Sanepar parcela dívidas de clientes em até 60 meses

Clientes da Sanepar podem parcelar em até 60 meses débitos acumulados até dezembro do ano passado. O Programa de Recuperação de Crédito Cliente Particular (Reclip) dispensa o valor de entrada, retira a multa de 2% e reduz a taxa de juros de 0,46% para 0,1% ao mês.

O prazo de adesão do cliente ao programa termina em 30 de abril. A adesão poderá ser feita pelo site da Sanepar, pelo telefone 0800 200 0115 ou pelo e-mail das regionais. Nas cidades onde estão abertas as Centrais de Relacionamento a negociação pode ser feita presencialmente. Depois de negociada a dívida, o parcelamento será incluído nas faturas subsequentes. Não haverá pagamento em dinheiro em nenhuma situação. Todas as parcelas serão lançadas diretamente nas faturas conforme a negociação.

Outro diferencial do Replic é que não há exigência de taxa mínima. Independente do valor do débito, da categoria do cliente (residencial, comercial ou industrial), da sua faixa de consumo e do valor final da parcela após a negociação, a dívida poderá ser paga em até 60 meses.

Todos os clientes particulares, incluindo consumidores comerciais e industriais, poderão negociar suas dívidas. A Sanepar não tem cortado o fornecimento de água por falta de pagamento desde o início da pandemia do coronavírus.

O Reclip vale exclusivamente para contas acumuladas até 31 de dezembro do ano passado. Débitos gerados a partir do exercício deste ano de 2021 poderão ser negociados, de acordo com as regras gerais da Sanepar. Não serão inclusas no programa as dívidas em discussão judicial.

Informações AEN PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sanepar divulga tabela de rodízio na RMC até 5 de maio

A Sanepar divulgou uma nova tabela de rodízio no abastecimento de água de Curitiba e Região Metropolitana até o dia 5 de maio. No dia 19 de abril (segunda-feira), haverá a suspensão do rodízio em alguns bairros de Curitiba e no bairro Cidade Jardim, em São José dos Pinhais. O motivo é a parada no abastecimento no dia 22 em função de mais uma etapa da obra da nova adutora do Iguaçu.

A continuidade da obra vai exigir paradas também nos dias 26 e 30 de abril e 4 de maio. Nesses bairros o rodízio será suspenso nos dias 23 e 27 de abril, 1 e 5 de maio. Em cada uma das paradas cerca de 350 mil pessoas têm o abastecimento afetado.

Na tabela, estão em vermelho os bairros que terão o rodízio suspenso e, em amarelo, os dias em que haverá parada em função da obra (com horário diferente do rodízio).

Confira a tabela.

Parada em função da obra dia 22 às 6h, com normalização dia 23, às 18h:

Bairros afetados

Curitiba: Uberaba, Cajuru, Guabirotuba, Alto Boqueirão, Boqueirão, Hauer, Jardim das Américas, Jardim Botânico, Rebouças, Centro, Cristo Rei, Hugo Lange, Prado Velho, Juvevê e Alto da XV.

São José Pinhais: Cidade Jardim.

A OBRA – Esta é uma etapa da obra de substituição de uma das adutoras que levam água da captação até a Estação de Tratamento de Água (ETA) Iguaçu. Atualmente, o recalque da água é feito por duas adutoras de 1,5 quilômetro de extensão.  Adutora é uma tubulação de grande diâmetro.

A nova tubulação vai aumentar a segurança operacional de produção de água da ETA Iguaçu, com redução de rompimentos e vazamentos. Com capacidade de produção de 3.600 litros de água por segundo, a ETA Iguaçu é a maior do Paraná.

A obra teve início em janeiro de 2020, com investimentos de R$ 6,2 milhões, e a previsão é que seja concluída daqui a seis meses.

Cida comemora duplicação da rodovia entre Maringá a Iguaraçu

A ex-governadora Cida Borghetti (PP) afirmou que a duplicação da ligação entre Maringá e Iguaraçu criará um grande eixo de desenvolvimento na região, além de aumentar a segurança e reduzir o tempo das viagens. O edital de licitação para a duplicação dos 21,8 quilômetros da PR-317 foi publicado nesta semana pelo Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

“É uma obra muito aguardada na região. Iniciamos esse processo de duplicação ainda em 2018 com o apoio da Acim e do setor produtivo de Maringá que doou o projeto básico ao DER. Algumas dificuldades técnicas e burocráticas impediram que iniciássemos a concorrência. Fico feliz que o Governo do Estado tenha superado essas adversidades e torço para que a obra iniciar o mais rápido possível”, disse Cida Borghetti

O líder do Governo na Câmara, deputado federal Ricardo Barros, também comemorou o anúncio e destacou a união de esforços do poder público e da iniciativa privada. “É mais uma importante obra de infraestrutura construída com o auxílio de diversas forças de Maringá. Uma obra que vai aumentar a nossa competitividade e facilitar a vida de quem mora na região”.

ACIM

Segundo estimativas cerca de 17 mil veículos trafegam pelo trecho da PR-317 diariamente. Para que a obra possa ser executada, a Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), por meio de empresários, custeou o projeto e a readequação dele, em um investimento de R$ 600 mil. O presidente da Acim, Michel Felippe, diz que a participação da iniciativa privada garantiu mais agilidade ao processo.

“Tivemos uma grata surpresa. Esse é um anseio de toda comunidade, não só maringaense, mas da região. Esse projeto já é uma reivindicação de alguns anos e nós fizemos a doação do projeto ao DER e ao Governo do Estado na antiga gestão. Não houve tempo hábil naquele momento e o novo governo assumiu o compromisso da obra. Com a publicação do edital, ele vem a atender a demanda de nossa região”, explicou.

RDC

A licitação acontece na modalidade Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCi), onde a empresa vencedora fica responsável pela execução do projeto final e pela duplicação do trecho. A modalidade garante mais agilidade na execução de obras públicas.

A licitação prevê a duplicação de 21,82 quilômetros, cinco quilômetros de vias marginais, interseções em desnível, cinco retornos, duas passarelas e a duplicação da ponte sobre o Rio Pirapó. O prazo para execução é de 720 dias (24 meses).