Paraná vai receber mais 146,8 mil doses de vacinas contra Covid-19

O Ministério da Saúde confirmou ao Governo do Paraná nesta terça-feira (2) o envio de mais 146.800 doses de vacinas contra o novo coronavírus. O novo lote é da CovonaVac, desenvolvida pela Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, e faz parte de uma nova remessa de 1,9 milhão de doses encaminhadas pela entidade paulista ao governo federal.

As novas doses chegarão às 8h30 no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba. Logo em seguida serão encaminhadas para o Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), onde parte será armazenada e parte preparada para distribuição para as Regionais da Saúde.

O Paraná recebeu até o momento 706.200 doses de vacinas contra o novo coronavírus. Da Coronavac/Instituto Butantan foram 265.600 no 1º lote, 39.600 no 2º lote, 147.200 no 3º lote e 64.800 no 4º lote, além de mais 189.000 doses da Universidade de Oxford/AstraZeneca/Fiocruz. Com as novas remessas, serão 853.000 doses entregues ao Estado desde o começo da imunização. O Paraná atingiu nesta terça-feira (2) 317 mil pessoas vacinadas com as duas doses.

Essas novas doses continuarão a ser aplicadas nos públicos prioritários, de acordo com o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19. Ele segue a mesma linha do Programa Nacional de Imunizações (PNI), ou seja, nesta primeira etapa da vacinação continuarão a ser imunizados profissionais da saúde que atuam na linha de frente de atendimento aos doentes e idosos com mais de 80 anos.

Informações AEN PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curitiba ganha novos radares com limites de velocidade entre 70 e 40 km/h; saiba onde

Cruzamentos e trechos nas vias que mais registram acidentes de trânsito começaram a receber novos equipamentos de fiscalização eletrônica. Os primeiros já foram instalados e passam por aferição.

Os trechos de avenidas e ruas abaixo estão recebendo sinalização alertando sobre a fiscalização com radares, que começará a ser feita na próxima semana. Haverá radares com limite de 40 km/h, 50 km/h, 60 km/h e 70 km/h.

Segundo a prefeitura, a instalação dos equipamentos é um pedido da população, por causa do comportamento imprudente adotado por parte dos condutores, e foi precedida por análises técnicas da Superintendência de Trânsito (Setran).

Confira os locais:

1. Avenida Comendador Franco – limite de 70 km/h – e Rua Maurício Fruet – 50 km/h

No bairro Jardim Botânico foram substituídos os equipamentos instalados próximo a um supermercado e a uma rede árabe de fast-food, na Rua Maurício Fruet e na Avenida Comendador Franco. Por ser um grande corredor intermunicipal no sistema viário da cidade, a Comendador Franco permanecerá com limite de velocidade em 70 km/h, diferente da maior parte das vias da cidade que estão passando por uma readequação e que, nos próximos meses, terão velocidade máxima de 50 km/h.

A Comendador Franco é uma via arterial com características de trânsito rápido que tem, dentro do contexto urbanístico, a função prioritária de escoamento de veículos para outras regiões da cidade, município vizinho e aeroporto. Tem estrutura com pista dupla, com três ou quatro faixas de trânsito, transposições em desnível com viaduto e trincheiras, transposições em nível com semáforos e faixas de desaceleração.

“Na Comendador Franco temos um dos locais mais críticos em ocorrências gerais de acidentes, inclusive os mais graves. Os radares auxiliam no controle da velocidade e na travessia de pedestres”, salienta a superintendente de Trânsito, Rosangela Battistella.

Já a Rua Maurício Fruet é uma via caracterizada como coletora, com duas e três faixas de circulação, e faz a ligação entre bairros e com travessias de pedestres em muitos pontos, como no Terminal Vila Oficinas, na Rua da Cidadania do Cajuru e no Jardim Botânico, local turístico mais visitado de Curitiba.

2. Rua Nilo Peçanha – 50 km/h 

Trecho sinuoso da Rua Nilo Peçanha, no bairro São Francisco, passará a ter fiscalização eletrônica nas proximidades de um supermercado. O objetivo é reduzir as colisões e o impacto de possíveis acidentes de trânsito na via, que passou a ter limite de velocidade de 50 km/h. A Rua Nilo Peçanha, somente no trecho entre as ruas Carlos Pioli e Lysímaco Ferreira da Costa (com duas curvas em sequência), registrou dez colisões ao longo de 2020.

