Parque Nacional divulga fotos inéditas das Cataratas feitas à noite com o céu estrelado; confira

Ver as galáxias, as estrelas e a poeira cósmica numa das maravilhas mundiais da natureza: as Cataratas do Iguaçu,  no Parque Nacional do Iguaçu, na fronteira do Brasil com a Argentina. Foi o que fez uma equipe comandada pelo fotógrafo Victor Lima, autorizada entrar no local à noite para fazer fotos incríveis.

Apaixonado pela astrofotografia, ele fez uma primeira visita ao Parque Nacional do Iguaçu com a família há cerca de dois anos. Em sua segunda visita, em março de 2021, veio ao parque com as imagens e sonhos na cabeça, fotografias memorizadas, e organizou, junto com a administração da unidade, a liberação especial para realizar uma expedição fotográfica à noite, fora do horário de atendimento ao público.

É preciso ler as fotografias com calma para identificar os astros do Universo, do mesmo modo que Victor precisou aguardar o momento certo, ter paciência, olhar concentrado, para conseguir identificá-los e registrá-los no céu das Cataratas.

Via Láctea

Foto: Victor Lima e equipe

Nesta fotografia temos o braço da Via Láctea (galáxia espiral da qual o sistema solar faz parte) no lado esquerdo da imagem. É possível identificar na parte superior a Cruzeiro do Sul (menor de todas as constelações e considerada a mais importante) e a nebulosa Eta Carinae (magenta), que é uma das maiores estrelas e a mais luminosa da nossa galáxia; não é visível a olho nu. Já à direita, observa-se a grande e a pequena Nuvens de Magalhães, duas galáxias-satélites anãs irregulares da nossa galáxia. As duas podem ser vistas a olho nu no Hemisfério Sul.

Foto: Victor Lima e equipe

A Via Láctea surge na diagonal sobre o elevador das Cataratas do Iguaçu. Nesta fotografia podem ser vistas as nebulosas de emissão (nuvem de gás ionizado que emite luz de várias cores), nuvens brilhantes de poeira (poeira que existe no espaço sideral) e gás interestelar, como a Nebulosa da Águia (M16), a Nebulosa Ômega (M17), a Nebulosa da Lagoa (M8) e a NGC 6357, entre outras. Acima do núcleo da Via Láctea observa-se Antares (estrela supergigante vermelha na constelação de Scorpius).

Foto: Victor Lima e equipe

Como fez?

Registros incríveis, não é mesmo? Para captar essas cenas, Victor Lima utilizou uma câmera Canon 6D full-frame e fez uso da técnica de longa exposição, quando o sensor precisa de mais tempo para captar a imagem, e geralmente isso é feito em ambientes com pouca luminosidade. O profissional apoiou a câmera em um tripé e utilizou lente convencional. Usou e abusou da paciência e da pesquisa no local previamente para atingir os resultados divulgados. As cenas foram registradas durante três noites, das 22 horas às 04 horas da manhã.

Foto: Victor Lima e equipe

Quem é Victor Lima?

É engenheiro civil formado pela Universidade Federal de Viçosa (MG) no ano de 1997. Dos elementos utilizados nos projetos de engenharia, como os cálculos, as leituras de mapas, projetos e comportamento da luz, Victor adaptou as técnicas para as suas expedições fotográficas e conseguiu, com um tempo razoavelmente curto de trabalho – se comparado com o tempo de carreira de profissionais da fotografia –, produzir emblemáticos registros focados na astrofotografia de paisagem, a arte de fotografar o céu noturno com cenários.

A carreira de fotógrafo teve início no ano de 2014, quando ele comprou sua primeira câmera, uma Canon T5i, um equipamento considerado de entrada pelos fotógrafos profissionais. O objetivo era registrar a viagem que faria com a esposa à Espanha. Já na Europa, com as ideias na cabeça e a câmera na mão, conseguiu fazer fotos satisfatórias. Mas Victor acreditava que poderia obter registros com melhores composições.

