Polícia Rodoviária apreende 4,7 toneladas de maconha em carga de sementes

Mais de 4,7 toneladas de maconha foram apreendidas por policiais militares do Batalhão de Polícia Rodoviária Estadual (BPRv) durante uma abordagem de rotina. A apreensão, que é a maior do ano, começou por volta de 12h30 de quinta-feira (25) na cidade de Iporã, no Noroeste do Paraná, e resultou na prisão de um homem. A droga estava escondida em uma carga de sementes de chia.

De acordo com as informações repassadas pelo BPRv, a equipe abordou um caminhão durante em fiscalização no Posto Rodoviário de Iporã, na PR-323. Aos militares estaduais, o motorista, de 29 anos, teria informado que havia carregado o veículo com sementes de chia em Sete Quedas (MS) e que levaria até a cidade de Mogi Guaçu (SP).

A equipe policial desconfiou do nervosismo do motorista e iniciou uma busca minuciosa na carga. Ao retirar alguns sacos de sementes foi possível localizar 418 fardos de maconha, que após pesagem totalizaram 4.760 quilos da droga.

A droga estava escondida em uma carga de chia – Foto: Divulgação SESP

Para o comandante do BPRv, tenente-coronel Wellenton Joserli Selmer, a apreensão é resultado do trabalho operacional feito pelas equipes nos 56 postos rodoviários em cerca de 13 mil quilômetros de rodovias estaduais que cortam o Paraná. “Esse direcionamento operacional resulta em grandes apreensões e ele é muito importante nas regiões de fronteiras, pois sabemos que é um passadouro de drogas para todo o País”, explicou.

Foto: Divulgação SESP

“Esse ano já conseguimos dobrar as apreensões em relação ao mesmo período do ano passado e o nosso número de ocorrências é 10 vezes maior também”, informou. “O investimento em segurança das rodovias é muito importante, pois a droga que nós apreendemos ali deixa de ser vendida nos centros urbanos não só do Paraná como também do Brasil todo”, afirmou o tenente-coronel.

ANO PASSADO

Nos 12 meses de 2020, o Batalhão Rodoviário apreendeu mais armas, drogas e produtos contrabandeados nas estradas que cortam o Paraná. Só as apreensões feitas nas estradas somaram 43 toneladas de maconha, um aumento de 173% em relação ao ano anterior, que registrou quase 16 toneladas. Em todo o Paraná, e não apenas nas estradas, as apreensões desta droga pelas forças de segurança chegaram a 283,5 toneladas, 

Além da maconha, o Batalhão de Polícia Rodoviária também apreendeu 88 quilos de cocaína nas estradas estaduais – 537,7% a mais que em 2019, quando foram 13,8 quilos. Já do crack foram 85,8 quilos, 260,8 quilos a mais que no ano anterior (23,8 quilos). Também foram apreendidos 7,9 quilos de haxixe, contra 2,5 quilos em 2019 , um aumento de 216,2%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PCPR e Receita Federal apreendem 209 quilos de cocaína em Cascavel  

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) e a Receita Federal apreenderam 209 quilos de cocaína, nesta terça-feira (6), na BR-277, em Cascavel, região Oeste do Estado. A droga foi encontrada em caminhão carregado com papéis reciclados. O motorista foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

Os policiais civis receberam uma denúncia anônima informando que um caminhão, que havia saído de Foz de Iguaçu, estaria transportando grande quantidade de cocaína. As drogas estavam divididas em vários tablets, escondidas em um fundo falso.

Com essa ação, a PCPR somou 681 quilos de cocaína pura apreendida em apenas duas semanas, o que significa um prejuízo de aproximadamente R$56 milhões ao crime organizado.  Na sexta-feira (26/03), 472 quilos de cocaína foram apreendidos em Santa Fé, no Norte do Estado.

Policiais Civis do Paraná são imunizados contra Covid-19

A vacinação dos policiais civis do Paraná começou no último sábado (3), e só será encerrada quando todos forem imunizados. O processo traz mais segurança aos policiais que atuam na linha de frente, cumprindo sua missão de servir e proteger os paranaenses.

Para o delegado-geral, Silvio Rockembach, que será o último policial civil a ser imunizado, hoje é um dia de alegria. “Devemos levantar as mãos e agradecer. A vacinação dos policiais civis começou e agora não para até que o último policial seja vacinado. A esperança deve guiar o nosso caminho. Temos de viver cada dia com otimismo”, afirma.

A felicidade e a esperança em poder continuar cumprindo suas missões, com mais segurança, é o principal sentimento relatado pelos primeiros policiais imunizados.

O policial civil Nilson Lamare, de 57 anos, da Subdivisão da Polícia Civil do Paraná em Cornélio Procópio, foi um dos primeiros a serem imunizados. “Estar vacinado é uma sensação muito boa. Nós, que nunca saímos da linha de frente atendendo diuturnamente a população, agora imunizados poderemos, com certeza, atender ainda melhor”, disse.

Segurança na continuidade dos trabalhos é um dos quesitos mais importantes, segundo o policial civil Altemar Girardi, 51, da Subdivisão da PCPR em Maringá.  “A sensação é de alegria e esperança. Essa pandemia está assolando muitas famílias. Nós, que estamos em contato direto no “front”, atendendo vítimas de crimes e, também, na abordagem de suspeitos, estamos muito suscetíveis a contrair essa doença. Estando imunizados temos mais segurança no cumprimento de nosso dever”, ressaltou Girardi.

O policial civil Fernando Aparecido da Silva, 44, lotado na Subdivisão da PCPR em Paranavaí, expressou sua gratidão pela vacinação.  “O sentimento é de muita esperança no futuro e gratidão às autoridades que possibilitaram que estivéssemos, agora, tomando a vacina”.

“Nós estivemos durante todo o tempo na linha de frente de combate à Covid-19, no atendimento ao cidadão, nas mais diversas formas. Estejam certos, a PCPR sempre estará aqui, para oferecer o melhor serviço à sociedade paranaense”, concluiu Silva.

Espera-se que todos os servidores da PCPR estejam vacinados ainda em maio.