Paraná alcança a marca de 163 mil vacinados contra a Covid-19

O Paraná atingiu nesta quarta-feira (03) a marca de 163.106 pessoas vacinadas contra a Covid-19. O número representa 68,2% das 238.871 doses distribuídas até o momento pelo Governo do Estado aos 399 municípios paranaenses.

De acordo com o balanço divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, 15 das suas 22 regionais no Paraná já ultrapassam o índice de 80% de vacinados. Oito delas, Irati (4ª RS), União da Vitória (6ª RS), Francisco Beltrão (8ª RS), Campo Mourão (11ª RS), Cianorte (13ª RS), Jacarezinho (19ª RS), Telêmaco Borba (21ª RS) e Ivaiporã (22ª RS) romperam a barreira dos 90%.

Campo Mourão, Irati e Cianorte estão bem próximos de fechar esse primeiro momento de vacinação – as aplicações foram feitas em trabalhadores de saúde, pessoas em Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), pessoas com deficiência severa e indígenas.

O balanço parcial é preliminar e foi divulgado pela Secretaria da Saúde a partir de um levantamento interno realizado com as regionais e os respectivos municípios. A expectativa é que nos próximos dias o sistema integrado do Ministério da Saúde, Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), funcione corretamente para divulgação de dados.

O DataSUS, sistema macro no qual está o SI-PNI, desenvolveu um módulo especial para receber os dados de todos os estados e que contempla informações como registro de vacinados, público-alvo, origem e lote de vacinas.

Segundo o boletim, as 163.106 aplicações da primeira dose da vacina contra o coronavírus foram divididas entre 146.235 trabalhadores da saúde (89,6%), 9.274 idosos em asilos e profissionais cuidadores (5,6%), 7.397 indígenas (4,5%) e 200 pessoas com deficiência severa. São 4.326 novas imunizações em relação ao balanço de terça-feira (02).

DOSES – O Paraná recebeu 391.700 doses para imunização contra a Covid-19 enviadas pelo Ministério da Saúde. Foram 265.600 (1º lote) e 39.600 (2º lote) doses da Coronavac/Instituto Butantan. 86.500 doses da Universidade de Oxford em parceria com o Laboratório AstraZeneca/Fiocruz.

A Secretaria da Saúde já encaminhou aos municípios 238.871 para aplicação da primeira dose no público prioritário já definido. A segunda parte do imunizante, no caso da CoronaVac, produzida em parceria com o Instituto Butantan, começou a ser distribuída na terça-feira (02). São mais 132.779 doses, destinadas para as regionais de Paranaguá (1ª RS), Pato Branco (7ª RS), Francisco Beltrão (8ª RS), Foz do Iguaçu (9ª RS), Cascavel (10ª RS), Toledo (20ª RS) e os municípios da região de Curitiba. Na próxima semana a distribuição irá alcançar as demais regiões do Estado.

BALANÇO – As Regionais de Saúde que mais imunizaram em números absolutos foram Curitiba e Região Metropolitana (2ª RS), com 41.226 pessoas; Londrina (17ª RS), com 13.551; Maringá (15ª RS), com 12.979; Cascavel (10ª RS), com 11.398; Ponta Grossa (3ª RS), com 8.232; e Guarapuava (5ª RS), com 7.473.

Proporcionalmente à quantidade de doses recebidas, os destaques foram Cianorte (13ª RS), com 98,7%, Campo Mourão (11ª RS), com 97,1% e Irati (4ª RS), com 95,8%.

Confira o balanço de aplicação por Regional de Saúde:
1ª RS – Paranaguá – 2.394 (53,4% das 4.480 doses recebidas).

2ª RS – Metropolitana – 41.226 (51,9% das 79.421 doses).

3ª RS – Ponta Grossa – 8.232 (81,5% das 10.090 doses).

4ª RS – Irati – 2.338 (95,8% das 2.440 doses).

5ª RS – Guarapuava – 7.473 (87,6% das 8.530 doses).

6ª RS – União da Vitória – 2.303 (91% das 2.530 doses).

7ª RS – Pato Branco – 5.782 (88,5% das 6.530 doses).

8ª RS – Francisco Beltrão – 5.238 (90,6% das 5.780 doses).

9ª RS – Foz do Iguaçu – 6.047 (62,1% das 9.730 doses).

10ª RS – Cascavel – 11.398 (80% das 14.240 doses).

11ª RS – Campo Mourão – 5.644 (97,1% das 5.810 doses).

12ª RS – Umuarama – 4.265 (82,6% das 5.160 doses).

13ª RS – Cianorte – 2.262 (98,7% das 2.290 doses).

14ª RS – Paranavaí – 4.298 (83,1% das 5.170 doses).

15ª RS – Maringá – 12.979 (72,4% das 17.910 doses).

16ª RS – Apucarana – 5.841 (79,5% das 7.340 doses).

17ª RS – Londrina – 13.351 (50,8% das 26.240 doses).

18ª RS – Cornélio Procópio – 4.453 (85,8% das 5.190 doses).

