Ratinho diz que estado não vai permitir aglomerações; desrespeito as regras pode gerar multa e prisão

Para a tarde desta sexta-feira, está marcada uma reunião entre o governador e a Secretaria de Estado da Segurança Pública

Com o anúncio de medidas mais restritivas para o combate do coronavírus, o governador Ratinho Junior prometeu um reforço nas ações de policiamento de todo o Paraná. Segundo ele, que concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (26), o Estado não irá permitir desrespeito com as medidas, especialmente nas relacionadas com aglomeração.

“Nós não vamos admitir desrespeito com encontros clandestinos, com festas que possam estar acontecendo de maneira deliberada, com volume de participantes. Vamos impor multa para essas pessoas e prisão, seremos extremamente rígidos com aqueles que não cumprirem o decreto”, disse Ratinho Junior.

Para a tarde desta sexta-feira, está marcada uma reunião entre o governador e a Secretaria de Estado da Segurança Pública. Devem participar o secretário Rômulo Marinho, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Hudson Leôncio Teixeira, e representantes da Polícia Civil.

Segundo Ratinho, todas as medidas adotadas pelo Estado são necessárias. “É um freio de arrumação, para que a situação volte aos trilhos nesse período de pouco mais de uma semana. As avaliações serão diárias em torno da linha que a pandemia seguirá no Estado. A curva só vai diminuir com a participação de todos”, comentou.

Toque de Recolher

Entre as medidas adotadas, está a suspensão do funcionamento dos serviços e atividades não essenciais em todo o Estado e a ampliação na restrição de circulação das pessoas, que passa a ser entre as 20 horas e 5 horas. O decreto entra em vigor à 00h deste sábado (27) e tem validade até as 5 horas do dia 08 de março.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Moradores de Campo Largo recebem cartões para compras nos Armazéns da Família

A Prefeitura de Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, entregou nos últimos dias os primeiros 450 cartões do programa Armazém da Família aos moradores da cidade. Com isso, os campo-larguenses, que têm como renda familiar até três salários mínimos, já podem efetuar compras nos Armazéns de Curitiba, onde encontram produtos com desconto e de ótima qualidade.

A secretária de Desenvolvimento Social de Campo Largo, Márcia Fabiani Botelho, destacou como funciona a parceria com a Prefeitura de Curitiba. “Hoje estamos com 460 cartões entregue em mãos, possibilitando que as pessoas façam suas compras nos Armazéns da Família em Curitiba. Essa parceria é um primeiro passo para que a gente avalie o que fazer no futuro, como a criação de uma unidade aqui em Campo Largo, no caso de se tornar viável”, destacou em entrevista ao Jornal Metropolitano, da Rádio Banda B.

A expectativa é que cerca de dois mil moradores da cidade façam o cadastro gratuito, que está disponível a todos. “Em qualquer CRAS (Centros de Referência da Assistência Social) do município é possível fazer, assim como no Bloco 01 da sede da prefeitura e nas associações de moradores dos bairros. Temos certeza que essa novidade trará muitos benefícios aos cidadãos”, disse a secretária.

Segundo Márcia Fabiani, são dezenas de Armazéns espalhados por Curitiba. “Os mais próximos de Campo Largo são o do Caiuá (Rua Maria Lúcia Locher de Athayde) e do São Braz (Rua Antônio Escorsin). As unidades estão espalhadas por toda a capital, inclusive tem o da Praça Rui Barbosa, para o campo-larguense que trabalha na região central de Curitiba”, destacou.

O prefeito de Campo Largo, Maurício Rivabem, ressaltou a importância de ações como essa e que a conquista é de cada campo-larguense e de cada Associação de Bairro. “O Armazém da Família é um programa que facilita o acesso a todos a produtos de qualidade com economia. É importante ter a prefeitura como parceira em ações que tragam economia às famílias, principalmente neste momento de pandemia“, afirmou ao site oficial da Prefeitura de Campo Largo.

Informações Banda B

Com objetivo de facilitar a integração metropolitana, Ratinho Junior e Greca debatem obras na Linha Verde

Dois novos viadutos, uma estação de integração e duas trincheiras fazem parte de um novo pacote de investimentos que o Governo do Estado e a Prefeitura Curitiba estão planejando executar na Linha Verde nos próximos anos. O objetivo é melhorar o trânsito, o transporte no eixo viário e facilitar a integração metropolitana. Os projetos foram discutidos nesta sexta-feira (16), no Palácio Iguaçu, pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca.

