Prefeitura promove maior programa de sanitização no transporte desde o início da pandemia

A Prefeitura de Curitiba vem promovendo a maior rodada de sanitização de terminais do transporte coletivo e da frota de ônibus da capital desde o início da pandemia. Desde dezembro, em média, 25 mil metros quadrados por dia estão sendo sanitizados para combater a propagação da covid-19. Os trabalhos vão até o fim de junho, pelo menos.

Processo de sanitização na garagem CCD Transporte Coletivo na Fanny. Curitiba, 09/03/2021. Foto: Hully Paiva/SMCS

A programação inclui a desinfecção dos 22 terminais da capital (incluindo o Guadalupe), da frota e também a sanitização de mais alguns pontos da área central que registram grande fluxo de pessoas, como as regiões das praças Tiradentes, Rui Barbosa e Carlos Gomes.

 A higienização é cíclica e cada ponto passa por sanitização a cada duas semanas.

“Até agora não tínhamos realizado um período tão longo de sanitizações. É uma forma de combatermos o contágio e dar mais segurança ao usuário do transporte coletivo”, diz Ogeny Pedro Maia Neto, presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs).

A desinfecção foi contratada pela Secretaria Municipal de Administração e Gestão de Pessoal (Smap) e o cronograma de aplicação é coordenado pela Urbs. Os trabalhos são realizados de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h.

Processo de sanitização com amônia quaternária no Terminal de ônibus do Boqueirão – Curitiba, 09/03/2021 – Foto: Daniel Castellano / SMCS

A cada dia, são três equipes, cada uma responsável pela sanitização em um local diferente. Nesta quarta-feira (10/3) estão sendo sanitizados os terminais Cabral, Capão Raso e Oficinas.

Desinfecção

Os profissionais de higienização usam pulverizadores costais com quaternário de amônia – conhecido pelo poder sanitizante – para fazer a desinfecção da área total e de pontos de contato, como cobertura e apoios, para ajudar a reduzir a velocidade de circulação de agentes infecciosos. A aplicação é rápida e os passageiros podem utilizar o espaço normalmente após a desinfecção.

Além disso, a frota total de veículos (operante e de reserva) – de cerca de 1,5 mil ônibus – é sanitizada durante a noite, nas garagens das empresas. A Urbs cedeu os atomizadores costais, o produto sanitizante e treinou o pessoal das empresas para fazer o trabalho.

Desde o início da pandemia, há cerca de um ano, o transporte coletivo vem recebendo sanitizações especiais. Além dos terminais e dos ônibus, já foram sanitizados estações-tubo e pontos de parada. O trabalho chegou a contar com o apoio de militares do Exército, em agosto do ano passado.

Para evitar o contágio, além da higienização dos equipamentos, terminais e estações-tubo contam com saboneteiras de álcool gel. Nas plataformas dos terminais, há marcação para manter o distanciamento entre os passageiros e termômetros para medir a temperatura dos usuários.

A Urbs alerta que o uso de máscara é obrigatório e que as pessoas não consumam alimentos dentro dos veículos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

New York Cafe anuncia o fechamento de sua última loja física em Curitiba, a unidade do Batel

A marca que revolucionou o consumo de cafés especiais na cidade, contribuindo diretamente para o fortalecimento do mercado gastronômico, vai focar sua atuação no serviço de entrega e encomendas personalizadas

Se hoje Curitiba é conhecida nacionalmente como a cidade dos cafés especiais e das cafeterias, muito se deve ao New York Cafe (NYC). Empreendimento gastronômico que surgiu em 2012, no bairro Alto da XV, com o objetivo de disseminar o consumo da bebida no Paraná, além de oferecer o melhor da cozinha e da cultura nova-iorquina. Comandado pelo chef Luiz Santo, a marca conquistou o mercado com um cardápio que atende todos os públicos, como vegetarianos, veganos e intolerantes a lactose, e revolucionou um mercado até então pouco difundido na capital paranaense.

