População deve manter uso de máscara e evitar aglomeração, reforça governador do Paraná

Publicidade
Publicidade

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou nesta terça-feira (19) a importância de a população continuar com as medidas de proteção contra o novo coronavírus, mesmo com o início da vacinação no Estado. Em entrevista ao telejornal Meio-Dia Paraná, da RPC TV, ele ressaltou que há ainda muitas fases a serem vencidas.

No mesmo dia em que as doses do imunizante começam a ser distribuídas às 22 Regionais de Saúde do Paraná, o governador explicou como funciona a logística organizada pelo Governo do Estado para que as vacinas cheguem aos 399 municípios do Estado.

“Ontem foi um dia de muita alegria para os paranaenses, pois conseguimos fazer a primeira vacinação no Hospital do Trabalhador, que como tantos outros do Paraná, tem nos ajudado muito a combater o coronavírus desde o início da pandemia. Uma luz no fim do túnel, toda a população esperava por esse dia”, afirmou Ratinho Junior.

“Mas é importante reforçar que o início da vacinação não quer dizer que as pessoas podem relaxar, andar sem máscara, fazer aglomeração. Temos ainda algumas fases a serem vencidas, que envolvem a produção da vacina. Ainda levará alguns meses para que toda a população seja imunizada”, salientou. “Esses cuidados que a população do Paraná tem tido ao longo dos meses têm que ser reforçados até que a maioria esteja vacinada. Vencemos uma batalha, mas não a guerra contra a Covid-19”, destacou.

Ratinho Junior lembrou que, neste primeiro momento, serão vacinados no Paraná os profissionais da saúde, indígenas, idosos institucionalizados e pessoas com deficiência severa. “Os trabalhadores da saúde estão há 10 meses fazendo frente à pandemia e precisam estar saudáveis e seguros para continuar esse excelente trabalho”, destacou o governador.

“Dobramos o número de leitos de UTI no Paraná, mas é importante lembrar que as unidades intensivas não são feitas só de equipamentos, mas compostas por uma série de profissionais. Se você perde um membro da equipe, já compromete o funcionamento dessa UTI”, disse. “O cuidado neste primeiro momento é fazer com que os profissionais da saúde possam ser vacinados e tenham segurança de que não vão ficar doentes”, salientou.

LOGÍSTICA – Ratinho Junior explicou que o Governo do Estado começou o planejamento para a aquisição e distribuição dos insumos e imunizantes ainda no ano passado, em um trabalho conjunto envolvendo a Secretaria de Estado da Saúde, a Casa Militar e outros órgãos estaduais. “Programamos primeiro a logística dos insumos. Tínhamos que fazer chegar as agulhas, algodão, álcool e seringas a todos os municípios do Paraná”, explicou.

Iniciada no sábado (16), a entrega de 1,7 milhão de itens de insumos para abastecer as 1.850 salas de vacinação do Estado foi concluída em menos de 48 horas. Agora foi iniciada a distribuição de 132.540 doses dos imunizantes, metade das 265,6 mil recebidas pelo Paraná, em uma logística que envolve três aeronaves e caminhões da frota do governo. A expectativa é que na noite desta terça-feira todos os municípios estejam com as doses em mãos para iniciar vacinação já na quarta-feira (20).

“Às 8h as vacinas começaram a ser despachadas. Nossa estratégia foi desenhada usando as aeronaves do Estado, mas com um plano B para garantir que elas cheguem apesar do mau tempo”, disse. “Os municípios do Paraná também são muito organizados para esse processo. Temos um sistema de saúde no Paraná que é descentralizado, com atuação regional dos consórcios de saúde, o que facilita a vacinação simultânea”, afirmou.

O restante das vacinas está armazenado no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), para serem enviadas para a aplicação da segunda dose nos primeiros grupos que serão imunizados. O governador explicou que esse plano de atuação é necessário para evitar perdas ou desvios dos imunizantes e para desafogar os estoques dos municípios. Os novos lotes devem ser enviados nos próximos 20 dias, antes de iniciar a segunda etapa.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Grupo pela volta às aulas reúne 22 mil assinaturas e entrega ao Governo do Paraná

Publicidade
Publicidade

Um levantamento feito pelo movimento aponta que a paralisação dos estudos presenciais não ajudou a diminuir ou aumentar o contágio da covid-19

O Movimento “Volta as Aulas Paraná”, criado por pais de alunos de escolas públicas e privadas, entrega as autoridades do Governo do Estado, nesta quinta-feira (4), um abaixo-assinado com quase 22 mil assinaturas de pais, que pedem o retorno imediato das aulas presenciais nas instituições de ensino. Decreto estadual feito na última quinta-feira suspendeu as aulas até o próximo dia 8 nas redes municipais e privada e suspendeu o início das atividades na estadual.

O contador Fernando Sales, um dos criadores do movimento, explica que as assinaturas foram colhidas em todo o estado. “Em torno de 60% das assinaturas são de curitibanos. Todos os países retornaram as aulas presencias, apenas o Brasil não, ficando por mais tempo com as crianças sem poder estudar”, explicou à Banda B.

Segundo Sales, um levantamento feito pelo movimento aponta que a paralisação dos estudos presenciais

não ajudou a diminuir ou aumentar o contágio da covid-19. “Os casos nas escolas são de profissionais adultos que pegaram a covid em casa. Além de tudo isso, os profissionais de saúde vem sendo prejudicados, porque não têm onde deixar os filhos”, ponderou.

