Os passageiros desse Busão – Você tem ideia de quantas pessoas já embarcaram?

Por mais que eu seja o pia mais novo, em vivencia de Busão, eu um dia nem imaginava em participar desse Blog e da Página, tão pouco conhecer os guris que tocam essa parada. O que eu sempre tive curiosidade em conhecer, talvez por trabalhar na área, era o quão longe as postagens e artigos desses lokes poderia chegar. Claro que a primeira coisa que eu fiz quando me permitiram adentrar a esse culto ao transporte coletivo foi olhar as estatísticas e juntar alguns dados para um dia, no caso hoje, poder liberar (ui) esses dados para vocês. Alguns nem imaginam a distancia que uma publicação aparentemente simples pode chegar e, também, a falta de padrão no gosto das pessoas. Hoje você chora de rir de uma Capivara lambendo a cara do Galdino, amanha você está defendendo o direito dos animais. Com isso você vai comprovar uma teoria que é Lei no meio das Redes Sociais: “O que funciona hoje, pode ser motivo do teu enterro amanha”.

Vocês devem perceber que estamos focando mais em artigos, conteúdo mais extenso e muitas vezes redirecionamentos para o Blog. Claro que não podemos evitar o comentários mais clichê nessa situação: “Eles querem ganhar dinheiro com cliques”. Isso é parte verdade e parte uma grande falta de entendimento do que é ser blogueiro/profissional que dedica seu tempo a criar conteúdo de qualidade e gerenciar uma comunidade com mais de 150 mil pessoas. Imagine que não existe a internet e todos os curtidores do BusãoCuritiba estivessem em um grande Salão. O  Cássio  vira para o Ricardo e faz uma piadinha de cair os butia do bolso sobre Capivaras, Oilman e a MC Mayara. Metade do salão levanta seus dedos para cima e da umas boas risadas, porém a outra metade não ri e diz “Ui, que gente chata”. Outro comentário surge sobre o mal humor dos Curitibanos, sobre o estilo de vida de Colombo ou que o Aeroporto não é de Curitiba. O que eu quero mostrar com isso é que a proporção que certos conteúdos tomam é gigante (goiaba?) e todos os olhos e dedos, no final das contas, são apontados para quem criou aquela inofensiva tirinha ou artigo. Ser um Criador de Conteúdo e ter a força pra não se abalar quando as criticas surgem, que não são poucas, devem ao menos merecer que você nos de o seu apoio e pense que também precisamos comer coxinha, tomar uma água da serra e beber no largo.

Então chega de lavar roupa e vamos ao que interessa. Com vocês…BusãoCuritiba, nu.

 

O que acontece em uma semana na página do Facebook?


Estatistica-Página-1

Esses dados representam a movimentação de uma semana dentro da página do Facebook do Busão. Considerando a aba da esquerda, todos os números se referem a pessoas. Então como vocês podem ver, o alcance médio da semana passada foi de 178 mil pessoas. Nós conseguimos passar no ponto e recolher todo esse pessoal, porém o alcance das publicações ainda foi maior! 275 mil pessoas interagiram com as publicações seja com likes, comentários ou cliques que inclusive foram feitos 124 dedadas no mouse nesse período. É quase o que a Gretchen viu na vida inteira dela.

Inclusive podemos saber que 51% dos curtidores do Busão são Mulheres entre 18-24 anos, eita! Estamos melhor que a Woods e a Shed juntas, não é pra qualquer um. Um fato que me deixa comovido é saber que, mais ou menos, 870 idosos com mais de 65. Isso prova que fazemos até os velhinhos sorrirem – uma lágrima escorre.
Faixa-daPágina

 

Quais são as postagens que a piazada pirou mais?

 

Essa parte vai mostrar muito sobre nosso público e de como nós já fomos longe com uma única postagem. Conseguimos atingir pouco mais de 350 mil pessoas com uma participação ativa, na postagem, de quase 40 mil pessoas. Tudo isso porque o Busão inventou de te ensinar como usar a palavra “Piá”. Greca tomou o segundo lugar e o Chapolin – ainda muito vivo por aqui – também apareceu no ranking. Lembra do nosso Salão com os curtidores? Imagine essas quarenta mil pessoas juntas, nesse salão, rindo da postagem nem que seja por 20 segundos. Seria mais doido que o Festival de Cores – só porque eu não fui =/.

Alcance-das-publicas

 

Trazendo a campeã de alcance para mais perto, podemos ver todos os dados referente a interação que ele proporcionou a vocês. Eu não vou passar um por um e enaltecer ainda mais a o alcance e bla bla bla, mas um desses dados me mata de curiosidade a muito tempo. Foram 37.209 pessoas curtindo, comentando e compartilhando e no meio de toda essa multidão tivemos 1 alma que descurtiu a página após ver essa publicação. Eu quero fazer um chamado oficial para que esse piazão saia das sombras do Largo e se apresente, você foi um verdadeiro ativista e foi contra a onda da sociedade. O triste é que a publicação era muito boa e acho que você talvez não tenha entendio, mas está tudo bem.

