Reservatórios chegam a menor índice da história e Curitiba se aproxima de rodízio mais rígido

Com isso, não se pode descartar um rodízio ainda mais severo de água, com dois dias sem abastecimento e apenas um com

Os reservatórios de água de Curitiba e região metropolitana chegaram aos menores níveis da história, de acordo com a Sanepar (Companhia de Saneamento do Paraná), depois do acumulado de água chegar em 26,92% nesta segunda-feira (19). Com isso, não se pode descartar um rodízio ainda mais severo de água, com dois dias sem abastecimento e apenas um com.

O abastecimento mais rígido está previsto para acontecer quando o acumulado de água chegar a 25%. O diretor de Comunicação e Marketing da Sanepar, Hudson José, afirmou que não gosta de trabalhar com cenário negativo, mas que a situação é preocupante. “Hoje mesmo com as chuvas que aconteceram nos últimos dias não passamos de 26,92% no reservatório, que é o menor índice de nossa história. Estamos próximos de 25% que é nosso limite para um sistema mais duro de rodízio”, descreveu à Banda B.

O diretor da Sanepar afirmou que a Sanepar tem trabalhado para melhorar o abastecimento e que é preciso apoio da população. “Temos feito um trabalho para transferir para o mais longe possível essa medida, com ações para aprimorar o abastecimento e também contando com o apoio da população. As pessoas devem captar água para regar jardins, diminuir o banho e ter isso como uma medida permanente, porque as previsões apontam para um cenário de seca até o verão de 2020/2021”, apontou.

Por fim, ele esclareceu que apenas quatro meses de chuvas ininterruptas fariam com que a situação do abastecimento melhorasse. “Essa é uma possibilidade muito distante, já que a previsão é das médias dos últimos cinco anos voltarem apenas em março”, concluiu.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previsão do tempo é de chuva para os próximos dias em Curitiba

Na tarde desta segunda-feira(18), a chuva chegou em Curitiba e a previsão é de mais água nos próximos dias. Segundo o SIMEPAR, a previsão é de muita chuva durante toda a semana.

Nos próximos dias Curitiba terá mínima de 18°C e máxima de 23°C. A temperatura só deve aumentar no sábado (23), com máxima de 25°C.

Confira a previsão:

Fonte: Simepar

Secretária diz que Curitiba precisa estar pelo menos 60% imunizada para pensar em abrir mão da máscara

A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, demonstrou otimismo com a chegada da vacina a Curitiba, mas também fez um alerta com relação às demais medidas de contenção da Covid-19. Segundo ela, é necessário que a cidade tenha pelo menos de 60% a 70% de imunização para começar a pensar em abrir mão da máscara, por exemplo.

“A vacina não elimina o novo coronavírus. Nós vamos continuar tendo casos de Covid, vamos continuar a depender do uso da máscara, distanciamento social, evitar aglomerações, arejar os ambientes, álcool em gel, tudo vai permanecer por um bom tempo. Nós temos uma maratona, não é uma corrida de 100 metros. Não é que a pessoa vacine e pode abandonar a máscara. Nós precisamos ter pelo menos de 60% a 70% de cobertura da população para aí sim poder liberar algumas medidas, como o uso da máscara”, afirmou Huçulak.

Com a aprovação da Anvisa, o uso emergencial da Coronavac pode começar ainda nesta segunda-feira (18) no Paraná. A expectativa é que a primeira aplicação ocorra no Hospital do Trabalhador.

A imunização sistemática da população, porém, terá início na próxima quarta-feira (20), na estrutura que está sendo montada no pavilhão do Parque Barigui. O primeiro lote destinado ao Paraná tem cerca de 242 mil doses da vacina, sendo que caberá a Curitiba aproximadamente 48 mil doses. Como a vacina é aplicada em duas doses, esse volume será suficiente para atender 24 mil pessoas.

Segundo a secretária, o dia é muito especial para a cidade. “A pauta é esperança, finalmente aprovada, uma vacina eficaz e temos a possibilidade de aplicar em nossa população”, concluiu.

Nesta segunda-feira (18), os profissionais de saúde já passam por um trabalho de capacitação na Secretaria.

O primeiro grupo a ser vacinado a partir de quarta-feira será o de servidores de saúde, os idosos abrigados em Instituições de Longa Permanência (ILPs) e indígenas (150 indígenas que moram na aldeia Kakané-Porã, no Tatuquara).

Informações Banda B.