Saiba tudo sobre o novo coronavírus e a doença que ele provoca

A cada dia novos casos de Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus, se confirmam no mundo. Até a tarde desta quinta-feira (12), o Brasil registrava 77 casos confirmados da doença e monitorava 1.422 situações suspeitas. Outros 1.163 casos já foram descartados.

Ontem (11), a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o surto de coronavírus como uma pandemia. O termo é utilizado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa. Atualmente, há mais de 115 países com casos declarados da infecção.

Agência Brasil reuniu as principais dúvidas e perguntas sobre a Covid-19. Veja o que se sabe sobre a pandemia e sobre o vírus até agora:

O que é o novo coronavírus?
Coronavírus é uma família de vírus que pode causar danos em animais e em humanos. Em pessoas, pode resultar em infecções respiratórias que vão desde um resfriado até síndromes respiratórias agudas severas. O novo coronavírus (SARS-Cov-2) causa a doença denominada Covid-19, que teve início na China, em dezembro de 2019.

Quais são os sintomas?
Os sintomas do Covid-19 envolvem febre, cansaço e tosse seca. Parte dos pacientes pode apresentar dores, congestão nasal, coriza, tosse e diarreia. Alguns pacientes podem ser assintomáticos, ou seja, estarem infectados pelo vírus, mas não apresentarem sintomas. O Ministério da Saúde estima que os pacientes mais jovens são os mais passíveis de não apresentar qualquer sinal da doença.

Qual o período de incubação do vírus?
De acordo com a OMS, a estimativa é que o período de incubação seja de 1 a 14 dias. Ou seja, o vírus teria esse tempo para se manifestar. O mais comum é a manifestação por volta de cinco dias. Mas há pessoas que não apresentam sintomas.

Quais são os maiores problemas e os públicos mais vulneráveis?
A OMS calcula que 1 em cada 6 pacientes pode ter um agravamento do quadro, com dificuldades respiratórias sérias. No início de março, a taxa de letalidade era de 3,5%. Mas o Ministério da Saúde suspeita que pode ser menor, em razão de haver subnotificação dos casos em alguns países. Os públicos mais vulneráveis são idosos e pessoas com doenças crônicas (diabetes, pressão alta e doenças cardiovasculares).

Como ocorre a transmissão?
O contágio ocorre a partir de pessoas infectadas. A doença pode se espalhar desde que alguém esteja a menos de 2 metros de distância de uma pessoa com a doença. A transmissão pode ocorrer por gotículas de saliva, espirro, tosse ou catarro, que podem ser repassados por toque ou aperto de mão, objetos ou superfícies contaminadas pelo infectado.

O novo coronavírus pode ser transmitido pelo ar?
O novo coronavírus não é transmitido pelo ar a menos que um indivíduo chegue próximo a um paciente infectado a ponto de as formas de contaminação serem possíveis.

É possível pegar o Covid-19 de alguém sem sintomas?
De acordo com a OMS, as chances são pequenas, pois o vírus é transmitido por saliva, espirro, tosse ou catarro, elementos mais presentes quando uma pessoa está com gripe.

Animais de estimação podem transmitir o novo coronavírus?
Não. Não há evidência de que animais de estimação como gatos e cachorros tenham sido infectados ou possam espalhar o vírus que causa a Covid-19.

Quanto tempo o vírus pode durar em uma superfície?
A OMS informa que não há um tempo determinado, podendo ser de algumas horas a alguns dias. Pode haver diferença também em razão de condições como a temperatura. Por isso, caso alguém suspeite da contaminação de uma superfície ou objeto, a orientação é aplicar desinfetante.

Quais são as medidas de prevenção ao Covid-19?
O Ministério da Saúde explica que não há medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir a infecção pelo novo coronavírus e indica as seguintes medidas de prevenção:

– lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, ou usar desinfetante para as mãos à base de álcool quando a primeira opção não for possível;
– evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– evitar contato próximo com pessoas doentes;
– ficar em casa quando estiver doente;
– usar um lenço de papel para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, e descartá-lo no lixo após o uso;
– não compartilhar copos, talheres e objetos de uso pessoal;
– limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
– manter ambientes bem ventilados e higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

O uso de álcool gel para prevenção ao coronavírus é eficaz?
Sim. De acordo com o Conselho Federal de Química, o álcool gel é “eficiente desinfetante de superfícies/objetos e antisséptico para a pele”. O grau alcóolico recomendado para o efeito é de pelo menos 70%.

