Ônibus com mais de 50 passageiros despenca na BR-376 no Litoral

O Corpo de Bombeiros e o Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA) estão ajudando no atendimento do acidente com um ônibus de turismo que ocorreu na manhã desta segunda-feira (25) na BR-376, próximo à Curva da Santa, em Guaratuba, no Litoral do Paraná.

Foto: AEN PR

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) confirmou, por volta das 13h desta segunda-feira, 19 mortos no acidente do ônibus de turismo que despencou na Curva da Santa, BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná. O Corpo de Bombeiros havia informado 21 mortes, porém após recontagem o número foi atualizado para menos pela PRF.

Informações apuradas no local falam que o ônibus, com placa do Pará, saiu da pista e tombou na lateral da via. O veículo tinha 57 passageiros, além de dois motoristas. O acidente aconteceu perto das 8h30 no quilômetro 668.

Foto: AEN PR

Foram deslocados para o local duas aeronaves do BPMOA, caminhões de Combate a Incêndio e Resgate, ambulâncias e viaturas de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros do Paraná; viaturas da concessionária Litoral Sul, da Polícia Rodoviária Federal, da Polícia Civil, da Polícia Científica e do Instituto Médico Legal, além do suporte de Santa Catarina, que encaminhou aeronaves do Grupo Águia e viaturas do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Ônibus elétricos na Rede Integrada são requisitos dos projetos estruturantes de mobilidade

BRT Leste-Oeste contará com ônibus elétricos na ligação metropolitana entre Pinhais e a estação CIC-Norte.

A entrada em operação dos ônibus elétricos em larga escala em Curitiba está ancorada em projetos estruturantes vinculados ao planejamento da cidade. No campo da mobilidade se destacam dois projetos (Novo Inter 2 e Corredor Leste-Oeste), desenvolvidos pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), que garantiram à cidade a captação de recursos externos.

“Os projetos de Curitiba foram a chave para a atração de recursos, junto aos organismos financiadores, para o aperfeiçoamento do transporte da cidade”, observa a coordenadora do setor de Mobilidade do Ippuc, Olga Prestes.

Como parte do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Curitiba, os projetos para a evolução do sistema de transporte público abrangem, respectivamente, duas linhas perimetrais (Ligeirinho Inter 2 e Interbairros II), entre as que mais transportam pessoas na Rede Integrada e o BRT Leste-Oeste (Pinhais-CIC Norte) com inserção metropolitana.

Somados, os investimentos e contrapartidas municipais nesses projetos alcançam US$ 227,2 milhões. Deste total, para o Novo Inter 2 são US$ 106, 7 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) com US$ 26,7 milhões do município e, para o Corredor Leste-Oeste, outros US$ 75 milhões do New Development Bank (NDB) e US$ 18,75 milhões em contrapartidas da Prefeitura.

Meio ambiente e inovação

Ambos os financiamentos têm vínculo com a necessidade de respostas às questões climáticas, uma prioridade mundial dos organismos multilaterais de fomento ao desenvolvimento.

No contrato do BID para o Inter 2, a eletromobilidade no transporte está contemplada no campo de Inovação, Tecnologias e estratégias de emissão de baixo carbono para fortalecer receitas tarifárias e não tarifárias e induzir o aumento do número de passageiros.

No financiamento do NDB para o Corredor Leste-Oeste, faz parte do elenco de prioridades a implantação de um sistema de transporte inteligente, com tecnologias inovadoras, também com vistas à atratividade de passageiros.

Múltiplas tecnologias

Neste mês de setembro, Curitiba está encaminhando testes de ônibus elétricos de diferentes portes e tecnologias para atender às demandas da RIT. São aspectos que levam em conta o modelo da Rede Integrada com tarifa única, que conta com os ônibus de linhas alimentadoras que levam passageiros para as linhas troncais que partem dos terminais localizados nos setores estruturais.

“O teste de tecnologias e modelos distintos é necessário para que possamos buscar a adequação às diversas configurações que temos no sistema de transporte de Curitiba. As linhas troncais são alimentadas pelas linhas que se integram nos terminais vindo dos bairros. São ônibus de diferentes portes e capacidade. Enquanto nas canaletas operam veículos maiores, a alimentação é feita por ônibus menores”, reforça Olga.

Considerando as particularidades da RIT, Curitiba deverá testar diferentes veículos, bem como tecnologias de carregamento que envolvem sistemas de plug-in, ultracapacitores, catenárias, recarga por frenagem. Entre os ônibus haverá a diferenciação de portes e modelos, que podem variar desde os veículos Padron de 18 metros, da fabricante Higer e o ônibus de 15 metros da Eletra, que serão apresentados neste mês de setembro, como também os veículos articulados da BYD, de 22 metros, que farão testes de desempenho também neste mês e os articulados de 21,5 metros, da Eletra, que devem fazer testes de operação na linha Interbairros II, no mês de novembro.

