Pinhais se prepara para retorno das aulas municipais; saiba como vai funcionar

Pais e responsáveis responderam questionário sobre intenção de retorno presencial

A partir da próxima semana, Pinhais abre as portas das escolas municipais para o retorno das crianças, depois de quase um ano de fechamento por conta da pandemia do coronavírus. A ideia é reduzir o número de alunos nas salas de forma escalonada e proteger professores e funcionários com EPIs.

A secretária de Educação do município, Andrea Franceschini, disse que estratégia de retorno contou com o auxílio dos pais, por meio de uma pesquisa digital. “Disponibilizamos uma pesquisa para que os pais decidam se querem o ensino totalmente remoto ou híbrido. Estamos nos organizando para conseguir equipamentos de proteção individual (EPIs) a nossos professores e alunos, para que possamos atender as crianças presencialmente. Faremos de forma escalonada, já no dia 18 de fevereiro, com um número reduzido de alunos nas escolas, são dez alunos por sala e nos CMEIs. Vamos adequar a realidade com um número ainda mais reduzido neste espaço”, descreveu a secretária.

Cuidados

No primeiro momento, o grupo docente ficará focado em acolher as crianças e desenvolver dinâmicas efetivas de higiene. “Também estamos investindo muito na comunicação visual, com cartazes, para que as crianças que não sabem ler recebam as orientações. Nosso primeiro foco será a orientação e acolhimento emocional. Pensando sempre nos decretos da Saúde, já que o profissional grupo de risco fica afastado, por meio de uma perícia médica”, garantiu, em entrevista à Banda B.

CMEIs

Diferente dos alunos com idade estudantil, as crianças até 4 anos terão retorno por rodízio. “Elas têm uma dinâmica diferente porque não ficam sentadas em um espaço. Se for dando certo, vamos ampliando gradativamente. Começaremos três dias por semana e em meio período porque as 22 unidades trabalham de forma integral. Tenho CMEIS que atendem de 0 a 4 anos, quem vem primeiro são os de 4 anos. As de 0 a 2 anos, quem vem primeiro são as de 2. Assim, vamos aos poucos”, contou a secretária de Educação Andrea Franceschini.

Pedido

Para que o retorno das aulas seja positivo, a secretária pede a colaboração de toda família. “A rotina será diferente por conta da pandemia. A mãe deixa no portão e alguém encaminha para a escola, sem ela acompanhar. As crianças serão acolhidas com todo o amor e o apoio dos pais é importantíssimo. A Educação se dá pela interação e as crianças estão com muita saudade do ambiente escolar”, finalizou.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nova tecnologia em ônibus da RMC permite controle do número de passageiros em tempo real

Uma nova tecnologia implementada nos ônibus do transporte coletivo permitirá a contagem de passageiros no interior dos veículos em tempo real. A tecnologia começou a ser testada esta semana em veículos do transporte coletivo da Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo o presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Gilson Santos, os dados coletados permitirão uma análise mais rápida da operação e, consequentemente, uma tomada de decisão mais ágil e assertiva.

“Nos horários de pico temos cerca de 650 ônibus circulando, mas não conseguimos manter um fiscal em cada um deles. A nova tecnologia, ainda em fase de teste, poderá nos oferecer as informações necessárias para a tomada de decisão e em tempo real, garantindo mais agilidade e assertividade nos ajustes da operação”, explicou Santos.

Além da contagem de usuários, o sistema oferece informações para gestão de frota dos veículos, manutenção preventiva, dados de eficiência da linha, paradas de embarque e desembarque mais utilizadas, entre outros dados.

Um dos destaques é a gravação das imagens no interior dos veículos, proporcionando mais segurança aos usuários. “Como a implementação da tecnologia é feita por meio de câmeras, todo o interior do ônibus estará sendo filmado, intimidando e até espantando pessoas mal-intencionadas”, disse o presidente da Comec.

