativos de transporte. Em parceria com a Viação Santo Ângelo, empresa operadora de ônibus, foi lançado nesta quarta-feira (22) o projeto Última Milha, que disponibiliza bicicletas para que os usuários do transporte coletivo utilizem até o seu destino final.

A ação acontece de forma experimental no Terminal Guaraituba, em Colombo, e busca incentivar o uso da bicicleta nos quilômetros finais que não são atendidos pelo transporte coletivo. Neste primeiro momento, a Viação Santo Ângelo disponibilizará sete bicicletas, que poderão ser emprestadas sem custo pelos passageiros por um período de 18 horas. Para retirar a bicicleta, será necessário preencher um pequeno cadastro na bilheteria do terminal.

Para o presidente da Comec, Gilson Santos, a ideia é mostrar que a bicicleta pode funcionar como um modal complementar ao ônibus. “O ônibus e a bicicleta são complementares, e queremos que os usuários percebam essa possibilidade e adotem esta prática que é mais sustentável, saudável e barata”, afirmou. “Em alguns municípios, como Campo Largo, esta prática é bastante utilizada pela população. O usuário vai de bicicleta até o terminal e de lá entra no ônibus até Curitiba ou para se deslocar na cidade”.

Para o diretor-geral da Viação Santo Ângelo, Edilson Miranda, a ação poderá ser ampliada para os demais terminais da Região Metropolitana. “Realmente esperamos contar com a população para que esta ação dê certo e possa ser replicada em outros locais”, salientou. “Será muito bacana ver a população utilizando as bicicletas e, quem sabe, até mudando alguns hábitos”, destacou.

CAMPANHA – Uma campanha promovida pela Comec desde o início do mês tem o objetivo de incentivar o uso da bicicleta de forma integrada ao Transporte Coletivo. Ela está disponível nas redes sociais, no site da autarquia e em pontos de mobiliários urbanos digitais espalhados por Curitiba.

Comec em parceria com empresa viação santo angelo lançou o projeto ultima milha. Foto: Ari Dias/AEN

Segundo o presidente da Comec, mesmo que o trajeto seja longo, o veículo de duas rodas continua sendo uma alternativa viável para chegar até o terminal ou ponto de ônibus. “Na Região Metropolitana, muitas vezes trabalhamos com grandes distâncias, o que pode inviabilizar o uso da bicicleta, trazendo uma nova alternativa e também facilidade para os usuários”, explicou Santos.