O encontro marcou a entrega dos primeiros projetos executivos das transposições da Linha Verde. São duas trincheiras na estação São Pedro orçadas em R$ 59,9 milhões. A Prefeitura de Curitiba investiu R$ 791.632,59 nos projetos executivos, que foram encaminhados ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) e podem ser licitados em breve.

Governador Carlos Massa Ratinho Junior durante reunião com o prefeito de Curitiba, Rafael Greca – Curitiba, 16/04/2021 – Foto: Jonathan Campos/AEN

As obras melhorarão a integração viária dos bairros do Xaxim, Sítio Cercado e de todo o entorno da estação São Pedro, atendida por ônibus biarticulados e linhas alimentadoras. Há expectativa de beneficiar a rotina diária de 3,7 milhões de paranaenses.

O projeto pode ser executado com apoio do Governo do Estado, parte a fundo perdido e parte pelo Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), operacionalizado pela Fomento Paraná e pelo Paranacidade, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas.

“Trouxe para o governador os projetos finais de engenharia das duas transposições da Linha Verde que ligam a Vila São Pedro e o Xaxim, a região do Bairro Novo e do Sítio Cercado, com o Capão Raso, o Portão e o Centro. Essas duas trincheiras ficam sob a estação de ônibus da Linha Verde”, disse o prefeito Rafael Greca. “Aos poucos o nosso sonho de futuro – obras metropolitanas que unam Curitiba, o Governo do Estado e os outros municípios – vai se tornando realidade”.

“É um trabalho integrado e uma soma de esforços. Curitiba precisa dessas obras, que beneficiarão, também, os outros municípios da Região Metropolitana”, destacou Ratinho Junior. Ele ressaltou que os projetos representam um grande passo na consolidação da parceria entre a Prefeitura de Curitiba e o Governo do Estado no processo de reestruturação da Linha Verde, importante corredor de transporte da Capital e eixo metropolitano de desenvolvimento da Grande Curitiba. Também é um projeto comum de recuperação econômica com obras públicas.

PROJETO – As trincheiras da Linha Verde possibilitarão a passagem ininterrupta de cerca de 2,5 mil veículos por hora e sentido. O cruzamento da via passará a ser feito em nível, com o compartilhamento do sistema de transporte, sem prejuízo para os ônibus e com mais segurança. Haverá outras alterações viárias nas áreas lindeiras da estação São Pedro.

A trincheira que liga as ruas Osmar Raymundo Picheth e Marechal Althair Roszanniy, no sentido único Xaxim/Capão Raso, terá uma passagem inferior de 90 metros de comprimento. A trincheira que liga as ruas Barão de Santo Ângelo e Ipiranga, também em sentido único, terá 60 metros de comprimento. Serão duas faixas de rolamento em cada, com passagem de pedestres.

VIADUTO EM Y – A Prefeitura de Curitiba também apresentou o projeto de engenharia do viaduto em Y sobre a Linha Verde que vai ligar a Avenida Wenceslau Braz e a Rua Escritora Lourdes Strozzi, prolongamento da Desembargador Westphalen, à região do Boqueirão, pela Rua Tenente Francisco Ferreira de Souza. Ele será paralelo ao viaduto da Avenida Marechal Floriano, que será transformado numa grande estação de integração multimodal de transporte.

Na ligação bairro-Centro, completando o trinário de viadutos por cima da Linha Verde, o viaduto da Anne Frank ligará o Boqueirão ao Rebouças e ao Centro da cidade pela Rua Aloísio Finzetto. O viaduto terá 125 metros de comprimento, com três faixas de rolamento, além de passeio para pedestres.

Com pista exclusiva aos ônibus, o viaduto da Marechal contará também com ciclovia e passagem para pedestres, para integração segura entre os diversos modais. A nova estação de transporte atenderá sete linhas ônibus que cortam a região e levam, em média, 220 mil passageiros por dia.

O projeto executivo do viaduto em Y ainda está sendo realizado e será entregue em julho para a Prefeitura, ainda sem estimativa de custo da obra.