Na foto o fotografo Victor Lima

De volta para casa, passou a estudar a fundo e com muito perfeccionismo os conceitos básicos da fotografia. De maneira didática, testou e buscou utilizar todas as possibilidades do seu equipamento na época, fazendo saídas para testar o aprendizado. Cada vez mais instigado pelas descobertas a cada novo registro, ampliou os estudos para seis horas por dia.

O engenheiro Victor, que se dividia entre o trabalho na engenharia e o estudo da fotografia, aumentou suas leituras e estudos fotográficos no ano de 2015, quando decidiu participar e teve o êxito de ganhar o concurso da revista Traveler, da National Geographic, que reuniu 34 mil participantes no mundo. A foto do Victor, registrada em Salto Corumbá, no estado de Goiás, foi a primeira a ser publicada na capa da revista por um leitor.

“O prêmio me motivou bastante. Naquele momento estava com uma fotografia publicada em uma revista com visibilidade mundial. Senti que aquele era o início de uma carreira e eu poderia me dedicar à fotografia. De 2015 até 2019, eu estudava e praticava as técnicas que aprendia, paralelo à minha carreira como engenheiro”, informou.

Atualmente Victor Lima dedica-se integralmente ao mundo da fotografia, com expedições fotográficas pelo Brasil e pelo mundo. Uma de suas fortes atuações se dá em cursos de astrofotografia de paisagens para grupos de pessoas que queiram aprimorar técnicas e conhecimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Aquário de 23 mil metros quadrados será novo atrativo turístico de Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu, na Região Oeste, terá mais um importante atrativo para potencializar o turismo no Paraná. O Grupo Cataratas vai construir um aquário com espécies de água doce e ecossistemas marinhos na cidade. O AquaFoz receberá investimentos de R$ 100 milhões e deverá ficar pronto em 2023, com estimativa de abertura de 250 a 300 empregos diretos. O anúncio foi confirmado nesta terça-feira (02) durante reunião no Palácio Iguaçu entre o governador Carlos Massa Ratinho Junior e representantes da empresa.

Governador Carlos Massa Ratinho Junior durante apresentação do Perojeto Aqua Foz – Curitiba, 02/03/2021 – Foto: Jonathan Campos/AEN

“É mais um grande investimento em Foz, com impacto na geração de emprego e no desenvolvimento da cidade. E, claro, novo atrativo para segurar o turista em Foz, para que ele gaste o dinheiro no comércio e nos diversos pontos turísticos oferecidos pelo município”, afirmou Ratinho Junior.

O governador destacou outras duas ações em andamento, coordenadas pelo Estado em parceria com a Itaipu Binacional, que vão ajudar a impulsionar o setor na cidade: a ampliação da pista do aeroporto internacional e a duplicação da Rodovia das Cataratas.

A intervenção no terminal de transporte aéreo chegou a 85% e deve ser finalizada neste mês. O investimento é de R$ 69,4 milhões, sendo R$ 55,5 milhões da Itaipu, referentes a 80% do valor do contrato. Essa será a maior pista do Sul do País.

A revitalização da Rodovia das Cataratas (BR-469), única via de acesso às Cataratas do Iguaçu e ao aeroporto, atingirá 8,7 quilômetros do trevo de acesso à Argentina até a entrada do Parque Nacional do Iguaçu. A licitação está programada para este semestre, com investimento de R$ 139,47 milhões, dos quais R$ 136,32 milhões serão financiados pela usina hidrelétrica e R$ 3,15 milhões pelo Governo do Paraná – o Estado será também responsável pela licitação, gestão e acompanhamento da obra. “Eu não tenho dúvidas de que Foz do Iguaçu será a grande vitrine turística do Brasil e da América do Sul”, ressaltou Ratinho Junior.

AQUÁRIO – O AquaFoz será construído em uma área de 23 mil metros quadrados, na entrada do Parque Nacional do Iguaçu, ao lado do Centro de Visitantes. Contará com diversos tanques com espécies de água doce e ecossistemas marinhos que somam um volume total de 3,8 milhões de litros de água. A previsão é que a obra comece no segundo semestre deste ano.

“Além da importância como impulsionador do turismo local, é um centro de conservação da biodiversidade. Vai trabalhar amparado no tripé educação, pesquisa e conservação, principalmente focado na conservação das bacias do Rio Iguaçu e Rio Paraná”, explicou o CEO do Grupo Cataratas, Pablo Morbis.