DISTANCIAMENTO SOCIAL –Os testes são patrocinados pela Associação Comercial do Paraná (ACP), visando garantir o distanciamento social dentro dos veículos do transporte coletivo. O Decreto Estadual 4.951, de julho de 2020, exige que os ônibus transitem com lotação máxima de 65% da capacidade.

“É uma tentativa de garantir mais segurança aos usuários, evitando o aumento na transmissão do vírus e, consequentemente, a adoção de medidas mais restritivas para o comércio geral, além de uma forma de educar a população”, destacou o presidente da ACP, Camilo Turmina.

Os testes serão realizados em dois veículos (um comum e um articulado) da empresa TC Araucária, concessionária de transporte coletivo na RMC. O sistema foi desenvolvido pela startup Milênio Bus. Além de controlar a lotação nos ônibus, em tempo real, um sinal vermelho será aceso caso o ônibus ultrapasse o limite de passageiros permitidos.

Duzentos colégios da rede estadual retornaram às aulas presenciais nesta segunda-feira

Nesta segunda-feira (10), 200 colégios estaduais paranaenses, em 68 municípios, retornaram às aulas presenciais, adotando o modelo híbrido de ensino, com parte dos alunos em sala de aula e parte em ensino remoto, assistindo às aulas ao vivo. Os espaços estão equipados com computadores e internet, possibilitando que os professores interajam com ambos os grupos de estudantes ao mesmo tempo.

Nesta segunda-feira (10), 200 colégios estaduais paranaenses, em 68 municípios, retornam às aulas presenciais, adotando o modelo híbrido de ensino, com parte dos alunos em sala de aula e parte em ensino remoto, assistindo às aulas ao vivo. Os espaços estão equipados com computadores e internet, possibilitando que os professores interajam com ambos os grupos de estudantes ao mesmo tempo. – Curitiba, 10/05/2021 – Foto: SEED

O retorno acontece em 15 dos 32 NREs (Núcleos Regionais de Educação), a maioria na região Oeste do Estado, sendo 55 colégios no NRE de Toledo, 27 no NRE Foz do Iguaçu, 22 no NRE Cascavel e 19 no NRE Umuarama. Os demais colégios estaduais permanecem no ensino remoto (por meio da plataforma digital Aula Paraná, das videoaulas exibidas na TV aberta e no YouTube, além dos kits pedagógicos impressos) e devem retornar às atividades presenciais gradualmente, ao longo das próximas semanas. Confira AQUI a lista de colégios com retorno presencial.

“O Paraná se destaca pela tecnologia, por ser um estado inovador na Educação. São várias ferramentas disponibilizadas para os alunos, e todas elas continuarão a serviço desses estudantes”, disse o secretário estadual da Educação, Renato Feder. “O fato de iniciarmos essa volta com aproximadamente 10% das escolas é para acompanhar o cumprimento dos protocolos indicados pela Secretaria de Estado da Saúde. Na medida em que observarmos a segurança desse grupo, ampliaremos o retorno gradativamente até chegar a 100% da rede”.

Feder acompanhou, nesta segunda-feira, o retorno presencial no Colégio Estadual Princesa Isabel, em Cerro Azul, no NRE da Área Metropolitana Norte. Além dele, também estiveram presentes o diretor de Educação da Seed, Roni Miranda, e o diretor-presidente do Instituto Fundepar, Marcelo Pimentel Bueno. A escola tem cerca de 1,5 mil estudantes, incluindo turmas do Ensino Médio, Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos (EJA) e turmas no contraturno de Atividades Complementares e Atendimento Educacional Especializado.

