Prazo de inscrições do SiSu é prorrogado para dia 14 de abril

O Ministério da Educação prorrogou para quarta-feira, dia 14 de abril, o prazo para o término das inscrições no Sistema de Seleção Unificada (SiSu).

No Paraná, a Universidade Federal (UFPR) disponibiliza no total 1.227 vagas em 110 cursos de graduação, em todas as áreas do conhecimento, nas cidades de Curitiba, Matinhos, Pontal do Paraná, Jandaia do Sul, Toledo e Palotina.

Regras para participar do Sisu 2021

Para se inscrever no Sisu, o estudante precisa ter feito o último Enem e ter obtido nota maior que zero na redação. Não podem participar estudantes chamados de “treineiros”, isto é, aqueles que ainda estejam cursando ou não tenham concluído o ensino médio, segundo a definição do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O processo seletivo do Sisu acontece duas vezes ao ano com chamamento para universidades públicas do Brasil. Com uma única inscrição, os candidatos podem escolher duas opções de curso em instituições federais de todo o País. Os estudantes são selecionados de acordo com a nota do Enem, que leva em conta o número de vagas de cada curso, nota de corte, a modalidade e a concorrência.

As instituições de ensino também podem adotar notas mínimas e pesos diferentes para as quatro áreas de conhecimento do Enem – Ciências Humanas, Ciências da Natureza, Linguagens e Matemática. Em um curso de Física, por exemplo, não é incomum que se atribua mais peso à nota de Ciências da Natureza e uma nota mínima para Matemática, por exemplo.

Assim que o resultado é divulgado, o estudante selecionado para a sua primeira ou segunda opção deve ficar atento aos prazos para fazer a matrícula. Há, ainda, a opção da lista de espera. Nesta, só pode participar quem não foi selecionado em nenhuma das opções na chamada regular.

Como se inscrever no Sisu 2021

1. Faça o Login Único do governo federal, O acesso ao sistema de inscrição do Sisu deve ser feito com o Login Único do governo federal.

2. Confirme seus dados. Antes de começar, a organização do Sisu recomenda que você confira seus dados. A ideia é garantir que estejam corretos e atualizados. Assim que a confirmação estiver completa, você pode começar a sua inscrição.

3. Efetue a inscrição. Assim que você atualizar suas informações pessoais, é hora de começar a inscrição. Em uma nova tela, você deve escolher até duas opções de curso. Depois, é só clicar em “fazer inscrição na 1ª opção”. É também nesse espaço que você poderá acompanhar o status do cadastro durante todo o processo seletivo.

4. Pesquise e conheça as vagas. Em um campo com lupa, você vai pesquisar as vagas disponíveis nas universidades cadastradas para a opção de curso que você marcou. Você pode filtrar pelo nome do município, nome da instituição e nome do curso. Assim que obtiver o resultado das buscas, você poderá conhecer os detalhes e as modalidades disponíveis clicando em cada opção.

5. Escolha a modalidade. As modalidades de inscrição nada mais são do que o tipo e vaga para o qual você vai concorrer. Você vai encontrar três delas: ampla concorrência, lei de cotas e ação afirmativa. Em cada uma, a nota de corte – a menor nota para ficar entre os selecionados – varia. A organização do Sisu recomenda atenção redobrada na leitura de cada descrição: observe, por exemplo, as informações de como comprovar as ações afirmativas na matrícula, caso seja selecionado. Ao definir a opção viável, clique em “escolher esta modalidade”.

6. Confirme a inscrição. O último passo é conferir as informações do curso e da modalidade que você escolheu, assim como a documentação que vai ser exigida pela universidade no momento da matrícula. Se tudo estiver correto, clique em “confirmar minha inscrição”. Depois que a sua inscrição estiver confirmada, você vai voltar para a página inicial, onde poderá consultar todos os dados escolhidos e cadastrados. E lembre-se: durante o período das inscrições, que vão até sexta-feira, dia 9, você poderá alterar suas opções. Após esse prazo, o registro final será o da última atualização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Universidades Estaduais definem calendários acadêmicos para 2021

Os Conselhos de Ensino, Pesquisa e Extensão das universidades estaduais do Paraná estão definindo os calendários das atividades dos cursos de graduação referentes ao ano letivo de 2021. Em decorrência da gravidade da pandemia de Covid-19, as instituições suspenderam as aulas presenciais e precisaram readequar os seus calendários letivos.

