Polícia Civil do Paraná prende suspeitos de golpe bilionário em empresas estrangeiras

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prendeu dois suspeitos envolvidos em golpe contra empresas estrangeiras, por meio de contratos fraudulentos, que superam R$ 1 bilhão. As prisões ocorreram durante operação deflagrada na manhã desta terça-feira (30) no Paraná e no Rio de Janeiro. 

Os policiais civis também cumpriram quatro mandados de busca e apreensão em endereços relacionados aos suspeitos, em Curitiba e Pinhais, no Paraná, e Macaé (RJ).

Foram apreendidos bolsas de grife, joias, celulares, computadores, um veículo e documentos que irão auxiliar na investigação. Também foram determinados bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens dos suspeitos. Eles devem responder por associação criminosa, estelionato, falsificação de documento público e particular.

OUTROS PAÍSES 

A PCPR já identificou empresas vítimas do golpe em países como Chile, China, Noruega, Turquia, Hong Kong, Estados Unidos e Canadá. Uma das empresas chegou a depositar R$ 320 milhões na conta do estelionatário.

As investigações também revelaram que o suspeito conseguiu receber ao menos R$ 3 milhões com as fraudes negociadas, pois algumas instituições financeiras se negaram a intermediar o recebimento dos demais valores, ao verificar que a documentação apresentada era fraudulenta.  

COMO FUNCIONAVA

O principal suspeito praticava fraudes há cerca de quatro anos. Ele falsificava documentos públicos e particulares e induzia as vítimas a depositarem altas quantias na conta de sua empresa, sob a promessa de entregar produtos que nunca chegavam ao destino.

Para concretizar as “vendas”, o investigado apresentava aos clientes um portfólio, que atribuía a ele parcerias com empresas de renome no cenário nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PCPR e Receita Federal apreendem 209 quilos de cocaína em Cascavel  

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) e a Receita Federal apreenderam 209 quilos de cocaína, nesta terça-feira (6), na BR-277, em Cascavel, região Oeste do Estado. A droga foi encontrada em caminhão carregado com papéis reciclados. O motorista foi preso em flagrante por tráfico de drogas.

Os policiais civis receberam uma denúncia anônima informando que um caminhão, que havia saído de Foz de Iguaçu, estaria transportando grande quantidade de cocaína. As drogas estavam divididas em vários tablets, escondidas em um fundo falso.

Com essa ação, a PCPR somou 681 quilos de cocaína pura apreendida em apenas duas semanas, o que significa um prejuízo de aproximadamente R$56 milhões ao crime organizado.  Na sexta-feira (26/03), 472 quilos de cocaína foram apreendidos em Santa Fé, no Norte do Estado.

Policiais Civis do Paraná são imunizados contra Covid-19

A vacinação dos policiais civis do Paraná começou no último sábado (3), e só será encerrada quando todos forem imunizados. O processo traz mais segurança aos policiais que atuam na linha de frente, cumprindo sua missão de servir e proteger os paranaenses.

Para o delegado-geral, Silvio Rockembach, que será o último policial civil a ser imunizado, hoje é um dia de alegria. “Devemos levantar as mãos e agradecer. A vacinação dos policiais civis começou e agora não para até que o último policial seja vacinado. A esperança deve guiar o nosso caminho. Temos de viver cada dia com otimismo”, afirma.

A felicidade e a esperança em poder continuar cumprindo suas missões, com mais segurança, é o principal sentimento relatado pelos primeiros policiais imunizados.

O policial civil Nilson Lamare, de 57 anos, da Subdivisão da Polícia Civil do Paraná em Cornélio Procópio, foi um dos primeiros a serem imunizados. “Estar vacinado é uma sensação muito boa. Nós, que nunca saímos da linha de frente atendendo diuturnamente a população, agora imunizados poderemos, com certeza, atender ainda melhor”, disse.

Segurança na continuidade dos trabalhos é um dos quesitos mais importantes, segundo o policial civil Altemar Girardi, 51, da Subdivisão da PCPR em Maringá.  “A sensação é de alegria e esperança. Essa pandemia está assolando muitas famílias. Nós, que estamos em contato direto no “front”, atendendo vítimas de crimes e, também, na abordagem de suspeitos, estamos muito suscetíveis a contrair essa doença. Estando imunizados temos mais segurança no cumprimento de nosso dever”, ressaltou Girardi.

O policial civil Fernando Aparecido da Silva, 44, lotado na Subdivisão da PCPR em Paranavaí, expressou sua gratidão pela vacinação.  “O sentimento é de muita esperança no futuro e gratidão às autoridades que possibilitaram que estivéssemos, agora, tomando a vacina”.

“Nós estivemos durante todo o tempo na linha de frente de combate à Covid-19, no atendimento ao cidadão, nas mais diversas formas. Estejam certos, a PCPR sempre estará aqui, para oferecer o melhor serviço à sociedade paranaense”, concluiu Silva.

Espera-se que todos os servidores da PCPR estejam vacinados ainda em maio.