Saiba quem são os 38 vereadores eleitos de Curitiba

DEM conquistou o maior número de cadeiras

Indiara Barbosa, do Partido Novo, foi a candidata mais votada, com 12.147 votos para a Câmara de Curitiba. O DEM conquistou o maior número de cadeiras, com cinco das 38 vagas. O segundo partido com mais vereadores eleitos foi o PSD, com quatro cadeiras. Outros 18 partidos elegeram vereadores para este mandato.

Confira abaixo a lista de vereadores eleitos:

Indiara Barbosa (Novo): 12.147
Serginho do Posto (DEM): 10.061
Carol Dartora (PT): 8.874
Professor Euler (PSD): 8.315
Beto Moraes (PSD): 8.243
Osias Moraes (Republicanos): 7.837
Pier (PTB): 7.495
Denian Couto (PODE): 7.005
Zezinho do Sabara (DEM): 6.466
Herivelto Oliveira (CIDADANIA): 6.441
Sabino Picolo (DEM): 6.061
Professora Josete (PT): 5.856
Marcos Vieira (PDT): 5.826
Mauro Ignacio (DEM) 5.755
Marcelo Fachinello (PSC): 5.326
Renato Freitas (PT): 5.097
Tico Kuzma (PROS): 5.038
Toninho da Farmacia (DEM): 4.853
Tito Zeglin (PDT): 4.747
Flavia Francischini (PSL): 4.540
Pastor Marciano Alves (Republicanos): 4.483
Noemia Rocha (MDB): 4.439
Dalton Borba (PDT): 4.428
Joao da Loja 5 Irmaos (PSL): 4.423
Sargento Tania Guerreiro (PSL): 4.422
Alexandre Leprevost (SD): 4.385
Oscalino do Povo (PP): 4.093
Ezequias Barros (PMB): 4.091
Nori Seto (PP): 4.085
Maria Leticia (PV): 4.019
Jornalista Marcio Barros (PSD): 3.946
Eder Borges (PSD): 3.932
Mauro Bobato (PODE): 3.892
Sidnei Toaldo (PATRIOTA): 3.618
Hernani (PSB): 3.136
Amália Tortato (NOVO): 3.092
Leonidas Dias (SD): 2.704
Salles do Fazendinha (DC): 2.527

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Secretária diz que Curitiba precisa estar pelo menos 60% imunizada para pensar em abrir mão da máscara

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, demonstrou otimismo com a chegada da vacina a Curitiba, mas também fez um alerta com relação às demais medidas de contenção da Covid-19. Segundo ela, é necessário que a cidade tenha pelo menos de 60% a 70% de imunização para começar a pensar em abrir mão da máscara, por exemplo.

“A vacina não elimina o novo coronavírus. Nós vamos continuar tendo casos de Covid, vamos continuar a depender do uso da máscara, distanciamento social, evitar aglomerações, arejar os ambientes, álcool em gel, tudo vai permanecer por um bom tempo. Nós temos uma maratona, não é uma corrida de 100 metros. Não é que a pessoa vacine e pode abandonar a máscara. Nós precisamos ter pelo menos de 60% a 70% de cobertura da população para aí sim poder liberar algumas medidas, como o uso da máscara”, afirmou Huçulak.

Com a aprovação da Anvisa, o uso emergencial da Coronavac pode começar ainda nesta segunda-feira (18) no Paraná. A expectativa é que a primeira aplicação ocorra no Hospital do Trabalhador.

A imunização sistemática da população, porém, terá início na próxima quarta-feira (20), na estrutura que está sendo montada no pavilhão do Parque Barigui. O primeiro lote destinado ao Paraná tem cerca de 242 mil doses da vacina, sendo que caberá a Curitiba aproximadamente 48 mil doses. Como a vacina é aplicada em duas doses, esse volume será suficiente para atender 24 mil pessoas.

Segundo a secretária, o dia é muito especial para a cidade. “A pauta é esperança, finalmente aprovada, uma vacina eficaz e temos a possibilidade de aplicar em nossa população”, concluiu.

Nesta segunda-feira (18), os profissionais de saúde já passam por um trabalho de capacitação na Secretaria.

O primeiro grupo a ser vacinado a partir de quarta-feira será o de servidores de saúde, os idosos abrigados em Instituições de Longa Permanência (ILPs) e indígenas (150 indígenas que moram na aldeia Kakané-Porã, no Tatuquara).

Informações Banda B.

Jovens fingem trabalhar em viaduto para ‘pichar mais tranquilo’ paredes em Curitiba

GM fez o flagrante e prendeu os dois jovens que pichavam viaduto no CIC

Munidos de capacetes e coletes refletivos, dois jovens foram flagrados pela Guarda Municipal enquanto pichavam a parede sob o viaduto, na manhã deste domingo (17), na Cidade Industrial.

De acordo com o relato da equipe do núcleo regional CIC, que passava pela Rua Vicente Michelotto, os dois suspeitos simulavam realizar um trabalho a quem passasse por eles: chegaram a colocar cones na via, para terem mais segurança durante a passagem de veículos, e utilizavam uma escada para alcançar as partes mais altas.

Os guardas estranharam e pararam para verificar a situação, questionando se os dois tinham autorização para fazer a intervenção no viaduto. Diante da negativa da dupla, os dois, de 24 e de 27 anos, junto com rolos de tinta e produtos utilizados para a pichação, foram levados até a Delegacia do Meio Ambiente. Cada um deles foi autuado no valor de R$ 10 mil pelo crime, conforme previsto em legislação municipal.

Informações Banda B.