Santa Catarina volta a enfrentar chuvas, ventos e alagamentos 

Apenas oito dias após ser atingido por um ciclone bomba e ainda contabilizando os prejuízos, parte do estado de Santa Catarina volta enfrentar severos fenômenos climáticos que, mais uma vez, já causam estragos também no Rio Grande do Sul.

Entre a noite de ontem (7) e a madrugada de hoje (8), o sul catarinense foi afetado pela formação de uma frente fria associada à formação de um novo ciclone extratropical, bem menos potente que o da semana passada. Segundo o governo estadual, a cheia de dois afluentes do Rio Mampituba alagou ruas e isolou comunidades em Praia Grande, a cerca de 30 quilômetros de Torres (RS), na divisa com o Rio Grande do Sul.

Ao menos 80 casas foram alagadas no bairro 1º de Maio e 70 pessoas tiveram que ser levadas para um abrigo improvisado no ginásio municipal de esportes. Outras foram para as casas de parentes ou amigos. A Defesa Civil estima que, em poucas horas, o nível do rio subiu cerca de cinco metros antes da chuva cessar, perto das 6h da manhã, e ele voltar a baixar.

Em sua página no Facebook, a prefeitura de Praia Grande alertou a população sobre o estado de alerta máximo. Imagens divulgadas pela prefeitura mostram ruas alagadas e homens trabalhando durante a noite, sob forte chuva, tentando retirar parte da lama e do entulho acumulado em vias públicas.

Segundo a Defesa Civil estadual, além de derrubar as temperaturas e favorecer a formação de chuvas fortes que aumentam os riscos de deslizamentos, alagamentos e enxurradas, principalmente ao longo de toda a divisa com o Rio Grande do Sul, a frente fria deixa o mar agitado no litoral sul catarinense até pelo menos a noite desta quinta-feira (9). Neste período, as ondas devem atingir entre 2,5m e 3m – razão pela qual atividade como pesca, navegação marítima e banhos de mar devem ser evitados enquanto estas condições persistirem.

Estragos

Esta manhã, o governo de Santa Catarina divulgou uma relação parcial dos danos que o ciclone bomba que atingiu a Região Sul no último dia 30 causou em 233 cidades catarinenses – 207 dos quais já registraram seus prejuízos no Sistema de Informação de Desastres (S2ID).

De acordo com o governo catarinense, as perdas já ultrapassam R$ 541 milhões. Só a agricultura contabiliza um prejuízo da ordem dos R$ 304 milhões. Em relação os prejuízos em residências a soma chega a R$ 40,1 milhões.

Impactos do Ciclone Bomba em Santa Catarina

Impactos do Ciclone Bomba em Santa Catarina – Divulgação/Governo de Santa Catarina

O valor final, no entanto, tende a ser muito maior, já que importantes setores afetados ainda não apresentaram seus cálculos. Só o setor elétrico, estima-se, pode ter sofrido um impacto superior a R$ 2 bilhões. A força dos ventos e a queda de árvores romperam fios, cabos de fibras ópticas e afetaram torres de transmissão. Mais de 1,5 milhão de unidades consumidoras tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido.

De acordo com a secretaria estadual de Educação, 412 escolas precisarão de algum tipo de serviço de recuperação estrutural. Isto equivale a 38% do total de unidades de ensino estaduais – que estão sem realizar atividades letivas presenciais desde o dia 19 de março, em virtude da pandemia da covid-19. Grande Florianópolis, Itajaí, Jaraguá do Sul, Blumenau e Brusque foram as regiões com o maior número de escolas atingidas pelo ciclone bomba que, das 36 coordenadorias regionais de ensino, só não causou danos aos estabelecimentos de São Miguel do Oeste.

Os reparos das avarias consideradas de pequeno e médio porte que não demandem projetos de engenharia (troca de telhado, manutenção na fiação elétrica e obras de conservação do prédio) devem começar a ser feitos já a partir de hoje, valendo-se de contratos de manutenção civil já existentes. Já os casos mais graves, em que será necessária a reconstrução do prédio, exigirão a aprovação de projetos e a realização de processo licitatório para contratação específica, o que deve retardar o início das obras.

Há também a necessidade de assistência humanitária às pessoas diretamente afetadas, como a entrega, emergencial, de lona, e a doação de telhas. Segundo o governo catarinense, já foram distribuídas cerca de 84 mil telhas a pessoas cujas casas foram destelhadas.

Ouça na Rádio Nacional:

Source link

Começa hoje campanha Papai Noel dos Correios

A campanha Papai Noel dos Correios começa hoje (9) em todo o Brasil. Até 16 de dezembro, pessoas, empresas e órgãos públicos podem adotar as cartas disponíveis e deixar os presentes nas agências dos Correios participantes, para serem entregues pela instituição.

O envio e a adoção de cartas podem ser feitos em formato híbrido, tanto presencial, nas agências participantes, quanto online, por meio do site dos Correios.

