Parceria entre Governo e Itaipu viabiliza R$ 27 milhões para segurança

A área da segurança receberá um investimento de aproximadamente R$ 27 milhões da Itaipu Binacional. Ao todo, por meio da parceria com o Governo do Estado, serão 21 obras, entre construções e ampliações que vão beneficiar e reforçar as estruturas das polícias Militar e Civil da região Oeste do Paraná.

O pacote de investimentos corresponde a 19 obras em delegacias de todo o Oeste o Estado, além da construção da 3ª Companhia do 14º Batalhão da Polícia Militar, em Foz do Iguaçu, e da sede da 2ª Companhia do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), em Guaíra.

Todas as tratativas foram feitas pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, com o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, general Joaquim Silva e Luna, e o diretor de Coordenação da empresa, general Luiz Felipe Kraemmer Carbonell.

“A nossa parceria com a Itaipu Binacional só tende a crescer e isso gera avanços para a região e para toda a população do Estado. Com os recursos disponibilizados poderemos atender estas demandas antigas que estavam em planejamento, mas não foram executadas. Isso permitirá melhorar o atendimento fornecido pelas nossas forças de segurança para toda população”, afirmou o secretário Marinho.

“Pretendemos, ainda na região de fronteira, preservar a integração entre as principais forças de segurança, o que vai permitir maior agilidade e celeridade aos trâmites, além da troca rápida de informações e, o mais importante, a atuação conjunta entre todos os órgãos que compõem a pasta”, completou o secretário da Segurança Pública.

GUAÍRA – Do pacote de investimentos, o maior é a construção da sede da 2ª Companhia do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), em Guaíra, avaliada em R$ 22 milhões. A nova unidade vai reforçar todas as ações desenvolvidas na área de fronteira do Estado. O restante será investido em reformas para as delegacias da região Oeste.

O secretário Marinho informou que em viagem para Guaíra, em março deste ano, foram iniciadas tratativas para a instalação da Companhia Independente na cidade. Na ocasião, a Itaipu Bibnacional se colocou à disposição e pediu acesso aos projetos da obra para analisar a possibilidade de disponibilização de recursos.

“Estamos em pleno avançar de uma parceria entre Sesp, Polícia Militar e Itaipu. A sede da companhia do Bpfron em Guaíra foi projetada para receber operações interagências, como Exército Brasileiro, Marinha, Aeronáutica, Polícia Civil, Polícia Federal e outros órgãos. Vamos operacionalizar nossas ações na fronteira, tendo em vista que as rotas de tráfico de armas ilegais passam pela tríplice fronteira, adentram o território nacional e atingem, através dos portos brasileiros, a Europa e a América do Norte”, explicou o comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Péricles de Matos. “Quando estamos combatendo o crime aqui, estamos causando efeito em toda uma rede global de suporte à criminalidade”.

“Foz do Iguaçu é uma região estratégica para o Estado. É na fronteira onde conseguimos coibir parte do crime e impedir que ilícitos adentrem no Paraná. Com as forças integradas e unidas já nesta região de grande visibilidade, poderemos coibir o crime com maior eficiência”, ressaltou o secretário.

DELEGACIAS – Das 21 obras oriundas do acordo com a Itaipu Binacional estão ainda as reformas de 19 delegacias da região Oeste. Dentre elas, obras que variam de R$ 80,6 mil até R$ 202,8 mil. Ao todo a Polícia Civil será beneficiada com R$ 2,3 milhões.

São obras de melhorias para a infraestrutura das unidades. As forças policiais fizeram um levantamento das necessidades de cada local e as obras serão executadas de acordo com o que for preciso na unidade.

“As reformas destas delegacias vão possibilitar que nosso policial da ponta trabalhe com uma melhor estrutura. O bem-estar do policial, como de qualquer profissional, influi diretamente na qualidade do serviço prestado. Além disso, a população será atendida em ambiente muito mais agradável e adequado, como todo paranaense merece”, declarou o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, que também agradeceu o apoio da Itapu Binacional, do Governo do Estado e da Secretaria da Segurança Pública.