Preciso usar máscara para me proteger?
A máscara não tem efeito algum para pessoas sem o vírus. Ela deve ser utilizada por quem apresenta sintomas da doença, pois previne que alguém infectado espalhe o vírus e venha a contaminar outras pessoas. O uso também é recomendado para pessoas que tenham contato com indivíduos com suspeita ou confirmação do novo coronavírus. Máscaras também devem ser usadas por profissionais de saúde que atuem em locais com pacientes com suspeitas ou sintomas. Após o uso, a orientação é descartar a máscara em local adequado e lavar as mãos.

Estou com tosse, febre e dores. Preciso fazer exames para detectar se estou com Covid-19?
Pessoas que apresentem sintomas da doença devem procurar orientação médica, em especial, os postos de saúde. De acordo com o Ministério da Saúde, mais de 42 mil postos de saúde espalhados pelo país são capazes de atender 90% dos casos de coronavírus. Estudos indicam que a grande maioria dos casos de Covid-19 são mais leves e poderiam ser atendidos nesse nível de atenção. A população pode buscar os serviços quando apresentar os sintomas iniciais do vírus, como febre baixa, tosse, dor de garganta e coriza. A partir do relato do paciente é que o médico decidirá sobre a necessidade de se fazer o teste para Covid-19. Atualmente, a recomendação das autoridades sanitárias é que sejam testados apenas os pacientes com sintomas respiratórios e que tenham tido contato com alguém infectado ou que tenham viajado para uma região onde há transmissão da doença. O exame só pode ser feito com solicitação médica. Ele é feito por hospitais públicos e privados e confirmado por laboratórios de referência espalhados pelo Brasil. A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) anunciou que os planos de saúde deverão cobrir os testes realizados na rede privada.

Que instituições podem realizar os testes para Covid-19?
O teste é realizado após avaliação clínica do médico e a pedido dele. A pessoa deve procurar os postos de saúde mais próximos. Até a próxima semana, todos os 27 Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACENs) do país estarão aptos a realizar a testagem para o coronavírus, segundo o Ministério da Saúde. A capacitação dos laboratórios estaduais está sendo realizada pelo Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), que atua como Centro de Referência Nacional em vírus respiratórios junto ao Ministério da Saúde e integra o esforço nacional de vigilância e monitoramento dos casos de coronavírus. Atualmente, além dos laboratórios de referência nacional para testagem do coronavírus, a Fiocruz, no Rio de Janeiro, o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e o Instituto Evandro Chagas (IEC), no Pará, os laboratórios centrais de São Paulo, Pará, Goiás e o Rio Grande do Sul já foram capacitados e estão testando para a doença.

Existe tratamento para a doença?
Segundo a OMS, 80% das pessoas se recuperam sem precisar de tratamento especial. Não há uma medicação que elimine o vírus. Mas há tratamento para mitigar o avanço da doença e diminuir o desconforto.

Antibióticos ou vitamina D previnem ou curam o novo coronavírus?
Não. Antibióticos não atuam contra o vírus. Da mesma forma, não há evidências científicas que atestem qualquer impacto sobre o vírus de doses de vitamina D.

Voltei de uma viagem internacional e visitei um país com casos de coronavírus. O que preciso fazer?
Caso apresente sintomas, procure uma unidade de saúde e informe a situação para receber orientação médica. A recomendação do Ministério da Saúde é esperar pelo menos 14 dias para avaliar a evolução do quadro de saúde.

O álcool gel é mais eficiente do que lavar as mãos?
Segundo o Ministério da Saúde, o álcool gel tem a vantagem de não apenas higienizar as mãos, mas também objetos com o qual a pessoa teve contato. Isso é especialmente importante para objetos e superfícies compartilhadas por várias pessoas, como em locais de trabalho. Contudo, na higienização das mãos, o ato de lavá-las corretamente (por bastante tempo e de forma detalhada, entre os dedos e debaixo das unhas) é suficiente. A orientação do ministério é que esse procedimento ocorra diversas vezes ao dia. Quem desejar aplicar também o álcool gel ganha um reforço a mais na proteção, mas esta não é uma condição para a higienização das mãos. 