Por fim, ele reclamou o fato do Governo do Paraná não ter editado o decreto que coloca o ensino como atividades essencial. “De repente tudo foi minado, a lei não foi publicada e a educação suspensa sem data para retorno”, concluiu.

Sem UTIs

O decreto estadual que suspendeu as aulas por uma semana e determinou o fechamento de serviços não essenciais se dá pela falta de leitos de UTI para a covid-19 no Paraná. Só neste domingo eram 300 pacientes na espera por uma vaga. O governo justificativa que neste momento o lockdown se faz necessário para que não se tenha um colapso ainda maior do sistema de saúde e, assim, vidas possam ser salvas.

Informações Banda B.

Aplicação de segunda dose da vacina em idosos começa nesta sexta-feira em Curitiba; confira a cronograma

Publicidade
Publicidade

A segunda aplicação da vacina contra a covid-19 para idosos que foram imunizados com a primeira dose começa nesta sexta-feira (5/3). O reforço da vacina será feito por escalonamento de idade começando pelos idosos de 95 anos ou mais.

Não será necessário agendamento. A Secretaria Municipal da Saúde orienta que para tomar a nova dose é necessário que os familiares dos idosos incluídos nesta etapa os levem ao mesmo local onde receberam a primeira 

“É muito importante que esse cronograma seja seguido, para evitar aglomerações e garantir o prazo adequado da aplicação da segunda dose”, explica a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak.

O cronograma de aplicação da segunda dose continua na segunda-feira (8/3) para pessoas com 93 anos ou mais; na terça-feira (9/3) os idosos de 90 anos ou mais; na quarta-feira (10/3) a imunização será para pessoas de 89 anos ou mais; na quinta-feira (11/3) a vacinação é para pessoas 88 ou mais e na sexta-feira (12/3) é a vez das pessoas com 87 anos ou mais.

A segunda aplicação da vacina contra a covid-19 para idosos que foram imunizados com a primeira dose começa nesta sexta-feira dia 5/03. Foto: Daniel Castellano/SMCS

O escalonamento continua na semana seguinte: na segunda-feira (15/3) serão imunizadas com a segunda dose pessoas de 86 anos ou mais e na terça-feira (16/3) a vacinação será para idosos de 85 anos ou mais. Lembrando que os idosos de 85 anos e mais tiveram duas datas de aplicação da primeira dose. Entram nesse cronograma da segunda dose aqueles que receberam a vacina no dia 19/2.

Naquele dia, a vacinação foi interrompida ao meio-dia por falta de envio de novas doses pelo Ministério da Saúde. Portanto, esta semana, na retomada da vacinação, idosos de 85 anos e mais foram imunizados no dia 1/3. Esses não devem tomar a segunda dose agora, nesse cronograma que está sendo anunciado. A partir dessa faixa etária a imunização passou a ser realizada com o imunizante da AstraZeneca que tem maior prazo para aplicação da segunda dose.

Idosos que tenham sido imunizados com a CoronaVac fora do cronograma de aplicação da primeira dose, deverão atentar para o intervalo entre a primeira e a segunda dose que deve ser de no mínimo 21 dias e no máximo 28 dias para a segunda aplicação. 

No dia, o idoso deve apresentar um documento de identificação com foto, CPF e a carteirinha recebida na primeira dose.

Os idosos acamados receberão a segunda dose nas suas residências dentro do prazo estabelecida para a segunda aplicação, que é entre 21 e 28 dias a contar da primeira dose.

Cronograma da segunda dose para idosos

  • 95 anos ou mais: sexta-feira, 5 de março
  • 93 anos ou mais: segunda-feira, 8 de março
  • 90 anos ou mais: terça-feira, 9 de março
  • 89 anos ou mais: quarta-feira, 10 de março
  • 88 anos ou mais: quinta-feira, 11 de março
  • 87 anos ou mais: sexta-feira, 12 de março
  • 86 anos ou mais: segunda-feira, 15 de março
  • 85 anos ou mais: terça-feira, 16 de março


LOCAIS FIXOS

Das 8h às 17h
1 – Pavilhão da Cura
Parque Barigui
2 – Unidade de Saúde Salvador Allende
Rua Celeste Tortato Gabardo, 1.712 –  Sítio Cercado
3 – US Vila Diana
Rua René Descartes, 724 – Abranches
4 – US Jardim Paranaense
Rua Pedro Nabosne, 57 – Alto Boqueirão
5 – US Camargo
Rua Pedro Violani, 364 – Cajuru
6 – US Ouvidor Pardinho
Rua 24 de Maio, 807 – Praça Ouvidor Pardinho
7- US Vila Feliz
Rua Pedro Gusso, 866 – Novo Mundo
8 – US Pinheiros
Rua Joanna Emma Dalpozzo Zardo, 370 – Santa Felicidade
9 – Clube da Gente CIC
R. Hilda Cadilhe de Oliveira
10 – Rua da Cidadania do Tatuquara
R. Olivardo Konoroski Bueno, s/n
11 – Rua da Cidadania do Fazendinha
Rua Carlos Klemtz, 1700

DRIVE-THRU

Das 9h às 16h
1 – Pavilhão da Cura – Parque Barigui (entrada somente pela BR-277)
2 – Estacionamento do Santuário Nossa Senhora do Carmo – Boqueirão (entrada será feita exclusivamente pelo segundo portão do estacionamento, pela Rua Frederico Mauer)
3 – Paróquia Santo Antônio – Boa Vista (entrada única pela Rua Geraldo Gustavo Oscar Mueller)