Serão contempladas as delegacias de Santa Helena, Santa Terezinha do Itaipu, Ubiratã, Terra Roxa, Vera Cruz do Oeste, Missal, Nova Aurora, Matelândia, Palotina, Guaraniaçu, Guaíra, Formosa do Oeste, Corbélia, Céu Azul, Catanduvas, Altônia, Assis Chateaubriand, Toledo e Cantagalo.

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TJPR mantém veto à realização de eventos durante a bandeira laranja em Curitiba

No processo, a Abrasel argumentou que o ente público, ao proibir a realização de eventos, pode causar graves problemas para os empresários

Diante de questionamento feito pela Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-PR), a Justiça de Curitiba determinou que “casas de festas, de eventos ou recepções” continuem fechadas durante a bandeira laranja.

No processo, a Abrasel argumentou que o ente público, ao proibir a realização de eventos, pode causar graves problemas para os empresários do setor e para seus clientes. Segundo a ação, “a Prefeitura ‘esqueceu’ que existem casamentos, aniversários, reuniões de empresas, celebrações familiares que iriam ocorrer com todo o cuidado estabelecido nos enunciados normativos vigentes até o dia 27 de novembro”. A entidade pediu a suspensão dos artigos que proíbem a realização de eventos e solicitou autorização para a realização de celebrações que já estavam agendadas.

No Plantão Judiciário de 1º Grau, porém, o Juiz responsável pela análise do caso negou o pedido liminar. “O retorno ao alerta médio (bandeira laranja) decorreu de aumento constante no número de casos e internações de pessoas infectadas pela Covid-19 no Município, conforme tem sido constantemente noticiado nos veículos de imprensa. Note-se, ainda, que não há nos decretos qualquer garantia de permanência na fase de reabertura alcançada ou disposição que vede o regresso a uma fase anterior de alerta, mesmo que isso implique ‘regresso’ para medidas mais rígidas de ‘lockdown’”, destacou o magistrado.

A Abrasel recorreu ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) e pleiteou a reforma da decisão. No entanto, os pedidos da associação foram negados. “O ato prestigia a defesa da coletividade em detrimento dos interesses de determinados segmentos da atividade econômica, e isso por prazo certo, tanto que o Decreto tem vigência por sete dias e dele consta claramente a possibilidade de as medidas poderem ser revistas a qualquer tempo, a depender da situação epidemiológica do Município”, ponderou a Juíza Substituta em 2º Grau responsável pela ordem.

A magistrada observou que o decreto questionado está amparado em estudo científico que recomenda a adoção de medidas mais rigorosas para a diminuição do contágio.

Informações Banda B.

Prova de conhecimento do PSS é transferida para 20 de dezembro

Como parte das medidas para conter a circulação do novo coronavírus no Paraná, o Governo do Estado vai adiar em uma semana a prova de conhecimentos do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para a contratação de professores temporários para a rede estadual de ensino.

O teste agora será aplicado no dia 20 de dezembro ao invés do dia 13. O processo segue com as mesmas regras, apenas a data da prova foi adiada. A lista final dos candidatos com inscrição deferida e os locais de prova serão divulgados em breve.

Pela lista provisória já divulgada, cerca de 40 mil dos 47 mil inscritos estarão aptos a realizar a avaliação nos 32 Núcleos Regionais de Educação (NREs).

O processo seletivo prevê a contratação de pelo menos 4 mil profissionais para lecionar nas unidades do Estado em 2021. É possível, inclusive, haver ampliação das vagas. Os salários podem chegar a até R$ 3.720.

SEGURANÇA – O Governo do Estado ressalta que serão tomadas todas as medidas de segurança e de higiene para a realização da prova. No dia da avaliação, os locais de teste serão higienizados previamente e terão álcool gel à disposição para manuseio de objetos.

Será obrigatório o uso de máscara e todos os envolvidos vão passar por medição de temperatura na entrada. Os candidatos também vão receber orientações para o distanciamento social na chegada e as carteiras terão espaçamento mínimo de 1,5 metro.

O processo seletivo está aberto a todos os profissionais, inclusive aos candidatos do grupo de risco.

Informações AEN.