Parque Vila Velha será reaberto na próxima sexta-feira

A esperada reabertura do Parque Vila Velha acontece nesta sexta-feira (04), com capacidade de público limitada a 50%, além de outras medidas de prevenção ao coronavírus, determinadas pela Portaria 223 do Instituto Água e Terra (IAT). Sob a nova administração da concessionária Soul Vila Velha, o local ganhou cara nova e passou por melhorias estruturais, especialmente no Centro de Visitantes.

Um dos cartões-postais do Paraná, Vila Velha deverá atrair ainda mais turistas nos próximos anos. “A parceria com a iniciativa privada amplia olhares para o nosso parque. São mais de R$ 15 milhões em infraestrutura para visitantes, sustentabilidade e recreação”, ressalta o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes.

Nos últimos cinco meses, período em que o parque permaneceu fechado, a equipe implementou melhorias para oferecer ao visitante uma experiência mais completa e rica durante todo o passeio.

A principal mudança é a visita autoguiada, que ganhou sinalização autoexplicativa para que ninguém perca detalhes importantes sobre os três atrativos naturais do Parque: os Arenitos, as Furnas e a Lagoa Dourada. Além disso, os principais pontos do Parque ganharam conexão wi-fi para que os turistas possam compartilhar imagens instantaneamente. As estruturas em Furnas e Lagoa Dourada continuam em obras.

“A visitação autoguiada é uma conquista importante para que cada um possa curtir a natureza no seu tempo e ritmo, demorando naquilo que mais lhe interessa. Isso muda totalmente a experiência dos visitantes”, destaca Leandro Ribas, gerente-geral da Soul Vila Velha, empresa do grupo Soul Parques, responsável pela concessão do novo Parque Vila Velha.

MUDANÇAS –O Centro de Visitantes foi totalmente reformado e ganhou uma nova atração gastronômica: a primeira filial do tradicional Restaurante Girassol, da chef Rosane Radecki. Inicialmente, o Girassol Vila Velha servirá lanches e sobremesas. Entre as opções do cardápio de lanches estão sanduíches e salgados diversos, incluindo as tradicionais polentas brustoladas com queijo ou acompanhamentos.

Entre as sobremesas, torta banoffe, cheesecake de amora e o sagu de vinho. A única refeição do cardápio será o Pão no Bafo, prato típico histórico de Palmeira, cujo resgate foi feito pela chef Rosane Radecki. Energia para antes, durante e depois dos passeios pelo parque.

Outra mudança que o visitante perceberá é a nova identidade visual do Parque. O desenho representa os principais atrativos de forma dinâmica e moderna: formas amarela e azul maior simbolizam a lagoa dourada, o laranja lembra a taça dos arenitos e os traços em verde e azul menor representam as furnas.

VALORES –Para o mês de setembro será praticado um valor promocional de R$ 28. A partir de outubro os valores dos ingressos para visita completa (Arenitos, Furnas e Lagoa Dourada, com transporte interno entre os três atrativos naturais), serão os seguintes: morador de Ponta Grossa, R$ 28 (mediante apresentação de Título de Eleitor ou comprovante de residência); meia-entrada e brasileiros pagarão R$ 42; inteira e estrangeiros, R$ 84.

O gerente-geral da Soul Vila Velha, Leandro Ribas, explica que o reajuste aplicado ajuda a promover mais as atrações. “A tabela de preços praticada até o fechamento do parque estava congelada desde janeiro de 2007. Além disso, já foram implementadas diversas melhorias na infraestrutura do parque e as obras ainda continuam, com o intuito de promover maior conforto e melhoria da experiência para nosso visitante”.

FUNCIONAMENTO –O Parque ficará aberto de quarta a segunda-feira, das 9h às 17h, sendo que para fazer o passeio completo o visitante precisa chegar até as 15h. Terça-feira é dia de manutenção.

NATUREZA E AVENTURA – Vila Velha será referência em turismo de natureza e aventura no ParanáA concessionária está preparando novas atrações para os visitantes, como o circuito de Arvorismo com Tirolesa em Furnas, o voo estacionário de balão e o circuito de Cicloturismo, todos previstos para iniciar em outubro.