A campanha contempla cartas enviadas por crianças de até 10 anos e por pessoas com deficiência, nesse caso sem limite de idade. Os Correios também fazem parceria com escolas públicas, por intermédio das secretarias estaduais ou municipais de Educação. Portanto, as escolas participantes são selecionadas por essas secretarias para enviarem cartas de crianças que estão na Educação Infantil e no Ensino Fundamental até o 5º ano, independentemente da idade, e de crianças de creches, abrigos e núcleos socioeducativos.

Para envio das cartas pelo site, a pessoa deve fazer a cartinha de maneira manuscrita, em uma folha de papel, contando sua história e fazendo o pedido. É preciso fotografar a carta e preencher o formulário disponível no site.

Adoção

Para quem fizer a adoção online, há o limite de 50 cartas. Nesse caso, a pessoa poderá cancelar suas adoções a qualquer momento, dentro do período de campanha na internet. Tanto o cancelamento quanto a troca das cartas são permitidos.

É possível, também, apadrinhar mais cartas, mas em caso de desistência e não devolução, as cartas não poderão ser adotadas por outro padrinho. Ainda, como forma de proteger a criança e sua privacidade, os Correios não divulgam os dados de localização da criança. Então, não é possível o contato pessoal com o padrinho.

Os Correios orientam o acondicionamento correto dos presentes. Caso o brinquedo seja frágil, a recomendação é utilizar uma caixa e escrever “Frágil” no pacote. Bicicletas devem ser entregues, preferencialmente, em caixas. Para identificação do presente, é preciso afixar o cabeçalho da carta no presente, com o campo reservado ao padrinho devidamente preenchido. O número na embalagem dos presentes identificará a carta adotada.

Entrega dos presentes

A entrega dos presentes deve ser realizada apenas nas agências participantes e em locais definidos em cada estado. O padrinho pode solicitar informações da entrega à criança, mas o endereço e os dados de contato serão ocultados pelos Correios.

Caso os presentes não possam ser entregues em razão de endereço insuficiente, incorreto ou mudança de destinatário, entre outros motivos, eles serão doados pelos Correios a instituições sem fins lucrativos.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil

Morre Gal Gosta, aos 77 anos, após mais de cinco décadas de carreira 

Consagrada como uma das maiores vozes do Brasil, a cantora Gal Costa morreu aos 77 anos. A informação foi confirmada na manhã de hoje (9) pela assessoria de imprensa, que não divulgou detalhes sobre a causa do falecimento.

Gal Costa nasceu em Salvador em 1945, batizada de Maria das Graças Penna Burgos, segundo o Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira, que conta de forma detalhada sua trajetória premiada na música nacional.

Fã de bossa nova desde a adolescência, Gal fez seu primeiro show em 1964, na inauguração do Teatro Vila Velha, na capital baiana, já ao lado de nomes que lhe fariam companhia ao longo da carreira, como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Tom Zé.

Seu primeiro LP, Domingo, foi gravado em 1967, ao lado de Caetano Veloso e com produção de Dori Caymmi. Quando seu primeiro álbum individual foi lançado, em 1969, Gal já havia gravado sucessos icônicos de sua carreira, como Divino Maravilhoso, apresentado no IV Festival de Música Popular Brasileira, e Baby, que fez parte do LP Tropicália.

Com uma carreira de interpretações inesquecíveis, a cantora também marcou época quando, em 1975, gravou Modinha para Gabriela, para ser o tema da novela Gabriela, da TV Globo. No ano seguinte, Gal se uniu a Maria Bethânia, Gilberto Gil e Caetano Veloso para formar Os Doces Bárbaros, grupo que reuniu multidões em seus shows.

Ao longo dos mais de 50 anos de carreira, Gal Costa marcou com sua voz composições de grandes nomes da música brasileira, como Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, Festa do Interior, de Abel Silva e Moraes Moreira, Sonho meu, de Dona Ivone Lara e Délcio Carvalho, Pérola Negra, de Luís Melodia, e Chuva de Prata, de Ed Wilson e Ronaldo Basto.

Luto

O governador da Bahia, Rui Costa, se manifestou lamentando profundamente a morte da cantora e decretou luto oficial de três dias no estado. “Com sua partida, perdemos uma das mais potentes vozes da nossa música, eternizada em interpretações que cantam a Bahia e o Brasil para todo o mundo”, disse.

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, também postou nas redes sociais, pedindo que “Deus conforte seus familiares e fãs nesse momento de profunda dor”. “Perdemos uma das vozes mais lindas e representativas da música brasileira. Gal Costa é trilha sonora de vários momentos da vida de milhares de brasileiros. Seu jeito único de interpretar as canções está para sempre eternizado em nossos corações”.

Repercussão

Nas redes sociais, o cantor Gilberto Gil disse estar “muito triste e impactado” com a morte de Gal Costa. Zélia Duncan também lamentou a morte da cantora. “Que vazio. Sem Gal Costa, que tristeza sem fim.”

Rádio Nacional

O acervo da Rádio Nacional do Rio disponibiliza uma entrevista de Gal Costa ao programa Música Brasileira Especial. Na ocasião, a artista falou sobre o show que foi um marco em sua carreira, o Gal Tropical. A entrevista foi ao ar no dia 15 de setembro de 1979.

Matéria ampliada às 13h04.

Fonte: Veja a matéria no site da Agência Brasil