Pesquisa da UFPR descarta transmissão de coronavírus de cães para humanos

Cães e gatos podem ser infectados pelo vírus causador da Covid-19 nos seres humanos

Um estudo multicêntrico conduzido pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) confirmou a presença de Sars-CoV-2 em dois cães de Curitiba. Esses foram os primeiros casos em cães identificados no Brasil. A pesquisa coordenada por Alexander Biondo, médico veterinário e professor da universidade, também descarta que cães e gatos transmitam o vírus para seres humanos e que desenvolvam a Covid-19, doença causada pelo Sars-CoV-2. O estudo é importante para coletar dados sobre o assunto e subsidiar políticas públicas e decisões tomadas por gestores políticos.

Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre esse tema, que esteve em evidência nos últimos dias. Por isso, Biondo esclareceu as dúvidas e os comentários mais frequentes da sociedade. Confira:

Os animais domésticos (gatos e cães) podem transmitir o vírus Sars-CoV-2 para humanos? 

Cães e gatos podem ser infectados pelo vírus causador da Covid-19 nos seres humanos. Entretanto, até hoje, entre os milhões de casos que ocorreram nas pessoas ao redor do mundo, não existe nenhum único relato de transmissão do vírus Sars-CoV-2 de cães e gatos para pessoas.

Até agora, após todos esses meses de pandemia, os resultados que temos nos levam a concluir que cães e gatos não participam do ciclo de transmissão do vírus, embora se infectem e possam demonstrar alguns sinais respiratórios ou digestivos, no geral, não se detecta mais o vírus no animal após 3 a 15 dias, dependendo da espécie.

Gatos são um pouco mais suscetíveis e podem transmitir para outros gatos. Em cães não há esse relato. Mas nenhuma das duas espécies transmite para seres humanos.

 A presença do vírus Sars-CoV-2 em animais quer dizer que ele tenha Covid-19? 

O vírus denominado Sars-CoV-2 não é a mesma coisa que a doença. Não há, até o momento, nenhuma doença em espécie animal ocasionada como consequência da infecção do vírus Sars-CoV-2. Temos apenas a Covid-19 que atinge somente seres humanos. Cães e gatos podem ser infectados pelo vírus, mas não desenvolvem doença, eliminando essa infecção viral em poucos dias.

Como os dois cachorros que testaram positivo adquiriram o vírus?

Fizemos a quantificação viral dos tutores, que estavam com Covid-19, e de seus cães. Concluímos que foram os tutores que transmitiram o vírus para os animais,  pois a quantidade de vírus nas pessoas era bem maior. Os dois cães que positivaram tinham um histórico de dormir na cama com seus tutores, alto contato, lambidas e beijos e esse é o motivo que levou à infecção.

A agenda de vacinação de animais domésticos contempla vacinas contra uma espécie de coronavírus. Esse coronavírus é o mesmo do que o que causa Covid-19? 

Não. São vírus diferentes, apesar de serem da mesma família. Da mesma forma, espécies distintas do vírus influenza causaram a gripe aviária e a gripe suína.

O Sars-CoV-2, originado em Wuhan na China, e depois causador da pandemia é diferente daquele já conhecido que acomete o sistema digestivo dos cães e está contemplado na agenda de vacinação.

Esse tipo de coronavírus que possui a vacina animal não é tão infeccioso, mas se associado com outros vírus causadores de problemas entéricos, como o parvovírus, pode levar a sinais clínicos bem graves e até a morte do animal.

Então essa vacina canina NÃO confere imunidade para o novo coronavírus (Sars-CoV-2), que pode infectá-los sem causar sinais clínicos e de forma transitória.

Apesar de cães e gatos não desenvolverem a doença, os tutores contaminados devem adotar medidas de prevenção também com relação a eles. Quais cuidados os tutores contaminados devem ter com animais de companhia?

É o mesmo cuidado devem ter em casa, com familiares e outras pessoas que moram junto, se alguém testar positivo. Os tutores de animais de companhia, uma vez que tenham sido infectados, devem se manter em distanciamento social dos demais seres humanos e animais. O cuidado é evitar beijos, abraços, lambidas e carinhos durante aproximadamente de 15 dias e só quando não houver mais eliminação do vírus por via aerógena, voltar o contato normal.  As pessoas também devem usar máscaras e lavar as mãos ou usar álcool em gel antes de manusear recipientes de comida e caixa de areia.

 Qual  a importância de realizar esse estudo, feito pela UFPR, para os dados e as descobertas sobre coronavírus em cães e gatos?

estudo que estamos fazendo, coordenado pela UFPR mas que  envolve outras universidades e instituições em seis capitais brasileiras, é muito importante porque ajuda os tomadores de decisão, os profissionais dos centros de controle de zoonoses e dos órgãos gestores da saúde a entenderem que os cães e gatos não oferecem riscos de transmissão da doença, ou seja, não são reservatórios da doença.