Além disso, a histórica ponte sobre o rio Quebra Perna, que faz parte do passeio para Furnas e Lagoa Dourada, também será restaurada, possibilitando a implantação do transporte interno mais harmônico com a identidade do Parque.

Até 2022 o Parque também vai ganhar um novo, amplo e moderno Centro de Visitantes, com novas áreas de estacionamento e opções de lojas e de gastronomia, além de mais atrações de lazer e aventura, incluindo um espaço de hospitalidade.

MEDIDAS DE PREVENÇÃO – O Parque Vila Velha já possui o selo Turismo Responsável, criado pelo Ministério do Turismo, por ter adotado todas as boas práticas de higienização e segurança de prevenção e combate à Covid-19. O selo é uma garantia de que o visitante está frequentando um ambiente limpo e seguro para o seu lazer.

Para visitar o parque é obrigatório o uso de máscara de proteção facial durante todo o tempo de permanência no local. Ao chegar no Centro de Visitantes para a compra de ingressos, todos passam por medição de temperatura corporal.

O visitante também encontra dispersores de álcool em gel em diversos pontos do parque, especialmente nos pontos de ônibus para uso no embarque e desembarque. A permanência nos mirantes terá lotação máxima e limitação de tempo de permanência para garantir o distanciamento mínimo de 1,5m entre os visitantes.

Por enquanto, para evitar aglomerações, os passeios especiais da Caminhada Noturna, Trilha da Fortaleza e Circuito de Cicloturismo não serão oferecidos. “Vamos avaliar bem o comportamento dos visitantes nas primeiras semanas e acompanhar a evolução da Covid-19 no País, especialmente nas regiões de Curitiba e dos Campos Gerais, para retomar aos poucos e com todos os cuidados esses passeios”, esclarece Ribas.

Instituto Água e Terra segue como responsável pela gestão ambiental

O Instituto Água e Terra prossegue como responsável pela gestão ambiental do Parque Vila Velha. O contrato de concessão foi assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior no dia 19 de fevereiro. O grupo Soul Parques vai investir R$ 15 milhões em serviços de apoio à visitação, turismo sustentável e recreação. O prazo de exploração é de trinta anos.

A licitação foi precedida de roadshows (exposições itinerantes), estudo de viabilidade econômica e ambiental, audiências públicas e uma consulta pública online.

Até o próximo dia 14 de outubro a gestão do parque ainda será compartilhada entre o Instituto Água e Terra, órgão responsável pela área de conservação, e a Soul Vila Velha. O prazo oficial dessa gestão compartilhada começou no último dia 15 de agosto, quando o Governo do Paraná autorizou a reabertura dos parques estaduais, fechados desde março passado.

“A concessionária poderá atuar de forma independente depois desse prazo de 60 dias, sob a supervisão do IAT. Todas as atividades executadas deverão respeitar o plano de manejo do Parque”, lembra o diretor de Patrimônio Natural do Instituto Água e Terra, Rafael Andreguetto.

CONCESSIONÁRIA –A concessionária Soul Vila Velha é uma empresa do grupo Soul Parques, holding 100% brasileira que atua para transformar espaços públicos e privados e promover experiências inesquecíveis aos visitantes. Formada pelos sócios fundadores do Grupo Cataratas, pioneiros no Brasil em concessão de parques nacionais, a Soul Parques desenvolve e executa projetos de parceria público-privada e de terceirização de serviços para operações de turismo, lazer, entretenimento e cultura. A empresa realiza investimentos em infraestrutura qualificada e moderna e em atrações inovadoras e diferenciadas, sempre com elevado padrão de qualidade em serviços e no atendimento ao público.

Primeiro parque estadual do Paraná tem 38 quilômetros quadrados de biodiversidade

Criado em 1953, o Parque Vila Velha é o primeiro Parque Estadual do Paraná, com mais de 38 quilômetros quadrados de biodiversidade protegida. Foi criado para preservar as formações de arenito e os campos nativos do Paraná. Tombado como Patrimônio Histórico e Artístico Estadual, tem mais de 3 mil hectares e diversas atrações, entre elas os arenitos, furnas e a Lagoa Dourada.

