Outros prefeitos do Litoral decidem não acompanhar lockdown decretado em Matinhos, mas prometem fiscalização rigorosa

Diante do decreto de lockdown estabelecido pela Prefeitura de Matinhos, a Associação dos Municípios do Litoral do Paraná (Amlipa) se reuniu para discutir medidas conjuntas de combate à Covid-19. Durante o encontro, que foi realizado nesta quarta-feira (24), os prefeitos decidiram não acompanhar a medida adotada por Matinhos, mas prometeram rigor na fiscalização para evitar a propagação da doença.

O prefeito de Guaratuba, Roberto Justus, informou que os municípios estão alinhados às decisões do Governo do Estado e, em um primeiro momento, vai ampliar a fiscalização. “Se precisar fazer algum ajuste na legislação, faremos a partir das recomendações do Estado e do Governo Federal”, explicou.

Nos últimos dez dias, o Litoral do Estado observou um expressivo aumento de casos. Em Guaratuba, os casos passaram de 2.391 para 2.725; em Paranaguá, de 11.771 para 12.186; e em Matinhos, de 1.457 para 1.566.

Na terça-feira (23), a ocupação de leitos do Hospital Regional do Litoral era de 100%.

Entre as medidas cogitadas para o Litoral está o fechamento das praias, mas Justus admite que o momento é muito difícil para isso. “A nossa estrutura pessoal, inclusive de equipamentos, está montada por 40 mil pessoas, então como conter 100, 150, 200 mil habitantes, então vamos até ver como o prefeito de Matinhos vai conseguir fiscalizar”, disse.

Máscara

A falta do uso de máscaras por turistas também vai ganhar uma atenção especial. Segundo o prefeito de Guaratuba, a proteção é obrigatória. “Não haverá mais tolerância, a pessoa que for sem máscara para a praia será multada e pode, inclusive, ser levada para a delegacia”, concluiu.

Lockdown em Matinhos

Para a adoção das medidas mais rígidas, como o lockdown, a Prefeitura de Matinhos divulgou relatório que aponta que, entre os dias 17 e 23 de fevereiro, a UPA Praia Grande registrou uma média de 400 pacientes – dentre casos de Covid e atendimentos habituais – a cada 24 horas. Entre os atendidos, foi identificado um elevado percentual de moradores de Pontal do Paraná, Guaratuba, Curitiba e Região Metropolitana, além de habitantes de municípios do Norte do Paraná.

De acordo com os dados fornecidos pela administração municipal, em apenas 55 dias de 2021, o número de casos em Matinhos atingiu praticamente o dobro de todas as ocorrências de 2020 na cidade.

Informações Banda B.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Paraná recebe 451,7 mil doses da vacina AstraZeneca

O Paraná recebeu na tarde desta segunda-feira (21) mais 451.750 doses da vacina contra a Covid-19. Os imunizantes, produzidos em parceria pela AstraZeneca, Universidade de Oxford e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), integram o 26º lote encaminhado pelo Ministério da Saúde.

O material já está no Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), em Curitiba, para averiguação, validação e posterior divisão. A expectativa da Secretaria de Estado da Saúde é começar a distribuição para as 22 regionais que formam o sistema público de saúde do Estado ainda nesta terça-feira (22). 

De acordo com a pauta de distribuição, todas as doses são destinadas à conclusão do ciclo de imunização de grupos prioritários. São 404.242 doses para as pessoas de 60 a 64 anos (o equivalente a 71% do total) e 2.277 doses para trabalhadores das forças de segurança e salvamento e das Forças Armadas (6% do grupo). As demais doses vão para reserva técnica.

“Vamos acelerar a distribuição para fazer com que mais pessoas completem o ciclo de vacinação, garantindo a completa imunização contra o vírus, por isso vale reforçar a importância das pessoas tomarem a segunda dose”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “Queremos continuar fazendo a vacina chegar no braço dos paranaenses na maior velocidade possível”, reforçou ele.

VACINÔMETRO 

O Paraná administrou até a tarde desta segunda-feira 5.032.954 doses da vacina anticovid. Dessas, 3.749.010 foram aplicações de primeiras doses e 1.283.944 segundas doses. Os dados são do Vacinômetro (https://localizasus.saude.gov.br/) do Sistema Único de Saúde (SUS), painel do Ministério da Saúde alimentado diretamente pelos municípios.

Das vacinas aplicadas, 49,1% foram vacinas da AstraZeneca, 45,6% da Coronavac (Instituto Butantan/Sinovac) e 5,3% da Pfizer/BioNTech.

Em números absolutos, as cidades que mais vacinaram são Curitiba (889.741 doses), Maringá (287.645 doses), Londrina (268.166 doses), Cascavel (149.343 doses) e São José dos Pinhais (141.024 doses).

Vídeo mostra como vai ficar a nova orla de Matinhos após revitalização; confira

A revitalização de 6,3 quilômetros entre a Avenida Paraná e o Balneário Flórida, em Matinhos, no Litoral do Estado, começa nos próximos meses. O prazo de propostas da licitação, lançada nesta segunda-feira (21), é de 30 dias, e as obras serão finalizadas 32 meses a partir da ordem de serviço, que deve ocorrer no segundo semestre. O investimento do Governo do Estado será de R$ 377,85 milhões nessa primeira etapa.

Reprodução

No mesmo evento de abertura do edital, o Governo do Estado apresentou o vídeo de como vai ficar a nova orla. O projeto prevê preservação do meio ambiente, a recuperação da área de restinga, engordamento de 70 a 100 metros da faixa de areia e instalação de estruturas semirígidas sobre o mar. Também haverá canais de macrodrenagem e de microdrenagem.

Serão implantados, ainda, equipamentos urbanos, ciclovia, pista de caminhada e corrida, pista de acessibilidade, novas calçadas, passarelas para acesso à praia (protegendo a restinga), além de paisagismo com árvores nativas.

É a maior obra em andamento no Estado, na perspectiva financeira, e também uma intervenção que faz parte de uma série de projetos planejados para o Litoral, como a Ponte de Guaratuba (com estudos já contratados), a Escola do Mar na Ilha das Obras (obras já iniciadas), novos trapiches na Ilha do Mel, duplicações rodoviárias e modernizações no Porto de Paranaguá. 

Reprodução

“O projeto de recuperação da orla de Matinhos vai mitigar os efeitos provocados pela erosão marinha, além de contribuir para o controle das cheias na região e fortalecer, de maneira inédita, o turismo, os restaurantes e os hotéis do nosso Litoral. É um projeto ambicioso que finalmente conseguimos tirar do papel”, afirmou o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Veja como vai ficar: