Paraná abre mais de 19 mil empregos e volta a ter saldo positivo no ano

O Paraná emplacou o quarto mês consecutivo de saldo positivo na criação de empregos com carteira assinada. De acordo com levantamento divulgado nesta quinta-feira (29) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ligado ao Ministério da Economia, o Estado abriu 19.732 novos postos de trabalho em setembro.

É o segundo melhor desempenho do ano, atrás apenas de fevereiro, ou seja, antes do abalo causado pela pandemia do novo coronavírus. Com isso, o Paraná passa a ter um estoque positivo no ano, com 1.092 vagas, algo que não ocorria desde março.

O resultado também reforça a posição do Estado como um dos principais polos da retomada econômica do País. O Paraná foi a quinta unidade da federação que mais empregou no mês passado, atrás apenas de São Paulo (75.706), Minas Gerais (36.505) e Santa Catarina (24.827) e Pernambuco (21.801).

Já em relação a agosto, que contou com saldo de 17.061 admissões, houve um incremento de aproximadamente 16%.

 Para o governador Carlos Massa Ratinho Junior, os números refletem o acerto na estratégia do Governo do Estado de valorizar a produção local e investir em obras estruturantes como base da recuperação de empregos.

“É um resultado que nos deixa muito feliz. Não há programa social melhor do que o emprego. O planejamento do Governo do Estado é para que esses números continuem crescendo, que possamos terminar esse ano tão difícil de uma maneira boa, com os paranaenses trabalhando e movimentando a economia”, destacou o governador.

Ratinho Junior lembrou que, mesmo com os problemas causados pandemia, o Paraná fecha o quadrimestre entre junho e setembro com a expressiva marca de 48.073 vagas abertas. “A administração estadual desburocratizou a máquina pública justamente para que os empresários possam investir no Estado com tranquilidade e segurança jurídica. Aqui no Paraná somos parceiros de quem quer investir e gerar emprego e renda”, afirmou.

SETORES – Os setores que mais se destacaram em setembro no Paraná foram da indústria de transformação, com 6.690 empregos criados. Na sequência, destaque para o comércio (5.398), serviços (4.716), construção civil (2.892) e agricultura (100). O único segmento com saldo negativo foi o da indústria de utilidade pública, com fechamento de 64 vagas.

“A indústria vem contratando mais, mesmo nesse período recente. Além disso, ela alavanca outros setores da economia por pagar melhores salários e exigir mais qualificação”, explicou a chefe do Departamento do Trabalho e Estímulo à Geração de Renda da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho, Suelen Glisnki. “Mas vale ressaltar também o bom desempenho da construção civil”, completou.

MUNICÍPIOS – Os municípios paranaenses com melhor desempenho no Caged no mês passado foram Curitiba (4.006 empregos gerados), São José dos Pinhais (1.314), Maringá (1.154), Ponta Grossa (930), Londrina (903), Cascavel (679), Arapongas (415), São Mateus do Sul (412), Fazenda Rio Grande (396) e Colombo (383). O ranking demonstra a retomada da criação de emprego nas grandes cidades e polos industriais do Estado.

“Os resultados apresentam uma reação positiva com as ações proativas produzidas e executadas pelo Governo do Paraná em atrair novos investimentos, e também pela parceria entre empresas e Agências do Trabalhador. Essa é uma considerável melhora na situação e dá sinais de uma revitalização futura e de mais avanços para a retomada da economia no Paraná”, enfatizou o secretário da Justiça, Família e Trabalho do Paraná, Ney Leprevost.

ACUMULADO – O bom resultado em setembro fez com que pela primeira vez após o início da pandemia da Covid-19 o Paraná passasse a ter um saldo anual positivo na abertura dos postos de trabalho, com 1.092 vagas. É o melhor desempenho do Sul do País no acumulado de 2020 – Santa Catarina tem 921 e o Rio Grande do Sul -74.445.

Os municípios que mais geraram emprego no acumulado de janeiro a setembro foram Ponta Grossa (3.140), Ortigueira (2.112), Matelândia (1.764), Toledo (1.598), Rolândia (1.570), Arapongas (1.115), Palotina (1.088), São Mateus do Sul (973), Umuarama (912) e Palmas (880).

Já o desempenho paranaense mês a mês aponta: janeiro (17.932), fevereiro (28.720), março (-12.277), abril (-59.022), maio (-25.012), junho (2.447), julho (8.833), agosto (17.061) e setembro (19.732).  “O resultado consolida o Paraná como o maior gerador de empregos do Sul e o nono do País no ano”, ressaltou Suelen Glisnki.