Já foram encontradas no parque muitas espécies endêmicas e ameaçadas de extinção, como o lobo-guará, bugio-ruivo, tamanduá-bandeira, jaguatirica e aves como a águia-cinzenta, papagaio-de-peito-roxo, galito, caminheiro-grande e noivinha-de-rabo-preto.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sabores do Sertão: hambúrguer com chimichurri leva primeiro lugar em Foz do IguaçuSabores do Sertão: hambúrguer com chimichurri leva primeiro lugar em Foz do Iguaçu

Um hambúrguer com chimichurri, que conta um pedaço da história de Foz do Iguaçu, foi o prato vencedor do Concurso Gastronômico Sabores do Sertão. A ação faz parte da 30ª edição do Rally dos Sertões e tem como objetivo valorizar a história e as tradições das cidades por onde a competição vai passar. No total, serão 14 municípios, do Sul ao Norte do Brasil, contemplando os mais diversos biomas e ecossistemas do País.

Na etapa de Foz do Iguaçu, cidade que sediará a largada do Rally, foram 12 pratos inscritos, sendo que todos deveriam conter pelo menos um dos três ingredientes propostos pela organização: molho chimichurri, carne de cordeiro ou mandioca; podendo ser utilizados em pratos doces ou salgados. Depois de divulgadas as opções, o público pôde eleger os melhores em uma votação online, que somou mais de 800 votos.

Felipe Benvenuto, proprietário da Mamute Burgers, que levou o prêmio, explica que o prato vencedor é uma releitura do primeiro hambúrguer servido pela empresa, há sete anos. Por isso, ele foi batizado de “El Primero”. Na receita, além do molho chimichurri, o sanduíche leva maionese de alho confit, pão tradicional, hambúrguer de 160g, bacon em fatias e queijo muçarela. Uma junção que remonta a história da cidade e, também, do estabelecimento, que foi o primeiro food truck de Foz do Iguaçu.

“Nós fizemos uma campanha muito grande para convidar os clientes a votarem. Fizemos muitos posts nas redes sociais, enfatizamos o nosso prato e demos muito destaque para a receita e para a história dela. Estamos com a sensação de dever cumprido. É um concurso grande, feito com duas grandes instituições como o Sebrae e o Rally, e o resultado vai impulsionar ainda mais a nossa empresa”, enfatizou Felipe.

Como parte da premiação, a Mamute Burgers recebeu troféu e um selo de reconhecimento, além de um espaço em um guia especial de comemoração dos 50 anos do Sebrae, com veiculação nacional.

“É mais uma forma de valorizarmos as nossas raízes e mostrarmos os sabores das mais diversas regiões do País. Estamos felizes por realizar um concurso dessa magnitude em Foz do Iguaçu, pois sabemos que a ação movimentou a economia local e incentivou os empreendedores a pensarem de forma inovadora para atingirem o desafio”, celebra o gerente da Regional Oeste do Sebrae Paraná, Augusto Stein.

Finalistas

Além da Mamute Burgers, outras duas empresas de Foz do Iguaçu também garantiram o lugar no pódio: o restaurante Dom Liro, em segundo lugar; e a Oficina do Sorvete, em terceiro. No restaurante, os clientes puderam experimentar o “Tropeiro do Iguaçu”, uma releitura do tradicional feijão tropeiro, com dois adicionais especiais: um filé regado com molho chimichurri e mandioca cozida.

“Todas as quintas-feiras, servimos o tropeiro no restaurante e, para o concurso, queríamos reforçar esse costume, mas trazendo uma novidade, que era a inclusão desses ingredientes. Foi um sucesso e já incluímos como uma opção fixa no cardápio”, explica Marcelo Chiappa, proprietário do Dom Liro.

Sobre o concurso, o empresário garante: o resultado deu grande visibilidade para a empresa e poderá fazer a diferença para os negócios.

