Saques do auxílio emergencial voltam a ser liberados nesta segunda; saiba pra quem

São pagas parcelas de R$ 600 -ou R$ 300, no caso do auxílio extensão- a quem faz parte dos ciclos 5 e 6

A Caixa Econômica Federal volta a liberar, a partir desta segunda-feira (4), o saque do auxílio emergencial para trabalhadores com direito ao benefício. São pagas parcelas de R$ 600 -ou R$ 300, no caso do auxílio extensão- a quem faz parte dos ciclos 5 e 6.

Essa é a última etapa do pacote de medidas de transferência de renda do governo federal para ajudar a superar a crise econômica causada pela pandemia do coronavírus.

Segundo a Caixa, banco responsável pelas contas da poupança social digital onde está o dinheiro, os saques para quem nasceu entre março e dezembro poderão ser feitos seguindo calendário que vai de 4 a 27 de janeiro. Ao todo, serão liberadas retiradas para 34,3 milhões de pessoas.

Nesta segunda (4), podem sacar a verba os nascidos no mês de março. Dia 6 é a vez de quem nasceu em abril.
Para os beneficiários nascidos em maio e junho, a liberação do saque ocorrerá nos dias 11 e 13, respectivamente.

Segundo a Caixa, os beneficiários nascidos em março somam cerca de 3,6 milhões de pessoas. O de abril são 3,4 milhões.

O auxílio emergencial começou a ser pago em abril de 2020 e, inicialmente, teria três parcelas de R$ 600, que, depois, foram ampliadas para cinco.

No mês de setembro, por meio da medida provisória 1.000, o benefício foi estendido até o dia 31 de dezembro de 2020. O valor é de R$ 300. Mães chefes de família têm direito à cota dupla.

Para saber quanto poderá ser sacado agora em janeiro, o beneficiário pode consultar o aplicativo Caixa Tem. A liberação para movimentar a verba na poupança social digital, também pelo aplicativo Caixa Tem, começou em dezembro.

Nessa fase, era possível pagar contas e boletos com a última parcela do benefício federal. A poupança social digital aberta pela Caixa não tem tarifa de manutenção e o limite mensal de movimentação é de R$ 5.000.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Limite de R$ 1.000 à noite em transferências no Pix passa a valer em 4 de outubro

O BC (Banco Central) divulgou nesta quinta-feira (23) que o limite de R$ 1.000 para operações em canais digitais com Pix e TED (Transferência Eletrônica Disponível) entre pessoas físicas à noite começa a valer em 4 de outubro.

O objetivo, segundo a autarquia, é aumentar a segurança e reduzir a vulnerabilidade dos sistemas às ações de criminosos. As medidas foram anunciadas no mês passado, mas ainda não tinham data de implementação.

A medida também valerá para cartão de débito quando utilizado para fazer transferência, com o WhatsApp Pay, por exemplo.

De acordo com o BC, esse limite poderá ser modificado pelo cliente, mas não por iniciativa do banco. Como padrão, todos que abrirem conta em uma instituição financeira terão este valor estabelecido para operações entre 20h e 6h inicialmente.

Em operações realizadas durante o dia, permanece a regra de que o limite oferecido para o Pix tem que ser o mesmo da TED.

Além disso, o BC estabeleceu o prazo mínimo de 24 horas para a efetivação de pedido do usuário, feito por canal digital, para aumento de limites de transações com Pix, TED, DOC (Documento de Ordem de Crédito), transferências intrabancárias, boleto e cartão de débito.

“Tal limite poderá ser alterado a pedido do cliente, formalizado nos canais de atendimento eletrônicos, porém a instituição deverá estabelecer prazo mínimo de 24 horas para a efetivação do aumento”, afirmou o BC em nota.

A autarquia afirmou que a medida visa impedir o aumento imediato em situação de risco.

A autoridade monetária também determinou que a partir de 16 de novembro as instituições façam registros diários das ocorrências de fraudes ou de suspeita em serviços de pagamento, descrevendo inclusive as medidas tomadas.

“Com base nesses registros, as instituições deverão elaborar relatório mensal consolidando as ocorrências e as medidas preventivas e corretivas adotadas. Esse relatório deve ser encaminhado, para ciência, se houver, aos comitês de auditoria e de risco, à auditoria interna, à Diretoria Executiva e ao Conselho de Administração, se houver”, disse o BC.

Na mesma data, entra em vigor uma norma que determina que as instituições façam avaliação do cliente antes de oferecer serviços de antecipação de recebíveis para recebimento no mesmo dia da operação.

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 7 milhões

Nenhuma aposta acertou as seis dezenas do concurso 2.411 da Mega-Sena. O sorteio foi realizado na noite dessa quarta-feira (22) no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário Tietê, na cidade de São Paulo.

De acordo com a estimativa da Caixa, o prêmio acumulado para o próximo sorteio, no sábado (25), é de R$ 7 milhões. As dezenas sorteadas foram: 07 – 26 – 29 – 34 – 43 – 44.

A quina registrou 35  apostas ganhadoras. Cada uma vai pagar R$ 45.154,92. A quadra teve 2.517 apostas vencedoras. Cada apostador receberá R$ 896,99.

As apostas para o concurso 2.412 podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo país ou pela internet. O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.