NACIONAL – Os dados do Caged divulgados nesta quinta-feira (29) mostram saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada no Brasil pelo terceiro mês consecutivo.

Em setembro, o saldo foi positivo de 313.564 novos postos de trabalho formal, resultado de 1.379.509 admissões e 1.065.945 desligamentos. No acumulado do ano, contudo, o saldo ficou negativo em 849.387.

Na divisão por ramos de atividade, todos os cinco setores pesquisados criaram empregos formais no mês. A estatística foi liderada pela indústria, com a abertura de 110.868 postos.

Com 80.481 novos postos, os serviços vêm em segundo lugar. Em seguida aparece o grupo comércio, reparação de serviços automotores e de motocicletas, com 69.239 novas vagas.

Em quarto lugar, está o setor de construção, com 45.249 postos. O grupo que abrange agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, abriu 7.751 postos em setembro.

Todas as regiões brasileiras criaram empregos com carteira assinada. O Sudeste liderou a abertura de vagas, com 128.094 novos postos; seguido pelo Nordeste, com 85.336 e pelo Sul, com mais 60.319 postos criados. O Norte abriu 20.640 postos de trabalho, e o Centro-Oeste registrou 19.194 postos formais no mês passado.

Informações AEN.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Motociata de Bolsonaro no Paraná deve acontecer no dia 25 de setembro

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), fará uma nova “motociata” no Paraná no dia 25 de setembro. O “passeio” terá início no município Piraí do Sul e deve seguir até Ponta Grossa.

O evento foi anunciado, nesta quarta-feira (15), pelo deputado Ricardo Barros (PP-PR), líder do Governo na Câmara, por meio do Twitter.

Reprodução

PM lança edital de ingresso no curso de formação de oficiais para policial e bombeiro militar

A Polícia Militar abriu as inscrições para o concurso público de ingresso ao Curso de Formação de Oficiais (CFO) turma 2022. São 60 vagas para cadete policial militar (seis para candidatos afrodescendentes) e 10 vagas para cadete bombeiro militar (uma para candidatos afrodescendentes). Os interessados podem fazer a inscrição até as 12h do dia 10 de novembro. Confira o link do Edital.

Os candidatos devem ler atentamente o que prevê o edital e verificar os pré-requisitos básicos para concorrer às vagas. As inscrições devem ser feitas pela internet, no site do Núcleo de Concursos da Universidade Federal do Paraná, mediante o preenchimento do formulário de inscrição, e serão consolidadas com o pagamento da taxa, ou após a homologação da isenção dessa taxa (ver critérios no edital).

A SELEÇÃO – O processo seletivo será feito em duas etapas, sendo a primeira com a UFPR e a segunda com a Academia Policial Militar do Guatupê (APMG). A primeira etapa, de caráter eliminatório e classificatório, consiste provas de Conhecimentos Gerais e de Compreensão e Produção de Textos, em fase única, para avaliar o domínio dos conteúdos das disciplinas do Ensino Médio, as capacidades de articular ideias com clareza, de relacionar e interpretar fatos e dados e de raciocinar de maneira lógica.

Na segunda etapa, os candidatos serão submetidos às Provas de Habilidades Específicas (PHE) no âmbito da PMPR, reguladas por edital. As PHE, de caráter eliminatório, serão compostas pelas seguintes fases: Investigação Social (IS), Avaliação Psicológica (AP), Exame da Capacidade Física (ECAFI) e Exame de Sanidade Física (ESAFI).

CFO – O curso, oferecido pela Escola de Formação de Oficiais (EsFO), é disponibilizado todos os anos pela UFPR. As disciplinas fundamentais estão ligadas diretamente à vida militar, buscando adaptar os cadetes para o melhor cumprimento da sua atividade como policial militar e bombeiro militar. São diversos segmentos do direito, uso correto de armas de fogo, psicologia, estatística, educação física, direitos humanos e policiamento comunitário, além de técnicas de salvamento e prevenção de incêndios, entre outras.

DURAÇÃO – O curso tem duração de três anos e, no 1º ano, o cadete recebe um subsídio de R$ 3.277,88. No 2º ano o valor é de R$ 3.671,24 e, no 3º ano, de R$ 4.221,93. Ao concluir o 3º ano o cadete é declarado Aspirante à Oficial com subsídio no valor de R$ 7.211,35. Após o período de estágio probatório, estará apto a ser promovido ao posto de 2º tenente, com subsídio de R$ 9.735,33.