Saúde estuda liberar plano-piloto de retorno às aulas a partir do próximo dia 19 no Paraná

Há uma sinalização para possível retorno em três regiões do Paraná: Irati, Guarapuava e União da Vitória

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) estuda liberar o retorno às aulas presenciais a partir do próximo dia 19 de outubro. Inicialmente, como prevê o plano-piloto da Secretaria Estadual da Educação (Seed), o retorno ocorreria apenas em regiões com menor incidência de casos e de mortes. Há uma sinalização para possível retorno em três regiões do Paraná: Irati, Guarapuava e União da Vitória.

“Isso vamos fechar nos próximos dias com a possibilidade de retorno no dia 19 de outubro nessas áreas, nestes colégios estaduais. Claro que com o rodízio de alunos, respeitando tudo aquilo que está escrito na resolução SESA 632, que implica em distanciamento social, medidas de cautela e lavagem das mãos, tudo aquilo que a gente vem falando nos últimos sete, oito meses. Devemos bater o martelo nos próximos dias, com a anuência do governador Ratinho Júnior, começando por plano-piloto de 15 dias nas áreas que temos menos incidência de novos casos e óbitos”, disse o secretário Beto Preto.

O possível retorno ocorreu durante audiência de prestação de contas na Assembleia Legislativa do Paraná.

Além do Governo do Estado, há um expressivo número de entidades que participa da elaboração do protocolo, que seria válido para as redes estadual e privada. Entre os pontos discutidos, está a liberdade para pais que optem por não enviar os filhos às aulas, garantindo assim o ensino remoto até pelo menos dezembro. Para os que optarem por ir às aulas, o objetivo é garantir ensino híbrido e permitir o distanciamento social nas escolas.

Beto Preto ainda não informou em quais regiões o retorno ocorreria, mas um ponto importante apontado é a taxa de infecção inferior a 0,8.

Outro ponto destacado pelo secretário Beto Preto é que o retorno aconteça simultaneamente nas redes pública e privada. “Isso é democrático e nivela o conhecimento” afirmou.

As aulas estão suspensas no Paraná desde o mês de março.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Com La Niña, Paraná pode enfrentar prolongamento do período de estiagem

A confirmação de que, pelo segundo ano consecutivo, o La Niña vai atuar na atmosfera, deve prolongar o período de seca no Paraná. O anúncio do fenômeno foi feito pela Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA), agência climática dos Estados Unidos. Na região metropolitana de Curitiba, os reservatórios seguem com armazenamento mais baixo.

O meteorologista Lizandro Jacóbsen explica que o La Niña deve impactar a quantidade de chuvas principalmente no verão. “O impacto aqui no Paraná é reduzir a quantidade de chuvas, ou seja, bem provável que nos próximos meses tenhamos chuvas abaixo da média climatológica”, disse.

O La Niña, de certa forma, frustra a expectativa paranaense pela normalidade nas precipitações. Na última semana, o estado teve boa quantidade de chuva. Em Curitiba, já são 95 milímetros no mês. Com a previsão para a segunda quinzena de outubro, é bem provável que a cidade alcance a média de 146,5 milímetros. “Essas chuvas contribuíram para recuperar vários mananciais e para aumentar o nível dos reservatórios, como na região da capital”, disse Jacóbsen.

Assim, com o possível prolongamento da estiagem, a Sanepar reforça a necessidade por economia no consumo de água.

Informações Banda B

Seis linhas de Colombo recebem reforço a partir desta segunda-feira

A partir desta segunda-feira (18) seis linhas de que atendem o município de Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, receberão reforço em seus atendimentos. Os novos horários e veículos buscam equalizar a oferta de ônibus com a demanda de passageiros após acompanhamento dos fiscais da Comec e constatação de aumento no número de usuários, em especial na manutenção de 65% da capacidade dos veículos.

Apesar do aumento da demanda, o número de passageiros em Colombo ainda é 66% do habitual, tendo uma média de 11.000 passageiros por dia útil, contra 16.500 antes da pandemia.

Com as mudanças, as tabelas de horários também foram atualizadas.

Confira:

B03-GUARAITUBA/GUADALUPE (via MARAC-ALTO DA XV): passa de 44 viagens para 49, de seis para oito veículos na frota operante em dias úteis.

B11-MARACANÃ/STA.CÂNDIDA: passa de 34 viagens para 50, de dois veículos articulados para quatro da categoria comum em dias úteis, com ajuste necessário de redimensionamento dos veículos articulados para operação na linha B20-GUARAITUBA/CABRAL.

B13-JD.DAS GRAÇAS: passa de 30 viagens para 38, de um para dois veículos na frota operante em dias úteis.

B23-GUARAITUBA: passa de 36 viagens para 43, de um para dois veículos na frota operante em dias úteis.

B28-VILA MARIA DO ROSÁRIO: passa de 31 viagens para 41, de um veículo para dois na frota operante em dias úteis. O reforço se dá mediante aproveitamento do veículo que opera na linha B21-PORTEIRA, cuja demanda estará atendida na linha B28.

B43-RIO VERDE: passa de 24 viagens para 32, de dois para três veículos na frota operante em dias úteis.