Na Europa, recentemente foi comprovado que visons estavam sendo infectados com o vírus por humanos e retransmitindo novamente para pessoas. Esse fato resultou até em medidas de eutanásia em massa desses animais em alguns países.

Por isso é tão importante que esse estudo financiado pelo CNPq e  pelo Ministério da saúde seja desenvolvido no Brasil. Esse é o primeiro estudo desse tipo em um país tropical e primeiro da América Latina, outra pesquisa similar só foi feita na Itália. Com os resultados preliminares, percebemos que cães e gatos não participam do ciclo de transmissão desse vírus. No entanto, animais como visons e outras espécies assemelhadas podem sim se infectar, ter sinais clínicos e transmitir para pessoas. Assim, é fundamental que estudos sejam feitos e auxiliem na tomada de decisões acertadas por parte dos governos.

Abandono jamais é opção!

O fato de cães e gatos poderem se contaminar com Sars-CoV-2,  não pode ser justificativa para o abandono de animais. Abandono é crime, caracterizado também como crime ambiental e maus tratos, que recentemente vem sendo considerado ainda mais severo. Lembrando que cães e gatos não adoeçam e não transmitam para humanos.

Informações Banda B.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba ultrapassa 1,5 milhão de pessoas vacinadas com ao menos uma dose

Curitiba ultrapassou a marca de 1,5 milhão de pessoas vacinadas. Até esta quinta-feira (21/10), a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba imunizou um total de 1.502.454 curitibanos com a primeira dose ou a dose única (Janssen) da vacina anticovid.

Ao todo, Curitiba já aplicou 2.801.989 unidades do imunizante, sendo 1.464.245 primeiras doses e 1.232.938 segundas doses; 38.209 doses únicas e 66.597 doses de reforço.

Da população total de Curitiba (estimada em 1.948.626 pelo IBGE), 77,1% já receberam ao menos uma dose do imunizante e 65,2% estão totalmente imunizados contra a covid-19, com as duas doses ou a dose única.

Vacinados com 18 anos ou mais

Entre a população com 18 anos ou mais, 1.403.024 curitibanos receberam a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus. Um total de 1.271.029 pessoas acima dos 18 anos já completou o esquema vacinal até esta quinta-feira (21/10). Destas, 1.232.820 pessoas receberam a segunda dose da vacina e outras 38.209 pessoas receberam a vacina em dose única.

Reforço

Curitiba também está aplicando as doses de reforço para quem já completou o ciclo de imunização, nos seguintes grupos: idosos de 70 anos, pessoas imunossuprimidas e profissionais de saúde. Até esta quinta-feira (21/10), 66.597 pessoas desses grupos receberam a dose de reforço.

Adolescentes de 12 a 17 anos

A SMS também vacinou 61.221 adolescentes entre 12 e 17 anos. Destes, 118 já receberam também a segunda dose, sendo do grupo de gestantes abaixo de 18 anos.

Doses recebidas

Até o momento, Curitiba recebeu do Ministério da Saúde, repassadas pelo Governo do Paraná, 3.041.813 doses de vacinas, sendo 1.551.232 para primeira dose, 1.381.340 para segunda dose, 38.975 doses de aplicação única e 70.266 doses de reforço. Nesse montante já estão contabilizados os 5% de reserva técnica.

A reserva técnica é uma medida de segurança, faz parte dos protocolos da logística e é necessária para evitar problemas no fluxo de imunização que possam ser causados por imprevistos eventuais, por exemplo, a quebra acidental de frascos.

O município tem capacidade para vacinar até 30 mil pessoas por dia e o avanço do cronograma de imunização ocorre à medida que as doses são enviadas pelo Ministério da Saúde ao governo estadual, responsável por distribuir os lotes do imunizante aos municípios.

Confira detalhes da vacinação contra a covid-19 no Painel Covid-19 Curitiba.

Saúde convoca adolescentes nascidos de janeiro a julho de 2007 para vacinação contra a covid

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) convoca os adolescentes nascidos entre 1 de janeiro e 31 de julho de 2007 para receberem a primeira dose da vacina contra a covid-19 nesta sexta-feira (22/10). Com isso, Curitiba irá atender adolescentes que completaram 14 anos até 31 de julho de 2021.

Também serão vacinadas nesta sexta-feira gestantes e puérperas (mães que tiveram bebês há menos de 45 dias) e adolescentes com comorbidades com 12 anos ou mais. O atendimento será feito em 25 pontos de vacinação abertos das 8h às 17h.

Todos os pontos de vacinação permanecem atendendo também: repescagem de primeira dose de pessoas com 18 anos ou mais e repescagem de segunda dose de pessoas já convocadas. Nesta sexta-feira (22/10) não haverá repescagem de adolescentes sem comorbidades convocados anteriormente.

Estoque

O novo chamamento é possível com a nova remessa de vacinas Pfizer – única liberada no país para este público – entregue pela Secretaria da Saúde do Estado do Paraná (Sesa) na quarta-feira (20/10).