“O local é em declive, em curva acentuada e antecede um cruzamento semaforizado para pedestres. O trecho ainda tem grande circulação de pedestres pelos serviços ofertados nas proximidades, com comércios, serviços, empresas, supermercado e dois estabelecimentos de ensino”, aponta Rosangela.

3. Rua Almirante Tamandaré – 50 km/h

Cortando o bairro Juvevê, a via faz importante ligação de parte da região norte com a região central da cidade. Análise técnica da Setran constatou elevada potencialidade de acidentes nas proximidades com o cruzamento da Rua Augusto Stresser, onde havia pedidos da população e agora um novo radar começa a funcionar.

4. Ruas Padre Paulo Warcocz – 40 km/h – e Professor Pedro Viriato Parigot de Souza – 60 km/h

Nas proximidades de dois estabelecimentos de ensino, no bairro CIC, os radares vão contribuir para a segurança viária da comunidade acadêmica, principalmente após o retorno das aulas presenciais, e atende a uma reivindicação da população para o trecho que conta ainda com um conjunto habitacional vertical com mais de mil residências.

Com a Rua Monsenhor Ivo Zanlorenzi, a Professor Pedro Viriato Parigot de Souza integra o eixo viário oeste da cidade, fazendo o escoamento de tráfego bairro/centro nos dois sentidos. No cruzamento com a Rua Padre Paulo Warcocz, após trecho em curvas, há grande demanda de travessia de pedestres, com escola nas proximidades.

Data de início

Os primeiros novos equipamentos devem começar a fiscalizar a velocidade até o fim deste mês – a data certa ainda depende da conclusão dos trabalhos e será divulgada na sequência, informa a prefeitura.

Parte dos equipamentos também fiscaliza parada sobre a faixa de pedestre, avanço do sinal vermelho, conversão e retorno proibidos, conversão obrigatória, trânsito em local e horário proibido pela sinalização (caminhões de grande porte na Linha Verde) e em faixa exclusiva destinada aos ônibus do transporte coletivo.

Além de todos os pontos com fiscalização eletrônica estarem devidamente sinalizados, com placas, semi-pórticos e legendas no pavimento (no mínimo 100 metros antes do radar), as demais sinalizações das vias serão revitalizadas.

A lista completa com os pontos de fiscalização eletrônica em funcionamento pode ser consultada no site da Setran. O mapa será atualizado sempre que necessário, conforme o início de funcionamento dos radares.

Novo padrão em 50 km/h

O projeto de redução na velocidade máxima permitida tem se expandido pela cidade, seguindo tendência mundial para tornar as vias mais tranquilas e seguras. Estudos diversos do setor comprovam que a velocidade média e a fluidez no trânsito melhoram com vias urbanas com limites de 40 km/h e de 50 km/h.

Nessa perspectiva, Curitiba participa de duas iniciativas mundiais: o Programa Vida no Trânsito (PVT), chancelado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), e o Visão Zero. Ambos recomendam a adoção de redução de velocidade nas vias urbanas como forma de diminuir índices de acidentes, mortes e gravidade nas colisões.

“Com a promoção de um trânsito mais seguro também estimulamos a mobilidade ativa, com pedestres e ciclistas mais inseridos no espaço urbano”, salienta a superintendente de Trânsito.

A Setran estima que até o final do ano praticamente todos os pontos de fiscalização eletrônica estarão atualizados e concluídos, dependendo do orçamento. A substituição possibilitará o monitoramento de 804 faixas de trânsito em pontos estratégicos da cidade, o equivalente a 191 locais com equipamentos a serem instalados ou com substituição dos atuais.

Butantan produzirá mais 5 milhões de doses da CoronaVac

O Instituto Butantan já começou a produção de mais 5 milhões de doses da vacina CoronaVac, imunizante contra a covid-19. Na última segunda-feira (19), a instituição recebeu 3 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA) enviados da China.

Segundo o Butantan, o trabalho acontece de forma ininterrupta, 24 horas por dia e 7 dias por semana em uma linha de produção automatizada. Na fábrica do instituto, o medicamento é envasado, rotulado e passa por inspeções de qualidade.

Desde janeiro, já foram fornecidas 41,4 milhões de doses de CoronaVac para serem aplicadas em todo o país.

O Butantan informou, também, que espera receber nas próximas semanas mais um carregamento com 3 mil litros de IFA, que permitirão a produção de mais 5 milhões de doses. O material aguarda autorização para ser embarcado para o Brasil.

O estado de São Paulo ultrapassou nesta quinta-feira (22) a marca das 10 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus aplicadas, sendo 3,4 milhões da segunda dose.