“Temos o restaurante há cerca de três anos e há pouco tempo abrimos outra unidade, na região central. O concurso deu muita ênfase para a nossa empresa e tivemos a oportunidade de conquistar novos clientes. Foi uma oportunidade muito especial”, garante.

No terceiro lugar, a sobremesa moderna e conceitual da Oficina do Sorvete conquistou olhares e paladares. Batizado de “A lenda de Mani”, um prato composto por sorvete de mandioca com mel de guabiroba e tuile branca, que remete ao efeito das brumas das Cataratas do Iguaçu.

“Nossa filosofia está relacionada à valorização das nossas origens e na criação de novidades. Nós criamos pratos através da história e essa foi uma experiência muito linda porque a Oficina do Sorvete pôde mostrar mais, uma vez, que é uma empresa diferente, que acredita na inovação e está comprometida em levar novidades para os clientes”, enfatiza o representante da Oficina do Sorvete, Inácio Imperador.

Os dois pratos também receberão menções especiais no guia e todos os três finalistas continuarão oferecendo as opções do concurso até o dia 27, por preços acessíveis, entre R$ 20,00 e R$ 60,00. Programação que, segundo a organizadora do Rally dos Sertões, Leonora Guedes, envolve os empreendedores, especialmente os ligados aos pequenos negócios, e tem a parceria do Sebrae.

“Esse concurso é uma iniciativa muito importante que coloca o rally na programação das cidades antes mesmo de chegarmos no local com as nossas comitivas. Ficamos muito felizes por proporcionar isso em uma cidade como Foz do Iguaçu, que está sempre de portas abertas para receber turistas, visitantes e eventos”, afirma Leonora.

Sabores do Sertão 2022 – Estrela Sebrae 50+50 Em todo o Brasil, foram inscritos 167 restaurantes em 14 cidades. Em cada uma delas, foram propostos ingredientes típicos de cada local, como mandioca, em Foz do Iguaçu, carne seca em Campo Grande (MS), buriti em Balsas (MA) e açaí em Paragominas (PA), por exemplo. Durante todo o concurso, foram computados mais de 11 mil votos

Casa Eliseu Voronkoff reúne artes visuais e música na próxima sexta-feira

Carioca, nascida em 1961, Clara Luhm é uma adoradora das artes desde pequena. Pesquisa, estuda e experimenta muitas técnicas. A mãe estudou na faculdade de Belas Artes no Rio de Janeiro, com Poty Lazarotto, o que iniciou seu interesse pelas artes. Estudou com Andrade Lima (desenho e pintura); Fernando Calderari e Elvo Benito (gravura em metal, litogravura e xilogravura); Maria de Lourdes Zanelatto (aquarela e acrílico aquarelado); Ana Muller (aquarela); casa Alfredo Andersen (desenho).
Participou de exposições com obra premiada na Câmara Municipal de Curitiba, Casa Alfredo Andersen, ABO e Solar do Rosário, entre outros espaços.

A música ficará por conta do Grupo Vocal Curitibôcas, do qual Caita e Ana Paula Frazão, gestora da Casa Eliseu Voronkoff são integrantes. O grupo é formado por 16 participantes, que atuam em diferentes profissões. Sob a regência de Dirceu Saggin, o Curitibôcas, que estreou em 1998, tem seu repertório voltado para a Música Popular Brasileira e realiza um encontro de timbres variados e um diálogo musical, conferindo ao trabalho uma sonoridade única com esmero e acuidade das vozes. E já realizou inúmeros shows e apresentações, inclusive fora do país, tendo se apresentado na Argentina e em Portugal.

O evento será gratuito. A Casa Eliseu Voronkoff fica na Rua Julieta Vidal Ozório, 413 Centro Araucária.

Serviço:

Abertura da Exposição O Mundo em Cores e Luzes, de Caita Luhm, com a participação do Grupo Vocal Curitibôcas.

12 de agosto de 2022, 19h

Casa Eliseu Voronkoff – Rua Julieta Vidal Ozório, 413 Centro Araucária.

Evento Gratuito

Informações: 41 3031 5355 – 41 99850 6246