Foram entregues 27.438 doses destinadas aos adolescentes, sendo que 12.764 mil doses já foram aplicadas nesta quinta-feira (21/10) em adolescentes nascidos em 2006.

A convocação de novas faixas etárias depende da avaliação de estoque remanescente ou repasse de nova remessa de imunizantes destinada para a vacinação de adolescentes.

Agilidade

Para agilizar o processo de vacinação, a SMS orienta que os pais e/ou responsáveis façam o cadastro antecipado do adolescente, como seu dependente, na plataforma Saúde Já pelo site www.saudeja.curitiba.pr.gov.br ou pelo aplicativo do celular. O cadastro agiliza o processo da vacinação.

Levar o termo de consentimento preenchido e assinado pelo responsável é outro passo para dar maior agilidade à vacinação. O documento está disponível para impressão no site Imuniza Já.

Outras orientações

No dia da vacinação o adolescente deverá comparecer a um dos pontos acompanhado dos pais e/ou responsáveis pela assinatura do termo de consentimento.

Também é preciso apresentar um documento de identificação com foto e CPF. Quem não possui documento com foto deve levar a certidão de nascimento que deve ser apresentada junto com um documento com foto do responsável.

Além disso, é preciso apresentar comprovante de residência com endereço de Curitiba, que pode estar no nome do pai ou da mãe, anexado a um documento que comprove a filiação.

Para os casos de locações não formalizadas por imobiliárias, deverá ser apresentado o comprovante do endereço da residência com uma declaração do proprietário do imóvel, com responsabilização legal pela locação e pela informação.

Repescagem

Os 25 pontos de vacinação anticovid de Curitiba permanecem vacinando também: repescagem de primeira dose de pessoas com 18 anos ou mais e repescagem de segunda dose de pessoas já convocadas.

Já a repescagem da dose reforço para idosos, profissionais de saúde e imunossuprimidos anteriormente convocados segue suspensa. O município aguarda novas remessas de doses para retomar esta vacinação e ampliar o chamamento para o público prioritário.

Pessoas com 18 anos ou mais que ainda precisem fazer a primeira dose devem fazer o cadastro na plataforma Saúde Já no site www.saudeja.curitiba.pr.gov.br ou pelo aplicativo do celular. O cadastro agiliza o processo da vacinação. Além disso, é preciso levar um comprovante de residência de Curitiba e apresentar um documento de identificação com foto e CPF.

Para receber a segunda dose da vacina, basta procurar um dos pontos de vacinação da cidade, das 8h às 17h, levar um documento de identificação com foto e CPF.

Locais de vacinação

Das 8h às 17h

1 – US Ouvidor Pardinho
Rua 24 de Maio, 807 – Praça Ouvidor Pardinho

2 – US Parigot de Souza
Rua João Eloy de Souza, 111 – Sítio Cercado

3 – Centro de Esporte e Lazer Avelino Vieira
Rua Guilherme Ihlenfeldt, 233 – Bacacheri

4 – US Bairro Alto
Rua Jornalista Alceu Chichorro, 314 – Bairro Alto

5 – US Santa Efigênia
Rua Voltaire, 139  – Barreirinha

6 – US Atuba
Rua Rio Pelotas, 820 – Bairro Alto

7 – US Tarumã
Rua José Veríssimo, 1352 – Bairro Alto

8 – US Abranches
Rua Aldo Pinheiro, 60 – Abranches

9 – US Visitação
Rua Dr. Bley Zornig, 3136 – Boqueirão

10 – US Camargo
Rua Pedro Violani, 364 – Cajuru

11 – US Uberaba
Rua Cap. Leônidas Marques, 1392 – Uberaba

12 – Clube da Gente CIC
Rua Hilda Cadilhe de Oliveira, nº 700

13 – US Oswaldo Cruz
Rua Pedro Gusso, 3749 – Cidade Industrial

14 – US Vila Feliz
Rua Pedro Gusso, 866 – Novo Mundo

15 – US Aurora
Rua Theofhilo Mansur, 500 – Novo Mundo

16 – Rua da Cidadania do Fazendinha
Rua Carlos Klemtz, 1.700

17 – US Pinheiros
Rua Joanna Emma Dalpozzo Zardo, 370 – Santa Felicidade

18 – US Orleans
Av. Ver. Toaldo Túlio, 4.577 – Orleans

19 – US Campina do Siqueira
Rua General Mário Tourinho, 1684 – Campina do Siqueira

20 – US Butiatuvinha
Avenida Manoel Ribas, 8640 – Butiatuvinha

21 – US São Braz
Rua Antonio Escorsin, 1960 – São Braz

22  – US Vista Alegre
Rua Miguel de Lazari, 85 –  Pilarzinho

23 – US Bom Pastor
Rua José Casagrande, 220 – Vista Alegre

24 – US Caximba
Rua Delegado Bruno de Almeida, 7881 – Caximba

25 – Rua da Cidadania do Tatuquara
Rua Olivardo Konoroski Bueno, s/n