UEPG e UEM – Na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), o ano letivo terá início no dia 31 de maio para os veteranos. Já para os calouros, a previsão de ingresso é em 14 de junho. O calendário acadêmico prevê, ainda, o recesso das atividades entre 3 e 30 de maio, com exceção do curso de Medicina, que iniciará o ano letivo em 17 de maio.

Devido ao momento de excepcionalidade da pandemia a oferta das disciplinas será flexibilizada. O estudante poderá cursar as disciplinas, independente da série na qual está lotado conforme previsto no Projeto Pedagógico do Curso.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) também aprovou o calendário acadêmico de 2021. O início do ano letivo ficou definido para agosto deste ano, com término em maio de 2022. Desta forma, as aulas do primeiro semestre iniciam no dia 9 de agosto com término em 15 dezembro e as do segundo semestre começam em 10 de janeiro de 2022, com final em 14 de maio de 2022.

UEL e UNICENTRO – A Universidade Estadual de Londrina (UEL) definiu, no final de abril, o calendário acadêmico para os 53 cursos de graduação referentes ao ano letivo de 2021. As aulas terão início em 2 de agosto e prosseguem até 23 de junho de 2022. As atividades em curso atualmente representam o ano letivo de 2020 e terminam no próximo dia 25 de junho.

Os estudantes dos cursos de Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia iniciam o ano letivo no dia 16 de agosto. Isto porque esses cursos terão atividades práticas, terminando as aulas mais tardiamente.

Segundo a Pró-reitora de Graduação da UEL, Marta Fávaro, a proposta foi elaborada e aprovada considerando excepcionalidades e um calendário acadêmico estendido, levando em conta as condições sanitárias que o país e o Paraná deverão enfrentar no decorrer deste ano.

“Concluímos que seria melhor termos um ano letivo um pouco estendido, pois isso daria uma flexibilização maior para que os Colegiados de Cursos pudessem organizar as ofertas das atividades, de modo a atender de forma mais efetiva os acadêmicos”, ressalta a Pró-reitora.

O calendário acadêmico de 2020 foi estendido na Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro). As aulas de 2020 irão até o próximo dia 12 de maio. O ano letivo de 2021 tem seu início previsto para os meses de junho ou julho. O Conselho Universitário da Unicentro irá se reunir nas próximas semanas para analisar e aprovar o novo calendário.

UNIOESTE, UENP E UNESPAR – Uma decisão parecida foi adotada pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). O Conselho Universitário da instituição aprovou no final do ano passado a readequação do calendário acadêmico dos cursos de graduação, referente ao ano letivo de 2020. O calendário aprovado foi para ensino 100% remoto e abrangeu todas as disciplinas, séries e alunos, para a conclusão do ano letivo de 2020.

As matrículas para disciplinas com oferta de forma remota foram realizadas nos dias 9 e 10 de dezembro de 2020, e as atividades letivas iniciaram no dia 18 de janeiro deste ano.

Na Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), o calendário está seguindo etapas distintas para cada área dos cursos. Alunos de Ciências Sociais Aplicadas iniciaram o ano letivo de 2021 no dia 5 de abril e os estudantes dos cursos de Licenciaturas e demais Bacharelados irão iniciar as aulas no próximo dia 15 de maio. Novos alunos aprovados no vestibular, bem como acadêmicos de cursos da área da saúde ainda não possuem uma previsão para iniciar as aulas.

Sistema parecido ao da UENP também está sendo adotado pela Universidade Estadual do Paraná (Unespar). O calendário acadêmico para o ano 2021 está sendo executado conforme a necessidade e perfil de cada curso. A maioria dos estudantes matriculada nos cursos de graduação nos 2º, 3º e 4º anos iniciou as aulas no dia 26 de abril. Entretanto, para os primeiros anos, o início do ano letivo acontecerá após o resultado da prova de redação do vestibular da universidade. A previsão é que, para este público, as atividades iniciem em junho.