Edição: Lílian Beraldo | Fonte: Agência Brasil

Construtora inova com planta inteligente

O estudo “Ranking das Melhores Cidades para Fazer Negócio”, elaborado pela Urban Systems, em 2021, para a Revista Exame, apontou que as cidades paranaenses Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel estão entre as 30 primeiras cidades do Brasil – numa lista de 100 municípios com mais de 100 mil habitantes – para investimentos no ramo imobiliário. O levantamento completo considera indicadores para os setores industrial, comercial, imobiliário, educacional, agropecuário e de serviços. Atenta ao que ocorre no mercado, a Yticon, construtora do Grupo A.Yoshii, expandiu suas atividades para o noroeste do estado, com investimentos que ultrapassam R$ 200 milhões e geração de 300 empregos diretos, apenas em 2022. A expectativa do Valor Geral de Vendas (VGV) na cidade de Maringá, por exemplo, é de aproximadamente R$ 250 milhões, com estimativa de crescimento de 30% nas vendas, já no ano que vem.

Justamente pela boa expectativa, Maringá foi uma das cidades escolhidas para lançamentos com foco em tecnologia na construção e que atendem as tendências e exigências do comportamento do mercado. Depois do recorde de vendas do “UP Residence”, primeiro lançamento realizado em fevereiro deste ano (com 75% das unidades vendidas em três dias), a cidade será palco para mais um projeto audacioso e considerado da primeira linha de produtos da construtora: uma torre residencial com unidades de 78 metros quadrados privativos, uma novidade já denominada “planta inteligente”. O empreendimento chamado “Urban”, além da boa metragem, vai oferecer apartamentos com uma suíte com espaço para closet, sacada com churrasqueira e área de lazer completa, que inclui uma arena para beach sports, um dos itens mais requisitados pelos futuros moradores e investidores, e que se tornou sensação em todo país àqueles que apreciam esportes de areia.

Revolução no segmento

Localizado no bairro Vila Marumby, próximo ao Parque do Ingá, o residencial estará rodeado por muito verde e terá uma gama completa de itens na área de lazer, fazendo jus ao seu título de planta inteligente. Na lista estão Lounge Gourmet, Steak House, Teen Lounge, Kids Place, Outdoor Training, Play, Family Space, Pool Place, Pet Play e Sports Lounge. Segundo a gerente da unidade Yticon em Maringá, Emanuelle De Mori Bardeja Gil, o residencial vai oferecer um modelo de moradia multifuncional com áreas de uso coletivo, baseadas no conceito de economia compartilhada como espaço para coworking, laundry e iMarket. “Maringá foi escolhida para receber o empreendimento da categoria mais elevada do portfólio da Yticon e, certamente, será um projeto revolucionário do segmento não só na cidade, mas em toda região noroeste do Paraná”, comenta.

Com a ampliação da linha de produtos, a construtora se consolida ainda mais no mercado imobiliário, atendendo, sempre, às reais necessidades dos clientes: excelentes plantas, ótimas localizações, além de áreas de lazer funcionais com diversos espaços. “Outro diferencial é que oferecemos condições de pagamento facilitadas, com entradas e parcelas acessíveis para os diversos produtos do catálogo. O Urban, com certeza, vai surpreender pelo custo x benefício apresentado.” Em fevereiro deste ano, a construtora inaugurou seu showroom, onde estão os apartamentos decorados, abertos à visitação. Para o ano de 2023, estão previstos outros três lançamentos na Cidade Canção, que vão gerar mais empregos e investimentos na região.

Serviço:

Showroom Yticon Maringá

Local: Avenida São Paulo, 2890 (aberto todos os dias, das 9h às 18h)

Sobre a Yticon Construção e Incorporação

A Yticon é uma construtora e incorporadora que atua há mais de doze anos nas cidades de Londrina, Maringá e Cambé, no Paraná, além de Presidente Prudente e Campinas, em São Paulo. A empresa do Grupo A.Yoshii desenvolve empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização, especialmente para quem quer conquistar o primeiro imóvel. A Yticon já construiu mais de 5,9 mil unidades, todas entregues rigorosamente no prazo, somando mais de 550 mil metros quadrados de área construída. Mais informações: www.yticon.com.br.

Sobre o Grupo A.Yoshii

Fundado há mais de 55 anos, o Grupo A.Yoshii já construiu mais de 2 milhões de metros quadrados do Sul ao Nordeste do Brasil, entre obras industriais, edifícios corporativos e residenciais, escolas, universidades, teatros e centros esportivos. É composto pela A.Yoshii Engenharia, com sólida atuação em construções de edifícios residenciais e comerciais de alto padrão em Londrina, Maringá, Curitiba e Campinas; pela Yticon Construção e Incorporação, que realiza empreendimentos econômicos, localizados em regiões de potencial valorização em municípios do Paraná; e pelo Instituto A.Yoshii, voltado para a inserção social e a democratização cultural. Além disso, atua em Obras Corporativas, atendendo grandes corporações em suas plantas industriais, nos mais variados segmentos da economia, como papel e celulose, alimentício, químico, agronegócio, energia, assim como usinas sucroalcooleiras, centros logísticos, plantas automobilísticas, entre outros. Mais informações: www.ayoshii.com.br.