“A estratégia já prevista no planejamento é a de ampliar a frota de ônibus elétricos em todas as linhas. A baixa emissão de CO2 possibilitada pela eletrificação das linhas alimentadoras e troncais, que operam nos corredores estruturais, por exemplo, têm benefício direto na qualidade do ar e de vida nessas regiões, onde é permitido o maior adensamento de moradias, comércio e serviços”, explica Olga Prestes.

LEIA MAIS
 

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba

Prefeitura fará testes com ônibus elétricos da fabricante Eletra

Prefeito Rafael Greca com o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto, recebe a CEO da empresa Eletra, Milena Romano. Curitiba, 13/09/2022. Foto: Pedro Ribas/SMCS

A Prefeitura testará os ônibus elétricos da fabricante brasileira Eletra. O assunto foi tratado em reunião, nesta terça-feira (13/9), entre o prefeito Rafael Greca e a presidente da montadora, Milena Romano, no Palácio 29 de Março.

Os ônibus elétricos não geram emissões e ruído e são considerados o futuro da mobilidade nas grandes cidades. “O futuro já chegou e é elétrico. A nossa ideia é testarmos todos os tipos de ônibus elétricos do mundo para que possamos fazer nossa modernização da frota”, disse Greca.

A implantação de ônibus elétricos é base do Programa de Mobilidade Sustentável de Curitiba, que tem como âncora os projetos de evolução do transporte curitibano, do Inter 2 e Leste-Oeste, com financiamentos externos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do New Development Bank (NDB), respectivamente.

Única fabricante brasileira de ônibus 100% elétricos, a Eletra, com unidade industrial em São Bernardo do Campo (SP), vai disponibilizar um veículo de 15 metros para ser utilizado na região do Tatuquara no fim de setembro e outro, articulado, com 21,5 metros, para as linhas Inter 2 e no Interbairros 2, em novembro. Cada ônibus será testado por um período de 60 dias.

Os veículos têm chassis Scania e Mercedes-Benz, carroceria Caio e bateria e motores Weg. “Queremos colaborar com o município no sentido de trazer a eletromobilidade para o transporte coletivo da cidade”, disse Milena Romano, presidente da Eletra. A fábrica da empresa no ABC paulista tem capacidade para produzir 1,8 mil ônibus elétricos e híbridos por ano.

Testes técnicos

O presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto, destaca que a Eletra é a primeira montadora a fazer os testes técnicos já no âmbito do Edital de Chamamento Público 001/2022 para Acordo de Cooperação Técnica Visando a Demonstração Operacional de Ônibus Elétricos no Município de Curitiba.

As demonstrações realizadas terão como finalidade fornecer subsídios técnicos e operacionais para futuras contratações e licitações do município.

Atualmente, apenas 4% da frota de ônibus da cidade funciona com energia limpa ou de baixa emissão. No médio prazo, até 2030, 33% da frota deverá operar com emissão zero; alcançando 100% até 2050, como parte do Plano de Ação Climática (PlanClima), a alinhado às ações globais de sustentabilidade.

“A eletromobilidade é uma realidade próxima e que trará inúmeros benefícios ao sistema, como a eficiência da operação, o conforto do passageiro e a melhoria da qualidade do ar”, pontua a assessora de investimentos do Ippuc, Ana Jayme.

Mês da Mobilidade

Curitiba marcou para setembro uma série de ações que celebram a mobilidade sustentável na capital. As atividades ocorrem de 16 a 29 e celebram também a Semana da Mobilidade, que inclui o Dia Mundial sem Carro, em 22 de setembro.

A programação inclui a demonstração do ônibus elétrico da chinesa Higer. A ação será lançada pelo prefeito Rafael Greca na próxima sexta-feira (16/9), no Parque Tanguá.  

Para a população, o modelo da Higer poderá ser conferido em viagens gratuitas, de hora em hora, nos dias 17 e 18. O ônibus fará a ligação entre o Terminal Campina do Siqueira e o Parque Barigui das 9h às 20h.

Já entre 19 e 23 de setembro, o ônibus fará viagens, com bilhetagem e pagamento por cartão transporte, de débito e crédito, em cinco linhas do transporte coletivo. A primeira linha que testará a tecnologia será a 801 Campina do Siqueira/Batel; no dia 19. No dia seguinte (20/9) será a vez da 380 Detran/Vicente Machado, seguida pela 617 Jardim Ludovica (21/9); 654 Campo Alegre (22/9) e 826 Campo Comprido/CIC (23/9).

Também participaram da reunião Mauricio Gulin, presidente da Viação Sorriso e do Setransp, Paulo Henrique da Rocha, pelo Setransp, Angelo Gulin, presidente da Redentor, e Clever Almeida, assessor de projetos estratégicos do Ippuc.

Veja a matéria no site da Prefeitura de Curitiba