 

Melhor-publica

 

Comparem a publicação com maior alance da história do transporte coletivo curitibano com a publicação que não chegou nem na metade disso, porém teve o maior numero de cliques do que qualquer outra publicação. Foi mais que o triplo de cliques na foto e nem preciso explicar por que.

Mais-Clicada

 

Agora vamos falar de Tek…do Blog!

 

O Busão e sua equipe de cobradores, motoristas e mendigos possuem alguns projetos muito batutas para evoluir esse portal, com o tempo, e incluir novos portais também. O objetivo é prover um conteúdo com maior qualidade e que seja realmente útil na sua vida, por mais que uma risada pode melhorar a segunda-feira de muita gente. Para você ter uma boa impressão logo de cara, o blog do Busão chega a ter um Ranking de Países que nos visitam e você pode conferir ele aqui embaixo:

Paises-blog

 

Os japoneses nos visitam, geralmente, quando postamos algo com pombas ou pastel – brincadeira gente, isso não é uma estatística real por mais que pareça lógico – e realmente se tem um grande fluxo de visitas vindas da terra do Tio San. O que eles procuram por aqui eu não sei, talvez o horário dos ônibus. Falando em números – e não é da mega sena da virada – você poderá ver, abaixo, o que é produzido de visitas e visualizações de página em um período de 7 dias (as vezes menos inclusive).

2014-12-16_11-02-54

A partir daqui eu já larguei os bets da analogia do Salão, vai começar a ficar meio ridículo. Realmente eu não consigo ver esses números se mantendo com um conteúdo ruim e esse é um dos orgulhos do Busão: o nosso público é de qualidade, é friboi. Aproveito até para agradecer você que chegou, na leitura, até esse ponto do artigo. Quero dizer do fundo do meu coração que você, leitor, merece o selo Friboi. Como nem tudo é um mar de Capivaras Rosas, nosso publico vindo por pesquisas do Google ou de outros mecanismos de Busca pode ser um pouco mais exótico. Confira o Ranking dos termos de pesquisa que mais carregam as pessoas até o Blog e repare que “danoninho” aparenta ser algo de muito desejo das pessoas na internet e em Curitiba. Os outros termos dispensam comentários porque a piada ta feita.

principais-termos-de-pesquisa

 

Um pouco mais atrás no Ranking – graças a Inri – estão as palavras que formam essa lista abaixo. Devo dizer que “3 gurias swag” é o meu termo favorito e devo tatuar essa escrita, com a letra Comic Sans, em breve na minha nuca. Nada que a Culpa e das Capivaras e os furtos dentro da Loja Americanas não me chamem a atenção, mas nada como um Swag dentro do Campina do Siqueira com Batel.

Termos-Bizarros

 

Espero que tenha sanado os curiosos, interessado os perdidos e ganhado o coração de quem só com criticas. Eu aproveito para não ser diferente e alfinetar, somente com uma imagem e comentário, uma das páginas que está em extrema alta e se tornou “referencia” de no meio das Redes Sociais tendo como uma das postagens com maior interação e alcance menções sobre um Cupinzeiro, uma saudação de Boa Noite e uma tirinha com cor de dog estragado que você comeu na Trajano.


Top 5 - Prefeitura

Obs.: Eu também achei que meu mouse estava parado ali =/

ONG fundada em Curitiba fica entre as 100 melhores do Brasil

Instituição que une futebol e desenvolvimento social é reconhecida pelas boas práticas em governança, transparência, comunicação e financiamento

O Instituto Futebol de Rua, fundado em 2006, em Curitiba (PR), foi reconhecido como uma das 100 melhores organizações sem fins lucrativos do Brasil. O Prêmio Melhores ONGs anuncia anualmente, desde 2017, as instituições brasileiras do terceiro setor que são reconhecidas por suas boas práticas em quesitos como governança, transparência, comunicação e financiamento. 

Com sede na capital paranaense e núcleos espalhados em 22 cidades de 12 estados, o Instituto Futebol de Rua alcança esses quesitos ao utilizar o esporte como ferramenta para o desenvolvimento social, tendo como foco o enriquecimento educacional e cultural de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. Para o fundador do Instituto Futebol de Rua, Alceu Natal Neto, o reconhecimento como uma das 100 melhores ONGs do Brasil é o resultado de anos de muito trabalho de mais de 500 voluntários e profissionais que se dedicam ao projeto. “O ano de 2020 foi de desafio para todos. Primeiro e principalmente para as famílias que atendemos, que viveram uma realidade de dificuldades ainda maiores. Depois para nossa equipe, que precisou se reinventar para não deixar que esses jovens e crianças ficassem desassistidos”, afirma. 