Ele lembrou que além do AquaFoz, o grupo administra na cidade o Marco das Três Fronteiras e o Parque Nacional do Iguaçu, e outros equipamentos espalhados pelo País, com o AquaRio, o maior aquário marinho da América do Sul, no Rio de Janeiro.

MEIO AMBIENTE – Secretário de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Márcio Nunes também ressaltou a importância do equipamento para colaborar com a preservação do meio ambiente. “Foz é a âncora do turismo paranaense, um turismo de natureza que respeita e preserva o meio ambiente”, disse.

O Aquafoz pretende conduzir, em parceria com universidades, pesquisas sobre ecologia alimentar e reprodutiva, distribuição geográfica, conservação e coibição de espécies exóticas. “Aquário faz sucesso no mundo inteiro. Consolida Foz do Iguaçu como um destino sustentável”, afirmou o prefeito da cidade, Chico Brasileiro.

Informações AEN PR.

Foz do Iguaçu atrai 33,6 mil turistas nos primeiros dias de 2021

O Parque Nacional do Iguaçu, o Marco das Três Fronteiras, a Usina de Itaipu Binacional e o Parque das Aves receberam 33,6 mil turistas nacionais e estrangeiros nos três primeiros dias de 2021. Essas atrações são os motores do turismo em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná, um dos destinos mais procurados no País. As atividades do setor correspondem a mais de 50% da economia municipal.

Os números apontam para uma retomada gradual do turismo e do setor de serviços mesmo diante do cenário de cuidados com o novo coronavírus e circulação e horários restritos para evitar aglomerações. Os dados consideram ingressos comercializados e não CPFs, podendo considerar que uma mesma pessoa esteve em mais de um local.

O Parque Nacional do Iguaçu recebeu 15.270 visitantes no feriadão de Réveillon (1º a 3). O movimento representou uma redução de 44% no comparativo com o mesmo período do ano passado, quando foram registradas 27.286 visitas. O Marco das Três Fronteiras, símbolo da amizade com Argentina e Paraguai, recebeu 6.119 visitantes, diferença de 3.408 visitantes (-35%) em relação ao mesmo período de 2019.

FOTO: AEN PR

O Parque das Aves vendeu 8.274 tíquetes entre 31 de dezembro e 3 de janeiro, sendo que a grande maioria, 7.388 pessoas, conheceu a reserva nos três primeiros dias do ano. A visitação superou a expectativa inicial de 7 mil turistas nesse período e respeitou a regra de lotação máxima de até 3.500 pessoas por dia.

Foz do Iguaçu – Parque das Aves. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

A Itaipu Binacional atraiu em 2021 um total de 4.885 visitantes. A maior parte proveniente do Paraná, fruto da política do Governo do Estado, de estímulo ao turismo regionalizado. Também visitaram a Itaipu turistas do Rio Grande do Sul e São Paulo. A visita panorâmica, a mais disputada, foi a mais movimentada. Na sexta-feira, registrou 1.107 visitantes. O dia de maior visitação foi no sábado, com 1.389 visitas. No domingo foram 1.191 turistas.

OBRAS EM FOZ – Para impulsionar ainda mais o turismo na cidade e ajudar a recuperar as perdas de 2020, o Governo do Estado, o governo federal, a Itaipu Binacional, a prefeitura e o setor privado estão tirando do papel algumas das principais obras de infraestrutura da cidade, como a Ponte da Integração Brasil – Paraguai, a ampliação da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu e a duplicação da Rodovia das Cataratas.

A nova ponte está se aproximando de 50% de execução e as obras no aeroporto já ultrapassaram 65%, com previsão de inauguração em abril. A licitação da Rodovia das Cataratas será publicada no começo deste ano, com expectativa de início das obras também em 2021. A intervenção inclui vias marginais, ciclovia, um viaduto na entrada do aeroporto, três trincheiras, ponte, uma passarela para pedestres, dois passa-faunas e uma rotatória da entrada do Parque Nacional do Iguaçu.