Nesta segunda-feira (10), 200 colégios estaduais paranaenses, em 68 municípios, retornam às aulas presenciais, adotando o modelo híbrido de ensino, com parte dos alunos em sala de aula e parte em ensino remoto, assistindo às aulas ao vivo. Os espaços estão equipados com computadores e internet, possibilitando que os professores interajam com ambos os grupos de estudantes ao mesmo tempo. – Curitiba, 10/05/2021 – Foto: SEED

“A sensação de voltar é muito boa. Não tem o que pague a presença física dos alunos”, disse Ariete Beira, professora de Português no colégio. O sentimento também é compartilhado por Mateus Monteiro, de 15 anos, que cursa o 2º ano do Ensino Médio na instituição de ensino. “A expectativa é alta. Quero ver como vão ser as mudanças na sala e no colégio, e também rever os amigos”, conta.

Lucimere Maciel, mãe da Heloísa, do 2º ano do Ensino Médio, e da Lorena Maciel Ribeiro, do 8º ano do Ensino Fundamental, relata que as alunas estavam ansiosas para frequentar novamente as aulas no colégio. “Elas não viam a hora de voltar, até sonhavam com o retorno”, diz. Ambas estavam, até o momento, estudando por meio do kit pedagógico impresso.

VACINAÇÃO DE PROFESSORES – O retorno acontece paralelamente à vacinação dos profissionais da Educação, que ocorre neste mês, simultaneamente à das pessoas com comorbidades. Serão, de acordo com a Secretaria estadual da Saúde, 32 mil doses da vacina AstraZeneca destinadas a profissionais da Educação das redes estadual, municipal e privadas, começando pelas pessoas entre 55 e 59 anos. Outros 8 mil profissionais do setor já foram vacinados, no grupo acima de 60 anos.

CRITÉRIOS E PROTEÇÃO – Há três critérios para a definição de quais colégios devem ter prioridade para a volta das atividades presenciais. O primeiro deles é o acompanhamento das cidades onde houve retorno das redes municipais de ensino e do transporte escolar. Além disso, são priorizadas as instituições de ensino onde há alunos em situação de vulnerabilidade e sem acesso a equipamentos digitais para atividades remotas. Outro critério é a análise de colégios com maior número de professores fora do grupo de risco.

As instituições de ensino seguirão um protocolo de segurança, garantindo distanciamento de 1,5 metro entre os estudantes, disponibilizando álcool em gel, reforçando a obrigatoriedade do uso de máscara e aferindo a temperatura de alunos e funcionários na entrada do colégio. Distanciamento, uso de máscara e aferição de temperatura também são regras dentro do transporte escolar.

O retorno presencial não é obrigatório. Pais, mães ou responsáveis legais que desejem o retorno dos estudantes devem assinar um termo de autorização a ser entregue na instituição de ensino. Os alunos que optarem por não ir às aulas presencialmente continuarão no ensino remoto (que inclui as plataformas digitais do Aula Paraná, videoaulas no YouTube e TV aberta, além do kit pedagógico impresso), que acontece desde o início deste ano letivo, em 18 de fevereiro.

INVESTIMENTOS – O Governo do Paraná investiu cerca de R$ 60 milhões em infraestrutura escolar no primeiro trimestre de 2021. Ao todo 124 obras foram iniciadas, contratadas ou concluídas. Os recursos também envolvem ampliações, reparos e construção de cinco novas unidades. Também está em andamento um aporte de R$ 12 milhões em novos equipamentos para cozinhas e refeitórios.

“Neste período de pandemia, aproveitamos que as escolas estavam vazias e realizamos muitas melhorias. Entregamos centenas de obras nos primeiros meses deste ano, inclusive nessas instituições que voltam nesta segunda-feira”, afirma Renato Feder.

ORIENTAÇÕES – Na página Aulas Seguras 2021, a comunidade escolar encontra importantes orientações sobre o funcionamento das escolas para o ano letivo de 2021, com perguntas e respostas frequentes, uma cartilha com os principais procedimentos de biossegurança, cartazes com dicas para os estudantes e também o termo de compromisso para os pais e responsáveis que desejam o retorno presencial de seus filhos.