Os trabalhos desenvolvidos no Instituto já alcançaram mais de 18 mil crianças e adolescentes ao longo dos 14 anos de história. Por ser uma organização sem fins lucrativos, o Instituto se mantém com o apoio de parceiros, doações e com o trabalho de voluntários que dedicam parte de seu tempo às atividades da ONG. Com as atividades suspensas desde março, o Instituto também realizou ao longo do ano uma série de ações em apoio às famílias atendidas. De abril até novembro, foram 35 ações, com distribuição de oito toneladas de alimentos, 2000 itens de higiene pessoal, 1110 sopas e lanches e 1300 litros de leite, impactando mais de sete mil pessoas. Também foi realizada, em parceria com a Central Única das Favelas (CUFA), a entrega de 330 chips de telefone.

Ações contínuas

Entre as iniciativas fixas do Instituto estão os projetos “Futebol de Rua pela Educação”, que promove a inclusão social por meio do esporte, “Jogando Juntos”, trabalho para fortalecer vínculos sociais e driblar a desigualdade, o “Aprendiz do Futebol”, que oferece uma formação profissional aliada aos conceitos do esporte, e o “Football for Hope”, projeto patrocinado pela FIFA que apresenta o futebol como ferramenta para desenvolvimento humano. “Nosso lema sempre foi transformar as dificuldades em aprendizados e esperamos seguir dessa forma por muitos anos”, diz. 

A cerimônia do Prêmio Melhores ONGs será online e acontece no dia 10 de dezembro. 

Para conhecer mais sobre o Instituto Futebol de Rua é possível encontrar outras informações no site https://www.futebolderua.org.

Sobre o Instituto Futebol de Rua

Criado em 2006, o Instituto Futebol de Rua é uma organização sem fins lucrativos que utiliza o esporte, a educação e a cultura como ferramentas para o desenvolvimento de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Presente em 12 estados, 22 cidades e com mais de dois mil beneficiários, o Instituto conta com metodologia exclusiva que alia aulas de formação humana ao futebol de rua. 

Segundo a Fiocruz, Curitiba está entre as capitais com tendência de avanço da covid-19

O boletim semanal Infogripe divulgado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) revela que 97,7% das ocorrências de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) reportadas no país em 2020 e com exame positivo para alguma infecção viral se deram em decorrência da covid-19. De acordo com os pesquisadores envolvidos no levantamento, os dados divulgados nesta quinta-feira (3) também mostram um avanço da doença.

“O registro de crescimento que vem se observando em todo o território nacional durante o mês de novembro sugere a necessidade de cuidado redobrado ao longo do mês de dezembro. Ações de conscientização e prevenção devem ser tomadas para evitar que as tradicionais aglomerações no comércio e nas celebrações de fim de ano agravem o quadro atual”, alerta o boletim.

O levantamento traz uma análise para as próximas três semanas (curto prazo) e para as próximas seis semanas (longo prazo). Das 27 capitais, 13 registram  sinal moderado ou forte de crescimento na tendência de longo prazo: Campo Grande, Curitiba, Goiânia, Maceió, Palmas , Salvador, Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus, Brasília, Rio de Janeiro, São Luís e São Paulo.

Em apenas quatro estados, as tendências de curto e longo prazo apresentam sinal de queda ou estabilização em todas as suas macrorregiões de saúde: Acre, Amapá, Roraima e Sergipe. Essa situação também ocorre no Distrito Federal.

Todas as regiões do país foram classificadas em zona de risco e com ocorrência de casos muito altos na semana epidemiológica entre 22 e 28 de novembro. A íntegra do boletim está disponibilizada no portal da Fiocruz.

Síndrome respiratória

O Infogripe leva em conta as notificações de SRAG registradas no Sivep-gripe, sistema de informação mantido pelo Ministério de Saúde e alimentado por estados e municípios. A nova edição se baseia nos dados inseridos até  segunda-feira (30).

A SRAG é uma complicação respiratória associada muitas vezes ao agravamento de alguma infecção viral. O paciente pode apresentar desconforto respiratório e queda no nível de saturação de oxigênio, entre outros sintomas.

As notificações de SRAG em 2020 aumentaram em decorrência da pandemia do novo coronavírus (covid-19), Sars-CoV-2.

No ano passado, foram reportados 39,4 mil casos. Neste ano, já são 584.176, dos quais 54,8% tiveram resultado laboratorial indicando presença de algum vírus respiratório.

Entre as ocorrências com exame positivo para infecção viral, foram identificados quadros de SRAG associados não apenas ao novo coronavírus (97,7%), como também ao vírus influenza A (0,4%), ao vírus sincicial respiratório (0,4%) e ao vírus influenza b (0,2%). Quando analisados os casos que evoluíram à óbito, 99,3% estão vinculados ao novo coronavírus.

Este ano já são 141.351 mortes por SRAG. Em 2019, foram 3.811.