As obras em infraestrutura são parte do programa Acelera Foz, lançado em 2020. Ele reúne 40 iniciativas em sete eixos para que o município alcance e ultrapasse os patamares de pouco antes do início da pandemia. Os eixos são infraestrutura, divulgação, retomada econômica do turismo, empreendedorismo, inovação e atração de investimentos, apoio à produção e comercialização, e fomento de políticas públicas.

BALANÇO DE 2020 – O Parque Nacional do Iguaçu fechou 2020 com 658.367 visitantes, o que representou redução de 67% em relação a 2019, quando passaram pelos portões da reserva 2.020.358 pessoas, o maior número de visitação da história. Os números de 2020 se equiparam aos índices de 2002, um baque de 18 anos.

O parque fechou pela primeira vez em 18 de março e reabriu no dia 10 de junho, aniversário de Foz do Iguaçu. No dia 1º de julho, a unidade de conservação foi fechada novamente e retomou as atividades apenas em 4 de agosto. Nesse período foram 123 dias sem receber turistas, algo inédito desde que ele foi criado, em 1939. Em três meses (abril, maio e julho) não houve visitação.

O Parque Nacional do Iguaçu é uma das Sete Maravilhas Naturais do mundo. Ele está aberto todos os dias na alta temporada, com funcionamento das 8h às 16h, seguindo um rigoroso controle de proteção sanitária e de orientação aos visitantes. Os ingressos são limitados e vendidos exclusivamente on-line, com agendamento de data e horário para a visita.

O turismo da margem brasileira da Itaipu Binacional recebeu 233.408 visitantes em 2020. O número é 77% inferior ao de 2019, quando ingressaram nos portões da binacional 1.028.225 turistas, maior resultado da história. Desde 1976, quando foi aberta para visitação, a Itaipu já recebeu quase 24 milhões de turistas em ambas as margens.

No momento, estão em funcionamento três passeios no Complexo Turístico Itaipu (CTI): a Itaipu Panorâmica, que recebeu o maior número de turistas em 2020, o Ecomuseu e o Refúgio Biológico Bela Vista. Em período normal, há ainda a Itaipu Especial, que permite que o visitante vá até o coração da usina.

Também houve redução no Parque das Aves, frustrando a expectativa de alcançar, pela primeira vez na história, a marca de 1 milhão de turistas. Em 2020 foram 290.122 pessoas, contra 936.673 visitantes durante 2019, ano mais expressivo no reduto de mais de 1,3 mil aves, maior parque dessa natureza na América Latina.

O Parque das Aves também passou por um grande processo de reconstrução em 2020. Ele ficou fechado por quase seis meses e chegou a demitir 130 funcionários, mantendo somente pessoal indispensável para o tratamento e cuidados dos animais, mas em dezembro já anunciou a recontratação dos primeiros 28 servidores. A expectativa é de manter esse ritmo conforme a evolução das visitações.

No Marco das Três Fronteiras houve uma redução de 258.496 visitantes em 2020, queda de 57% na visitação turística, no comparativo com 2019. Foram 194.947 no ano passado, contra 453.443 do ano anterior. O ponto turístico abre todos os dias, das 15h às 21h.

Visitação nos atrativos de Foz do Iguaçu nos primeiros dias de 2021

Parque Nacional do Iguaçu – 15.270

Itaipu Binacional – 4.885

Parque das Aves – 7.388

Marco das Três Fronteiras – 6.119

Total: 33.662

Comparativo de visitação nos atrativos de Foz do Iguaçu entre 2019 e 2020

Parque Nacional do Iguaçu

2019 – 2.020.358

2020 – 658.367

Itaipu Binacional

2019 – 1.028.225

2020 – 233.408

Parque das Aves

2019 – 936.673

2020 – 290.122

Marco das Três Fronteiras

2019 – 453.443

2020 – 194.947

Saiba mais informações sobre os atrativos

Parque Nacional do Iguaçu – https://cataratasdoiguacu.com.br/

Itaipu Binacional – https://www.itaipu.gov.br/turismo/como-visitar-itaipu

Parque das Aves – https://www.parquedasaves.com.br/

Marco das Três Fronteiras – https://marcodastresfronteiras.com.br/

Informações AEN.