19ª RS – Jacarezinho – 5.161 (92,9% das 5.550 doses).

20ª RS – Toledo – 6.380 (79,7% das 8.000 doses).

21ª RS – Telêmaco Borba – 2.600 (94,2% das 2.760 doses).

22ª RS – Ivaiporã – 3.441 (93,5% das 3.680 doses).

TOTAL – 163.106 vacinados (68,2% das 238.871 doses distribuídas).

Informações AEN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chega ao Brasil lote de 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen

O Brasil recebeu nesta terça-feira (22) 1,5 milhão de doses da vacina da Janssen contra a Covid-19. A chegada ao aeroporto de Guarulhos contou com a presença do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

A chegada estava prevista para a última terça (14), mas o envio foi suspenso. Além disso, a pasta havia divulgado que o país receberia 3 milhões de doses. A expectativa, agora, é que a entrega seja em etapas.

Em março, o Ministério da Saúde fechou um contrato para obter 38 milhões de doses de vacinas da Janssen, que precisa de apenas uma dose. A previsão inicial de entrega era de 16,9 milhões de doses entre julho e setembro e 21,1 milhões de outubro a dezembro.

A possibilidade de antecipar parte do envio foi anunciada nas últimas semanas. O volume, porém, tinha data de vencimento em 27 de junho, o que gerou preocupação entre secretários de saúde.

Após análise, a FDA, agência que regula medicamentos nos Estados Unidos, ampliou o prazo para até 8 de agosto.

Pedido semelhante para ampliar a validade foi feito pela empresa à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que aprovou o pedido. Com isso, a nova data também passa a valer ao Brasil.

Até então, o prazo de validade da vacina, quando armazenada na temperatura de 2ºC a 8º C, era de três meses. Agora, passa a ser de 4,5 meses. A Anvisa diz que a aprovação foi baseada em avaliação de estudos que demonstraram que a vacina tende a se manter estável pelo período. Aponta ainda ter considerado a decisão recente da agência norte-americana.

Botão do Pânico digital será ampliado para todo o Paraná

Botão do Pânico em versão digital estará disponível para todo o estado no mês de julho.

O dispositivo digital de medida de segurança, Botão do Pânico, será expandido para todo o Paraná. A informação foi confirmada à procuradora da mulher da Assembleia Legislativa do Paraná, deputada Cristina Silvestri (CDN), pela desembargadora Ana Lúcia Lourenço, da Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), durante reunião de alinhamento. A expectativa é que esse processo de expansão para toda as 161 Comarcas do Estado ocorra até o final de julho, atendendo, por consequência, os 399 municípios do Estado. Atualmente, 13 cidades realizavam testes com a aplicação digital como projeto piloto.

“O Botão do Pânico foi uma conquista enorme para as políticas públicas do Paraná ao ser implantado como programa de governo efetivo no combate à violência doméstica e ao feminicídio. No começo deste ano ele foi migrado para a versão digital, um desejo antigo nosso, mas ainda não tínhamos a garantia de quando todos os municípios seriam atendidos. Agora tivemos detalhes do trabalho do Tribunal e da Cevid para essa expansão imediata, o que nos deixa entusiasmadas para intensificarmos o trabalho do legislativo nesta pauta”, detalhou Cristina Silvestri, autora da Lei 18.868/2016, que implantou o botão do pânico no Estado há cinco anos.

A deputada e procuradora ressalva que quando a instalação dos dispositivos for concluída, o desafio dos órgãos de enfrentamento será de conscientização das mulheres com medida protetiva de urgência, que podem fazer a solicitação do botão via seu advogado(a) ou defensor público, por exemplo. Outro ponto que será trabalhado será a conciliação dos botões com tornozeleiras eletrônicas, o que além de ajudar a proteger a vítima, auxiliará o monitoramento do agressor em tempo real.

“O funcionamento do botão continuará da mesma forma: as mulheres que possuírem acesso ao dispositivo poderão acionar o botão no momento que seus agressores se aproximarem ou caso ela sinta que está correndo perigo. Um sinal será enviado para a Polícia Militar que, dentro de pouquíssimo tempo, irá até o local utilizando os serviços georefenciamento”, explicou.

O deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB) disse que “o botão do pânico faz parte de uma efetiva parceria entre o Tribunal de Justiça, o Governo do Estado e a Polícia Militar”.

As primeiras cidades que receberam o serviço em março deste ano foram Apucarana, Arapongas, Araucária, Campo Largo, Cascavel, Curitiba, Fazenda Rio Grande, Foz do Iguaçu, Irati, Londrina, Maringá, Matinhos, Paranaguá, Pinhais e Ponta Grossa.

Em 8 de junho, tiveram acesso ao dispositivo, também, as comarcas de São José dos Pinhais, Almirante Tamandaré, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Cerro Azul, Colombo, Rio Branco do Sul, Antonina, Guaratuba, Morretes, Pontal do Paraná e Piraquara.

O cronograma da Polícia Militar prevê a disponibilização da ferramenta para mais de 100 municípios, até o fim de junho, contemplando as regiões norte, noroeste e sudoeste do estado.