VESTIBULAR – As datas dos processos seletivos para ingresso em 2021 nas universidades também sofreram alterações.

A UEPG foi a primeira universidade, desde o início da pandemia, a aplicar as provas de maneira presencial. O processo seletivo ocorreu domingo e segunda-feira (2 e 3 de maio). Na UEL o vestibular será realizado no dia 30 de maio, em fase única. Outras informações das etapas de seleção estão disponíveis na página da universidade.

Na UEM as provas serão aplicadas nos dias 23 e 24 de maio, com a divulgação do resultado do processo seletivo previsto para o dia 15 de junho. As inscrições podem ser feitas até 07 de maio pelo site.  A UENP está com inscrições abertas até 6 de junho para o vestibular 2021. As provas serão realizadas no dia 20 de junho.

Também é possível fazer a inscrição para o vestibular da Unioeste. Os estudantes devem se candidatar pela internet até o dia 4 de junho, e as provas estão agendadas para 4 de julho. O ensalamento para os alunos que irão realizar o vestibular da Unicentro já está disponível. As provas acontecem no próximo fim de semana, dias 9 e 10 de maio.

A Universidade Estadual do Paraná (Unespar) dividiu o vestibular em duas modalidades: Processo Seletivo de Ingresso I (PS1): utilização do Enem 2018 ou 2019 ou aproveitamento da média final do Vestibular Unespar 2018 ou 2019. Processo Seletivo de Ingresso II (PS2): aproveitamento das notas do último ano do ensino médio e aplicação da prova de redação. A prova de redação na modalidade PS2 será aplicada entre os dias 9 a 12 de maio. O ensalamento já está definido.

Aulas presenciais da rede estadual terão retorno gradativo a partir de 10 de maio; entenda

A rede estadual de ensino do Paraná terá, a partir de 10 de maio, uma volta gradativa às aulas presenciais. O retorno deve acontecer paralelamente à vacinação dos profissionais da Educação, programada para este mês, e em um momento de queda na taxa de transmissão e nos indicadores de contágio. O anúncio foi feito pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta terça-feira (4).

Há três critérios para a definição de quais colégios devem ter prioridade para a volta das atividades presenciais. O primeiro deles é o acompanhamento das cidades onde houve retorno das redes municipais de ensino e do transporte escolar. Além disso, serão priorizadas as instituições de ensino onde há alunos em situação de vulnerabilidade e sem acesso a equipamentos digitais para realizar as atividades remotas. Outro critério é a análise de colégios com maior número de professores fora do grupo de risco. As secretarias da Educação e do Esporte e de Saúde ainda estão realizando o mapeamento dos locais.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior atende a imprensa nesta terça-feira (4) para falar sobre o retorno gradativo das aulas presenciais na rede estadual de ensino. Curitiba, 04/05/2021. Foto: Geraldo Bubniak/AEN

Nas escolas que reabrirão para atividades presenciais, será adotado o modelo híbrido de ensino, ou seja, parte dos alunos assistirá às aulas presencialmente, em sala de aula, enquanto a outra parte acompanhará remotamente, vendo as aulas ao vivo. Para isso, as salas de aula estão equipadas com computadores e internet, possibilitando que os professores interajam com ambos os grupos de estudantes.

As instituições de ensino seguirão um protocolo de segurança, garantindo distanciamento de 1,5 metro entre os estudantes, disponibilizando álcool em gel, reforçando a obrigatoriedade do uso de máscara e aferindo a temperatura de alunos e funcionários na entrada do colégio. Distanciamento, uso de máscara e aferição de temperatura também são regras dentro do transporte escolar.

O retorno presencial não é obrigatório. Pais, mães ou responsáveis legais que desejem o retorno dos estudantes devem assinar um termo de autorização a ser entregue na instituição de ensino. Os alunos que optarem por não ir às aulas presencialmente continuarão no ensino remoto (que inclui as plataformas digitais do Aula Paraná, videoaulas no YouTube e TV aberta, além do kit pedagógico impresso), que acontece desde o início deste ano letivo, em 18 de fevereiro.