Mesmo com toda essa história de sucesso, o New York Cafe é mais um empreendimento gastronômico atingido diretamente pela pandemia do coronavírus, que há mais de 1 ano tira o sono dos empresários de todo o mundo. Nesta segunda-feira (10), a marca anunciou o fechamento de sua última unidade franqueada em Curitiba, no bairro Batel, e vai focar sua atuação no projetoNew York Cafe ‘at home’, com entrega em domicílio.

“O New York Cafe existe no coração de cada um que enfrentou filas de horas e horas para sentar-se no Alto da XV. Ele existe no seu amigo que veio de outra cidade que você levou lá para conhecer. Ele existe nas 500 pessoas que enfrentaram a fila da inauguração do NYC Batel. O NYC está em muitos romances e pedidos de casamento. Nas surpresas, nos encontros, nos sorrisos, no copinho que você levou para casa e usa há anos com tanto carinho”, comenta Luiz Santo.

Segundo o empresário, com a necessidade do fechamento durante a pandemia, a marca precisou se reinventar, se reencontrando ao adotar soluções para levar seus produtos até os clientes, mostrando que todo o conceito construído ao longo dos anos era tão forte que existia além de um endereço físico. “O serviço de encomendas nos fez voltar à essência daquilo que mais amamos fazer: servir, do início ao fim. A sensação era como se estivéssemos lá em 2012, no início do NYC. Da escolha do cliente até a entrega”, destaca o chef e empresário.

Com o projetoNew York Cafe ‘at home’, o público fiel da marca poderá saborear em casa, com entregas em Curitiba e região, os preparos clássicos do NYC, entre eles Bagels, bialys, panquecas, a sagrada Challah e a incrível cheesecake, todos eles com produção artesanal e insumos de altíssima qualidade. A marca está em fase final de testes para o lançamento de novos produtos que poderão ser enviados para todo Brasil.  “São clássicos nova-iorquinos que demoramos anos para firmar no mercado curitibano. Agora, eles estão disponíveis para consumo em casa, com todo o conforto e segurança”, detalha o chef.

Como lançamento do New York Café ‘at home’, neste sábado, dia 15 de maio, a marca começa a receber pedidos agendados do clássico American Breakfast. “Quem não quer acordar pela manhã se sentindo em NY, com bagels, ovos, bacon e aquela pilha de panquecas que só o NYC sabe fazer?”, completa Santo.

As encomendas do New York Cafe ‘at home’ podem ser feitas diretamente pelo WhatsApp (41) 98766-3886. Para mais informações, acesse o site www.newyorkcafe.com.br ou o perfil oficial da marca no Instagram (@newyorkcafebr).

Vacinados contra a covid-19 no Brasil chegam a 35,9 milhões; 17% da população

O Brasil vacinou até esta segunda-feira (10) 35.909.617 pessoas com ao menos a primeira dose da vacina contra a covid-19. Os números são obtidos diariamente pelo consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais de Saúde. A quantidade de pessoas imunizadas representa até aqui 16,96% da população.

Balanço divulgado ontem às 20h pelo consórcio com dados obtidos junto a 25 Estados mostra que 581.772 pessoas receberam a primeira dose. Entre os 35,9 milhões de vacinados, 18.073.591 receberam a segunda dose, o que representa 8,5% da população com a imunização completa; 326.608 pessoas receberam a segunda dose nesta segunda-feira.

No total, os Estados aplicaram 908.380 doses, entre aqueles que foram vacinados pela primeira vez e os que receberam o reforço do imunizante. As autoridades de saúde destacam a importância de os cidadãos retornarem ao posto na data marcada para completar a vacinação e assegurar a proteção contra a covid-19.

Levando em consideração dados relativos à primeira dose, o Rio Grande do Sul tem a vacinação mais avançada do País até esta segunda-feira. O Estado imunizou 21,94% da sua população contra o novo coronavírus. O que tem a menor porcentagem é Roraima, com 10,91% da população vacinada. Em números absolutos, São Paulo lidera com 8,7 milhões de pessoas vacinadas com a primeira dose