Novidades no controle da dermatite atópica são tema de palestra on-line

Segundo estimativas, a dermatite atópica atinge entre 10 e 30% dos cães e compromete significativamente a qualidade de vida dos pets. Desconfortáveis com o estresse dos bichinhos de estimação, tutores e médicos veterinários não medem esforços na busca por alternativas para o controle da doença.

Pensando em desenvolver uma melhor solução para o manejo da dermatite atópica, a pioneira rede de farmácias de manipulação veterinária, DrogaVET, investiu em pesquisa e na nanotecnologia para desenvolver sua própria fórmula de nanociclosporina, ou ciclosporina nanoencapsulada. A ciclosporina A é bastante conhecida pela prevenção de rejeição de órgãos transplantados em seres humanos, mas na medicina veterinária é muito empregada no tratamento de dermatite e alergias atópicas, entre outras doenças, inclusive oftálmicas. Com a nanotecnologia, uma técnica que aprimora medicamentos, o fármaco é liberado de forma gradual no organismo, reduzindo uma possível toxicidade e efeitos adversos, além de otimizar os efeitos da ciclosporina.

Com o intuito de orientar os médicos veterinários sobre as novidades no tratamento, a DrogaVET, em parceria com o Vet Smart, plataforma tecnológica dirigida ao mercado veterinário, promovem a palestra “Inovação Nanotecnológica para Controle da Dermatite Atópica”, em meio digital, na próxima quinta-feira (27). Para a apresentação, foram convidados dois grandes nomes do segmento da saúde: o professor e médico veterinário, Dr. Marconi de Farias, que conduziu os estudos da aplicabilidade da nanociclosporina, e a farmacêutica especialista em farmácia magistral e diretora de pesquisa e desenvolvimento na empresa NanoScoping Soluções em Nanotecnologia, Dra. Letícia Mazzarino. O evento é gratuito, dirigido a médicos veterinários e ainda concede certificado a quem assistir à palestra ao vivo.

Serviço

Palestra: Inovação Nanotecnológica para Controle da Dermatite Atópica

Quando:  quinta-feira, 27 de outubro

Horário: 20h

Local: site www.vetsmart.com.br ou youtube: https://www.youtube.com/c/vetsmartapp

Evento GRATUITO e com EMISSÃO DE CERTIFICADO para veterinários que assistirem ao vivo, mais de 70% do conteúdo.

Palestrantes:

Dr. Marconi de Farias

Médico veterinário e professor, com mestrado em Clínica Veterinária e doutorado em Saúde da Criança e do Adolescente com área de concentração em Alergia, Imunopatologia e Pneumologia. Professor Adjunto III de Clínica Médica de Animais de Companhia e da Pós-graduação em Ciência Animal da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR); chefe do Serviço de Dermatologia e Alergia da Unidade Hospitalar para Animais de Companhia da PUCPR; Coordenador da Comissão de Alergia Veterinária da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI); sócio da Sociedade Latino-Americana de Dermatologia Veterinária (SLDV) e sócio-fundador da Dermatovet Cursos.

Dra. Letícia Mazzarino

Farmacêutica especialista em Farmácia Magistral, com mestrado e doutorado em Farmácia e doutorado em Ciência de Polímeros.  Atualmente é Diretora de Pesquisa e Desenvolvimento na empresa NanoScoping Soluções em Nanotecnologia e atua diretamente na realização de projetos e desenvolvimento de novos produtos à base de nanotecnologia para liberação de ativos (“drug delivery”).

Sobre a DrogaVET

A DrogaVET está sempre em busca de soluções no segmento de manipulação veterinária, respeitando integralmente todos os princípios éticos que regem a produção de medicamentos e a sua aplicabilidade em animais. Pioneira no segmento de farmácias de manipulação, a rede, que surgiu em 2004, já conta com mais de 100 unidades no Brasil, unindo tecnologia, inovação e o conhecimento de uma equipe altamente especializada de farmacêuticos e veterinários.

Mais informações estão disponíveis no site: www.amoranimalcaramelo.com.br