Polícia Civil prende seis suspeitos de envolvimento em roubo avaliado em R$ 1,2 milhões em empresa de Curitiba 

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu seis indivíduos envolvidos em um roubo de R$ 1,2 milhões contra uma empresa de pneus, na capital paranaense. A ação contou com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os cumprimentos ocorreram em Curitiba e Região Metropolitana, além dos estados de Minas Gerais, Mato Grosso e São Paulo. Cinco dos suspeitos tinham mandado de prisão pelo roubo, dois deles também foram autuados em flagrante por tráfico de drogas.

Os policiais civis também cumpriram 17 mandados de busca e prenderam um homem em flagrante em posse ilegal de munição de uso permitido.

Além disso, apreenderam R$ 41 mil, duas espingardas de calibre permitido, 14 munições de calibre permitido, 538 gramas de maconha, uma balança de precisão, três rádios comunicadores, dois caminhões e três carretas.

Um dos suspeitos não foi localizado e encontra-se foragido.

CRIME

O roubo ocorreu na madrugada do dia 3 de maio de 2020, em uma empresa de pneus, na Cidade Industrial de Curitiba. Na ocasião, os suspeitos fortemente armados invadiram o local e fizeram refém três vítimas. Cerca de 15 homens participaram do roubo e levaram mais de 800 pneus e aparelhos celulares das vítimas. A empresa estima um prejuízo de R$ 1,2 milhões.

Ao serem ouvidas, as vítimas contaram que os suspeitos utilizaram três caminhões grandes, um caminhão baú e uma caminhonete SUV para levar os pneus. Além disso, os homens obrigaram e ameaçaram, para que as vítimas ajudassem no roubo.

INVESTIGAÇÃO

A PCPR fez oitivas, analisou imagens próximas ao local e realizou diversas diligências para identificar envolvidos no crime. Foi solicitado também apoio à PRF para identificar os caminhões utilizados no roubo.

Ainda na investigação, a PCPR descobriu que se trata de uma associação criminosa composta por diversos suspeitos com funções pré-definidas, desde os atos de preparação, de execução e de consumação após a prática dos crimes em apuração. Além disso, a organização possui ramificações atuantes no Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Mato Grosso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PCPR e Receita Federal apreendem 209 quilos de cocaína em Cascavel  

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) e a Receita Federal apreenderam 209 quilos de cocaína, nesta terça-feira (6), na BR-277, em Cascavel, região Oeste do Estado. A droga foi encontrada em caminhão carregado com papéis reciclados. O motorista foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

Os policiais civis receberam uma denúncia anônima informando que um caminhão, que havia saído de Foz de Iguaçu, estaria transportando grande quantidade de cocaína. As drogas estavam divididas em vários tablets, escondidas em um fundo falso.

Com essa ação, a PCPR somou 681 quilos de cocaína pura apreendida em apenas duas semanas, o que significa um prejuízo de aproximadamente R$56 milhões ao crime organizado.  Na sexta-feira (26/03), 472 quilos de cocaína foram apreendidos em Santa Fé, no Norte do Estado.

Policiais Civis do Paraná são imunizados contra Covid-19

A vacinação dos policiais civis do Paraná começou no último sábado (3), e só será encerrada quando todos forem imunizados. O processo traz mais segurança aos policiais que atuam na linha de frente, cumprindo sua missão de servir e proteger os paranaenses.

Para o delegado-geral, Silvio Rockembach, que será o último policial civil a ser imunizado, hoje é um dia de alegria. “Devemos levantar as mãos e agradecer. A vacinação dos policiais civis começou e agora não para até que o último policial seja vacinado. A esperança deve guiar o nosso caminho. Temos de viver cada dia com otimismo”, afirma.

A felicidade e a esperança em poder continuar cumprindo suas missões, com mais segurança, é o principal sentimento relatado pelos primeiros policiais imunizados.

O policial civil Nilson Lamare, de 57 anos, da Subdivisão da Polícia Civil do Paraná em Cornélio Procópio, foi um dos primeiros a serem imunizados. “Estar vacinado é uma sensação muito boa. Nós, que nunca saímos da linha de frente atendendo diuturnamente a população, agora imunizados poderemos, com certeza, atender ainda melhor”, disse.

Segurança na continuidade dos trabalhos é um dos quesitos mais importantes, segundo o policial civil Altemar Girardi, 51, da Subdivisão da PCPR em Maringá.  “A sensação é de alegria e esperança. Essa pandemia está assolando muitas famílias. Nós, que estamos em contato direto no “front”, atendendo vítimas de crimes e, também, na abordagem de suspeitos, estamos muito suscetíveis a contrair essa doença. Estando imunizados temos mais segurança no cumprimento de nosso dever”, ressaltou Girardi.

O policial civil Fernando Aparecido da Silva, 44, lotado na Subdivisão da PCPR em Paranavaí, expressou sua gratidão pela vacinação.  “O sentimento é de muita esperança no futuro e gratidão às autoridades que possibilitaram que estivéssemos, agora, tomando a vacina”.

“Nós estivemos durante todo o tempo na linha de frente de combate à Covid-19, no atendimento ao cidadão, nas mais diversas formas. Estejam certos, a PCPR sempre estará aqui, para oferecer o melhor serviço à sociedade paranaense”, concluiu Silva.

Espera-se que todos os servidores da PCPR estejam vacinados ainda em maio.